Campeonato Brasileiro de Futebol de 1969

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
XIII Campeonato Brasileiro de Futebol
Taça de Prata de 1969
Brasil
Dados
Participantes 17
Organização CBD
Local de disputa  Brasil
Período 6 de setembro – 7 de dezembro
Gol(o)s 381
Partidas 142
Média 2,68 gol(o)s por partida
Campeão São Paulo Palmeiras (4º título)
Vice-campeão Minas Gerais Cruzeiro
Melhor marcador Edu (America-RJ) – 14 gols
Melhor ataque (fase inicial) Minas Gerais Atlético Mineiro – 31 gols
Melhor defesa (fase inicial) São Paulo Corinthians – 13 gols
Público 3 133 514
Média 22 067 pessoas por partida
◄◄ Brasil Taça Brasil 1968 Soccerball.svg Brasileirão 1970 Brasil ►►

O Campeonato Brasileiro de Futebol de 1969, originalmente denominado Taça de Prata pela CBD[1] e também conhecido por Torneio Roberto Gomes Pedrosa ou Robertão, foi a décima terceira edição do Campeonato Brasileiro e o terceiro Torneio Roberto Gomes Pedrosa, que teve novamente como campeão o Palmeiras, que já havia vencido em 1967.

Assim como na edição anterior a competição foi organizada pela Confederação Brasileira de Desportos (CBD, atual CBF). Com a extinção da Taça Brasil, já em 1969 a Taça de Prata, passou a ser a única competição nacional de clubes de futebol que concedia o título de campeão brasileiro e a mais importante competição de futebol do Brasil. Esta edição, assim como a anterior, indicaria os dois representantes da CBD na Taça Libertadores da América. No entanto, por desentendimentos entre as confederações Brasileira (CBD) e Sul-Americana (CONMEBOL), o Brasil terminou não participando também da Libertadores de 1970, como protesto da entidade brasileira contra as mudanças das regras da competição.[2] Nesta edição, a CBD manteve o número de dezessete participantes e também o de sete estados, mas fez três alterações nos clubes convidados: o America, terceiro colocado no Campeonato Carioca de 1969, substituiu o Bangu, sexto colocado, como quinto representante carioca, enquanto os estados do Paraná e Pernambuco foram representados por seus campeões, Coritiba e Santa Cruz. Classificaram-se para a fase final os paulistas Corinthians e Palmeiras (como em 1967), além de Botafogo e Cruzeiro.[3][4][5]

O Corinthians liderou quase todo o torneio e chegou à última rodada com vantagem. Se ganhasse do Cruzeiro em Belo Horizonte, seria campeão, independentemente do resultado paralelo de Palmeiras versus Botafogo. O Cruzeiro também podia ficar com o título, desde que ganhasse do Corinthians por um escore maior que o do Palmeiras sobre o Botafogo. Só o Botafogo chegou à última rodada sem chances. O Palmeiras aproveitou-se disso e fez 3 a 1 sobre o Botafogo em São Paulo, enquanto o Cruzeiro venceu o Corinthians por apenas 2 a 1. Resultado: Palmeiras campeão, pelo critério de desempate do saldo de gols.[5] Este quarto título brasileiro do Palmeiras representou tanto o último da primeira Academia de Futebol, quanto o início da segunda – Zeca, Leão e Luís Pereira já estavam no elenco, porém o primeiro tinha vinte e três anos e os dois últimos estavam apenas com vinte, seriam muito mais importantes para a equipe na década de 1970.[6][7] Foi nesta edição que Pelé marcou seu milésimo gol, em 19 de novembro, jogando contra o Vasco da Gama, atraindo a atenção da mídia mundial para o jogo realizado no Maracanã.[8]

Em 2010 o torneio foi reconhecido pela CBF como o Campeonato Brasileiro de Futebol de 1969, atribuindo o título de campeão brasileiro ao Palmeiras,[9] exatamente como fazia em seus boletins oficiais entre 1971 e 1973, excluindo esta informação a partir do boletim de 1974.[10][1]

História[editar | editar código-fonte]

O Torneio Roberto Gomes Pedrosa/Taça Prata foi uma competição nacional de futebol no Brasil disputada de 1967 a 1970, antes da criação do Campeonato Nacional de Clubes, em 1971, que ficou lembrado por vários anos como sendo o primeiro Campeonato Brasileiro, desde que a CBD (atual CBF) modificou o seu boletim oficial em 1974, até o ano de 2010, quando a CBF unificou os títulos brasileiros anteriores a 1971.[1][11][12]

A décima terceira edição do Campeonato Brasileiro de Futebol, ou o terceiro Torneio Roberto Gomes Pedrosa, foi realizado em 1969 e contou com a participação de dezessete equipes de sete Estados: Corinthians, Palmeiras, Portuguesa, Santos e São Paulo (de São Paulo); America, Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco da Gama (da Guanabara); Grêmio e Internacional (do Rio Grande do Sul); Atlético Mineiro e Cruzeiro (de Minas Gerais); Coritiba (do Paraná); Bahia (da Bahia) e Santa Cruz (de Pernambuco).[5][3][4]

O regulamento desta edição separava os participantes em dois grupos na primeira fase – um com oito agremiações e outro com nove, mas os clubes se enfrentavam todos contra todos em turno único. sendo que os dois mais bem colocados de cada chave classificavam-se para a disputa de um quadrangular final. Os dois melhores colocados de cada grupo foram respectivamente: Corinthians e Cruzeiro (Grupo A) e Palmeiras e Botafogo (Grupo B), com gols de César Maluco e assistências de Ademir da Guia, o Palmeiras liderou seu grupo com nove vitórias, um empate e seis derrotas. O quadrangular foi disputado com os quatro clubes também jogando todos contra todos em turno único, assim como na edição anterior.[5]

O primeiro jogo do Palmeiras na fase final foi logo contra o seu arquirrival Corinthians, mas a partida ficou empatada em 0 a 0. Precisando vencer na rodada seguinte, o time alviverde iniciou o embate frente ao Cruzeiro liderando o placar, graças a um gol de César, mas Palhinha deixou tudo igual. Na última rodada, o clube precisou torcer por uma derrota do Corinthians e vencer o Botafogo por uma diferença maior de gols do que a vitória do Cruzeiro. Ao final do primeiro tempo, a torcida palmeirense já comemorava três gols – Ademir marcou duas vezes e César uma. Ferretti ainda descontou para a equipe carioca, mas não sendo suficiente para tirar o título do Palmeiras, pois os mineiros ganharam por apenas 2 a 1. Com isso, o Palmeiras conquistando seu quarto campeonato nacional através do saldo de gols. O goleador da competição foi Edu (America), com catorze gols.[5][13][14]

Fórmula de disputa[editar | editar código-fonte]

Primeira fase: os dezessete participantes jogaram todos contra todos, em turno único, mas divididos em dois grupos (um com oito clubes e outro com nove) para efeito de classificação. Classificaram-se os dois primeiros de cada grupo para a fase final.

Fase final: os quatro clubes classificados jogaram todos contra todos, em turno único. O clube com maior número de pontos nesta fase foi o campeão.

Critérios de desempate: saldo de gols, goal-average e sorteio.

Classificação da primeira fase[editar | editar código-fonte]

Grupo A[editar | editar código-fonte]

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 São Paulo Corinthians 24 16 10 4 2 29 13 +16
2 Minas Gerais Cruzeiro 22 16 9 4 3 25 14 +11
3 Rio Grande do Sul Internacional 20 16 8 4 4 24 15 +9
4 Rio de Janeiro America 16 16 4 8 4 25 20 +5
5 São Paulo Santos 15 16 5 5 6 27 24 +3
6 São Paulo Portuguesa 14 16 3 8 5 19 27 –8
7 Pernambuco Santa Cruz 14 16 4 6 6 17 27 –10
8 Rio de Janeiro Flamengo 12 16 3 6 7 17 30 –13
Zona de classificação para a próxima fase.

Grupo B[editar | editar código-fonte]

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 São Paulo Palmeiras 19 16 9 1 6 24 19 +5
2 Rio de Janeiro Botafogo 18 16 8 2 6 19 18 +1
3 Minas Gerais Atlético Mineiro 17 16 8 1 7 31 23 +8
4 Rio de Janeiro Fluminense 15 16 5 5 6 20 21 –1
5 Rio Grande do Sul Grêmio 15 16 5 5 6 17 19 –2
6 Bahia Bahia 15 16 5 5 6 19 25 –6
7 Paraná Coritiba 14 16 5 4 7 19 22 –3
8 São Paulo São Paulo 14 16 5 4 7 22 27 –5
9 Rio de Janeiro Vasco da Gama 8 16 2 4 10 13 23 –10
Zona de classificação para a próxima fase.

Jogos da fase final[editar | editar código-fonte]

30 de novembro Palmeiras São Paulo 0 – 0 São Paulo Corinthians Morumbi, São Paulo

Público: 38 022
Árbitro: Rio de JaneiroRJ Arnaldo Cezar Coelho
30 de novembro Botafogo Rio de Janeiro 2 – 2 Minas Gerais Cruzeiro Maracanã, Rio de Janeiro

Waltencir Gol marcado
Rogério Gol marcado
Evaldo Cruz Gol marcado
Zé Carlos Gol marcado
Público: 45 252
Árbitro: Rio de JaneiroRJ Armando Marques

3 de dezembro Cruzeiro Minas Gerais 1 – 1 São Paulo Palmeiras Mineirão, Belo Horizonte

Palhinha Gol marcado César Gol marcado Público: 36 525
Árbitro: Rio de JaneiroRJ Armando Marques
3 de dezembro Corinthians São Paulo 1 – 0 Rio de Janeiro Botafogo Pacaembu, São Paulo

Benê Público: 21 087
Árbitro: José Luís Barreto

7 de dezembro Palmeiras São Paulo 3 – 1 Rio de Janeiro Botafogo Morumbi, São Paulo

Ademir da Guia Gol marcado aos 11 minutos de jogo 11', Gol marcado aos 44 minutos de jogo 44'
César Gol marcado aos 27 minutos de jogo 27'
Ferretti Gol marcado aos 54 minutos de jogo 54' Público: 8 010
Renda: NCr$ 51 210,00
Árbitro: Rio de JaneiroRJ Armando Marques
7 de dezembro Cruzeiro Minas Gerais 2 – 1 São Paulo Corinthians Mineirão, Belo Horizonte

Evaldo Gol marcado aos 1 minutos de jogo 1'
Dirceu Lopes Gol marcado aos 68 minutos de jogo 68'
Rivellino Gol marcado aos 57 minutos de jogo 57' Público: 56 728
Renda: NCr$ 257 736,00
Árbitro: Rio de JaneiroRJ Arnaldo Cezar Coelho

Classificação do quadrangular final[editar | editar código-fonte]

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG
1 São Paulo Palmeiras 4 3 1 2 0 4 2 +2
2 Minas Gerais Cruzeiro 4 3 1 2 0 5 4 +1
3 São Paulo Corinthians 3 3 1 1 1 2 2 0
4 Rio de Janeiro Botafogo 1 3 0 1 2 3 6 –3

Premiação[editar | editar código-fonte]

Campeonato Brasileiro de 1969
Bandeira do estado de São Paulo.svg
Sociedade Esportiva Palmeiras
(4º título)

Classificação final[editar | editar código-fonte]

Pos Times Pts J V E D GP GC SG Classificação ou rebaixamento
1 São Paulo Palmeiras 23 19 10 3 6 28 21 +7 Participaram da fase final.
2 Minas Gerais Cruzeiro 26 19 10 6 3 30 18 +12
3 São Paulo Corinthians 27 19 11 5 3 31 15 +16
4 Guanabara Botafogo 19 19 8 3 8 22 26 -2
5 Rio Grande do Sul Internacional 20 16 8 4 4 24 15 +9 Participaram da primeira fase.
6 Minas Gerais Atlético Mineiro 17 16 8 1 7 31 23 +8
7 Guanabara America 16 16 4 8 4 25 20 +5
8 São Paulo Santos 15 16 5 5 6 27 24 +3
9 Guanabara Fluminense 15 16 5 5 6 20 21 -1
10 Rio Grande do Sul Grêmio 15 16 5 5 6 17 19 -2
11 Bahia Bahia 15 16 5 5 6 19 25 -6
12 Paraná Coritiba 14 16 5 4 7 19 22 -3
13 São Paulo São Paulo 14 16 5 4 7 22 27 -5
14 Pernambuco Santa Cruz 14 16 4 6 6 17 27 -10
15 São Paulo Portuguesa 14 16 3 8 5 19 27 -8
16 Guanabara Flamengo 12 16 3 6 7 17 30 -13
17 Guanabara Vasco da Gama 8 16 2 4 10 13 23 -10

Principais artilheiros[editar | editar código-fonte]

  1. Edu (America): 14 gols.[15]
  2. César Maluco (Palmeiras): 13 gols.
  3. Claudiomiro (Internacional): 12 gols.
  4. Dario (Atlético Mineiro), Dirceu Lopes (Cruzeiro), Flávio (Fluminense) e Pelé (Santos): 11 gols.

Maiores públicos[editar | editar código-fonte]

  • Públicos pagantes, acima de 50.000[16].
  1. Atlético-MG 1 a 3 Cruzeiro, 97 928, Mineirão, 28 de setembro de 1969.
  2. Fluminense 0 a 0 Santos, 87 872, Maracanã, 26 de outubro de 1969.
  3. Flamengo 1 a 4 Santos, 70 322, Maracanã, 1 de novembro de 1969.
  4. Flamengo 1 a 4 Fluminense, 68 531, Maracanã, 28 de setembro de 1969.
  5. Flamengo 3 a 1 Vasco, 66 289, Maracanã, 5 de outubro de 1969.
  6. Vasco 1 a 2 Santos, 65 157, Maracanã, 19 de novembro de 1969.
  7. Botafogo 1 a 0 Fluminense, 57 441, Maracanã, 23 de novembro de 1969.
  8. Cruzeiro 2 a 1 Corinthians, 56 728, Mineirão, 7 de dezembro de 1969.
  9. Internacional 3 a 0 Santos, 55 645, Beira Rio, 8 de outubro de 1969.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c «Boletim da CBD, de 1972, intitulado de Progresso do Campeonato Nacional, conta os títulos nacionais desde 1967». Consultado em 25 de outubro de 2016. 
  2. «Torneio Roberto Gomes Pedrosa (Robertão) 1969 - Campeonato Brasileiro de Futebol 1969». Quadro de Medalhas. Consultado em 31 de outubro de 2016. 
  3. a b «Torneio Roberto Gomes Pedrosa (Robertão ou Taça de Prata)». Quadro de Medalhas. Consultado em 25 de outubro de 2016. 
  4. a b «Futebol e política: a criação do Campeonato Nacional de Clubes de Futebol» (PDF). Fundação Getúlio Vargas. Consultado em 31 de outubro de 2016. 
  5. a b c d e «Confira detalhes do título do Palmeiras no "Robertão" de 1969». Portal Terra. Consultado em 25 de outubro de 2016. 
  6. «Academia de Futebol fez do Palmeiras o campeão do século XX». Gazeta Esportiva. Consultado em 31 de outubro de 2016. 
  7. «A história da segunda Academia, o time que nunca perdeu. Saiba quantas vezes jogaram timaços de outros clubes». ESPN do Brasil. Consultado em 31 de outubro de 2016. 
  8. «Um olhar weberiano sobre a unificação dos títulos brasileiros a partir de 1959». Efdeportes.com. Consultado em 25 de outubro de 2016. 
  9. «CBF oficializa títulos nacionais de 1959 a 70 com homenagem a Pelé». Globo Esporte. Consultado em 8 de novembro de 2016. 
  10. Boletins oficiais da CBD entre 1971 e 1974.
  11. «Entenda como eram a Taça Brasil e o Torneio Roberto Gomes Pedrosa». Globo Esporte. Consultado em 31 de outubro de 2016. 
  12. «Um olhar weberiano sobre a unificação dos títulos brasileiros a partir de 1959». Efdeportes.com. Consultado em 31 de outubro de 2016. 
  13. «Torneio Roberto Gomes Pedrosa 1969» (em inglês). RSSSF Brasil. Consultado em 31 de outubro de 2016. 
  14. «Robertão 1969». Bola n@ Área. Consultado em 31 de outubro de 2016. 
  15. Almanaque do Brasileirão 1959-2015, Editora ALTO ASTRAL, página 18.
  16. Lista completa dos maiores públicos do Torneio Roberto Gomes Pedrosa

Ligações externas[editar | editar código-fonte]