Copa João Havelange

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura o campeonato interestadual organizado pela CBF em 1993, veja Torneio João Havelange.
XLIV Campeonato Brasileiro de Futebol
Copa João Havelange
Dados
Participantes 116
Organização Clube dos 13
Local de disputa Brasil
Período 29 de julho de 200018 de janeiro de 2001
Gol(o)s 2970
Partidas 1065
Média 2,79 gol(o)s por partida
Campeão Vasco da Gama (4º título)
Vice-campeão São Caetano
Melhor marcador Adhemar (São Caetano) – 22 gols
Público 3 810 180
Média 11 546 pessoas por partida
Outras divisões
Módulo Azul Cruzeiro
Módulo Amarelo Paraná
Módulos Verde e Branco Malutrom
◄◄ 1999 Soccerball.svg 2001 ►►

Copa João Havelange foi a denominação dada pelo Clube dos 13 ao Campeonato Brasileiro de Futebol de 2000, em homenagem ao ex-presidente da CBF e da FIFA João Havelange. Impossibilitada pela Justiça de organizar o campeonato, a CBF passou a responsabilidade ao Clube dos 13, mas como este não pôde aplicar os critérios de acesso e descenso do ano anterior, acabou gerando o maior Campeonato Brasileiro de todos os tempos, reunindo 116 clubes de três divisões em um único torneio, dividido em quatro módulos na sua primeira fase. Antes do início, o Clube dos 13 afirmou que não pretendia realizar uma segunda edição no ano seguinte, retomando à CBF o direito de organização.[1]

O campeão foi o Vasco da Gama, que conseguiu o seu quarto título nacional, repetindo os feitos de 1974, 1989 e 1997. O vice-campeão foi o São Caetano, que havia sido fundado há pouco mais de 10 anos e que começou a disputa no Módulo Amarelo, mas que chegou à final eliminando clubes tradicionais como Fluminense, Palmeiras e Grêmio.

Em sua quadragésima quarta, e última edição do século XX, o Campeonato Brasileiro confirmou seu histórico de desorganização institucional, mas também se consolidou como o campeonato de futebol mais disputado do mundo: 16 clubes diferentes conseguiram o título de campeão brasileiro em apenas 42 anos. No mesmo período (1959-2000), por exemplo, o futebol da Argentina e o da Inglaterra tiveram 14 campeões diferentes cada (entretanto, na Argentina foram disputados um total de 70 campeonatos durante este período); o da Alemanha e o da Itália tiveram 12 cada; o da França 10; Espanha e Uruguai tiveram apenas 7 campeões; e em Portugal apenas 3 clubes comemoraram o título de campeão nacional.

A questão judicial[editar | editar código-fonte]

Logo na terceira rodada do Brasileirão de 1999 (no dia 4 de agosto), o São Paulo goleou o Botafogo por 6 a 1 e, poucos dias depois, o alvinegro entrou com um pedido de anulação dessa partida, alegando que, em razão do bloqueio de seu passe, o atacante Sandro Hiroshi (que esteve em campo naquela goleada) teria atuado irregularmente. Esse pedido só foi julgado pela Comissão Disciplinar do TJD em 19 de outubro. Com isso, a Comissão Disciplinar tirou do São Paulo os três pontos daquela goleada e entregou-os ao Botafogo.[2]

O time paulista ainda recorreu ao TJD, alegando que havia dezenas de outros jogadores com o passe bloqueado e, consequentemente, em situação tão irregular quanto a de Sandro Hiroshi. Em julgamento realizado no dia 3 de novembro, porém, o TJD apenas ratificou a decisão da primeira instância.[2]

Posteriormente, o Internacional também ganhou da Comissão Disciplinar os pontos do seu jogo contra o São Paulo, em virtude da escalação irregular de Sandro Hiroshi. Igualmente ao Botafogo, o Internacional ganhou dois pontos, pois havia empatado o jogo contra o São Paulo. Com esses pontos, o Botafogo terminou o campeonato com média de aproveitamento superior à do Gama e acabou salvo do rebaixamento à Série B. O Internacional se salvaria do rebaixamento à Série B, mesmo se não tivesse ganho os pontos da partida contra o São Paulo.[3]

Por sua vez, o Gama, que não estaria entre os rebaixados, se os resultados conquistados pelo São Paulo dentro de campo fossem mantidos, naturalmente não aceitou a situação e foi à Justiça Comum contra a CBF, que foi impedida de realizar o Campeonato Brasileiro do ano seguinte, sendo este organizado pelo Clube dos Treze e tendo o nome de Copa João Havelange.[4]

Por não ter aceitado o seu rebaixamento à Série B em 1999, o Gama, com apoio do Sindicato dos Técnicos de Futebol do Distrito Federal e do PFL, entrou com uma ação na Justiça comum exigindo sua reintegração à Série A. Em junho de 2000, devido ao conflito de decisões entre STJD (contra o Gama) e a Justiça comum (a favor), com o processo ainda não tendo sido julgado em todas as instâncias, a CBF ficou impedida de publicar o regulamento do campeonato que deveria iniciar em seguida.

Um acordo com o Clube dos 13 foi a solução, e definiu que essa entidade organizaria um campeonato próprio, que mais tarde seria oficializado pela CBF, inclusive para definição das vagas brasileiras na Libertadores da América de 2001. Porém uma nova liminar obtida pelo Gama determinou sua inclusão no torneio.[5][6] Com o temor de uma série de liminares de outros clubes, optou-se pela unificação das três divisões em um único certame.

Mais tarde, o Gama desistiu de dar prosseguimento ao processo. A FIFA, que havia banido o Gama[7] (impedindo qualquer outro clube de disputar jogos oficiais contra o time brasiliense), também voltou atrás em sua decisão. Finalmente, a CBF ratificou oficialmente a Copa João Havelange como o Campeonato Brasileiro de Futebol de 2000.

Equipes participantes[editar | editar código-fonte]

Equipe Cidade Estado Posição em 1999 Módulo em 2000 Estádio Títulos
ABC Natal Rio Grande do Norte RN 14º (Série B) Amarelo Frasqueirão não possui
America Rio de Janeiro Rio de Janeiro RJ Nenhuma Amarelo Giulite Coutinho não possui
América Natal Rio Grande do Norte RN 21º (Série B) Amarelo Arena das Dunas não possui
América Mineiro Belo Horizonte Minas Gerais MG 7º (Série B) Azul Independência não possui
Americano Rio de Janeiro Rio de Janeiro RJ 7º (Série C) Amarelo Godofredo Cruz não possui
Anapolina Anápolis Goiás GO 24º (Série C) Amarelo Jonas Duarte não possui
ASA Arapiraca Alagoas AL Nenhuma Verde Fumeirão não possui
Atlético Bandeirante Taguatinga Distrito Federal (Brasil) DF Nenhuma Amarelo Serejão não possui
Atlético Goianiense Goiânia Goiás GO 18º (Série C) Verde Antonio Accioly não possui
Atlético Mineiro Belo Horizonte Minas Gerais MG 2º (Série A) Azul Mineirão 1971
Atlético Paranaense Curitiba Paraná PR 9º (Série A) Azul Arena da Baixada não possui
Avaí Florianópolis Santa Catarina SC 8º (Série B) Amarelo Ressacada não possui
Bahia Salvador Bahia BA 3º (Série B) Azul Arena Fonte Nova 1959, 1988
Bangu Rio de Janeiro Rio de Janeiro RJ 20º (Série C) Amarelo Proletário Guilherme da Silveira não possui
Baré Boa Vista Roraima RR Nenhuma Verde Flamarion Vasconcelos não possui
Botafogo Rio de Janeiro Rio de Janeiro RJ 14º (Série A) Azul Maracanã 1968, 1995
Botafogo Ribeirão Preto São Paulo SP 20º (Série A) Amarelo Santa Cruz não possui
Botafogo João Pessoa Paraíba PB 12º (Série C) Verde Almeidão não possui
Bragantino Bragança Paulista São Paulo SP 12º (Série B) Amarelo Nabi Abi Chedid não possui
Brasil de Pelotas Pelotas Rio Grande do Sul RS 15º (Série C) Amarelo Bento Freitas não possui
Brasília Brasília Distrito Federal (Brasil) DF Nenhuma Verde Mané Garrincha não possui
Camaçari Camaçari Bahia BA Nenhuma Verde Armando Oliveira não possui
Campinense Campina Grande Paraíba PB Nenhuma Verde Amigão não possui
Caxias Caxias do Sul Rio Grande do Sul RS 5º (Série C) Amarelo Centenário não possui
Ceará Fortaleza Ceará CE 6º (Série B) Amarelo Carlos de Alencar Pinto não possui
Central Caruaru Pernambuco PE Nenhuma Verde Lacerdão não possui
Comercial Campo Grande Mato Grosso do Sul MS Nenhuma Verde Morenão não possui
Comercial Ribeirão Preto São Paulo SP Nenhuma Branco Palma Travassos não possui
Confiança Aracaju Sergipe SE Nenhuma Verde Proletário Sabino Ribeiro não possui
Corinthians São Paulo São Paulo SP 1º (Série A) Azul Arena Corinthians 1990, 1998, 1999
Corinthians Maceió Alagoas AL Nenhuma Verde Nelsão não possui
Coritiba Curitiba Paraná PR 13º (Série A) Azul Couto Pereira 1985
CRB Maceió Alagoas AL 11º (Série B) Amarelo Rei Pelé não possui
Criciúma Criciúma Santa Catarina SC 18º (Série B) Amarelo Heriberto Hülse não possui
Cruzeiro Belo Horizonte Minas Gerais MG 5º (Série A) Azul Mineirão 1966
CSA Maceió Alagoas AL 23º (Série C) Amarelo Rei Pelé não possui
Desportiva Cariacica Espírito Santo (estado) ES 22º (Série B) Amarelo Engenheiro Araripe não possui
Dom Pedro II Núcleo Bandeirante Distrito Federal (Brasil) DF 36º (Série C) Verde Metropolitana não possui
Etti Jundiaí Jundiaí São Paulo SP Nenhuma Branco Jayme Cintra não possui
Figueirense Florianópolis Santa Catarina SC 6º (Série C) Amarelo Orlando Scarpelli não possui
Flamengo Rio de Janeiro Rio de Janeiro RJ 12º (Série A) Azul Maracanã 1980, 1982, 1983, 1992
Flamengo Teresina Piauí PI Nenhuma Verde Albertão não possui
Fluminense Rio de Janeiro Rio de Janeiro RJ 1º (Série C) Azul Laranjeiras 1970, 1984
Fortaleza Fortaleza Ceará CE 21º (Série C) Amarelo Alcides Santos não possui
Friburguense Nova Friburgo Rio de Janeiro RJ Nenhuma Branco Eduardo Guinle não possui
Gama Gama Distrito Federal (Brasil) DF 15º (Série A) Azul Bezerrão não possui
Genus Porto Velho Rondônia RO Nenhuma Verde Aluizão não possui
Goiânia Goiânia Goiás GO 25º (Série C) Verde Olímpico não possui
Goiás Goiânia Goiás GO 1º (Série B) Azul Serrinha não possui
Grêmio Porto Alegre Rio Grande do Sul RS 18º (Série A) Azul Arena do Grêmio 1981, 1996
Guarani Campinas São Paulo SP 8º (Série A) Azul Brinco de Ouro 1978
Internacional Porto Alegre Rio Grande do Sul RS 16º (Série A) Azul Beira-Rio 1975, 1976, 1979
Internacional Limeira São Paulo SP Nenhuma Branco Limeirão não possui
Internacional Santa Maria Rio Grande do Sul RS Nenhuma Branco Baixada Melancólica não possui
Ipatinga Ipatinga Minas Gerais MG Nenhuma Branco Ipatingão não possui
Ituano Itu São Paulo SP Nenhuma Branco Novelli Júnior não possui
Joinville Joinville Santa Catarina SC 15º (Série B) Amarelo Arena Joinville não possui
Juazeiro Juazeiro Bahia BA Nenhuma Verde Adauto Moraes não possui
Juventude Caxias do Sul Rio Grande do Sul RS 19º (Série A) Azul Alfredo Jaconi não possui
Juventus São Paulo São Paulo SP 14º (Série C) Branco Conde Rodolfo Crespi não possui
Londrina Londrina Paraná PR 10º (Série B) Amarelo Vitorino Gonçalves Dias não possui
Madureira Rio de Janeiro Rio de Janeiro RJ Nenhuma Branco Conselheiro Galvão não possui
Malutrom Curitiba Paraná PR Nenhuma Branco Janguitão não possui
Marcílio Dias Itajaí Santa Catarina SC Nenhuma Amarelo Hercílio Luz não possui
Matonense Matão São Paulo SP Nenhuma Branco Ferreirão não possui
Mogi Mirim Mogi Mirim São Paulo SP Nenhuma Branco Romildo Ferreira não possui
Moto Club São Luís Maranhão MA 13º (Série C) Verde Castelão não possui
Nacional Manaus Amazonas AM Nenhuma Amarelo Carlos Zamith não possui
Nacional São Paulo São Paulo SP Nenhuma Branco Comendador Souza não possui
Náutico Recife Pernambuco PE 3º (Série C) Amarelo Aflitos não possui
Olaria Rio de Janeiro Rio de Janeiro RJ Nenhuma Branco Rua Bariri não possui
Olímpia Olímpia São Paulo SP Nenhuma Branco Tereza Breda não possui
Operário Campo Grande Mato Grosso do Sul MS 35º (Série C) Verde Morenão não possui
Palmeiras São Paulo São Paulo SP 10º (Série A) Azul Allianz Parque 1960, 1967, 1967, 1969, 1972, 1973, 1993, 1994
Paraná Curitiba Paraná PR 17º (Série A) Amarelo Durival Britto não possui
Paysandu Belém Pará PA 19º (Série B) Amarelo Mangueirão não possui
Ponte Preta Campinas São Paulo SP 6º (Série A) Azul Moisés Lucarelli não possui
Porto Caruaru Pernambuco PE Nenhuma Verde Vera Cruz não possui
Portuguesa São Paulo São Paulo SP 21º (Série A) Azul Canindé não possui
Portuguesa Santista Santos São Paulo SP Nenhuma Branco Ulrico Mursa não possui
Potiguar Mossoró Rio Grande do Norte RN 9º (Série C) Verde Nogueirão não possui
Remo Belém Pará PA 13º (Série B) Amarelo Baenão não possui
Rio Branco Rio Branco Acre AC Nenhuma Verde José de Melo não possui
Rio Branco Americana São Paulo SP Nenhuma Branco Décio Vitta não possui
Rio Branco Paranaguá Paraná PR 17º (Série C) Branco Gigante do Itiberê não possui
Rio Negro Manaus Amazonas AM 11º (Série C) Verde Carlos Zamith não possui
River Teresina Piauí PI Nenhuma Amarelo Albertão não possui
Sampaio Corrêa São Luís Maranhão MA 16º (Série B) Amarelo Castelão não possui
Santa Cruz Recife Pernambuco PE 2º (Série B) Azul Arruda não possui
Santo André Santo André São Paulo SP Nenhuma Branco Bruno José Daniel não possui
Santos Santos São Paulo SP 11º (Série A) Azul Vila Belmiro 1961, 1962, 1963, 1964, 1965, 1968
São Caetano São Caetano do Sul São Paulo SP 5º (Série B) Amarelo Anacleto Campanella não possui
São Cristovão Rio de Janeiro Rio de Janeiro RJ Nenhuma Branco Ronaldo Nazário não possui
São José São José dos Campos São Paulo SP Nenhuma Branco Martins Pereira não possui
São Paulo São Paulo São Paulo SP 4º (Série A) Azul Morumbi 1977, 1986, 1991
São Raimundo Manaus Amazonas AM 2º (Série C) Amarelo Colina não possui
Sergipe Aracaju Sergipe SE 8º (Série C) Verde João Hora não possui
Serra Serra Espírito Santo (estado) ES 4º (Série C) Amarelo Robertão não possui
Sport Recife Pernambuco PE 22º (Série A) Azul Ilha do Retiro 1987
Tocantinópolis Tocantinópolis Tocantins TO 32º (Série C) Verde Ribeirão não possui
Treze Campina Grande Paraíba PB Nenhuma Verde Presidente Vargas não possui
Tuna Luso Belém Pará PA 20º (Série B) Verde Francisco Vasques não possui
Uberlândia Uberlândia Minas Gerais MG Nenhuma Branco Parque do Sabiá não possui
União Bandeirante Bandeirantes Paraná PR Nenhuma Branco Comendador Luiz Meneghel não possui
União Barbarense Santa Bárbara d'Oeste São Paulo SP Nenhuma Branco Antonio Lins Ribeiro Guimarães não possui
União Rondonópolis Rondonópolis Mato Grosso MT Nenhuma Branco Caldeirão não possui
União São João Araras São Paulo SP 17º (Série B) Amarelo Hermínio Ometto não possui
Vasco Rio de Janeiro Rio de Janeiro RJ 7º (Série A) Azul São Januário 1974, 1989, 1997
Vila Nova Goiânia Goiás GO 4º (Série B) Amarelo Onésio Brasileiro Alvarenga não possui
Villa Nova Nova Lima Minas Gerais MG 10º (Série C) Amarelo Castor Cifuentes não possui
Vitória Salvador Bahia BA 3º (Série A) Azul Barradão não possui
Volta Redonda Volta Redonda Rio de Janeiro RJ 33º (Série C) Branco Raulino de Oliveira não possui
XV de Piracicaba Piracicaba São Paulo SP 9º (Série B) Amarelo Barão de Serra Negra não possui
Ypiranga Macapá Amapá AP 16º (Série C) Verde Zerão não possui

Fórmula de disputa[editar | editar código-fonte]

A competição foi dividida em quatro módulos. Cada módulo teve um número diferente de participantes e também a sua fórmula de disputa. Os módulos foram divididos com base na divisão de escalão da edição anterior, porém foram compostos incluindo times de outras divisões, para que não representassem totalmente escalões inferiores, fazendo com que no ano de 2000 não existisse Séries A, B e C. A reunião dos 116 clubes formou uma única divisão e apesar de os módulos não terem o mesmo peso, todos eles faziam parte da Copa João Havelange.

No Módulo Azul os 25 clubes jogaram todos contra todos em turno único. Classificaram-se para a fase final da Copa João Havelange os 12 primeiros colocados.

Na primeira fase do Módulo Amarelo 36 clubes se dividiram em 2 grupos de 18, jogando todos contra todos dentro dos grupos, em turno único. Classificaram-se para a próxima fase os 8 primeiros de cada grupo. Na segunda fase os 16 clubes classificados da fase anterior entraram em disputa eliminatória, com confrontos de ida e volta, tendo o clube com melhor campanha o mando de campo do segundo jogo e a vantagem do duplo empate. Classificaram-se para a fase final da Copa João Havelange os 3 primeiros colocados, ou seja, o campeão e vice desta fase mais o vencedor da disputa entre os dois perdedores das semifinais. Na disputa do terceiro lugar o Remo ficou com a terceira vaga do Módulo Amarelo para a fase final da Copa João Havelange.

Na primeira fase do Módulo Verde 28 clubes se dividiram em 4 grupos de 7. Os jogos aconteceram dentro dos grupos, em dois turnos. Classificaram-se os 3 primeiros de cada grupo. Na segunda fase os 12 clubes classificados da fase anterior se dividiram em 3 grupos de 4 times. Os jogos aconteceram dentro dos grupos em 2 turnos. Classificaram-se para a terceira fase o primeiro de cada grupo, mais o melhor segundo lugar.

Na primeira fase do Módulo Branco 27 clubes se dividiram em 3 grupos de 7 e 1 grupo de 6. Os jogos aconteceram dentro dos grupos, em dois turnos. Classificaram-se os 3 primeiros de cada grupo. Na segunda fase os 12 clubes classificados da fase anterior se dividiram em 3 grupos de 4 times. Os jogos aconteceram dentro dos grupos em 2 turnos. Classificaram-se para a terceira fase o primeiro de cada grupo, mais o melhor segundo lugar.

Na terceira fase os dois módulos deixaram de existir e os 8 clubes classificados da fase anterior se dividiram em 2 grupos de 4. Os jogos aconteceram dentro dos grupos em 2 turnos. Classificou-se para a quarta fase apenas o primeiro de cada grupo.

Na quarta fase os 2 classificados da fase anterior enfrentaram-se em sistema de ida e volta. Apenas o vencedor foi para a fase final da Copa João Havelange. Nesta fase o Malutrom ficou com a vaga dos Módulos Verde e Branco para a fase final da Copa João Havelange.

Os quatro módulos[editar | editar código-fonte]

Na primeira fase, os 116 clubes ficaram divididos em quatro módulos.

Módulo Azul

Era composto por times da Série A e da Série B: 25 clubes - os 17 que, pelos critérios esportivos deveriam permanecer na Série A, Santa Cruz e Goias (que ascenderam à Série A ao final de 1999), Botafogo (que não desceu para a Série B por decisão do STJD, caso Sandro Hiroshi), Gama e Juventude (que não desceram para a Série B), Fluminense (que ascendeu à Série B ao final de 1999), mais Bahia e América-MG (que jogaram a Série B em 1999).

Módulo Amarelo

Era composto por times da Série B e da Série C: 36 clubes - os 20 que, pelos critérios de acesso e descenso do ano anterior, deveriam disputar a Série B, menos os cinco últimos citados acima, mais 21 clubes convidados pelo Clube dos 13 de séries inferiores a B, com aval da CBF.

Módulo Verde

Era composto por times da Série C: 28 clubes das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil.

Módulo Branco

Era composto por times da Série C: 27 clubes das regiões Sul e Sudeste do Brasil.

Módulo Azul[editar | editar código-fonte]

No Módulo Azul os 25 clubes jogam todos contra todos em turno único. Classificam-se para a fase final da Copa João Havelange os 12 primeiros colocados.

Módulo Azul
Pos Times Pts J V E D GP GC
1 Minas Gerais Cruzeiro 45 24 12 9 3 46 27
2 Pernambuco Sport 42 24 12 6 6 46 27
3 Rio de Janeiro Fluminense 42 24 12 6 6 45 31
4 Goiás Goiás 41 24 11 8 5 41 29
5 Rio de Janeiro Vasco 39 24 11 6 7 36 37
6 São Paulo São Paulo 39 24 10 9 5 46 35
7 São Paulo Ponte Preta 38 24 11 5 8 49 37
8 Paraná Atlético Paranaense 38 24 11 5 8 32 28
9 Rio Grande do Sul Internacional 38 24 10 8 6 34 25
10 Rio Grande do Sul Grêmio 37 24 10 7 7 37 31
11 São Paulo Palmeiras 37 24 10 7 7 29 30
12 Bahia Bahia 36 24 10 6 8 32 31
13 São Paulo Guarani 35 24 9 8 7 29 29
14 São Paulo Santos 33 24 9 6 9 38 31
15 Rio de Janeiro Flamengo 33 24 9 6 9 42 37
16 Rio de Janeiro Botafogo 32 24 9 5 10 31 35
17 São Paulo Portuguesa 32 24 9 5 10 34 43
18 Bahia Vitória 31 24 9 4 11 44 40
19 Minas Gerais América Mineiro 27 24 7 6 11 26 35
20 Minas Gerais Atlético Mineiro 27 24 7 6 11 31 42
21 Rio Grande do Sul Juventude 26 24 7 5 12 27 36
22 Distrito Federal (Brasil) Gama 22 24 6 4 14 22 39
23 Paraná Coritiba 21 24 5 6 13 26 35
24 São Paulo Corinthians 16 24 4 4 16 26 46
25 Pernambuco Santa Cruz 16 24 3 7 14 18 51
Classificado para a fase final

Módulo Amarelo[editar | editar código-fonte]

Na primeira fase 36 clubes estão divididos em 2 grupos de 18, jogando todos contra todos dentro dos grupos, em turno único. Classificam-se para a próxima fase os 8 primeiros de cada grupo.

Na segunda fase os 16 clubes classificados da fase anterior entram em disputa eliminatória, com confrontos de ida e volta, tendo o clube com melhor campanha o mando de campo do segundo jogo e a vantagem do duplo empate. Classificam-se para a fase final da Copa João Havelange os 3 primeiros colocados, ou seja, o campeão e vice desta fase mais o vencedor da disputa entre os dois perdedores das semifinais. Na disputa do terceiro lugar o Remo ficou com a terceira vaga do Módulo Amarelo para a fase final da Copa João Havelange.

Grupo A[editar | editar código-fonte]

Módulo Amarelo
Pos Times Pts J V E D GM SG
1 São Paulo São Caetano 37 17 11 4 2 40 19
2 Santa Catarina Figueirense 31 17 8 7 2 25 13
3 Paraná Paraná 29 17 8 5 4 18 11
4 São Paulo Botafogo-SP 28 17 8 4 5 27 15
5 Santa Catarina Criciúma 26 17 7 5 5 19 18
6 Rio Grande do Sul Caxias 26 17 6 8 3 29 26
7 Rio de Janeiro Bangu 24 17 6 6 5 25 23
8 Santa Catarina Avaí 24 17 5 9 3 27 21
9 Santa Catarina Joinville 22 17 5 7 5 19 17
10 Rio de Janeiro America 21 17 5 6 6 18 20
11 Rio de Janeiro Americano 20 17 4 8 5 17 22
12 São Paulo União São João 20 17 3 11 3 20 21
13 São Paulo XV de Piracicaba 19 17 5 4 8 21 27
14 Santa Catarina Marcílio Dias 19 17 4 7 6 17 23
15 São Paulo Bragantino 17 17 2 11 4 16 21
16 Rio Grande do Sul Brasil de Pelotas 15 17 4 3 10 17 25
17 Minas Gerais Villa Nova 15 17 3 6 8 18 27
18 Paraná Londrina 9 17 2 3 12 8 32

Grupo B[editar | editar código-fonte]

Módulo Amarelo
Pos Times Pts J V E D GM SG
1 Ceará Fortaleza 35 17 10 5 2 38 25
2 Amazonas São Raimundo 30 17 9 3 5 32 24
3 Maranhão Sampaio Corrêa 30 17 9 3 5 23 24
4 Pernambuco Náutico 28 17 8 4 5 22 16
5 Pará Paysandu 28 17 8 4 5 22 17
6 Goiás Anapolina 28 17 7 7 3 24 14
7 Pará Remo 26 17 7 5 5 23 21
8 Alagoas CRB 26 17 6 8 3 25 19
9 Espírito Santo (estado) Serra 25 17 7 4 6 26 22
10 Rio Grande do Norte ABC 23 17 6 5 6 26 24
11 Piauí River 22 17 6 4 7 23 23
12 Rio Grande do Norte América de Natal 21 17 5 6 6 24 23
13 Ceará Ceará 21 17 5 6 6 20 19
14 Alagoas CSA 20 17 6 2 9 22 29
15 Amazonas Nacional-AM 19 17 5 4 8 34 37
16 Espírito Santo (estado) Desportiva 16 17 5 1 11 19 42
17 Goiás Vila Nova 11 17 2 5 10 20 25
18 Distrito Federal (Brasil) Atlético Bandeirante 9 17 1 6 10 16 35
Classificado para a segunda fase do Módulo Amarelo

Segunda Fase[editar | editar código-fonte]

Oitavas de final Quartas de final Semifinais Final
           
                                       
1  Rio Grande do Sul Caxias 2 1  
16  Maranhão Sampaio Corrêa 0 1  
   Pará Remo 1 3  
   Rio Grande do Sul Caxias 2 0  
8  Pará Remo 4 1
9  Santa Catarina Figueirense 1 2  
   Paraná Paraná 0 2  
   Pará Remo 0 1  
5  Paraná Paraná 1 2  
12  Goiás Anápolina 0 0  
   Paraná Paraná 3 2
   Rio de Janeiro Bangu 0 1  
4  Rio de Janeiro Bangu 2 2
13  Amazonas São Raimundo-AM 1 2  
   Paraná Paraná 1 3
   São Paulo São Caetano 1 1
2  Pernambuco Náutico 2 0  
15  Santa Catarina Criciúma 1 0  
   São Paulo São Caetano 0 6
   Pernambuco Náutico 1 2  
7  São Paulo São Caetano 1 4
10  Alagoas CRB 1 1  
   São Paulo São Caetano 1 5
   Pará Paysandu 1 4  
6  Pará Paysandu 3 1  
11  São Paulo Botafogo-SP 0 2  
   Pará Paysandu 1 1
   Ceará Fortaleza 0 0  
3  Ceará Fortaleza 2 1
14  Santa Catarina Avaí 0 2  

Disputa do terceiro lugar[editar | editar código-fonte]

12 de Novembro de 2000 Remo 3 - 2 Paysandu Estádio Mangueirão, Belém

19 de Novembro de 2000 Paysandu 1 - 1 Remo Estádio Mangueirão, Belém

Módulos Verde e Branco[editar | editar código-fonte]

Na primeira fase do Módulo Verde 28 clubes estão divididos em 4 grupos de 7. Os jogos acontecem dentro dos grupos, em dois turnos. Classificam-se os 3 primeiros de cada grupo.

Na segunda fase os 12 clubes classificados da fase anterior se dividem em 3 grupos de 4 times. Os jogos acontecem dentro dos grupos em 2 turnos. Classifica-se para a terceira fase o primeiro de cada grupo, mais o melhor segundo lugar.

Na primeira fase do Módulo Branco 27 clubes estão divididos em 3 grupos de 7 e 1 grupo de 6. Os jogos acontecem dentro dos grupos, em dois turnos. Classificam-se os 3 primeiros de cada grupo.

Na segunda fase os 12 clubes classificados da fase anterior se dividem em 3 grupos de 4 times. Os jogos acontecem dentro dos grupos em 2 turnos. Classifica-se para a terceira fase o primeiro de cada grupo, mais o melhor segundo lugar.

Na terceira fase os dois módulos deixam de existir e os 8 clubes classificados da fase anterior são divididos em 2 grupos de 4. Os jogos acontecem dentro dos grupos em 2 turnos. Classifica-se para a quarta fase apenas o primeiro de cada grupo.

Na quarta fase os 2 classificados da fase anterior enfrentam-se em sistema de ida e volta. Apenas o vencedor vai para a fase final da Copa João Havelange. Nesta fase o Malutrom ficou com a vaga dos Módulos Verde e Branco para a fase final da Copa João Havelange.

Primeira Fase[editar | editar código-fonte]

Grupo A[editar | editar código-fonte]

Módulo Verde
Pos Times Pts J V E D GM SG
1 Pará Tuna Luso 26 12 8 2 2 25 15
2 Pernambuco Central 22 12 7 1 4 16 15
3 Maranhão Moto Club 18 12 5 3 4 24 17
4 Paraíba Botafogo-PB 17 12 5 2 5 22 17
5 Pernambuco Porto 16 12 5 1 6 15 13
6 Paraíba Treze 16 12 5 1 6 16 17
7 Rio Grande do Norte Potiguar 6 12 2 0 10 9 33

Grupo B[editar | editar código-fonte]

Módulo Verde
Pos Times Pts J V E D GM SG
1 Alagoas Corinthians Alagoano 27 12 8 3 1 16 8
2 Bahia Juazeiro 23 12 7 2 3 15 9
3 Sergipe Confiança 18 12 5 3 4 10 11
4 Sergipe Sergipe 17 12 5 2 5 15 14
5 Alagoas ASA 15 12 4 3 5 11 13
6 Bahia Camaçari 12 12 3 3 6 13 11
7 Paraíba Campinense 5 12 1 2 9 9 23

Grupo C[editar | editar código-fonte]

Módulo Verde
Pos Times Pts J V E D GM SG
1 Piauí Flamengo-PI 22 12 7 1 4 18 11
2 Amapá Ypiranga-AP 20 12 6 2 4 23 19
3 Tocantins Tocantinópolis 19 12 6 1 5 16 14
4 Acre Rio Branco 18 12 5 3 4 20 16
5 Roraima Baré 17 12 5 2 5 21 15
6 Amazonas Rio Negro 17 12 5 2 5 12 14
7 Rondônia Genus 7 12 2 1 9 16 37

Grupo D[editar | editar código-fonte]

Módulo Verde
Pos Times Pts J V E D GM SG
1 Mato Grosso do Sul Operário 17 10 5 2 3 13 11
2 Distrito Federal (Brasil) Dom Pedro II 15 10 4 3 3 11 9
3 Goiás Atlético Goianiense 15 10 4 3 3 9 9
4 Goiás Goiânia 13 10 3 4 3 15 14
5 Mato Grosso do Sul Comercial-MS 11 10 3 2 5 9 10
6 Distrito Federal (Brasil) Brasília 11 10 3 2 5 10 14

Nota: O Tocantins Interporto desistiu de participar antes do início da competição.

Classificado para a segunda fase do Módulo Verde

Grupo E[editar | editar código-fonte]

Módulo Branco
Pos Times Pts J V E D GM SG
1 São Paulo Rio Branco-SP 21 10 6 3 1 23 10
2 São Paulo Juventus 21 10 6 3 1 20 10
3 Minas Gerais Uberlândia 18 10 5 3 2 15 14
4 São Paulo Nacional-SP 13 10 4 1 5 13 21
5 Rio de Janeiro Volta Redonda 9 10 2 3 5 10 14
6 São Paulo São José 1 10 0 1 9 8 20

Nota : O Espírito Santo (estado) Rio Branco-ES desistiu de participar antes do início da competição.

Grupo F[editar | editar código-fonte]

Módulo Branco
Pos Times Pts J V E D GM SG
1 São Paulo Etti Jundiaí 31 12 10 1 1 40 8
2 Paraná Malutrom 22 12 6 4 2 21 15
3 Paraná União Bandeirante 16 12 4 4 4 17 23
4 Rio de Janeiro Madureira 14 12 3 5 4 20 15
5 São Paulo Internacional de Limeira 13 12 3 4 5 18 17
6 Mato Grosso União Rondonópolis 10 12 3 1 8 12 28
7 São Paulo Comercial 10 12 3 1 8 9 31

Grupo G[editar | editar código-fonte]

Módulo Branco
Pos Times Pts J V E D GM SG
1 São Paulo Olímpia 20 12 5 5 2 16 11
2 Rio de Janeiro Friburguense 18 12 4 6 2 11 10
3 São Paulo Matonense 17 12 4 5 3 15 13
4 Rio de Janeiro São Cristovão 16 12 4 4 4 13 16
5 São Paulo Mogi Mirim 16 12 3 7 2 23 17
6 Minas Gerais Ipatinga 13 12 3 4 5 16 20
7 São Paulo União Barbarense 9 12 2 3 7 12 19

Grupo H[editar | editar código-fonte]

Módulo Branco
Pos Times Pts J V E D GM SG
1 Paraná Rio Branco-PR 21 10 6 3 1 16 8
2 São Paulo Portuguesa Santista 19 10 5 4 1 19 9
3 São Paulo Santo André 12 10 3 3 4 11 14
4 São Paulo Ituano 11 10 3 2 5 10 10
5 Rio de Janeiro Olaria 11 10 3 2 5 9 10
6 Rio Grande do Sul Internacional de Santa Maria 8 10 2 2 6 7 21

Segunda Fase[editar | editar código-fonte]

Grupo 1[editar | editar código-fonte]

Módulo Verde
Pos Times Pts J V E D GM SG
1 Bahia Juazeiro 12 6 4 0 2 13 7
2 Pará Tuna Luso 12 6 4 0 2 8 9
3 Amapá Ypiranga-AP 9 6 3 0 3 10 10
4 Goiás Atlético Goianiense 3 6 1 0 5 7 12

Grupo 2[editar | editar código-fonte]

Módulo Verde
Pos Times Pts J V E D GM SG
1 Pernambuco Central 10 6 3 1 2 9 7
2 Tocantins Tocantinópolis 9 6 3 0 3 8 10
3 Alagoas Corinthians Alagoano 8 6 2 2 2 11 9
4 Distrito Federal (Brasil) Dom Pedro II 6 6 1 3 2 6 8

Grupo 3[editar | editar código-fonte]

Módulo Verde
Pos Times Pts J V E D GM SG
1 Maranhão Moto Club 11 6 3 2 1 8 8
2 Mato Grosso do Sul Operário 8 6 2 2 2 8 12
3 Piauí Flamengo-PI 7 6 2 1 3 13 11
4 Sergipe Confiança 7 6 2 1 3 11 9
Classificado para a terceira fase

Grupo 4[editar | editar código-fonte]

Módulo Branco
Pos Times Pts J V E D GM SG
1 Paraná Malutrom 14 6 4 2 0 10 3
2 São Paulo Rio Branco-SP 9 6 3 0 3 8 6
3 Rio de Janeiro Friburguense 5 6 1 2 3 4 6
4 São Paulo Santo André 5 6 1 2 3 5 12

Grupo 5[editar | editar código-fonte]

Módulo Branco
Pos Times Pts J V E D GM SG
1 São Paulo Etti Jundiaí 13 6 4 1 1 13 7
2 São Paulo Portuguesa Santista 8 6 2 2 2 7 7
3 São Paulo Juventus 7 6 2 1 3 11 7
4 São Paulo Matonense 5 6 1 2 3 4 14

Grupo 6[editar | editar código-fonte]

Módulo Branco
Pos Times Pts J V E D GM SG
1 Minas Gerais Uberlândia 11 6 3 2 1 11 7
2 São Paulo Olímpia 11 6 3 2 1 7 5
3 Paraná Rio Branco-PR 11 6 3 2 1 6 5
4 Paraná União Bandeirante 0 6 0 0 6 5 12
Classificado para a terceira fase

Terceira Fase[editar | editar código-fonte]

Grupo 1[editar | editar código-fonte]

Final dos Módulos
Pos Times Pts J V E D GM SG
1 Minas Gerais Uberlândia 11 6 3 2 1 10 4
2 Bahia Juazeiro 11 6 3 2 1 6 4
3 São Paulo Olímpia 8 6 2 2 2 8 5
4 Pernambuco Central 2 6 0 2 4 3 14

Grupo 2[editar | editar código-fonte]

Final dos Módulos
Pos Times Pts J V E D GM SG
1 Paraná Malutrom 11 6 3 2 1 12 11
2 Pará Tuna Luso 9 6 3 0 3 9 11
3 São Paulo Etti Jundiaí 8 6 2 2 2 15 6
4 Maranhão Moto Club 5 6 1 2 3 9 17
Classificado para a quarta fase

Quarta Fase[editar | editar código-fonte]

16 de Novembro Uberlândia 1 - 1 Malutrom Estádio Municipal João Havelange, Uberlândia

19 de Novembro Malutrom 3 - 2 Uberlândia Vila Capanema, Curitiba

Fase Final da Copa João Havelange[editar | editar código-fonte]

Disputada entre 16 clubes: os 12 classificados do Módulo Azul, mais os 3 primeiros do Módulo Amarelo, mais o ganhador da disputa entre os primeiros lugares dos Módulos Verde e Branco. Sistema eliminatório (oitavas de final, quartas de final, semifinais e final), com enfrentamentos em ida e volta, tendo o clube com melhor campanha o mando de campo do segundo jogo, e gol marcado na casa do adversário considerado como critério de desempate.

Oitavas de final Quartas de final Semifinais Final
           
                                       
1  Minas Gerais Cruzeiro 3 1  
16  Paraná Malutrom 0 1  
   Minas Gerais Cruzeiro 1 3  
   Rio Grande do Sul Internacional 1 2  
8  Paraná Atlético Paranaense 0 1
9  Rio Grande do Sul Internacional 0 2  
   Minas Gerais Cruzeiro 2 1  
   Rio de Janeiro Vasco da Gama 2 3  
5  Rio de Janeiro Vasco da Gama 3 3  
12  Bahia Bahia 3 2  
   Rio de Janeiro Vasco da Gama 3 0
   Paraná Paraná 1 1  
4  Goiás Goiás 1 0
13  Paraná Paraná 1 3  
   Rio de Janeiro Vasco da Gama 1 3
   São Paulo São Caetano 1 1
2  Pernambuco Sport 2 1  
15  Pará Remo 1 0  
   Pernambuco Sport 1 1
   Rio Grande do Sul Grêmio 2 1  
7  São Paulo Ponte Preta 0 2
10  Rio Grande do Sul Grêmio 1 1  
   Rio Grande do Sul Grêmio 2 1
   São Paulo São Caetano 3 3  
6  São Paulo São Paulo 1 1  
11  São Paulo Palmeiras 1 2  
   São Paulo Palmeiras 3 2
   São Paulo São Caetano 4 2  
3  Rio de Janeiro Fluminense 3 0
14  São Paulo São Caetano 3 1  

Final da Copa João Havelange[editar | editar código-fonte]

Primeira partida
27 de Dezembro
21:40
São Caetano 1 - 1 Vasco da Gama Estádio Palestra Itália, São Paulo
Público: 29.288
Árbitro: Carlos Eugênio Simon

César Gol marcado aos 14 minutos de jogo 14' Romário Gol marcado aos 27 minutos de jogo 27'

São Caetano: Sílvio Luiz; Japinha, Daniel, Serginho e César; Adãozinho, Claudecir, Aílton e Esquerdinha; Adhemar e Wágner (Zinho). Técnico: Jair Picerni.

Vasco: Hélton; Clébson, Odvan, Júnior Baiano e Jorginho Paulista; Nasa, Jorginho (Henrique), Juninho Pernambucano e Juninho Paulista; Euller (Pedrinho) e Romário. Técnico: Joel Santana.


O jogo inacabado

O jogo de volta, que começou a ser disputado no dia 30 de dezembro de 2000, ficou marcado pela queda de parte da grade de separação do Estádio São Januário, causando cerca de 150 feridos. Este jogo, inicialmente programado para o Maracanã, acabou sendo disputado no Estádio São Januário. Houve a suspensão do jogo e marcação de uma nova partida, para o dia 18 de janeiro de 2001.


Segunda partida
18 de Janeiro de 2001
16:00
Vasco da Gama 3 - 1 São Caetano Maracanã, Rio de Janeiro
Público: 31.761
Árbitro: Márcio Rezende de Freitas

Juninho Pernambucano Gol marcado aos 30 minutos de jogo 30'
Jorginho Paulista Gol marcado aos 39 minutos de jogo 39'
Romário Gol marcado aos 53 minutos de jogo 53'
Adãozinho Gol marcado aos 37 minutos de jogo 37'

Vasco: Hélton; Clébson, Odvan, Júnior Baiano e Jorginho Paulista; Nasa, Jorginho (Henrique), Juninho Pernambucano (Paulo Miranda) e Juninho Paulista (Pedrinho); Euller e Romário. Técnico: Joel Santana.

São Caetano: Sílvio Luiz; Japinha (Gilmar), Daniel, Serginho e César; Adãozinho, Claudecir, Aílton (Leto) e Esquerdinha (Zinho); Adhemar e Wágner. Técnico: Jair Picerni.

Premiação[editar | editar código-fonte]

Campeonato Brasileiro de Futebol de 2000
Rio de Janeiro
Club de Regatas Vasco da Gama
Campeão
(4° título)

Bola de Prata de 2000[editar | editar código-fonte]

Os melhores jogadores do campeonato em suas posições, eleitos pela revista Placar:[8]

Flag of Brazil.svg Rogério Ceni (São Paulo)
Flag of Paraguay.svg Arce (Palmeiras)

Flag of Brazil.svg Cris (Cruzeiro)

Flag of Brazil.svg Lúcio (Internacional)

Flag of Argentina.svg Sorín (Cruzeiro)
Flag of Brazil.svg Juninho Pernambucano (Vasco da Gama)

Flag of Brazil.svg Mineiro (Ponte Preta)

Flag of Brazil.svg Ricardinho (Cruzeiro)

Flag of Brazil.svg Juninho Paulista (Vasco da Gama)
Flag of Brazil.svg Ronaldinho Gaúcho (Grêmio)

Cscr-featured.svg Flag of Brazil.svg Romário (Vasco da Gama)

Artilheiros[editar | editar código-fonte]

Flag of Brazil.svg Dill (Goiás)

Flag of Brazil.svg Magno Alves (Fluminense)

Flag of Brazil.svg Romário (Vasco da Gama) Cscr-featured.svg (Vencedor da Bola de Ouro)

Artilharia[editar | editar código-fonte]

Na contagem de gols da artilharia, parte da imprensa considera apenas os gols marcados nos jogos do módulo azul, alegando que os outros módulos não tinham o mesmo nível de dificuldade e que não havia igualdade no número de jogos. Outra parte da imprensa considera os gols marcados em todo o campeonato. O Clube dos 13 nunca divulgou sua posição sobre a questão, portanto não há uma lista oficial de artilheiros da Copa João Havelange.

Normalmente, Dill (Goiás), Magno Alves (Fluminense) e Romário (Vasco da Gama), todos de clubes do módulo azul, com vinte gols cada, são apontados como os artilheiros da competição. Porém, por vezes aparece indicado o jogador Adhemar, do São Caetano, com 22 gols (15 em jogos do módulo amarelo e 7 na fase final).[9][10]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]