Campeonato Brasileiro de Futebol de 2015 - Série D

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Campeonato Brasileiro de 2015 - Série D
Brasileirão 2015 - Série D
Brasil
Dados
Participantes 40
Organização CBF
Período 12 de julho14 de novembro
Gol(o)s 427
Partidas 190
Média 2,25 gol(o)s por partida
Campeão São Paulo Botafogo-SP (1º título)
Vice-campeão Piauí River-PI
Promovido(s) São Paulo Botafogo-SP
Piauí River-PI
Pará Remo
Rio Grande do Sul Ypiranga de Erechim
Melhor marcador (São Caetano) – 12 gols
Melhor ataque (fase inicial) São Caetano – 22 gols
Melhor defesa (fase inicial) CRAC – 1 gol
Maiores goleadas
(diferença)
São Caetano São Paulo 5–0 Rio Grande do Sul Lajeadense
Estádio Anacleto CampanellaSão Caetano do Sul
12 de julho, Grupo A8
 
Duque de Caxias Rio de Janeiro 5–0 Minas Gerais Villa Nova
MarrentãoDuque de Caxias
5 de setembro, Grupo A6
Público 495 210
Média 2 662,4 pessoas por partida
◄◄ 2014 Soccerball.svg 2016 ►►

A Série D do Campeonato Brasileiro de Futebol de 2015 foi a sétima edição da competição de futebol profissional equivalente à quarta divisão no Brasil. Voltou a ser disputada por 40 equipes, que se classificaram através dos campeonatos estaduais e outros torneios realizados por cada federação estadual.

O Botafogo-SP conquistou o seu primeiro título nacional após vencer o River-PI por 3–2 no placar agregado, após vitória por esse placar no jogo de ida, em Ribeirão Preto, e empate em 0–0 na volta, em Teresina.[1] Ambas as equipes, além dos semifinalistas Remo e Ypiranga de Erechim, foram os clubes promovidos para a Série C de 2016.[2]

 Critérios de classificação[editar | editar código-fonte]

A Confederação Brasileira de Futebol estipulou que as 40 vagas para a disputa da Série D em 2015 seriam distribuídas da seguinte forma:[3]

  • Os quatro rebaixados da Série C 2014;
  • Os nove primeiros estados no Ranking Nacional das Federações, divulgado pela CBF, tiveram direito a dois representantes cada, indicados através do desempenho nos Campeonatos Estaduais ou outros torneios realizados por cada federação estadual;
  • Os demais 18 estados tiveram um representante cada, indicados através do desempenho nos campeonatos estaduais ou outros torneios realizados por cada federação estadual.

Em caso de desistência, a vaga seria ocupada pelo clube da mesma federação melhor classificado, ou então, pelo clube apontado pela federação estadual. Se o estado não indicasse nenhum representante, a vaga seria repassada ao melhor estado seguinte posicionado no Ranking Nacional das Federações, que indicaria uma equipe a ocupar o mesmo grupo da equipe original. Caso a vaga ainda ficasse em aberto, seria transferida ao segundo estado seguinte e melhor colocado no ranking, e assim sucessivamente. O limite de usufruto de vaga repassada é de uma por federação.[3]

As equipes que disputam a Série D geralmente são definidas pelo seu posicionamento na tabela de classificação de seus respectivos campeonatos estaduais. Quando nos estaduais existe algum participante que já disputa alguma divisão superior do Campeonato Brasileiro (Séries A, B ou C), a classificação para a Série D se dá a seguinte equipe melhor posicionada na tabela de classificação. Em alguns estados, os campeonatos locais servem apenas como classificação para a Copa do Brasil da temporada subsequente. A federação destes estados prefere realizar algum torneio paralelo ao estadual propriamente dito, para definir seu(s) representante(s) na Série D do Campeonato Brasileiro.

Formato de disputa[editar | editar código-fonte]

Na primeira fase os 40 clubes foram divididos em oito grupos com cinco clubes cada, agrupados regionalmente. Os dois primeiros de cada grupo classificaram-se à segunda fase, onde estes 16 clubes restantes jogaram em sistema eliminatório em jogos de ida e volta – iniciando-se nas oitavas de final – onde classificaram-se os clubes com melhor resultado agregado, considerando vitórias e gols marcados como visitante. Na terceira fase (quartas de final), os oito clubes restantes novamente jogaram em sistema eliminatório, idêntico ao da fase anterior, classificando-se os vencedores para as semifinais. Os clubes com melhor campanha jogaram a segunda partida em seu estádio.[3]

Os quatro semifinalistas conquistaram o direito de disputar a Série C de 2016. Os vencedores das semifinais jogam as finais em ida e volta, com o clube de melhor campanha realizando a partida decisiva em seus domínios. O melhor resultado agregado nas finais definiu o campeão da Série D de 2015.[3]

Transmissão[editar | editar código-fonte]

A partir desta edição, o Esporte Interativo adquiriu os direitos de transmissão, tornando-se a primeira emissora de televisão a exibir o torneio.[4] A partir das oitavas de final, a TV Brasil também passou a transmitir a competição em sinal aberto.[5]

Participantes[editar | editar código-fonte]

Campeonato Brasileiro de Futebol de 2015 - Série D (Brasil)
Localização dos times por Estado.
Brown pog.svg Grupo A1; Green pog.svg Grupo A2; Purple pog.svg Grupo A3; Yellow pog.svg Grupo A4; Black pog.svg Grupo A5; Orange pog.svg Grupo A6; Blue pog.svg Grupo A7; Red pog.svg Grupo A8.
Equipe Cidade Estado Como se classificou Estádio (mando) Capacidade[6] Títulos
Aparecidense Aparecida de Goiânia Goiás GO Melhor colocado do Estadual 2015 Annibal Batista 4 800 0 (não possui)
Botafogo-SP Ribeirão Preto São Paulo SP 2º melhor colocado do Estadual 2015 Santa Cruz 29 292 0 (não possui)
Caldense Poços de Caldas Minas Gerais MG Melhor colocado no Estadual 2015 Ronaldão 7 600 0 (não possui)
Campinense Campina Grande Paraíba PB Campeão do Estadual 2015 Amigão 19 000 0 (não possui)
Central Caruaru Pernambuco PE Melhor colocado do Estadual 2015 Lacerdão 19 478 0 (não possui)
Colo Colo Ilhéus Bahia BA 4º colocado do Estadual 2015[7][8][9] Mário Pessoa 4 296 0 (não possui)
Comercial-MS Campo Grande Mato Grosso do Sul MS Campeão do Estadual 2015[10] Moreninhas 4 500 0 (não possui)
Coruripe Coruripe Alagoas AL Melhor colocado do Estadual 2015 Gerson Amaral 5 000 0 (não possui)
CRAC Catalão Goiás GO 19º colocado da Série C de 2014 Genervino da Fonseca 7 500 0 (não possui)
Duque de Caxias Duque de Caxias Rio de Janeiro RJ 20º colocado da Série C de 2014 Marrentão 3 334 0 (não possui)
Estanciano Estância Sergipe SE Melhor colocado do Estadual 2015 Francão 8 000 0 (não possui)
Foz do Iguaçu Foz do Iguaçu Paraná PR 2º melhor colocado do Estadual 2015 Estádio do ABC 6 968 0 (não possui)
Gama Gama Distrito Federal (Brasil) DF Campeão do Metropolitano 2015 Bezerrão 20 310 0 (não possui)
Globo Ceará-Mirim Rio Grande do Norte RN Melhor colocado do Estadual 2015 Barretão 10 068 0 (não possui)
Goianésia Goianésia Goiás GO 2º melhor colocado no Estadual 2015 Valdeir José de Oliveira 4 000 0 (não possui)
Guarani de Juazeiro Juazeiro do Norte Ceará CE Melhor colocado do Estadual 2015 Romeirão 15 000 0 (não possui)
Imperatriz Imperatriz Maranhão MA Campeão do Estadual 2015 Frei Epifânio 10 000 0 (não possui)
Inter de Lages Lages Santa Catarina SC 2º melhor colocado na primeira fase do Estadual 2015[11] Vidal Ramos Júnior 6 000 0 (não possui)
Lajeadense Lajeado Rio Grande do Sul RS Campeão da Super Copa Gaúcha de 2014 Arena Alviazul 5 000 0 (não possui)
Metropolitano Blumenau Santa Catarina SC Melhor colocado na primeira fase do Estadual 2015[11] Monumental do Sesi 3 624 0 (não possui)
Nacional-AM Manaus Amazonas AM Campeão do Estadual 2014 Arena da Amazônia[12] 44 000 0 (não possui)
Náutico-RR Caracaraí Roraima RR Campeão do Estadual 2015 Ribeirão 1 500 0 (não possui)
Operário-MT Várzea Grande Mato Grosso MT Melhor colocado do Estadual 2015 Arena Pantanal[13] 44 000 0 (não possui)
Operário-PR Ponta Grossa Paraná PR Campeão do Estadual 2015 Germano Krüger 8 832 0 (não possui)
Palmas[a] Palmas Tocantins TO 4º colocado do Estadual 2014 Nilton Santos 10 000 0 (não possui)
Red Bull Brasil Campinas São Paulo SP Melhor colocado do Estadual 2015 Moisés Lucarelli 17 728 0 (não possui)
Remo Belém Pará PA Campeão do Estadual 2015 Mangueirão 45 007 0 (não possui)
Resende Resende Rio de Janeiro RJ Campeão da Copa Rio de 2014 Estádio do Trabalhador 4 600 0 (não possui)
Rio Branco-AC Rio Branco Acre AC Campeão do Estadual 2015 Arena da Floresta 13 700 0 (não possui)
Rio Branco Vitória Espírito Santo (estado) ES Campeão do Estadual 2015 Kléber Andrade 20 000 0 (não possui)
River-PI Teresina Piauí PI Campeão do Estadual 2015 Albertão 52 296 0 (não possui)
Santos-AP Macapá Amapá AP Campeão do Estadual 2014 Zerão 13 680[14] 0 (não possui)
São Caetano São Caetano do Sul São Paulo SP 17º colocado da Série C de 2014 Anacleto Campanella 16 744 0 (não possui)
Serra Talhada Serra Talhada Pernambuco PE 5º colocado do Estadual 2015 Pereirão 5 000 0 (não possui)
Serrano[b] Porto Seguro Bahia BA 3° colocado da Copa Governador 2014 Agnaldo Bento 3 000 0 (não possui)
Treze Campina Grande Paraíba PB 18º colocado da Série C de 2014 Presidente Vargas 5 000 0 (não possui)
Vilhena Vilhena Rondônia RO Campeão do primeiro turno do Estadual 2015 Portal da Amazônia 2 500 0 (não possui)
Villa Nova Nova Lima Minas Gerais MG 2º melhor colocado no Estadual 2015 Castor Cifuentes 5 160 0 (não possui)
Volta Redonda Volta Redonda Rio de Janeiro RJ Melhor colocado do Estadual 2015 Raulino de Oliveira 20 255 0 (não possui)
Ypiranga-RS Erechim Rio Grande do Sul RS Melhor colocado do Estadual 2015 Colosso da Lagoa 30 000 0 (não possui)
  • b. ^ A Jacuipense, vice-campeã da Copa Governador do Estado da Bahia de 2014, desistiu da vaga e esta foi repassada ao Serrano, 3° colocado da Copa Governador de 2014.[16][17]

Estádios[editar | editar código-fonte]

Outros estádios[editar | editar código-fonte]

Além dos estádios de mando usual, outros estádios foram utilizados devido a punições de perda de mando de campo imposta pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva ou por conta de problemas de interdição dos estádios usuais ou simplesmente por opção dos clubes em mandar seus jogos em outros locais, geralmente buscando uma melhor renda.[18][19][20][21]

Ainda foram utilizados a Arena Verde (Paragominas), o Batistão (Aracaju), o General Sampaio (Porto Nacional), o Los Larios (Duque de Caxias) e o Valfredão (Riachão do Jacuípe).[22][23][24][25][26]

Primeira fase[editar | editar código-fonte]

Grupo A1[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A1
Zona de classificação para a próxima fase

1O Náutico-RR foi punido pelo STJD com a perda de quatro pontos por escalação de jogadores irregulares.[27]

Grupo A2[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A2
Zona de classificação para a próxima fase

2O Santos-AP foi punido pelo STJD com a perda de três pontos por escalação de jogador irregular.[28]

Grupo A3[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A3
Zona de classificação para a próxima fase

3O Colo Colo foi punido pelo STJD com a perda de três pontos por escalação de jogadores irregulares.[29]

Grupo A4[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A4
Zona de classificação para a próxima fase

Grupo A5[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A5
Zona de classificação para a próxima fase

Grupo A6[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A6
Zona de classificação para a próxima fase

Grupo A7[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A7
Zona de classificação para a próxima fase

Grupo A8[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados do grupo A8
Zona de classificação para a próxima fase

Desempenho por rodada[editar | editar código-fonte]

Classificação para a fase final[editar | editar código-fonte]

Na fase final, os confrontos foram definidos através das campanhas dos times. Para os confrontos das oitavas de final, os 16 clubes classificados foram divididos em dois blocos: no Bloco I ficaram as equipes classificadas em primeiro lugar e no Bloco II, as equipes classificadas em segundo lugar. Dessa forma, o time de melhor campanha entre os primeiros colocados enfrenta o time de pior campanha entre os segundos colocados; o de segunda melhor campanha enfrenta o de segunda pior campanha, e assim sucessivamente. Na sequência do torneio, a soma das campanhas nas fases anteriores define os confrontos, repetindo o formato e colocando frente a frente o time classificado de melhor pontuação geral contra a equipe classificada de pior campanha geral, e assim sucessivamente.[3]

Tabela de classificação após a primeira fase
Bloco I
Pos. Primeiros dos grupos Pts J V E D GP GC SG
1 São Paulo São Caetano 19 8 6 1 1 22 5 +17
2 Goiás CRAC 18 8 5 3 0 7 1 +6
3 Pará Remo 17 8 5 2 1 14 6 +8
4 Espírito Santo (estado) Rio Branco 17 8 5 2 1 12 7 +5
5 Pernambuco Central 16 8 5 1 2 11 5 +6
6 Rio Grande do Sul Ypiranga de Erechim 16 8 5 1 2 7 3 +4
7 Piauí River-PI 16 8 4 4 0 8 3 +5
8 Paraíba Campinense 14 8 4 2 2 10 5 +5
Bloco II
Pos. Segundos dos grupos Pts J V E D GP GC SG
1 Paraná Operário-PR 16 8 5 1 2 11 8 +3
2 Sergipe Estanciano 15 8 5 0 3 14 11 +3
3 Acre Rio Branco-AC 15 8 4 3 1 10 6 +4
4 Rio Grande do Sul Lajeadense 15 8 4 3 1 11 9 +2
5 Minas Gerais Caldense 14 8 4 2 2 8 4 +4
6 Tocantins Palmas 14 8 4 2 2 7 4 +3
7 São Paulo Botafogo-SP 13 8 3 4 1 11 5 +6
8 Alagoas Coruripe 13 8 3 4 1 15 10 +5
Tabela de classificação após as oitavas de final
Bloco III
Pos. Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 São Paulo São Caetano 22 10 7 1 2 25 6 +19
2 Rio Grande do Sul Ypiranga de Erechim 22 10 7 1 2 11 3 +8
3 Rio Grande do Sul Lajeadense 21 10 6 3 1 17 10 +7
4 Pará Remo 20 10 6 2 2 17 7 +10
5 Paraná Operário-PR 19 10 6 1 3 12 9 +3
6 Piauí River-PI 19 10 5 4 1 12 5 +7
7 Minas Gerais Caldense 18 10 5 3 2 10 5 +5
8 São Paulo Botafogo-SP 16 10 4 4 2 14 6 +8
Tabela de classificação após as quartas de final
Bloco IV
Pos. Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 Pará Remo 26 12 8 2 2 21 8 +13
2 Rio Grande do Sul Ypiranga de Erechim 24 12 7 3 2 13 5 +8
3 Piauí River-PI 23 12 6 5 1 16 6 +10
4 São Paulo Botafogo-SP 20 12 5 5 2 16 7 +9
Tabela de classificação após as semifinais
Bloco V
Pos. Equipes Pts J V E D GP GC SG
1 Piauí River-PI 26 14 7 5 2 18 8 +10
2 São Paulo Botafogo-SP 24 14 6 6 2 17 7 +10

Fase final[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Resultados da fase final

Em itálico, os times que possuem o mando de campo no primeiro jogo do confronto e em negrito os times classificados.

Oitavas de final Quartas de final Semifinais Final
 26 de setembro a 4 de outubro  10 a 19 de outubro  24 de outubro a 1 de novembro  7 e 14 de novembro
                                                 
 São Paulo Botafogo-SP 3 0 3  
 Goiás CRAC 0 1 1  
   São Paulo Botafogo-SP * 2 0 2  
   São Paulo São Caetano 1 0 1  
 Alagoas Coruripe 0 1 1
 São Paulo São Caetano 3 0 3  
   São Paulo Botafogo-SP 1 0 1  
   Pará Remo 0 0 0  
 Paraná Operário-PR (pen) 1 0 1 (4)  
 Paraíba Campinense 0 1 1 (3)  
   Paraná Operário-PR 0 1 1
   Pará Remo * 1 3 4  
 Tocantins Palmas 1 0 1
 Pará Remo 0 3 3  
   São Paulo Botafogo-SP 3 0 3
   Piauí River-PI 2 0 2
 Sergipe Estanciano 2 0 2  
 Piauí River-PI 1 3 4  
   Piauí River-PI * 3 1 4
   Rio Grande do Sul Lajeadense 0 1 1  
 Rio Grande do Sul Lajeadense 4 2 6
 Pernambuco Central 0 1 1  
   Piauí River-PI (pen) 2 0 2 (5)
   Rio Grande do Sul Ypiranga de Erechim 0 2 2 (4)  
 Minas Gerais Caldense 1 1 2  
 Espírito Santo (estado) Rio Branco 1 0 1  
   Minas Gerais Caldense 1 1 2 (3)
   Rio Grande do Sul Ypiranga de Erechim * (pen) 1 1 2 (4)  
 Acre Rio Branco-AC 0 0 0
 Rio Grande do Sul Ypiranga de Erechim 1 3 4  

*Classificados à Série C de 2016.

Artilharia[editar | editar código-fonte]

Gols[30] Jogador Time
12 Brasil São Caetano
8 Brasil Ramon Lajeadense
7 Brasil Josy Estanciano
6 Brasil Fabinho River-PI
Brasil Francis Botafogo-SP
Brasil João Paulo Ypiranga de Erechim
Brasil Nonato Treze
Brasil Robson São Caetano
Brasil Washington Náutico-RR

Premiação[editar | editar código-fonte]

Campeonato Brasileiro 2015
Série D
São Paulo
Botafogo Futebol Clube
Campeão
(1º título)

Maiores públicos[editar | editar código-fonte]

Estes são os dez maiores públicos do Campeonato:

Público[PP] Mandante Placar Visitante Estádio Data Rodada Ref.
1 40 000 River-PI Piauí 0–0 São Paulo Botafogo-SP Albertão 14 de novembro Final [31]
2 31 681 Remo Pará 3–1 Paraná Operário-PR Mangueirão 18 de outubro Quartas [32]
3 28 130 Remo Pará 3–0 Tocantins Palmas Mangueirão 3 de outubro Oitavas [33]
4 27 399 Remo Pará 3–0 Rondônia Vilhena Mangueirão 13 de setembro 10ª [34]
5 24 476 Botafogo-SP São Paulo 2–1 São Paulo São Caetano Santa Cruz 11 de outubro Quartas [35]
6 19 008 Botafogo-SP São Paulo 3–0 Goiás CRAC Santa Cruz 27 de setembro Oitavas [36]
7 17 759 Botafogo-SP São Paulo 0–0 Distrito Federal (Brasil) Gama Santa Cruz 13 de setembro 10ª [37]
8 16 940 Remo Pará 0–0 São Paulo Botafogo-SP Mangueirão 1 de novembro Semifinal [38]
9 16 049 River-PI Piauí 2–0 Rio Grande do Sul Ypiranga de Erechim Albertão 24 de outubro Semifinal [39]
10 12 748 River-PI Piauí 3–0 Rio Grande do Sul Lajeadense Albertão 12 de outubro Quartas [40]
  • PP. ^ Considera-se apenas o público pagante.

Menores públicos[editar | editar código-fonte]

Estes são os dez menores públicos do Campeonato:[PF]

Público[PP] Mandante Placar Visitante Estádio Data Rodada Ref.
1 5 Villa Nova Minas Gerais 0–2 Goiás CRAC Castor Cifuentes 13 de setembro 10ª [41]
2 13 Santos-AP Amapá 2–0 Ceará Guarani de Juazeiro Zerão 13 de setembro 10ª [42]
3 28 Náutico-RR Roraima 2–1 Rondônia Vilhena Ribeirão 30 de agosto [43]
4 33 Comercial-MS Mato Grosso do Sul 0–1 Espírito Santo (estado) Rio Branco Moreninhas 5 de setembro [44]
5 37 Resende Rio de Janeiro 3–0 São Paulo Red Bull Brasil Trabalhador 16 de agosto [45]
6 43 Vilhena Rondônia 2–2 Amazonas Nacional-AM Portal da Amazônia 6 de setembro [46]
7 44 Serrano Bahia 0–1 Goiás Goianésia Agnaldo Bento 16 de agosto [47]
8 47 Volta Redonda Rio de Janeiro 2–0 Paraná Foz do Iguaçu Raulino de Oliveira 13 de setembro 10ª [48]
9 49 Operário-MT Mato Grosso 0–3 Minas Gerais Caldense Arena Pantanal 29 de agosto [49]
10 52 Santos-AP Amapá 3–2 Maranhão Imperatriz Zerão 30 de agosto [50]
  • PP. ^ Considera-se apenas o público pagante.
  • PF. ^ Jogos com portões fechados não são considerados.

Médias de público[editar | editar código-fonte]

Essas são as médias de público dos clubes no Campeonato. Considera-se apenas os jogos da equipe como mandante e o público pagante:[51]

  1. Pará Remo – 15 394
  2. Piauí River-PI – 11 789
  3. São Paulo Botafogo-SP – 10 706
  4. Paraíba Campinense – 4 756
  5. Distrito Federal (Brasil) Gama – 4 369
  6. Amazonas Nacional-AM – 4 033
  7. Paraná Operário-PR – 3 238
  8. Espírito Santo (estado) Rio Branco – 3 187
  9. São Paulo São Caetano – 3 077
  10. Maranhão Imperatriz – 2 313
  1. Goiás CRAC – 2 288
  2. Rio Grande do Sul Ypiranga de Erechim – 2 069
  3. Acre Rio Branco-AC – 1 379
  4. Goiás Goianésia – 1 305
  5. Tocantins Palmas – 1 287
  6. Minas Gerais Caldense – 1 256
  7. Pernambuco Central – 1 176
  8. Santa Catarina Inter de Lages – 1 090
  9. Paraíba Treze – 1 071
  10. Bahia Colo Colo – 644
  1. Mato Grosso Operário-MT – 607
  2. Alagoas Coruripe – 566
  3. Sergipe Estanciano – 511
  4. São Paulo Red Bull Brasil – 511
  5. Ceará Guarani de Juazeiro – 478
  6. Rio Grande do Norte Globo – 371
  7. Rio Grande do Sul Lajeadense – 355
  8. Pernambuco Serra Talhada – 342
  9. Paraná Foz do Iguaçu – 246
  10. Mato Grosso do Sul Comercial-MS – 221
  1. Minas Gerais Villa Nova – 189
  2. Rondônia Vilhena – 186
  3. Rio de Janeiro Volta Redonda – 183
  4. Roraima Náutico-RR – 182
  5. Santa Catarina Metropolitano – 177
  6. Rio de Janeiro Duque de Caxias – 166
  7. Goiás Aparecidense – 157
  8. Bahia Serrano – 156
  9. Amapá Santos-AP – 99
  10. Rio de Janeiro Resende – 68

Mudança de técnicos[editar | editar código-fonte]

Clube Antecessor Motivo Data Última partida Rod Pos Sucessor Ref.
Bahia Colo Colo Brasil Duzinho Demitido 15 de julho Serra Talhada 2–0 Colo Colo 5º (Gr. A3) Brasil Gilmey Aimbere [52][53]
Rio Grande do Norte Globo Brasil Anthoni Santoro Demitido 21 de julho Globo 1–1 Coruripe 4º (Gr. A3) Brasil Higor César [54]
Roraima Náutico-RR Brasil Zé Henrique Resignado 26 de julho Vilhena 1–0 Náutico-RR 5º (Gr. A1) Brasil Serginho Góis [55][56]
Minas Gerais Villa Nova Brasil Edilson Fofão Remanejado 27 de julho Villa Nova 2–3 Duque de Caxias 5º (Gr. A6) Brasil Felipe Surian [57][58]
Rio de Janeiro Resende Brasil Alfredo Sampaio Resignado 29 de julho Resende 0–1 Ypiranga-RS 5º (Gr. A7) Brasil Ailton Ferraz [59][60]
Goiás Goianésia Brasil Lucas Oliveira Demitido 3 de agosto Goianésia 0–0 Serrano 4º (Gr. A4) Brasil Nivaldo Lancuna [61][62]
Paraná Foz do Iguaçu Brasil Claudemir Sturion Demitido 5 de agosto Lajeadense 3–0 Foz do Iguaçu 5º (Gr. A8) Brasil Ivan Carlos Alves [63]
Santa Catarina Metropolitano Brasil Pingo Demitido 9 de agosto Foz do Iguaçu 2–0 Metropolitano 4º (Gr. A8) Brasil Cesar Paulista [64][65]
Pernambuco Serra Talhada Brasil Cícero Monteiro Resignado 9 de agosto Serra Talhada 0–2 Coruripe 4º (Gr. A3) Brasil Alexandre Lima [66][67]
Amazonas Nacional-AM Brasil Aderbal Lana Demitido 11 de agosto Nacional-AM 0–1 Remo 3º (Gr. A1) Portugal Paulo Morgado [68][69]
Ceará Guarani-CE Brasil Carlos Octávio Licenciado 11 de agosto Guarani-CE 0–0 Imperatriz 5º (Gr. A2) Brasil Marcinho Guerreiro (interino) [70]
Roraima Náutico-RR Brasil Serginho Góis Remanejado 12 de agosto Náutico-RR 0–0 Rio Branco-AC 5º (Gr. A1) Brasil Marcelo Pereira [71]
Paraíba Treze Brasil Luiz Carlos Mendes Demitido 14 de agosto Treze 0–0 Central 3º (Gr. A4) Brasil Humberto Santos [72]
Minas Gerais Caldense Brasil Eugênio Souza Demitido 17 de agosto Caldense 1–2 Comercial-MS 2º (Gr. A5) Brasil Gian Rodrigues [73]
Acre Rio Branco-AC Brasil Nei Gaúcho Demitido 18 de agosto Vilhena 2–2 Rio Branco-AC 2º (Gr. A1) Brasil Edson Júnior [74]
Amapá Santos-AP Brasil José Minga Licenciado 20 de agosto Macapá 1–0 Santos-AP[CAp] 4º (Gr. A2) Brasil Luciano Marba (interino) [75][76]
Ceará Guarani-CE Brasil Marcinho Guerreiro (interino) Resignado 28 de agosto Imperatriz 3–2 Guarani-CE 5º (Gr. A2) Brasil Neto Santana (interino) [77][78]
Rio de Janeiro Volta Redonda Brasil Leandro Niehues Demitido 30 de agosto Volta Redonda 0–1 Metropolitano 4º (Gr. A8) Brasil Cuca [79]
Goiás Goianésia Brasil Nivaldo Lancuna Contratado pelo Altos 31 de agosto Treze 1–0 Goianésia 4º (Gr. A4) Brasil Marcelo Froeder (interino) [80][81]

Classificação geral[editar | editar código-fonte]

A classificação geral dá prioridade ao clube que avançou mais fases, e ao campeão, mesmo que tenha menor pontuação.

Pos Times Pts J V E D GP GC SG Classificação[82]
1 São Paulo Botafogo-SP 28 16 7 7 2 20 9 +11 Promovidos à Série C em 2016
e finalistas
2 Piauí River-PI 27 16 7 6 3 20 11 +9
3 Pará Remo 27 14 8 3 3 21 9 +12 Promovidos à Série C em 2016
e eliminados nas semifinais
4 Rio Grande do Sul Ypiranga de Erechim 27 14 8 3 3 15 7 +8
5 São Paulo São Caetano 23 12 7 2 3 26 8 +18 Eliminados nas quartas de final
6 Rio Grande do Sul Lajeadense 22 12 6 4 2 18 14 +4
7 Minas Gerais Caldense 20 12 5 5 2 12 7 +5
8 Paraná Operário-PR 19 12 6 1 5 13 13 0
9 Goiás CRAC 21 10 6 3 1 8 4 +4 Eliminados nas oitavas de final
10 Sergipe Estanciano 18 10 6 0 4 16 15 +1
11 Espírito Santo (estado) Rio Branco 18 10 5 3 2 13 9 +4
12 Paraíba Campinense 17 10 5 2 3 11 6 +5
13 Tocantins Palmas 17 10 5 2 3 8 7 +1
14 Pernambuco Central 16 10 5 1 4 12 11 +1
15 Alagoas Coruripe 16 10 4 4 2 16 13 +3
16 Acre Rio Branco-AC 15 10 4 3 3 10 10 0
17 Paraíba Treze 15 8 4 3 1 11 5 +6 Eliminados na primeira fase
18 Goiás Aparecidense 13 8 3 4 1 9 5 +4
19 Distrito Federal (Brasil) Gama 13 8 3 4 1 9 6 +3
20 Rio de Janeiro Volta Redonda 9 8 3 0 5 10 14 –4
21 Rio de Janeiro Resende 9 8 2 3 3 9 10 –1
22 Bahia Colo Colo 81 8 3 2 3 9 12 –3
23 Maranhão Imperatriz 8 8 2 2 4 11 11 0
24 Amazonas Nacional-AM 8 8 2 2 4 10 12 –2
25 Pernambuco Serra Talhada 8 8 2 2 4 7 9 –2
26 São Paulo Red Bull Brasil 8 8 2 2 4 5 8 –3
27 Santa Catarina Metropolitano 8 8 2 2 4 8 12 –4
28 Rio Grande do Norte Globo 8 8 2 2 4 5 10 –5
29 Amapá Santos-AP 72 8 3 1 4 8 11 –3
30 Rio de Janeiro Duque de Caxias 7 8 2 1 5 10 11 –1
31 Santa Catarina Inter de Lages 7 8 2 1 5 6 9 –3
32 Mato Grosso do Sul Comercial-MS 7 8 2 1 5 6 10 –4
33 Rondônia Vilhena 6 8 1 3 4 8 14 –6
34 Goiás Goianésia 5 8 1 2 5 3 10 –7
35 Bahia Serrano 5 8 1 2 5 6 14 –8
36 Paraná Foz do Iguaçu 5 8 1 2 5 10 21 –11
37 Ceará Guarani de Juazeiro 5 8 0 5 3 4 9 –5
38 Roraima Náutico-RR 43 8 2 2 4 8 12 –4
39 Mato Grosso Operário-MT 4 8 1 1 6 7 16 –9
40 Minas Gerais Villa Nova 3 8 1 0 7 9 23 –14

1O Colo Colo foi punido pelo STJD com a perda de três pontos por escalação de jogadores irregulares.[29]
2O Santos-AP foi punido pelo STJD com a perda de três pontos por escalação de jogadores irregulares.[28]
3O Náutico-RR foi punido pelo STJD com a perda de quatro pontos por escalação de jogadores irregulares.[27]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Com um a menos, Bota-SP cala 40 mil pessoas no Albertão e levanta a taça da Série D». GloboEsporte.com. 14 de novembro de 2015. Consultado em 15 de novembro de 2015 
  2. «River, Botafogo (SP), Ypiranga e Remo conseguem acesso à Série C de 2016». EBC. 19 de outubro de 2015. Consultado em 15 de novembro de 2015 
  3. a b c d e «Regulamento específico da competição – Campeonato Brasileiro da Série D 2015» (PDF). CBF. 13 de maio de 2015. Consultado em 18 de maio de 2015 
  4. «Série D terá transmissão inédita pela TV». CBF. 2 de julho de 2015. Consultado em 3 de julho de 2015 
  5. «TV Brasil vai mostrar a Série D a partir das oitavas de final». Mídia e Esporte. 16 de setembro de 2015. Consultado em 17 de setembro de 2015 
  6. «CNEF Cadastro Nacional de Estádios de Futebol» (PDF). CBF. 24 de outubro de 2014. Consultado em 1 de julho de 2015 
  7. «Pela primeira vez na final, Vitória da Conquista chega invicto à decisão». iBahia. Consultado em 20 de abril de 2015 
  8. «Mesmo na final do Baianão, Conquista está fora da Série D». A Tarde. 23 de abril de 2015. Consultado em 28 de abril de 2015 
  9. «Mesmo com regulamento estranho, Juazeirense é 3º e vai pra Copa do Nordeste». FutebolInterior.com.br. 1 de maio de 2015. Consultado em 1 de maio de 2015 
  10. «Cezário diz que campeão estadual fica com vaga na Série D do Brasileiro». Gazeta MS. 18 de março de 2015. Consultado em 2 de abril de 2015 
  11. a b «Metropolitano e Internacional garantem vagas no Brasileiro Série D». Federação Catarinense de Futebol. 6 de março de 2015. Consultado em 6 de março de 2015 
  12. «Nacional mandará jogos da Série D na Arena da Amazônia, afirma dirigente». GloboEsporte.com. 24 de junho de 2015. Consultado em 1 de julho de 2015 
  13. «Interditado, Dutrinha ainda não tem prazo para início das obras». GloboEsporte.com. 25 de junho de 2015. Consultado em 14 de julho de 2015 
  14. «Pela Linha do Equador! Seleção Sub-20 reinaugurará estádio "Zerão", no AP». Terra. 14 de fevereiro de 2014. Consultado em 20 de agosto de 2014 
  15. «Interporto, Tocantinópolis e Gurupi desistem da Série D e Palmas assume». Futebol Interior. 29 de junho de 2015. Consultado em 29 de junho de 2015 
  16. «Jacuipense desiste de disputar Série D, e vaga baiana ainda está sem dono». GloboEsporte.com. 29 de maio de 2015. Consultado em 29 de maio de 2015 
  17. «Jacuipense desiste da Série D e Serrano é primeira opção para ocupar a vaga». FBF. 30 de maio de 2015. Consultado em 30 de maio de 2015 
  18. «CBF muda local, e estreia do Bota-SP na Série D será em estádio da Copa». GloboEsporte.com. 3 de julho de 2015. Consultado em 14 de julho de 2015 
  19. «No Almeidão, renovado Campinense encara Globo-RN na estreia da Série D». Paraiba.com.br. 12 de julho de 2015. Consultado em 16 de julho de 2015 
  20. «Metropolitano vai mandar dois jogos pela Série D do Brasileiro no Orlando Scarpelli, em Florianópolis». Jornal de Santa Catarina. 1 de julho de 2015. Consultado em 26 de julho de 2015 
  21. «Rio Branco conta com o 'fator Araripe' pra engrenar na Série D do Brasileirão». GloboEsporte.com. 14 de julho de 2015. Consultado em 18 de julho de 2015 
  22. «Remo cumprirá punição do STJD mandando jogos em Paragominas». GloboEsporte.com. 1 de julho de 2015. Consultado em 19 de julho de 2015 
  23. «Justiça veta Francão e CBF transfere Estanciano e Treze para o Batistão». GloboEsporte.com. 10 de julho de 2015. Consultado em 14 de julho de 2015 
  24. «Presidente do Palmas quer jogos da Série D no Nilton Santos: 'É nossa casa'». GloboEsporte.com. 16 de julho de 2015. Consultado em 19 de julho de 2015 
  25. «Duque de Caxias x Gama (DF) será no Estádio de Los Larios». Site Oficial do Duque de Caxias. 14 de agosto de 2015. Consultado em 22 de agosto de 2015 
  26. «Treze busca a classificação pegando fora de casa o eliminado Serrano». GloboEsporte.com. 6 de setembro de 2015. Consultado em 6 de setembro de 2015 
  27. a b «STJD pune Náutico-RR com multa de R$ 1,7 mil e perda de quatro pontos». GloboEsporte.com. 22 de julho de 2015. Consultado em 26 de julho de 2015 
  28. a b «CAMPEONATO BRASILEIRO DE FUTEBOL - SÉRIE D – GRUPO A2». CBF. Consultado em 17 de dezembro de 2015 
  29. a b «Após escalar jogadores de maneira irregular, Colo Colo perde três pontos». Futebol Interior. 3 de agosto de 2015. Consultado em 4 de agosto de 2015 
  30. «Brasileirão Série D – Artilharia». CBF. Consultado em 22 de novembro de 2015 
  31. «Boletim Financeiro: River-PI 0x0 Botafogo-SP» (PDF). CBF. 14 de novembro de 2015. Consultado em 19 de novembro de 2015 
  32. «Boletim Financeiro: Remo 3x1 Operário-PR» (PDF). CBF. 18 de outubro de 2015. Consultado em 22 de outubro de 2015 
  33. «Boletim Financeiro: Remo 3x0 Palmas» (PDF). CBF. 3 de outubro de 2015. Consultado em 6 de outubro de 2015 
  34. «Boletim Financeiro: Remo 3x0 Vilhena» (PDF). CBF. 13 de setembro de 2015. Consultado em 15 de setembro de 2015 
  35. «Boletim Financeiro: Botafogo-SP 2x1 São Caetano» (PDF). CBF. 11 de outubro de 2015. Consultado em 15 de outubro de 2015 
  36. «Boletim Financeiro: Botafogo-SP 3x0 CRAC» (PDF). CBF. 27 de setembro de 2015. Consultado em 30 de setembro de 2015 
  37. «Boletim Financeiro: Botafogo-SP 0x0 Gama» (PDF). CBF. 13 de setembro de 2015. Consultado em 15 de setembro de 2015 
  38. «Boletim Financeiro: Remo 0x0 Botafogo-SP» (PDF). CBF. 1 de novembro de 2015. Consultado em 5 de novembro de 2015 
  39. «Boletim Financeiro: River-PI 2x0 Ypiranga-RS» (PDF). CBF. 24 de outubro de 2015. Consultado em 30 de outubro de 2015 
  40. «Boletim Financeiro: River-PI 3x0 Lajeadense» (PDF). CBF. 12 de outubro de 2015. Consultado em 15 de outubro de 2015 
  41. «Boletim Financeiro: Villa Nova-MG 0x2 CRAC» (PDF). CBF. 13 de setembro de 2015. Consultado em 16 de setembro de 2015 
  42. «Boletim Financeiro: Santos-AP 2x0 Guarani de Juazeiro» (PDF). CBF. 13 de setembro de 2015. Consultado em 16 de setembro de 2015 
  43. «Boletim Financeiro: Náutico-RR 2x1 Vilhena» (PDF). CBF. 30 de agosto de 2015. Consultado em 4 de setembro de 2015 
  44. «Boletim Financeiro: Comercial-MS 0x1 Rio Branco-ES» (PDF). CBF. 5 de setembro de 2015. Consultado em 11 de setembro de 2015 
  45. «Boletim Financeiro: Resende 3x0 Red Bull Brasil» (PDF). CBF. 16 de agosto de 2015. Consultado em 18 de agosto de 2015 
  46. «Boletim Financeiro: Vilhena 2x2 Nacional-AM» (PDF). CBF. 6 de setembro de 2015. Consultado em 11 de setembro de 2015 
  47. «Boletim Financeiro: Serrano 0x1 Goianésia» (PDF). CBF. 16 de agosto de 2015. Consultado em 18 de agosto de 2015 
  48. «Boletim Financeiro: Volta Redonda 2x0 Foz do Iguaçu» (PDF). CBF. 13 de setembro de 2015. Consultado em 15 de setembro de 2015 
  49. «Boletim Financeiro: Operário-MT 0x3 Caldense» (PDF). CBF. 29 de agosto de 2015. Consultado em 2 de setembro de 2015 
  50. «Boletim Financeiro: Santos-AP 3x2 Imperatriz» (PDF). CBF. 30 de agosto de 2015. Consultado em 2 de setembro de 2015 
  51. «Ranking de Público». SrGoool.com.br. Consultado em 19 de novembro de 2015 
  52. «Colo Colo demite comissão técnica; time usou jogadores de forma irregular». Bahia Notícias. 15 de julho de 2015. Consultado em 15 de julho de 2015 
  53. «Colo-Colo contrata Gilmey Aimbere para sequência na Série D». Folha do Estado da Bahia. 15 de julho de 2015. Consultado em 16 de julho de 2015 
  54. «Anthoni Santoro demitido, Higor Cesar volta ao Globo». Tribuna do Norte. 21 de julho de 2015. Consultado em 21 de julho de 2015 
  55. «Baixa: Zé Henrique deixa o Náutico-RR após partida contra o Vilhena-RO». GloboEsporte.com. 23 de julho de 2015. Consultado em 26 de julho de 2015 
  56. «Serginho Góis comanda 1º treino no Náutico». Folha de Boa Vista. 30 de julho de 2015. Consultado em 31 de julho de 2015 
  57. «Villa-Nova-MG perde presidente e já tem troca de treinador». Futebol Interior. 27 de julho de 2015. Consultado em 27 de julho de 2015 
  58. «Em meio a confusão, Villa Nova-MG apresenta novo técnico». Futebol Interior. 28 de julho de 2015. Consultado em 28 de julho de 2015 
  59. «Resende demite Alfredo Sampaio, técnico que revelou Ronaldo Fenômeno». Futebol Interior. 29 de julho de 2015. Consultado em 29 de julho de 2015 
  60. «Resende confirma Aílton Ferraz como treinador para a disputa da Série D». Terra Esportes. 30 de julho de 2015. Consultado em 31 de julho de 2015 
  61. «Após três jogos e nenhuma vitória, técnico é demitido do Goianésia». Paraíba Online. 3 de agosto de 2015. Consultado em 4 de agosto de 2015 
  62. «Nivaldo Lancuna é o novo técnico do Goianésia». Futebol Goiano. 10 de agosto de 2015. Consultado em 10 de agosto de 2015 
  63. «Com dificuldades financeiras, Foz dispensa comissão e demite 18 atletas». GloboEsporte.com. 5 de agosto de 2015. Consultado em 5 de agosto de 2015 
  64. «Pingo não resiste à derrota para o Foz do Iguaçu e deixa comando do Metrô». GloboEsporte.com. 9 de agosto de 2015. Consultado em 10 de agosto de 2015 
  65. «Metropolitano anuncia Cesar Paulista como novo técnico para a Série D». GloboEsporte.com. 11 de agosto de 2015. Consultado em 11 de agosto de 2015 
  66. «Cícero Monteiro não resiste a nova derrota e entrega o cargo no Serra». GloboEsporte.com. 9 de agosto de 2015. Consultado em 10 de agosto de 2015 
  67. «Auxiliar técnico Alexandre assume o comando do Serra até o fim da Série D». GloboEsporte.com. 10 de agosto de 2015. Consultado em 11 de agosto de 2015 
  68. «Aderbal Lana não é mais o técnico do Nacional». A Crítica. 11 de agosto de 2015. Consultado em 11 de agosto de 2015 
  69. «Nacional-AM esquece técnico do Guarani e assina com português». Futebol Interior. 11 de agosto de 2015. Consultado em 11 de agosto de 2015 
  70. «Técnico do Guarani de Juazeiro passa mal e é internado em hospital de São Paulo». Diário do Nordeste. 12 de agosto de 2015. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  71. «Troca: Marcelo Pereira assume o Náutico-RR no lugar de Sérgio Gois». GloboEsporte.com. 12 de agosto de 2015. Consultado em 24 de agosto de 2015 
  72. «Três dias após "blindar" Luiz Carlos Mendes, Treze anuncia novo técnico». GloboEsporte.com. 14 de agosto de 2015. Consultado em 19 de agosto de 2015 
  73. «Caldense demite Eugênio Souza e fecha com Gian Rodrigues». Futebol Interior. 17 de agosto de 2015. Consultado em 18 de agosto de 2015 
  74. «Nei Gaúcho não é mais técnico do Rio Branco-AC; ex-Anapolina assume». GloboEsporte.com. 18 de agosto de 2015. Consultado em 19 de agosto de 2015 
  75. «Do escritório à beira de campo: Cartola do Santos-AP assume time no estadual». GloboEsporte.com. 20 de agosto de 2015. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  76. «Presidente do Santos-AP será o técnico em jogo da Série D». GloboEsporte.com. 22 de agosto de 2015. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  77. «Com técnico hospitalizado e auxiliar indo embora, Guarani de Juazeiro procura outro comandante». Blog do Fabian Rodrigues. 28 de agosto de 2015. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  78. «Guarani é eliminado da Série D após empatar com o River no Romeirão». O Povo. 30 de agosto de 2015. Consultado em 4 de setembro de 2015 
  79. «Leandro Niehues não é mais técnico do Voltaço». Site Oficial do Volta Redonda. 30 de agosto de 2015. Consultado em 30 de agosto de 2015 
  80. «Cinco anos depois, Nivaldo Lancuna volta ao futebol piauiense». Cidade Verde. 31 de agosto de 2015. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  81. «Eliminado Goianésia recebe o Central, que busca vaga na 2ª fase da Série D». GloboEsporte.com. 5 de setembro de 2015. Consultado em 5 de setembro de 2015 
  82. «Campeonato Brasileiro Série D 2015 – Colocação Final». Bola na Área. Consultado em 17 de agosto de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Precedido por
Série D 2014
20 de julho16 de novembro
Série D 2015
12 de julho14 de novembro
Sucedido por
Série D 2016
12 de junho2 de outubro