Campeonato Carioca de Futebol de 2015

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Campeonato Carioca de Futebol de 2015
Carioca 2015
Logo do Campeonato Carioca de 2015.
Dados
Participantes 16
Organização FERJ
Período 31 de janeiro – 3 de maio
Gol(o)s 324
Partidas 128
Média 2,53 gol(o)s por partida
Campeão Vasco da Gama
Vice-campeão Botafogo
Rebaixado(s) Barra Mansa[Pun]
Nova Iguaçu
Melhor marcador Fred (Fluminense) – 11 gols
Melhor ataque (fase inicial) 31 gols:
Melhor defesa (fase inicial) 9 gols:
Maiores goleadas
(diferença)
Flamengo 4–0 Barra Mansa
MaracanãRio de Janeiro
4 de fevereiro, 2ª rodada
 
Botafogo 4–0 Bonsucesso
Nilton Santos, Rio de Janeiro
7 de fevereiro, 3ª rodada
 
Flamengo 5–1 Cabofriense
Maracanã, Rio de Janeiro
11 de fevereiro, 4ª rodada
 
Madureira 4–0 Nova Iguaçu
Conselheiro Galvão, Rio de Janeiro
28 de fevereiro, 7ª rodada
 
Vasco da Gama 5–1 Nova Iguaçu
São Januário, Rio de Janeiro
15 de março, 10ª rodada
 
Bonsucesso 4–0 Boavista
Moça Bonita, Rio de Janeiro
22 de março, 11ª rodada
Público 521 527
Média 4 074,4 pessoas por partida
◄◄ Rio de Janeiro 2014 Soccerball.svg 2016 Rio de Janeiro ►►

O Campeonato Guaraviton Carioca de Futebol de 2015 (também conhecido como Cariocão Guaraviton 2015 por questões de patrocínio) foi a 114ª edição da principal divisão do futebol no Rio de Janeiro. A disputa foi organizada pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ). Os quatro primeiros colocados disputarão a Copa do Brasil de 2016.

Assim como a edição anterior, esta edição foi disputada em turno único, em três fases: fase classificatória (Taça Guanabara), semifinal e final. As equipes fizeram parte de um grupo único, jogando no sistema de todos contra todos em 15 rodadas, classificando-se para as semifinais as quatro primeiras colocadas.[1]

No ano de 2015, o troféu de campeão do torneio recebeu o título de "Troféu Tupi 80 Anos", em comemoração ao aniversário da emissora de rádio carioca.[2]

Critérios de desempate[editar | editar código-fonte]

Para o desempate entre duas ou mais equipes segue-se a ordem definida abaixo:[1]

  1. Número de vitórias
  2. Saldo de gols
  3. Gols marcados
  4. Confronto direto
  5. Número de cartões amarelos e vermelhos
  6. Sorteio

Participantes[editar | editar código-fonte]

Equipe Cidade Em 2014 Estádio Capacidade[3] Títulos
Bangu Rio de Janeiro 10º Moça Bonita 9 024 2 (último em 1966)
Barra Mansa Barra Mansa 1º (Série B) Leão do Sul[a] 5 000 0 (não possui)
Boavista Saquarema Eucy Resende 3 339 0 (não possui)
Bonsucesso Rio de Janeiro 13º Leônidas da Silva 13 000 0 (não possui)
Botafogo Rio de Janeiro Nilton Santos 23 668[b] 20 (último em 2013)
Cabofriense Cabo Frio Correão 4 200 0 (não possui)
Flamengo Rio de Janeiro Maracanã 78 838 33 (último em 2014)
Fluminense Rio de Janeiro Maracanã 78 838 31 (último em 2012)
Friburguense Nova Friburgo Eduardo Guinle 6 550 0 (não possui)
Macaé Macaé Moacyrzão 15 000 0 (não possui)
Madureira Rio de Janeiro 12º Conselheiro Galvão 5 062 0 (não possui)
Nova Iguaçu Nova Iguaçu Laranjão 3 500 0 (não possui)
Resende Resende 14º Trabalhador[a] 4 600 0 (não possui)
Tigres do Brasil Duque de Caxias 2º (Série B) De Los Larios 8 000 0 (não possui)
Vasco da Gama Rio de Janeiro São Januário 24 585 22 (último em 2003)
Volta Redonda Volta Redonda 11º Raulino de Oliveira 20 255 0 (não possui)
  • A. ^ Não estão aptos a receber partidas envolvendo Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco da Gama
  • B. ^ Por causa de obras de restruturação, o Estádio Nilton Santos teve sua capacidade reduzida temporariamente[4]

Fase classificatória (Taça Guanabara)[editar | editar código-fonte]

Confrontos[editar | editar código-fonte]

Para ler a tabela, a linha horizontal representa os jogos da equipe como mandante. A coluna vertical indica os jogos da equipe como visitante. A tabela da competição foi divulgada pela FERJ em 26 de agosto de 2014.[5]

  BAN BMA BVT BON BOT CAB FLA FLU FRI MAC MAD NVG RES TIG VAS VOL
Bangu 2–1 4–2 0–3 3–0 1–1 1–3 1–0
Barra Mansa 1–1 2–2 1–2 0–1 2–1 1–1 0–1
Boavista 3–1 1–1 0–3 1–1 0–0 2–2 1–2 0–0
Bonsucesso 0–2 0–0 4–0 0–2 1–1 0–1 0–1
Botafogo 1–0 4–0 1–0 1–0 4–1 2–1 3–0 3–0
Cabofriense 2–1 0–1 3–0 0–3 0–0 2–0 0–2 1–3
Flamengo 2–1 4–0 2–0 5–1 3–0 2–0 2–1 2–1
Fluminense 2–1 4–2 3–0 3–1 3–0 2–1 1–1 0–1
Friburguense 1–1 0–0 0–3 1–1 1–2 3–0 5–4 1–1
Macaé 1–1 3–1 1–0 2–1 1–1 1–0 2–1 1–0
Madureira 1–0 1–1 1–1 1–2 1–0 4–0 3–0
Nova Iguaçu 2–3 0–1 0–0 1–4 1–0 0–0 1–2
Resende 4–2 1–0 1–2 0–1 2–0 2–2 1–1
Tigres do Brasil 1–1 0–0 1–0 1–3 0–3 1–1 1–1
Vasco da Gama 2–0 1–1 1–1 3–0 2–0 5–1 1–0 4–1
Volta Redonda 1–1 2–2 2–1 0–1 0–3 4–3 1–1

Classificação[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Taça Guanabara de 2015
Pos Equipe PG J V E D GP GS SG Classificação
1 Botafogo 36 15 11 3 1 31 9 +22 Campeão da Taça GB e classificado para as semifinais
2 Flamengo 36 15 11 3 1 31 9 +22 Classificados para as semifinais
3 Vasco da Gama 33 15 10 3 2 31 13 +18
4 Fluminense 31 15 10 1 4 29 15 +14
5 Madureira 30 15 9 3 3 26 12 +14
6 Macaé 26 15 7 5 3 17 14 +3
7 Volta Redonda 23 15 6 5 4 20 21 –1
8 Bangu 22 15 6 4 5 22 21 +1
9 Resende 16 15 4 4 7 18 23 –5
10 Friburguense 14 15 3 5 7 16 24 –8
11 Cabofriense 12 15 3 3 9 13 27 –14
12 Bonsucesso 11 15 2 5 8 8 18 –10
13 Tigres do Brasil 11 15 1 8 6 10 22 –12
14 Boavista 8 15 1 5 9 12 27 –15
15 Nova Iguaçu 8 15 1 5 9 10 26 –16
16 Barra Mansa[Pun] –6 15 1 6 8 14 27 –13

Desempenho por rodada[editar | editar código-fonte]

Clubes que lideraram o campeonato ao final de cada rodada:

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15
VAS FLU FLA BOT VAS BOT FLA BOT

Clubes que ficaram na última posição do campeonato ao final de cada rodada:

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15
CAB BMA BON CAB BVT NVG BVT NVG BMA

Premiação[editar | editar código-fonte]

Taça Guanabara de 2015
Município do Rio de Janeiro
BOTAFOGO
Campeão
(8º título)

Torneio Super Clássicos[editar | editar código-fonte]

O Torneio Super Clássicos foi disputado entre os quatro grandes clubes do Campeonato e contabilizadas apenas as partidas entre eles durante a Taça Guanabara e excluindo-se, caso ocorressem, as partidas semifinais e finais.[1]

Pos Equipe PG J V E D GP GS SG
1 Flamengo 6 3 2 0 1 5 2 +3
2 Vasco da Gama 4 3 1 1 1 3 3 0
3 Botafogo 4 3 1 1 1 3 4 –1
4 Fluminense 3 3 1 0 2 3 5 –2

Premiação[editar | editar código-fonte]

Torneio Super Clássicos de 2015
Município do Rio de Janeiro
FLAMENGO
Tricampeão
(3º título)

Taça Rio[editar | editar código-fonte]

A Taça Rio foi disputada entre as demais equipes e contabilizadas as partidas que não envolviam a participação dos quatro grandes clubes do Campeonato durante o turno único, excluindo-se, caso ocorressem, as partidas semifinais e finais do turno.[1]

Em 25 de março, na 12ª rodada, o Madureira conquistou o título da Taça Rio de 2015 — seu segundo título da Taça — ao empatar em 1–1 com o Bonsucesso.[6]

A classificação final:[7]

Pos Equipe PG J V E D GP GS SG
1 Madureira 29 11 9 2 0 23 3 +20
2 Bangu 22 11 6 4 1 20 12 +8
3 Macaé 22 11 6 4 1 15 9 +6
4 Volta Redonda 19 11 5 4 2 14 12 +2
5 Resende 16 11 4 4 3 17 16 +1
6 Cabofriense 12 11 3 3 5 12 16 –4
7 Friburguense 11 11 2 5 4 10 13 –3
8 Bonsucesso 11 11 2 5 4 8 8 0
9 Tigres do Brasil 9 11 1 6 4 7 14 –7
10 Boavista 8 11 1 5 5 11 19 –8
11 Nova Iguaçu 7 11 1 4 6 7 15 –8
12 Barra Mansa[Pun] –2 11 1 4 6 10 17 –7

Premiação[editar | editar código-fonte]

Taça Rio de 2015
Município do Rio de Janeiro
MADUREIRA
Campeão
(2º título)

Fase final[editar | editar código-fonte]

Em itálico, as equipes que jogaram pelo empate, por ter melhor campanha na fase de grupos (1º e 2º colocados).[1]

  Semifinais Final
                     
 Vasco da Gama 0 1 1  
 Flamengo 0 0 0  
   Vasco da Gama 1 2 3
   Botafogo 0 1 1
 Fluminense 2 1 3 (8)
 Botafogo (pen) 1 2 3 (9)

Semifinais[editar | editar código-fonte]

Partidas de ida
11 de abril Fluminense 2 – 1 Botafogo Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
18:30
Fred Gol marcado aos 41 minutos de jogo 41', Gol marcado aos 74 minutos de jogo 74' (pen) Relatório Gol marcado aos 85 minutos de jogo 85' Willian Arão Público: 14 424
Árbitro: Rio de Janeiro Leonardo Garcia Cavaleiro
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Fluminense
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Botafogo

12 de abril Vasco da Gama 0 – 0 Flamengo Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
16:00
Relatório Público: 21 289
Árbitro: Rio de Janeiro João Batista de Arruda
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Vasco
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Flamengo
Partidas de volta
18 de abril Botafogo 2 – 1 Fluminense Estádio Nilton Santos, Rio de Janeiro
18:30
Fernandes Gol marcado aos 5 minutos de jogo 5'
Bill Gol marcado aos 22 minutos de jogo 22'
Relatório Gol marcado aos 43 minutos de jogo 43' (pen) Jean Público: 13 958
Árbitro: Rio de Janeiro Péricles Bassols
    Penalidades  
Marcelo Mattos Erro (Defesa)
Gegê Convertido
Gilberto Convertido
Thiago Carleto Convertido
Diego Giaretta Erro (Defesa)
Renan Fonseca Convertido
Jobson Convertido
Bill Convertido
Luís Ricardo Convertido
Willian Arão Convertido
Renan Convertido
9 – 8 Erro (Defesa) Kenedy
Convertido Jean
Erro (Defesa) Gerson
Convertido Renato
Convertido Marlone
Convertido Gum
Convertido Marlon
Convertido Edson
Convertido Robert
Convertido Wellington Silva
Erro (Fora) Diego Cavalieri
 
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Botafogo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Fluminense

19 de abril Flamengo 0 – 1 Vasco da Gama Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
16:00
Relatório Gol marcado aos 61 minutos de jogo 61' (pen) Gilberto Público: 48 221
Árbitro: Rio de Janeiro Rodrigo Nunes de Sá
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Flamengo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Vasco

Finais[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Final do Campeonato Carioca
Partida de ida
26 de abril Vasco da Gama 1 – 0 Botafogo Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
16:00
Rafael Silva Gol marcado aos 90+1 minutos de jogo 90+1' Relatório Público: 39 379
Árbitro: Rio de Janeiro Luis Antonio Silva Santos
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Vasco
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Botafogo
Partida de volta
3 de maio Botafogo 1 – 2 Vasco da Gama Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro
16:00
Diego Jardel Gol marcado aos 74 minutos de jogo 74' Relatório Gol marcado aos 45 minutos de jogo 45' Rafael Silva
Gol marcado aos 90+2 minutos de jogo 90+2' Gilberto
Público: 58 446
Árbitro: Rio de Janeiro Wagner do Nascimento Magalhães
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Botafogo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Vasco

Premiação[editar | editar código-fonte]

Campeonato Carioca de 2015
Município do Rio de Janeiro
VASCO DA GAMA
Campeão
(23º título)
Troféu Tupi 80 Anos
Município do Rio de Janeiro
VASCO DA GAMA
Campeão
(1º título)

Artilharia[editar | editar código-fonte]

Gols[8] Jogador Time
11 Brasil Fred Fluminense
9 Brasil Alecsandro Flamengo
Brasil Gilberto Vasco da Gama
Brasil Marcelo Cirino Flamengo
Brasil Rodrigo Pinho Madureira
8 Brasil Anselmo Boavista
7 Brasil Almir Bangu
Brasil Jhulliam Resende

Maiores públicos[editar | editar código-fonte]

Esses são os maiores públicos do Campeonato:

Público[PP] Mandante Placar Visitante Estádio Data Etapa Rodada Ref.
1 58 446 Botafogo 1–2 Vasco da Gama Maracanã 3 de maio Final Volta [9]
2 51 085 Flamengo 2–1 Vasco da Gama Maracanã 22 de março Taça Guanabara 11ª [10]
3 48 221 Flamengo 0–1 Vasco da Gama Maracanã 19 de abril Semifinal Volta [11]
4 44 329 Botafogo 1–0 Flamengo Maracanã 1 de março Taça Guanabara [12]
5 40 971 Flamengo 3–0 Fluminense Maracanã 5 de abril Taça Guanabara 14ª [13]
6 39 379 Vasco da Gama 1–0 Botafogo Maracanã 26 de abril Final Ida [14]
7 21 795 Fluminense 3–1 Botafogo Maracanã 8 de março Taça Guanabara [15]
8 21 655 Vasco da Gama 1–1 Botafogo Maracanã 29 de março Taça Guanabara 13ª [16]
9 21 289 Vasco da Gama 0–0 Flamengo Maracanã 12 de abril Semifinal Ida [17]
10 20 628 Flamengo 2–0 Boavista Maracanã 19 de fevereiro Taça Guanabara [18]
  • PP. ^ Considera-se apenas o público pagante

Mudança de técnicos[editar | editar código-fonte]

Clube Antecessor Motivo Data Última partida Rod. Pos. Sucessor Ref.
Bonsucesso Brasil Caio Couto Demitido 12 de fevereiro Bonsucesso 0–0 Barra Mansa 15º Brasil Marcelo Salles [19][20]
Barra Mansa Brasil Wilson Leite Resignado 12 de fevereiro Bonsucesso 0–0 Barra Mansa 14º Brasil Manoel Neto [21][22]
Boavista Brasil Antônio Carlos Roy Demitido 19 de fevereiro Flamengo 2–0 Boavista 16º Brasil Waldemar Lemos [23][24]
Nova Iguaçu Brasil Eduardo Allax Demitido 2 de março Madureira 4–0 Nova Iguaçu 16º Brasil Renê Weber [25][26]
Resende Brasil Edson Souza Demitido 2 de março Resende 0–1 Fluminense 11º Brasil Paulo Campos [27][28]
Cabofriense Brasil Alfredo Sampaio Resignado 8 de março Tigres do Brasil 1–0 Cabofriense Brasil Edson Souza [29][30]
Macaé Brasil Josué Teixeira Contratado pelo ABC 21 de março Macaé 1–1 Bangu 11ª Brasil Marcelo Cabo [31][32]
Boavista Brasil Waldemar Lemos Demitido 22 de março Bonsucesso 4–0 Boavista 11ª 15º Brasil Rodrigo Beckham [33]
Volta Redonda Brasil Marcelo Cabo Contratado pelo Macaé 22 de março Volta Redonda 0–3 Madureira 11ª Brasil Elson Roberto [32][34]
Fluminense Brasil Cristóvão Borges Demitido 23 de março Fluminense 1–1 Tigres do Brasil 11ª Brasil Ricardo Drubscky [35][36]
Nova Iguaçu Brasil Renê Weber Demitido 5 de abril Nova Iguaçu 0–1 Bonsucesso 14ª 16º Brasil Carlos Vitor (interino) [37]

Classificação geral[editar | editar código-fonte]

Para a definição da classificação geral, excluem-se os pontos obtidos nas fases semifinal e final do turno único. Ao final do campeonato, o campeão e o vice-campeão ocuparam a primeira e segunda colocações independente do número de pontos. O 3º e 4º serão os outros dois semifinalistas, sendo a posição entre eles definidas pela classificação na fase de grupos. Caso duas ou mais equipes empatem nas posições finais em número de pontos, são disputadas partidas extras, em campo neutro, de ida e volta, para definição dos rebaixados.[1]

Com a redução do número de participantes no Campeonato Carioca de 2016 de 16 para 14 equipes, os dez primeiros colocados se classificam automaticamente para a Série A do ano seguinte, ao lado do campeão da Série B de 2015. Os dois últimos colocados são automaticamente rebaixados para a Série B de 2016 e as quatro equipes restantes disputam a Seletiva juntamente com o vice-campeão da Série B de 2015 para definir os três últimos participantes.[38][39] Porém, em agosto de 2015, sem a participação de Flamengo e Fluminense, a entidade aprovou um regulamento diferente: o número de 16 participantes é mantido rebaixando apenas o Nova Iguaçu e o Barra Mansa, mas o formato da competição muda em 2016.[40]

Pos Equipe PG J V E D GP GS SG Classificação e rebaixamento
1 Vasco da Gama[B.A] 33 15 10 3 2 31 13 +18 Finalistas e classificados para a Copa do Brasil de 2016
2 Botafogo[B.B] 36 15 11 3 1 31 9 +22
3 Flamengo[B.A] 36 15 11 3 1 31 9 +22 Eliminados nas semifinais e classificados para a Copa do Brasil de 2016
4 Fluminense[B.A] 31 15 10 1 4 29 15 +14
5 Madureira[B.C] 30 15 9 3 3 26 12 +14
6 Macaé[B.B] 26 15 7 5 3 17 14 +3
7 Volta Redonda 23 15 6 5 4 20 21 –1 Classificado para o Brasileirão 2015 - Série D
8 Bangu 22 15 6 4 5 22 21 +1
9 Resende[B.D] 16 15 4 4 7 18 23 –5
10 Friburguense 14 15 3 5 7 16 24 –8
11 Cabofriense 12 15 3 3 9 13 27 –14 Disputam a Seletiva da Série A de 2016[Sel]
12 Bonsucesso 11 15 2 5 8 8 18 –10
13 Tigres do Brasil 11 15 1 8 6 10 22 –12
14 Boavista 8 15 1 5 9 12 27 –15 Vencedor do play-off e disputa a Seletiva da Série A de 2016[Sel]
15 Nova Iguaçu 8 15 1 5 9 10 26 –16 Rebaixados para a Série B de 2016
16 Barra Mansa[Pun] –6 15 1 6 8 14 27 –13

Play-off contra o rebaixamento[editar | editar código-fonte]

Conforme o regulamento, se duas ou mais equipes empatassem nas posições finais em número de pontos, seriam disputadas partidas extras, em campo neutro, de ida e volta, para definição dos rebaixados.[1] Com oito pontos ganhos, Boavista e Nova Iguaçu fizeram o play-off para definir o clube rebaixado para a Segunda Divisão de 2016.

Em 13 de abril, o Tribunal de Justiça Desportiva (TJD/RJ) acolheu o pedido de efeito suspensivo do Barra Mansa. Assim, as partidas do "Grupo X" foram suspensas.[43] Três dias depois, porém, o Pleno do TJD julgou o caso novamente e manteve a punição ao Barra Mansa.[42] Tão logo, a FERJ definiu novas datas para os confrontos.[44] Em junho, o STJD negou o recurso e confirmou, de maneira definitiva, o rebaixamento do Barra Mansa.[45]

Partida de ida
23 de abril Nova Iguaçu 0 – 3 Boavista Estádio de Moça Bonita, Rio de Janeiro
15:00
Relatório Gol marcado aos 14 minutos de jogo 14', Gol marcado aos 88 minutos de jogo 88' Anselmo
Gol marcado aos 59 minutos de jogo 59' Lucas
Público: 330
Árbitro: Rio de Janeiro Pathrice Wallace Maia
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Nova Iguaçu
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Boavista
Partida de volta
26 de abril Boavista 2 – 0 Nova Iguaçu Estádio Correão, Cabo Frio
16:00
Jeff Silva Gol marcado aos 26 minutos de jogo 26'
Anselmo Gol marcado aos 47 minutos de jogo 47'
Relatório Público: 480
Árbitro: Rio de Janeiro Rodrigo Carvalhaes de Miranda
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Boavista
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Nova Iguaçu

Transmissão[editar | editar código-fonte]

Assim como nos anos anteriores, a Rede Globo e o SporTV detêm os direitos de transmissão do torneio. Na TV aberta, além da Globo, foi sub-licenciada a Rede Bandeirantes, que transmite as mesmas partidas e/ou os mesmos horários em cada rodada.[46]

A novidade fica por conta dos assinantes de TV por assinatura. Devido ao alto crescimento da concorrência (em especial, as emissoras FOX Sports[47] e Esporte Interativo[48]), o SporTV, além da transmissão em pay-per-view pelo Premiere, passa a transmitir em sinal fechado, uma partida ao vivo por rodada (em paralelo com o Campeonato Paulista), além das partidas em VT.[49]

Polêmicas[editar | editar código-fonte]

Lei da Mordaça[editar | editar código-fonte]

O artigo 133 do Regulamento Geral de Competições da FERJ proibiu jogadores, técnicos e membros da diretoria dos clubes de criticarem a organização do Campeonato Carioca e de outras competições mantidas pela entidade. Em caso de desrespeito, o clube do profissional que fez a crítica seria multado em R$ 50 mil. O regulamento, que ficou conhecido como “Lei da Mordaça”, determinava ainda que a multa seria dobrada a cada nova crítica. A punição seria reduzida à metade se o presidente da agremiação publicasse, em até 48 horas, um desmentido em seu site oficial.[50] Esta medida gerou polêmica assim que se tornou pública.[51]

No dia 19 de fevereiro, a Justiça do Rio suspendeu a vigência da regra. O juiz Marcello Rubioli, do Juizado Especial do Torcedor e dos Grandes Eventos, concedeu liminar a pedido do defensor público Eduardo Chow, que afirmou que o dispositivo representava uma violação à "liberdade de expressão" e aos "direitos humanos". Rubioli afirmou, porém, que se coubesse ao STJD ou ao TJD arbitrar a multa, não haveria tal violação. A FERJ informou, através de sua assessoria de imprensa, que não pretendia recorrer da decisão e que iria cumprir a liminar.[52]

"Maquiagem" dos borderôs[editar | editar código-fonte]

Segundo reportagem do GloboEsporte.com, visando combater críticas de que o campeonato é deficitário e com baixo interesse do público, a FERJ utiliza-se de uma maquiagem nos borderôs (o que a reportagem chamou de "doping estatístico"), deixando de apontar prejuízos em jogos, passando a estampar lucro até em partidas de pouca torcida. A usual conta de arrecadação menos despesas passou a incluir, nos critérios da entidade, as cotas de transmissão de jogos. O artigo 11 do regulamento da competição deste ano obriga os clubes de menor investimento a lançarem no borderô como ingressos utilizados 25% da capacidade liberada do local do jogo pelo Corpo de Bombeiros. Assim, em boa parte dos boletins financeiros das partidas entre clubes de menor investimento constam números redondos de ingressos, indicando que a carga solicitada de ingressos foi inteiramente lançada no documento.[53] Flamengo e Fluminense criticaram estas medidas, afirmando que impedem uma análise realista para melhorias do torneio e afetam o bolso das equipes menores.[54] Com a inclusão das cotas de TV nos borderôs, cada grande passa a ter lucro, por jogo, de R$ 311.333,33.[55] Porém, mesmo com essas medidas, até a 4ª rodada do campeonato, apenas Flamengo e Fluminense obtiveram lucro.[56]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g «Regulamento do Campeonato Estadual da Série A de Profissionais do Rio de Janeiro para 2014 e 2015» (PDF). FERJ. 26 de agosto de 2013. Consultado em 14 de setembro de 2014 
  2. «Entrega do troféu Tupi 80 Anos». Super Rádio Tupi. 4 de maio de 2015. Consultado em 13 de julho de 2015 
  3. «Cadastro Nacional de Estádios de Futebol (CNEF)» (PDF). Confederação Brasileira de Futebol (CBF). 15 de setembro de 2009. Consultado em 14 de dezembro de 2011 
  4. «ENGENHÃO: em meio à obra, palco reabre com seu gramado impecável». GloboEsporte.com. 30 de janeiro de 2015. Consultado em 16 de março de 2015 
  5. «Sorteada a tabela do Estadual 2015». FERJ. 26 de agosto de 2014. Consultado em 25 de setembro de 2014 
  6. Rademaker, Cauê (25 de março de 2015). «"Festa no subúrbio" do Madureira tem provocação ao Fla e água no chope». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de março de 2015 
  7. «Classificação Taça Rio - Site da FERJ» (PDF). 9 de abril de 2015. Consultado em 9 de abril de 2015 
  8. «Artilharia - Site da FERJ» (PDF). 3 de maio de 2015. Consultado em 9 de maio de 2015 
  9. «Vasco vence de novo o Botafogo, quebra jejum e é campeão». GloboEsporte.com. 3 de maio de 2015. Consultado em 3 de maio de 2015 
  10. «Chuva, alagamento, briga e gols: Fla vence o Vasco por 2 a 1 em clássico agitado». GloboEsporte.com. 22 de março de 2015. Consultado em 22 de março de 2015 
  11. «Com pênalti polêmico, Vasco vence o Flamengo e vai à decisão do Carioca». GloboEsporte.com. 19 de abril de 2015. Consultado em 19 de abril de 2015 
  12. «No aniversário do Rio, Botafogo faz a festa em cima do Flamengo». LanceNet.com.br. 1 de março de 2015. Consultado em 1 de março de 2015 
  13. «Tempo Real: Flamengo 3 x 0 Fluminense». GloboEsporte.com. 5 de abril de 2015. Consultado em 5 de abril de 2015 
  14. «Herói improvável, Rafael Silva garante vitória do Vasco sobre o Bota e vantagem na final». GloboEsporte.com. 26 de abril de 2015. Consultado em 26 de abril de 2015 
  15. «Com gols de garotos e Fred artilheiro, Flu vence o Bota de virada no Maraca». GloboEsporte.com. 8 de março de 2015. Consultado em 8 de março de 2015 
  16. «Vasco e Botafogo ficam no empate e esquentam briga pelo G-4 do Carioca». GloboEsporte.com. 29 de março de 2015. Consultado em 29 de março de 2015 
  17. «Tempo Real: Vasco x Flamengo». GloboEsporte.com. 12 de abril de 2015. Consultado em 12 de abril de 2015 
  18. «Com gol e assistência de Cirino, Fla vence Boavista e vira líder do Carioca». GloboEsporte.com. 19 de fevereiro de 2015. Consultado em 20 de fevereiro de 2015 
  19. «Caio Couto do Bonsucesso é o primeiro técnico demitido do Carioca 2015». Rádio Globo. 12 de fevereiro de 2015. Consultado em 19 de fevereiro de 2015 
  20. «Para não ficar longe dos líderes, Macaé enfrenta um Bonsucesso de cara nova». GloboEsporte.com. 19 de fevereiro de 2015. Consultado em 19 de fevereiro de 2015 
  21. «Barra Mansa é o segundo time a demitir técnico no Carioca 2015». Rádio Globo. 12 de fevereiro de 2015. Consultado em 19 de fevereiro de 2015 
  22. «Wilson Leite não é mais técnico do Barra Mansa; Manoel Neto assume». GloboEsporte.com. 12 de fevereiro de 2015. Consultado em 19 de fevereiro de 2015 
  23. «Boavista demite Antônio Carlos Roy após mais uma derrota no Carioca». GloboEsporte.com. 19 de fevereiro de 2015. Consultado em 20 de fevereiro de 2015 
  24. «Após demitir Roy, Boavista anuncia a contratação de Waldemar Lemos». O Dia. 20 de fevereiro de 2015. Consultado em 20 de fevereiro de 2015 
  25. «Eduardo Allax deixa o comando do Nova Iguaçu». SRZD. 2 de março de 2015. Consultado em 5 de março de 2015 
  26. «Na lanterna do Carioca, Nova Iguaçu anuncia Renê Weber como novo técnico». O Dia. 2 de março de 2015. Consultado em 5 de março de 2015 
  27. «Após seis jogos sem vitória, Resende demite técnico Edson Souza». GloboEsporte.com. 2 de março de 2015. Consultado em 3 de março de 2015 
  28. «Resende anuncia Paulo Campos como novo treinador». GloboEsporte.com. 3 de março de 2015. Consultado em 5 de março de 2015 
  29. «Após derrota, Alfredo entrega cargo e não é mais técnico da Cabofriense». GloboEsporte.com. 9 de março de 2015. Consultado em 9 de março de 2015 
  30. «Edson Souza aceita proposta e é o novo treinador da Cabofriense». GloboEsporte.com. 9 de março de 2015. Consultado em 10 de março de 2015 
  31. «Campeão da Série C, Josué pede demissão do Macaé e vai para o ABC». GloboEsporte.com. 21 de março de 2015. Consultado em 21 de março de 2015 
  32. a b «Mirinho anuncia Marcelo Cabo, do Volta Redonda, como novo treinador». GloboEsporte.com. 22 de março de 2015. Consultado em 22 de março de 2015 
  33. «Boavista demite Waldemar Lemos e fecha com Rodrigo Beckham». FutebolInterior.com.br. 22 de março de 2015. Consultado em 22 de março de 2015 
  34. «Após saída de Marcelo Cabo, auxiliar assume comando técnico do Voltaço». GloboEsporte.com. 23 de março de 2015. Consultado em 23 de março de 2015 
  35. «Cristóvão não resiste à má campanha no Carioca e é demitido do Fluminense». GloboEsporte.com. 23 de março de 2015. Consultado em 23 de março de 2015 
  36. «Ricardo Drubscky acerta com o Fluminense e assume lugar de Cristovão». LanceNet.com.br. 24 de março de 2015. Consultado em 24 de março de 2015 
  37. «Nova Iguaçu demite o técnico Renê Weber». SRZD. 5 de abril de 2015. Consultado em 5 de abril de 2015 
  38. «Carioca: duas fases a partir de 2016 e menos participantes na reta final». GloboEsporte.com. 30 de janeiro de 2015. Consultado em 27 de abril de 2015 
  39. «Boavista volta a vencer no playoff e rebaixa o Nova Iguaçu para a Série B do Carioca». GloboEsporte.com. 26 de abril de 2015. Consultado em 27 de abril de 2015 
  40. a b «Fla e Flu não votam e Carioca de 2016 manterá 16 clubes com nova fórmula». O Dia. 6 de agosto de 2015. Consultado em 31 de janeiro de 2016 
  41. «Rebaixado após punição, Barra Mansa promete recorrer: "Vamos até o fim"». GloboEsporte.com. 7 de abril de 2015. Consultado em 8 de abril de 2015 
  42. a b «Pleno do TJD mantém punição ao Barra Mansa, que segue rebaixado». GloboEsporte.com. 16 de abril de 2015. Consultado em 17 de abril de 2015 
  43. «Jogos do Grupo X estão suspensos». FERJ. 13 de abril de 2015. Consultado em 14 de abril de 2015 
  44. «Novas datas dos confrontos do Grupo X». FERJ. 17 de abril de 2015. Consultado em 17 de abril de 2015 
  45. «STJD nega recurso e confirma Barra Mansa na Série B do Carioca em 2016». GloboEsporte.com. 18 de junho de 2015. Consultado em 13 de julho de 2015 
  46. «O futebol na sua TV: Destrinchamos os contratos, e mostramos quem pode passar o que na TV». Trivela.uol.com.br. 10 de fevereiro de 2014. Consultado em 1 de março de 2015 
  47. «PVC deixa a ESPN e é o novo comentarista da Fox». Folha de S.Paulo. 09/12/2014 
  48. Erich Beting. «Esporte Interativo leva Liga dos Campeões na TV fechada». Máquina do Esporte. 28/10/2014 
  49. «Divulgados primeiros jogos com transmissão da TV do Campeonato Carioca 2015». MídiaEsportiva.net. 14 de janeiro de 2015. Consultado em 1 de março de 2015 
  50. «Justiça suspende 'Lei da Mordaça' do Campeonato Carioca». G1.globo.com. 19 de fevereiro de 2015. Consultado em 1 de março de 2015 
  51. «"Lei da mordaça" do Carioca 2015 é questionável e pode ser ilegal31». UOL Esporte. 8 de janeiro de 2015. Consultado em 1 de março de 2015 
  52. «Justiça suspende "Lei da mordaça" do Campeonato Carioca». SporTV.globo.com. 19 de fevereiro de 2015. Consultado em 1 de março de 2015 
  53. «Públicos redondos e cota de TV no borderô: doping estatístico no Carioca». GloboEsporte.com. 8 de fevereiro de 2015. Consultado em 1 de março de 2015 
  54. «Fla e Flu criticam inclusão de cotas de TV e público mínimo nos borderôs». GloboEsporte.com. 9 de fevereiro de 2015. Consultado em 1 de março de 2015 
  55. «Em três rodadas do Carioca, Ferj lucra dez vezes mais do que os grandes clubes». ESPN. 10 de fevereiro de 2015. Consultado em 1 de março de 2015 
  56. «Ferj supera times na arrecadação com bilheteria; Bota e Vasco no vermelho». GloboEsporte.com. 16 de fevereiro de 2015. Consultado em 1 de março de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]