Campeonato Paulista de Futebol de 2000

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Campeonato Paulista de Futebol de 2000
Campeonato Paulista de Futebol Profissional da Série A-1 de 2000
Dados
Participantes 17
Período 23 de janeiro – 18 de junho
Gol(o)s 535
Partidas 170
Média 3,15 gol(o)s por partida
Campeão São Paulo (20º título)
Vice-campeão Santos
Melhor marcador França (18 gols)
São Paulo
◄◄ São Paulo 1999 Soccerball.svg 2001 São Paulo ►►

O Campeonato Paulista de Futebol de 2000 foi a 99.ª edição do torneio, promovida pela Federação Paulista de Futebol, e teve o São Paulo como campeão e França, também do São Paulo, como artilheiro, com dezoito gols. O vice-campeão foi o Santos.

O torneio teve dezessete participantes pois o América foi rebaixado para a Série A-2 após a primeira fase, sendo substituído na segunda fase pelo Botafogo, campeão do primeiro turno da Série A2. Curiosamente, o Botafogo bateu nessa final o São José e na fase anterior o Ituano, os dois clubes que haviam sido rebaixados à Série A2 em 1999. Se um deles tivesse sido campeão da fase, disputariam a primeira divisão do Campeonato Paulista no ano seguinte ao seu rebaixamento.

Participantes[editar | editar código-fonte]

Equipe Cidade Como garantiu vaga
América Flag of São José do Rio Preto SP.png São José do Rio Preto 1° na Série A2 em 1999
Araçatuba Bandeira-ata.png Araçatuba 14° na Série A1
Botafogo Bandeira ribeirao preto.jpg Ribeirão Preto Campeão do primeiro turno na Série A2 de 2000
Corinthians Bandeira da cidade de São Paulo.svg São Paulo 1° na Série A1
Guarani Flag of Campinas.svg Campinas 11° na Série A1
Inter de Limeira Bandeira Limeira SaoPaulo Brasil.svg Limeira 10ª na Série A1
Matonense Matao Bandeira.jpg Matão 9ª na Série A1
Mogi Mirim Bandeira de Mogi Mirim.gif Mogi Mirim 8° na Série A1
Palmeiras Bandeira da cidade de São Paulo.svg São Paulo 2° na Série A1
Ponte Preta Flag of Campinas.svg Campinas 2ª na Série A2 em 1999
Portuguesa Bandeira da cidade de São Paulo.svg São Paulo 5ª na Série A1
Portuguesa Santista Bandeira Santos SaoPaulo Brasil.svg Santos 12ª na Série A1
Rio Branco Americana 7° na Série A1
Santos Bandeira Santos SaoPaulo Brasil.svg Santos 4° na Série A1
São Paulo Bandeira da cidade de São Paulo.svg São Paulo 3° na Série A1
União Barbarense Bandeira SantaBarbaradOeste SaoPaulo Brasil.svg Santa Bárbara d'Oeste 6° na Série A1
União São João BandeiraAraras.jpg Araras 13° na Série A1

Fórmula de disputa[editar | editar código-fonte]

Na primeira fase, enquanto os quatro grandes do estado (Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Santos) disputavam o Torneio- Rio-São Paulo, os doze clubes remanescentes foram divididos em dois grupos de seis e jogaram dentro de seus grupos, em turno e returno. A equipe com pior campanha, independentemente de grupo, foi rebaixada para a Série A2 do mesmo ano e substituída pela equipe melhor colocada na primeira fase da Série A2.

Na segunda fase, as doze equipes juntaram-se às quatro grandes do estado e foram divididas em quatro grupos de quatro equipes. As equipes do grupo 3 jogaram contra as do grupo 5 e as do grupo 4 contra as do grupo 6, em turno único, além de todas as equipes terem jogado dentro do próprio grupo em turno e returno. Para a terceira fase, classificaram-se os dois clubes mais bem colocados de cada grupo, e o clube com pior campanha nesta fase foi rebaixado para a Série A2 de 2001.

Na terceira fase, as oito equipes foram divididas em dois grupos, o 7 e o 8. Elas jogaram entre si dentro de seus grupos, em turno e returno, passando às semifinais as duas melhores de cada grupo. Nas semifinais, os times foram divididos em duas chaves de duas equipes, que jogaram entre si em partidas de ida e volta, com o vencedor de cada chave se classificando às finais, também disputadas em dois jogos, para determinar o campeão paulista de 2000.[1]

Primeira fase[2][editar | editar código-fonte]

Classificação final
Grupo 1
Pos Time PG J V E D GP GC SG
1 Ponte Preta 23 10 7 2 1 20 10 10
2 Portuguesa 18 10 5 3 2 23 12 11
3 Matonense 16 10 5 1 4 22 13 9
4 Portuguesa Santista 13 10 3 4 3 15 15 0
5 Araçatuba 8 10 2 2 6 9 25 -16
6 Inter de Limeira 5 10 1 2 7 11 25 -14
Grupo 2
Pos Time PG J V E D GP GC SG
1 Guarani 19 10 5 4 1 17 10 7
2 União Barbarense 17 10 5 2 3 17 12 5
3 União São João 16 10 5 1 4 18 15 3
4 Rio Branco 15 10 4 3 3 16 10 6
5 Mogi Mirim 11 10 3 2 5 17 20 -3
6 América 4 10 0 4 6 17 20 -3
PG - pontos ganhos; J - jogos; V - vitórias; E - empates; D - derrotas; GP - gols pró; GC - gols contra; SG - saldo de gols

América rebaixado à Série A-2 do mesmo ano; Botafogo promovido da Série A-2 para a segunda fase da Série A-1 do mesmo ano.

Segunda fase[editar | editar código-fonte]

Classificação final
Grupo 3
Pos Time PG J V E D GP GC SG
1 São Paulo 25 10 8 1 1 25 12 13
2 Guarani 14 10 4 2 4 10 11 -1
3 União Barbarense 12 10 3 3 4 11 16 -5
4 Portuguesa Santista 10 10 3 1 6 12 14 -2
Grupo 4
Pos Time PG J V E D GP GC SG
1 Corinthians 24 10 8 0 2 29 10 19
2 Ponte Preta 15 10 4 3 3 14 13 1
3 Matonense 14 10 3 5 2 15 12 3
4 Araçatuba -16 10 1 1 8 7 27 -20
Grupo 5
Pos Time PG J V E D GP GC SG
1 Palmeiras 20 10 6 2 2 19 14 5
2 Rio Branco 13 10 4 1 5 19 22 -3
3 União São João 9 10 1 6 3 15 18 -3
4 Botafogo 8 10 2 2 6 9 13 -4
Grupo 6
Pos Time PG J V E D GP GC SG
1 Portuguesa 17 10 4 5 1 18 13 5
2 Santos 16 10 4 4 2 19 15 4
3 Inter de Limeira 11 10 3 2 5 13 15 -2
4 Mogi Mirim 9 10 3 0 7 10 20 -10
PG - pontos ganhos; J - jogos; V - vitórias; E - empates; D - derrotas; GP - gols pró; GC - gols contra; SG - saldo de gols

O Araçatuba escalou três jogadores irregulares em quatro jogos e, por isso, perdeu vinte pontos (cinco pontos por cada partida), terminando o campeonato com dezesseis pontos negativos.

Terceira fase[editar | editar código-fonte]

Classificação final
Grupo 7
Pos Time PG J V E D GP GC SG
1 Santos 13 6 4 1 1 9 5 4
2 São Paulo 11 6 3 2 1 13 7 6
3 Portuguesa 7 6 2 1 3 10 11 -1
4 Guarani 3 6 1 0 5 5 14 -9
Grupo 8
Pos Time PG J V E D GP GC SG
1 Corinthians 12 6 3 3 0 16 10 6
2 Palmeiras 11 6 3 2 1 14 11 3
3 Ponte Preta 6 6 2 0 4 9 14 -5
4 Rio Branco 3 6 0 3 3 6 10 -4
PG - pontos ganhos; J - jogos; V - vitórias; E - empates; D - derrotas; GP - gols pró; GC - gols contra; SG - saldo de gols

Semifinais[editar | editar código-fonte]

27/5/2000 Santos 0–0 Palmeiras

28/5/2000 São Paulo 2–1 Corinthians

3/6/2000 Palmeiras 2–3 Santos

3/6/2000 Corinthians 0–2 São Paulo

Disputa do título[editar | editar código-fonte]

O Paulistão de 2000 foi caracterizado por um regulamento com fases classificatórias e grupos. No entanto, não houve maiores zebras, classificando-se para as semifinais justamente os quatro grandes clubes. Toda a fase final foi disputada no Estádio do Morumbi.

Em uma semifinal, o Corinthians de Marcelinho Carioca, campeão mundial de clubes havia poucos meses, precisava de dois resultados iguais para se classificar e assim eliminar o São Paulo de Raí, Belletti e Maldonado. Porém o Tricolor venceu duas vezes o alvinegro, por 2 a 1 e 2 a 0, e classificou-se à decisão com a vantagem de jogar por dois resultados iguais para sagrar-se campeão.

Na outra semifinal o drama foi bem maior, com um empate por 0 a 0 no primeiro jogo. Na decisiva partida, o Palmeiras de Marcos, Junior, Galeano e Luís Felipe Scolari, que tinha a vantagem de precisar apenas empatar para chegar à final, abriu 2 a 0, mas o Santos de Fábio Costa, Valdo e Caio virou para 3 a 2 aos 45 minutos do segundo tempo, classificando-se para uma final de Paulistão após dezesseis anos.

Na primeira partida da final, França fez 1 a 0 para o São Paulo com apenas um minuto de jogo, resultado que definiria a partida. Na decisão, o Santos precisava vencer por dois gols de vantagem para sagrar-se campeão e sair de uma fila que já se arrastava desde 1984. O Peixe ainda conseguiu fazer 1 a 0 com Dodô, mas o tricolor empatou antes do fim do primeiro tempo, com Rogério Ceni. O Santos ainda chegou a 2 a 1 no começo do segundo tempo, com um gol de Rincón, num pênalti sofrido por ele mesmo, mas aos 23 minutos o São Paulo empatou novamente o jogo com Marcelinho Paraíba, o que desanimou o escrete santista. O São Paulo sagrou-se campeão paulista pela vigésima vez. [3]

A decisão[editar | editar código-fonte]

10 de junho de 2000 Santos 0 – 1 São Paulo Morumbi, São Paulo
Público: não divulgado
Renda: não divulgada
Árbitros: Paulo César de Oliveira e Sálvio Spínola Fagundes Filho

França Gol. 1 do 1.º

Santos: Carlos Germano, Baiano, André Luís, Claudiomiro e Rubens Cardoso; Anderson Luís, Rincón, Valdo e Robert (Eduardo Marques); Valdir (Dodô) e Caio (Deivid). Técnico: Giba.

São Paulo: Rogério Ceni, Belletti, Edmílson, Rogério Pinheiro e Fábio Aurélio; Maldonado, Vágner, Raí (Fabiano) e Marcelinho Paraíba (Sandro Hiroshi); Edu (Souza) e França. Técnico: Levir Culpi.


18 de junho de 2000 São Paulo 2 – 2 Santos Morumbi, São Paulo
Público: não divulgado
Renda: não divulgada
Árbitros: Alfredo dos Santos Loebeling e Ílson Honorato dos Santos

Rogério Ceni Gol. 38 do 1.º
Marcelinho Paraíba Gol. 23 do 2.º
Dodô Gol. 29 do 1.º
Rincón Gol. 9 do 2.º (p)
Anderson Luís Expulso 27 do 2.º[4]

São Paulo: Rogério Ceni, Belletti, Edmílson, Rogério Pinheiro e Fábio Aurélio; Maldonado, Vágner, Marcelinho Paraíba e Raí (Fabiano); Edu (Carlos Miguel) e Evair (Sandro Hiroshi). Técnico: Levir Culpi.

Santos: Carlos Germano, Baiano, André Luís, Claudiomiro e Rubens Cardoso (Aílton); Anderson Luís, Rincón, Robert e Valdo (Deivid); Caio (Márcio Santos) e Dodô. Técnico: Giba.

Nota
Campeão Paulista de 2000
Bandeira da cidade de São Paulo.svg
SÃO PAULO
(20º título)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Campeonato Paulista de Futebol de 2000». UOL Esporte. Consultado em 30 de dezembro de 2015. 
  2. «São Paulo 2000 - Série A-I (First Level)». www.rsssfbrasil.com. Consultado em 2016-02-04. 
  3. «Campeonato Paulista de Futebol de 2000». RSSSF Brasil. Consultado em 31 de Dezembro de 2015. 
  4. "Expulsão. Mas Anderson tem crédito na Vila", Luiz Antônio Prósperi, Jornal da Tarde, 19/6/2000, pág. 5B
Ícone de esboço Este artigo sobre futebol brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.