Campeonato Sul-Americano de Campeões

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sul-Americano de Clubes Campeões
Troféu do Campeonato Sul-Americano de Campeões exibido na galeria de troféus do C.R. Vasco da Gama, no Estádio de São Januário
Troféu do Campeonato Sul-Americano de Campeões
exibido no Estádio de São Januário do Vasco da Gama.
Dados
Participantes 7
Anfitrião Club Social y Deportivo Colo-Colo e presidente da Conmebol Luis Valenzuela
Período 11 de fevereiro de 1948
17 de março de 1948
Gol(o)s 75
Partidas 21
Média 3,57 gol(o)s por partida
Campeão Club de Regatas Vasco da Gama
Vice-campeão Club Atlético River Plate
Público comum 39.549 p. jogo

O Campeonato Sul-Americano de Clubes Campeões foi uma competição internacional de futebol organizada em 1948 pelo clube chileno Colo-Colo[1] [2] juntamente com o então presidente da Conmebol, o chileno Luiz Valenzuela.[3] Foi vencida pelo Vasco da Gama. Foi a primeira conquista obtida por um time de futebol brasileiro (clube ou seleção) atuando no exterior.[4] Antes da criação da Copa Libertadores em 1960 (cuja criação foi anunciada em outubro de 1958),[5] [6] [7] [8] o Campeonato Sul-Americano de Campeões foi a única competição de clubes realizada com o objetivo de indicar o campeão sul-americano, conforme comprovam os jornais da época, que em 1948 trataram o Vasco como campeão sul-americano.[9] [10] [11] [12] [13] [14] [15] [16] [17] [18] [19] [20]

O torneio não foi organizado diretamente pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), que à época não organizava competições de clubes (a primeira tendo sido a Copa Libertadores, iniciada em 1960), portanto a competição de 1948 não consta da lista de competições oficiais da Conmebol, que inclui apenas as competições organizadas diretamente pela mesma.[21] [22] [23] Isso, pois até maio de 1955 a posição de instituições como FIFA, CONMEBOL e UEFA era organizar diretamente apenas competições de seleções, não de clubes.[24] No entanto, o Campeonato Sul-Americano de Campeões foi organizado com apoio e participação do então presidente da Conmebol, o chileno Luiz Valenzuela,[3] [25] [26] e desde 1996 é reconhecido pela Conmebol como o torneio precursor da Copa Libertadores, através de decisão do Comitê Executivo,[27] que é o órgão da Conmebol com competência estatutária para o reconhecimento de competições sul-americanas.[28] Em função de seu título de 1948, o Vasco participou da Supercopa de 1997, competição oficial da Conmebol reservada aos campeões da Copa Libertadores.[29] [30] [31] [32]

A competição[editar | editar código-fonte]

O Vasco foi convidado a participar da competição em 18 de dezembro de 1947.[33] O torneio teve elementos em comum com a primeira edição da Libertadores, disputada em 1960: sete países sul-americanos, cada um representado por um clube, que era o vigente campeão (no caso peruano, o vice) da principal competição de clubes de cada país na época. O objetivo do Colo Colo era fazer um torneio que indicasse o campeão sul-americano, conforme mostrado pelo nome oficial do torneio em espanhol, Campeonato Sudamericano de Campeones (bastante semelhante ao nome original da Copa Libertadores de 1960 a 1965: Copa de Campeones de América), pelo critério que embasou os convites (contar com o clube campeão vigente da competição mais importante de cada país, o mesmo critério das edições de 1960 a 1965 da Copa Libertadores), e pelos jornais da época, que confirmam que o Vasco da Gama foi saudado em 1948 como campeão sul-americano,[9] [10] [11] [12] [13] [15] [16] [17] [18] [19] [20] [34] um título que, ao longo da história, só seria aplicado a uma outra competição, a Copa Libertadores. Não só no Brasil e no Chile, mas também na Argentina, os jornais da época trataram a competição como o Campeonato dos Campeões Sul-Americanos,[35] que daria a "honra de ser o campeão dos campeões",[36] com a imprensa argentina destacando o extraordinário interesse despertado pelo jogo entre River Plate e Vasco, dizendo que a partida teria contornos dramáticos porque o River Plate precisava ganhar a partida para manter as esperanças de título.[37]

Matéria publicada no site da FIFA confirma que o objetivo do Colo Colo em organizar o torneio era indicar o campeão sul-americano.[38] O modelo da competição de 1948, um torneio entre os clubes vigentemente campeões da competição de clubes mais importante de cada país sul-americano, foi o modelo proposto em setembro e outubro de 1958 por José Ramos de Freitas (então presidente da CONMEBOL) e João Havelange (então presidente da CBD) para a criação da Copa dos Campeões da América, mais tarde chamada de Copa Libertadores,[5] [6] [7] [8] [39] e que foi o modelo adotado nas primeiras edições da Libertadores (1960-1965)

Além de Chile e Brasil, a competição teve na sua época grande impacto na Argentina, no Uruguai (o Globo Sportivo de 26 de março de 1948 afirma que, em virtude do título sul-americano recém-conquistado, o Vasco era o clube estrangeiro mais popular em Buenos Aires e Montevidéu)[40] e na Colômbia,[41] sendo até hoje considerada nestes países como uma versão da Copa Libertadores, assim considerada em Argentina,[42] [43] Uruguai,[44] Chile[45] Equador,[46] e Peru.[47] Fora da América do Sul, em 1950 o Campeonato Sul-Americano de Campeões foi considerado na Itália como um inspirador do "Torneio Internacional dos Campeões" (Copa Rio Internacional),[48] [49] e em 1949 o título vascaíno na competição foi considerado na Espanha como um prenúncio da força brasileira na Copa do Mundo de 1950.[50] Demonstrando sua importância, os troféus da competição (Trofeo America del Sur e Trofeo Peron) foram entregues à delegação vascaína pelos então Presidentes chileno e argentino, Gabriel González Videla e Juan Domingo Perón.[51] [52] [53] Segundo o historiador chileno Sebastián Salinas, em depoimento à reportagem do GloboEsporte, a competição inspirou a criação não só da Copa Libertadores mas também da Copa dos Campeões da Europa, através dum jornalista francês que cobriu a competição em Santiago e, empolgado com a idéia dum torneio continental de clubes, levou a idéia à Europa.[54] O documento da UEFA sobre a história da Copa dos Campeões da Europa confirma que Jacques Ferran e o L'Equipe (jornalista e jornal franceses) foram os idealizadores da competição continental europeia.[55] A imprensa brasileira, quando do título vascaíno em 1948, o tratou como a maior conquista do futebol brasileiro até então.[56] Em 28/06/1951, o Jornal dos Sports comentou o início da Copa Rio Internacional como o primeiro torneio de clubes de abrangência mundial, listou as competições de clubes que até então haviam tido relevância como torneios continentais (Mitropa Cup, Campeonato Sul-Americano de Campeões, Copa Latina, Torneio da Exposição Internacional de Paris vencido pelo Bologna), e considerou o Campeonato Sul-Americano de Campeões de 1948 como o torneio internacional mais importante do mundo entre os já realizados de alcance continental.[57] O Jornal dos Sports de 17/03/1948 qualificou como "apoteótico" o retorno da delegação vascaína ao Brasil, que ao desembarcar foi acompanhada por "incalculável multidão" ao longo de todo o seu percurso.[58]

Participantes: Cada participante do torneio era o campeão (no caso peruano, o vice) da competição de futebol de clubes que era então considerada a mais importante de seu país,[59] [60] sendo que os países que tiveram representantes na competição venceriam todas as edições da Copa Libertadores de 1960 até 1978 e 90% das Libertadores disputadas até hoje.[61]

A única recusa/desistência confirmada na competição foi a do campeão peruano Atlético Chalaco, que declinou o convite para participar porque muitos de seus jogadores estavam lesionados, dando a vaga ao vice-campeão peruano, o Municipal.[62]

Chile, Argentina e Uruguai foram representados pelos seus então campeões nacionais (1947): Colo Colo, River Plate e Nacional.

O Brasil foi representado pelo Vasco da Gama, que era então Campeão Carioca (1947); isso, pois na época não existia o Campeonato Brasileiro, e o Campeonato Carioca era considerado o principal do país, uma vez que o Rio de Janeiro (então capital do Brasil/ Distrito Federal) era o então tricampeão do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais (1943-44-46),[63] sendo o Vasco campeão carioca e base da Seleção Brasileira. Tal era a preponderância do Rio de Janeiro no futebol brasileiro da época, que o campeão carioca era por vezes tratado na imprensa estrangeira como sendo o campeão do Brasil.[64]

A Bolívia foi representada pelo Litoral, campeão da capital La Paz. Não existia ainda o Campeonato Boliviano, que só seria criado anos depois, e até 1953 o campeão de La Paz era considerado o campeão boliviano.[65]

O Equador foi representado pelo Emelec, campeão de Guayas (região de Guayaquil). Isso, pois não existia ainda o Campeonato Equatoriano (que só seria criado em 1957), havendo porém duas ligas regionais no Equador: Guayas (Guayaquil) e Pichincha (Quito).[66] Foi escolhido o Emelec (então campeão de Guayas) porque, no ano anterior (1947), este  clube havia representado o Equador na Copa América, realizada naquele país: todos os jogos daquela Copa América (1947) foram realizados no estádio do Emelec, o Estádio George Capwell,[67]   e a seleção equatoriana que disputou a Copa América de 1947 tinha oito jogadores do Emelec.[68]

A competição não contou com representantes da Venezuela (que na época sequer era filiada à CONMEBOL, se filiaria apenas em 1952, e que não teria representantes nas primeiras edições da Copa Libertadores), do México (que não é um país sul-americano e que apenas a partir de 1998 disputaria a Copa Libertadores), da Colômbia (que depois de 1919 organizaria novamente uma competição de clubes apenas em Agosto de 1948, portanto depois do Campeonato Sul-Americano de Campeões, que foi em fevereiro de 1948)[69] e do Paraguai (não há explicação definitiva sobre a razão da ausência de um representante do Paraguai: cogitou-se que a razão seria a Guerra Civil Paraguaia de 1947, que interrompeu e atrasou o Campeonato Paraguaio daquele ano, porém o campeão paraguaio de 1947, o Olimpia, viajou para o Chile em janeiro de 1948, mas para disputar um quadrangular internacional amistoso, não para disputar o Campeonato Sul-Americano de Campeões).[70]

Equipe Qualificação
Argentina River Plate Campeão argentino de 1947
Bolívia Litoral Campeão de La Paz de 1947 [71]
Brasil Vasco da Gama Campeão do Rio de Janeiro em 1947 [72]
Chile Colo-Colo Campeão chileno de 1947
Equador Emelec Campeão de Guayaquil em 1946 [73]
Peru Municipal Vice-campeão peruano de 1947 [74]
Uruguai Nacional Campeão uruguaio de 1947
Colômbia Sem representante [75] [76] [77]
Venezuela Sem representante [78]
Paraguai Sem representante [79]
México Sem representante [80]

Tabela[editar | editar código-fonte]

Todos os jogos no Estadio Nacional de Chile, Santiago, tendo a competição sido realizada no sistema de "todos contra todos" em turno único.

Cronologia dos jogos
11/02/1948 CSD Colo-Colo 2 – 2 CS Emelec
14/02/1948 CR Vasco da Gama 2 – 1 CD Lítoral Lelé 8', 68'; Sandoval 69'
14/02/1948 C. Nacional de F. 3 – 2 Deportivo Municipal
18/02/1948 CA River Plate 4 – 0 CS Emelec
18/02/1948 CR Vasco da Gama 4 – 1 C. Nacional de F. Ademir 11', Maneca 68', Danilo 70', Friaça 89'; Walter Gómez 25'
21/02/1948 CA River Plate 2 – 0 Deportivo Municipal
21/02/1948 CSD Colo-Colo 4 – 2 CD Lítoral
25/02/1948 C. Nacional de F. 3 – 1 CD Lítoral
25/02/1948 CR Vasco da Gama 4 – 0 Deportivo Municipal Lelé 12', Friaça 57', 65', Ismael 61'
28/02/1948 CR Vasco da Gama 1 – 0 CS Emelec Ismael 46'
28/02/1948 Deportivo Municipal 3 – 1 CSD Colo-Colo
03/03/1948 CD Lítoral 3 – 1 CS Emelec
03/03/1948 C. Nacional de F. 3 – 0 CA River Plate
08/03/1948 Deportivo Municipal 4 – 0 CS Emelec
08/03/1948 CSD Colo-Colo 1 – 1 CR Vasco da Gama Farías 46'; Friaça 67'
09/03/1948 CA River Plate 5 – 1 CD Lítoral Di Stéfano (x3), Moreno, Loustau; Capparelli
09/03/1948 CSD Colo-Colo 3 – 2 C. Nacional de F.
14/03/1948 C. Nacional de F. 4 – 1 CS Emelec
14/03/1948 CR Vasco da Gama 0 – 0 CA River Plate
17/03/1948 Deportivo Municipal 3 – 1 CD Lítoral
17/03/1948 CA River Plate 1 – 0 CSD Colo-Colo

Classificação final[editar | editar código-fonte]

Expresso da Vitória campeão invicto sobre o argentino River Plate, tornando-se o primeiro campeão das Américas.
Pos. Clube J V – E – D Gols Pontos
CR Vasco da Gama 6 4 – 2 – 0 12-03 10 – 02
CA River Plate 6 4 – 1 – 1 12-04 09 – 03
C. Nacional de F. 6 4 – 0 – 2 16-11 08 – 04
Deportivo Municipal 6 3 – 0 – 3 12-11 06 – 06
CSD Colo-Colo 6 2 – 2 – 2 11-11 06 – 06
CD Lítoral 6 1 – 0 – 5 09-18 02 – 10
CS Emelec 6 0 – 1 – 5 04-18 01 – 11

Reconhecimento da Conmebol ao título como precursor da Copa Libertadores da América[editar | editar código-fonte]

Após vencer o Campeonato Sul-Americano de Campeões, o Vasco da Gama sempre se considerou o primeiro campeão sul-americano de clubes. Por exemplo, o Jornal do Brasil de 14 de março de 1990 (seis anos antes do reconhecimento que a Conmebol daria ao título, em 1996) cobre a estréia do Vasco na Copa Libertadores daquele ano, e traz a matéria "Vasco quer repetir título de 1948".[81] Porém, o clube não havia solicitado reconhecimento da Conmebol ao título antes de 1996. Apesar de não ter sido organizada diretamente pela CONMEBOL, a competição de 1948 foi apoiada pelo então presidente da dita entidade, o chileno Luiz Valenzuela,[25] conforme confirmado pela própria CONMEBOL.[26]

No início dos anos 1990, a Conmebol lançou um livro, 30 Anõs de Pasión Y Fiesta, que contava a história da Copa Libertadores[82] [83] e que afirmava que a competição de 1948 havia sido a antecedente da mesma. Sobre o Campeonato Sul-Americano de 1948, o livro dizia:

En 1929, los dirigentes de Nacional de Montevideo Roberto Espil y José Usera Bermúdez idearon una competencia. El mismo Espil en 1946, analizando las distancias y la distribución geográfica, incluyó a los subcampeones en el proyecto. Sin embargo fueron los chilenos los primeros en llevarlo a la práctica. Don Robinson Alvarez Marín, dirigente del Colo Colo, fue quien pergeño la idea, a fines de la década del '30. En 1948, con Don Luis Valenzuela como presidente de la Confederación, se jugó el antecedente más concreto y orgánico: la Copa de Campeones. Fue en Santiago de Chile, durante febrero y marzo de ese año, con los vencedores de la temporada anterior en cada país. La ganó Vasco da Gama de Río (Brasil) y participaron también River Plate (Buenos Aires, Argentina), Nacional (Montevideo, Uruguay), Colo Colo (Santiago, Chile), Emelec (Guayaquil, Ecuador), Litoral (La Paz, Bolivia) y Deportivo Municipal (Lima, Perú).

Em 1996, com base neste livro, o Vasco da Gama solicitou à Conmebol que o reconhecesse oficialmente como o primeiro clube campeão sul-americano, permitindo-lhe participar da Supercopa Libertadores, competição da qual participavam apenas os campeões da Copa Libertadores. O pedido vascaíno foi aceito pelo Comitê Executivo da Conmebol em sua reunião de 29/04/1996 e o Vasco da Gama participou da Supercopa em 1997.[31] [32] [84] [85] [86] [87] O reconhecimento da CONMEBOL ao torneio foi publicado no site[27] que a entidade usava na época e também em um informe de imprensa[88] [89] sobre as decisões desta reunião do Comitê Executivo da entidade, que é o órgão da Conmebol com competência estatutária para o reconhecimento de competições sul-americanas.[28] :

El tradicional club Vasco Da Gama, de Río de Janeiro, por conducto de la Confederación Brasileña de Fútbol, solicitó participar anualmente en la Supercopa "Joâo Havelange". El pedido se basó en que esta entidad se había adjudicado, en 1948, el primer torneo sudamericano de clubes campeones, celebrado en Santiago, Chile. El Comité Ejecutivo, tras analizar la petición, resolvió aceptarla en reconocimiento al logro deportivo y a su verdad histórica. En consecuencia, Vasco Da Gama intervendrá en la Supercopa desde 1997, con lo que ya sumarán 18 equipos.

Algumas fontes de imprensa equiparam o Campeonato Sul-Americano de Campeões à Copa Libertadores (jornalistas Juca Kfouri e Mauro Beting, Revista Placar, site RSSSF)[90] [91] [92] [93] [94] [95] , ou ranqueiam o Campeonato Sul-Americano de Campeões com pontuação bastante próxima à da Copa Libertadores e acima da pontuação das demais competições da Conmebol (site IFFHS).[96] A exceção, o único grande veículo de imprensa brasileiro que colocou o Campeonato Sul-Americano de Campeões de 1948 abaixo da Copa Libertadores foi o jornal Folha de S. Paulo, cujos Rankings de clubes equiparam o Campeonato Sul-Americano de 1948 a competições da Conmebol como a Copa Sul-Americana e as extintas Supercopa Sul-Americana, Copa Mercosul e Copa Conmebol.[97] [98] É importante observar que Botafogo, Atlético Mineiro, Rosário Central e Lanús, clubes que até 1997 (último ano da Supercopa) não venceram a Copa Libertadores mas que venceram a Copa Conmebol (a outra competição sul-americana de clubes da Conmebol anterior à 1997), não tiveram jamais o direito de participar da Supercopa Sul-Americana - esse direito foi dado somente aos campeões da Copa Libertadores e ao Vasco da Gama campeão do Campeonato Sul-Americano de Campeões de 1948. Observa-se também que os campeões da Copa Sul-Americana, da Supercopa Sul-Americana, da Copa Mercosul e da Copa Conmebol não eram chamados de campeões sul-americanos, forma como são chamados apenas os campeões da Copa Libertadores e como o Vasco da Gama foi chamado em 1948,[10] [11] [12] [13] inclusive pela própria Folha de S. Paulo, que em 1948 saudou o Vasco como campeão sul-americano.[11]

A Supercopa Libertadores foi disputada pela última vez em 1997. Em 2009, a Conmebol publicou um texto em seu site celebrando os 50 anos da aprovação da criação da Copa Libertadores pelo Congresso da entidade, confirmando que começou-se a trabalhar na criação da Libertadores em 1958 tendo como modelo o torneio de 1948.[99] Em 07 de fevereiro de 2012, foi noticiado que o Vasco da Gama solicitaria à Conmebol a oficialização do título de 1948 como sendo a primeira Libertadores.[100] Em 14 de março de 2012, houve uma reunião entre dirigentes do Vasco da Gama e o presidente da Conmebol, Nicolás Leoz. De acordo com o jornal Lance!, o Vasco da Gama pediu que o título de 1948 seja tratado como uma Libertadores [101] [102] , e segundo o GloboEsporte, o Vasco esclareceu que não se trata de pedir que o título seja tratado como uma Libertadores, mas sim materializar de outras formas o reconhecimento dado em 1996 e 1997.[103] Segundo ambos os veículos de imprensa, o Vasco da Gama solicitou à Conmebol a inclusão da competição de 1948 no site da entidade e a inclusão de uma placa referente a esta conquista entre as placas presentes no troféu da Copa Libertadores, cuja base possui placas fazendo referência a cada edição da competição, sendo que os pedidos vascaínos seriam analisados pelo Comitê Executivo da entidade.

Em fevereiro de 2013, a Conmebol atendeu ao primeiro dos 2 pedidos vascaínos (a inclusão da competição no site da entidade): a entidade voltou a reformular seu web-site, e voltou a confirmar o Campeonato Sul-Americano de Campeões de 1948 como o precursor da Copa Libertadores, conforme constante no web-site da Conmebol. Confirmando que o torneio de 1948 não foi um torneio sul-americano secundário mas sim uma competição precursora da Copa Libertadores, a citação no site da Conmebol foi colocada na parte do site que trata especificamente da história da Copa Libertadores.[104] [105] [106]

O site da FIFA também trata o Campeonato Sul-Americano de Campeões como o precursor da Copa Libertadores: Who was the best club side in South America? It had long caused intense intrigue across the continent. The debate would finally be ended 65 years ago to this day. The Campeonato Sudamericano de Campeones – a precursor to the Copa Libertadores – unfolded in Santiago, Chile as a round-robin tournament featuring the supposed best team from seven different countries..[38] A página do Vasco da Gama no site da FIFA trata o Campeonato Sul-Americano de Campeões como reconhecido pela CONMEBOL como precursor da Copa Libertadores,[107] e a página do Colo Colo no site da FIFA diz que em 1948 o clube chileno organizou a competição que mais tarde se tornaria a Copa Libertadores da América.[108]

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. Contrariamente ao divulgado por diversas fontes, a competição não foi organizada diretamente pela Conmebol
  2. História do Colo Colo, no site oficial, com citação à organização do Campeonato Sul-Americano de Campeões.
  3. a b Jornal dos Sports. Edição 5675, de 22/02/1948, páginas 1 e 6, confirmando que o então presidente da Conmebol. Luiz Valenzuela, participou da organização do certame junto ao  Colo Colo. Acervo on-line. Memória Bn. Biblioteca Nacional.
  4. Jornal do Brasil, 14/03/1990, página 22.
  5. a b Jornal espanhol El Mundo Deportivo, 9 de outubro de 1958, pág. 04.
  6. a b Jornal ABC Madrid, 9 de outubro de 1958, página 58.
  7. a b Jornal do Brasil, 09/10/1958, página 2 do 2º caderno.
  8. a b Jornal O Estado de S. Paulo, 9 de outubro de 1958, página 19.
  9. a b Jornal Diário de Notícias, edição 7810, 11 de abril de 1948, chamando o Vasco de campeão dos campeões sul-americanos.
  10. a b c Jornal O Estado de S. Paulo, 21/05/1948, pág 11
  11. a b c d Jornal Folha da Manhã (antigo nome da Folha de S. Paulo) de 16/03/1948 (1º caderno, página 7), chamando o Vasco de campeão sul-americano pela conquista no Chile
  12. a b c Jornal do Brasil de 19/03/1948, página 9: Saudação do Palmeiras ao Vasco, felicitando-o pela conquista do título de Campeão dos Campeões da América do Sul.
  13. a b c Jornal O Globo Sportivo, 19 de março de 1948, edição 495, páginas 8 e 9: "O Vasco sagrou-se campeão invicto dos campeões sul-americanos.". Acesso através do acervo on-line da Biblioteca Nacional.
  14. Jornal Mundo Esportivo, 18 de março de 1948 (página 7). Acesso através do acervo on-line da Biblioteca Nacional, edição 82.
  15. a b Correio da Manhã, edição 16369, 16/03/1948, página 1.
  16. a b Jornal Sport Ilustrado, edição 520, 25/03/1948, páginas,1, 2 e 4.
  17. a b Diário da Noite, edição 4759, 21 de setembro de 1948, página 10.
  18. a b Diário Carioca, chamando o Vasco de Campeão dos Campeões Sul-Americanos em várias edições de 1948.
  19. a b Jornal dos Sports, edições de 1948, chamando o Vasco de Campeão dos Campeões Sul-Americanos. Edições de 5693 a 5700, de 14 a 23 de março de 1948.
  20. a b Jornal A Manhã, edição 2026, de 18 de março de 1948, página 12. "A FMF cumprimenta o Vasco da Gama" ... "sagrando-se Campeão dos Campeões da América do Sul."
  21. FIFA Quality Concept for Football (Page 18)
  22. Conmebol.com
  23. Ranking Conmebol
  24. 50 Years of the European Cup. Site da UEFA. Acesso em 04/02/2013, Ver declarações atribuídas a Jules Rimet (ex-presidente da FIFA), Rodolphe Seeldrayers (então presidente da FIFA) e Ebbe Schwartz (então presidente da UEFA).
  25. a b Livro "O Brasil na Taça Libertadores e no Mundial Interclubes", de Antônio Carlos Napoleão. Rio de Janeiro: Editora Mauad, 1999. ISBN 85-7478-001-4. Página 9.
  26. a b História da Copa Libertadores, no site da Conmebol, sobre o torneio de 1948: "El chileno Luis Valenzuela, presidente de la Federación de Chile desde 1937 y de CSF desde el 15 de enero de 1939, fue quien hizo realidad esos anhelos". Tradução dada na versão em português do site: "O chileno Luis Valenzuela, presidente da Federação do Chile desde 1937 e da CSF desde 15 de janeiro de 1939, foi quem tornou esses sonhos em realidade". Acesso em 24/04/2013.
  27. a b Nota, no antigo site da Conmebol, sobre a aceitação da participação do Vasco da Gama na Supercopa de 1997: El tradicional club Vasco Da Gama, de Río de Janeiro, por conducto de la Confederación Brasileña de Fútbol, solicitó participar anualmente en la Supercopa "Joâo Havelange". El pedido se basó en que esta entidad se había adjudicado, en 1948, el primer torneo sudamericano de clubes campeones, celebrado en Santiago, Chile. El Comité Ejecutivo, tras analizar la petición, resolvió aceptarla en reconocimiento al logro deportivo y a su verdad histórica. En consecuencia, Vasco Da Gama intervendrá en la Supercopa desde 1997, con lo que ya sumarán 18 equipos.
  28. a b Estatuto da Conmebol. Artigo 60: 1. La CONMEBOL, a través de su Comité Ejecutivo, tiene la facultad exclusiva para crear, aprobar, reconocer, modificar, eliminar, organizar y dirigir partidos, competiciones y torneos internacionales en Sudamérica en los que participen las selecciones nacionales de las asociaciones miembro o los clubes afiliados a éstas.
  29. História da Copa Libertadores no site da Conmebol. Acesso em 24 de fevereiro de 2013
  30. História da Copa Libertadores, no site da Conmebol. Acesso em 12/03/2013.
  31. a b Jornal O Estado de S. Paulo de 01/05/1996, dando conta da aceitação do Vasco na Supercopa.
  32. a b Supercopa dos Campeões da Libertadores
  33. Jornal do Brasil, de 19/12/1947
  34. Jornal Mundo Esportivo, 18 de março de 1948 (página 7). Acesso através do acervo on-line da Biblioteca Nacional, edição catalogada neste acervo como edição 82 do Mundo Esportivo.
  35. Jornal argentino El Litoral, quarta-feira, 03 de março de 1948, página 07.
  36. Jornal argentino El Litoral, Sábado, 13 de Março de 1948, página 5.
  37. Jornal argentino El Litoral, domingo, 14 de Março de 1948, página 6.
  38. a b FIFA.com: Barbosa-inspired Vasco become the maiden kings. Publicado: 14/03/2013. Acesso: 07/05/2013.
  39. Jornal O Estado de S. Paulo 28 de setembro de 1958 página 35.
  40. O Globo Sportivo de 26 de março de 1948 (edição 496), páginas 7 e 8. "Vasco, campeão continental de popularidade."
  41. Jornal colombiano El Tiempo, 20/03/1948, página 15. O jornal cobriu a competição ao longo de várias de suas edições.
  42. Perfil.com (Argentina): Hace 60 años, River perdía la gran chance de ser el primer club campeón de América Artigo de Esteban Bekerman, 14/03/2008.
  43. Site Tu River, de torcedores do River Plate. Historia de River en la Copa Libertadores (07/04/2009). Acesso em 06/03/2015. Texto: 1948. A iniciativa de Colo Colo, en el verano de 1948 se realizó en Santiago una Copa de Campeones que reunía a los ganadores de 1947 en distintos países de Sudamérica. Este torneo no fue una Copa Libertadores, pero fue reconocido como antecedente de esa competencia por la Conmebol y nosotros haremos lo mismo.... Debía vencer a los campeones de Rio de Janeiro para tener la chance de consagrarse campeones de América en la siguiente fecha, con la campaña de los brasileños concluida.... A River le quedaba un partido, y el triunfo 1-0 ante el anfitrión Colo Colo le permitió obtener su primer subcampeonato continental.
  44. Arquivo PDF do boletim oficial do Clube Nacional de Football (Uruguai). Publicação de junho de 2007. Revista número 32.
  45. Site Oficial do Colo Colo (Chile).
  46. Site Emelexista, de torcedores do Emelec, 27/06/2006, texto "El orgullo y las razones para ser emelecista". Segundo o texto: Primer equipo ecuatoriano en jugar un torneo oficial internacional interclubes en Sudamérica. En 1948 jugó la Copa de Campeones en Chile. Fue un torneo considerado el génesis de la Copa Libertadores que reunió los equipos campeones de toda la órbita sudamericana.
  47. Site do Club Municipal do Peru. Sul-Americano de Campeões de 1948 é citado como antecessor da Libertadores na parte que fala da história do clube.
  48. OBS: Acesse 1º essa fonte Acervo do La Stampa: depois as fontes seguintes
  49. Jornal italiano La Stampa: In Brasile un torneo tipo Coppa Latina?, 15-16/07/1950 - página: 5
  50. Jornal espanhol ABC Madrid, 12 de Outubro de 1949, página 32.
  51. Jornal dos Sports. Edição 5695, de 17/03/1948, confirmando que a entrega da taça aos vascaínos foi feita pelo então presidente chileno Gonzalez Videla. Memória Bn, da Biblioteca Nacional.
  52. Jornal dos Sports, edições 5668 (de 14/01/1948, página 1) e 5695 (de 17/03/1948, página 4), comprovando que um dos troféus recebidos pelo Vasco em função do título foi oferecido pelo Presidente Perón da Argentina.
  53. Jornal Vascaíno: Especial Sul-Americano 1948
  54. Reportagem do GloboEsporte, reproduzida na matéria "Título sul-americano completa 60 anos" de 14/03/2008 do GloboEsporte.com
  55. UEFA: 50 Years of the European Cup
  56. Site Palestrinos, sobre a Copa Rio de 1951: ver matéria "O Maior Título do Futebol Brasileiro."
  57. Jornal dos Sports, edição 6698, de 28/06/1951, página 5.
  58. Jornal dos Sports. Edição 5695, de 17/03/1948. Memória Bn, da Biblioteca Nacional.
  59. Lista de participantes, site RSSSF
  60. Lista de participantes, em matéria do Jornal do Brasil de 14/02/1948, página 9
  61. RSSSF: Copa Libertadores da América
  62. Segundo o Jornal dos Sports de 15/02/1948 (páginas 7 e 8, disponível no site Memoria Bn da Biblioteca Nacional), o Atlético Chalaco declinou o convite porque estava com muitos jogadores contundidos.
  63. RSSSF: Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais.
  64. Jornal ABC Madrid, 17 de Fevereiro de 1951, página 28. Refere-se ao Vasco da Gama (campeão carioca de 1950) como campeão do Brasil.
  65. RSSSF: História do Campeonato Boliviano.
  66. RSSSF: Sobre a evolução do futebol no Equador.
  67. História do Emelec. Site Oficial. Em 1947 a equipe do Emelec representou a seleção equatoriana na Copa América, tendo todos os jogos daquela competição sido jogados no estádio do clube, o Estádio George Capwell.
  68. Segundo o Jornal dos Sports de 15/02/1948 (páginas 7 e 8, disponível no site Memoria Bn da Biblioteca Nacional), o Emelec tinha 8 jogadores na seleção equatoriana que disputou a Copa América de 1947.
  69. RSSSF: História do Futebol Colombiano.
  70. O Paraguai não contou com representante na competição. Não há explicação conhecida sobre a ausência de um representante paraguaio na competição. Uma possível explicação é fato do país ter estado em Guerra Civil no ano de 1947, o que chegou a interromper a liga de futebol daquele ano, conforme afirmado no livro 80 Años de Fútbol en el Paraguay, de Miguel Ángel Bestard. Por outro lado, o jornal O Estado de S. Paulo de 16 de janeiro de 1948 afirma que o campeão paraguaio de 1947, o Olimpia, viajou para o Chile em janeiro de 1948, mas para disputar um quadrangular internacional amistoso, não para disputar o Campeonato Sul-Americano de Campeões.
  71. Não havia competição de futebol de alcance nacional na Bolívia em 1947. O Campeonato Nacional Boliviano seria criado apenas posteriormente.
  72. Não havia campeonato nacional de futebol de clubes no Brasil em 1947, e o Vasco da Gama foi indicado à competição (indicado ao organizador Colo Colo) pela Confederação Brasileira de Desportos, CBD, na condição de campeão do Rio de Janeiro de 1947, pois o Rio de Janeiro possuía a liga então considerada a melhor do país, pois havia sido campeão dos então 3 últimos campeonatos nacionais de seleções estaduais
  73. Equipe convidada, por haver sido considerada a melhor do Equador. O Emelec foi o campeão de Guayaquil de 1946, não tendo havido o Campeonato de Guayaquil em 1947, vindo a ser jogado novamente em 1948, também vencido pelo Emelec, e substituído pelo Campeonato Equatoriano de Futebol em 1957, em sua primeira edição também vencido pelo Emelec. Em 1947 a equipe do Emelec representou a seleção equatoriana na Copa América, tendo todos os jogos daquela competição sido jogados no estádio do clube, o Estádio George Capwell. Segundo o Jornal dos Sports de 15/02/1948 (páginas 7 e 8, disponível no site Memoria Bn da Biblioteca Nacional), o Emelec tinha 8 jogadores na seleção equatoriana que disputou a Copa América de 1947..
  74. O campeão peruano de 1947, Atlético Chalaco, declinou o convite para participar da competição. Segundo o Jornal dos Sports de 15/02/1948 (páginas 7 e 8, disponível no site Memoria Bn da Biblioteca Nacional), o Atlético Chalaco declinou o convite porque estava com muitos jogadores contundidos.
  75. Conforme o RSSSF e o site oficial da liga daquele país, o Campeonato Colombiano seria criado apenas em julho de 1948, com sua primeira partida disputada em agosto de 1948, portanto posteriormente ao Campeonato Sul-Americano de Campeões, realizado no início de 1948 (fevereiro/março) com a paticipação dos clubes campeões de 1947.
  76. RSSSF: História do futebol colombiano
  77. Vale observar que, logo após sua fundação em julho/agosto de 1948, a Liga Colombiana foi considerada uma "liga pirata", não-reconhecida pela FIFA, pois a Colômbia foi desfiliada pela FIFA por não respeitar a Lei Internacional do Passe. Isso, pois os clubes colombianos contratavam jogadores estrangeiros, sobretudo argentinos, sem pagamento ao clube de origem. Apenas em 1951 a situação foi resolvida, a Colômbia readmitida à FIFA e a sua liga voltou a ser considerada uma liga legítima.
  78. A Venezuela se integrou à Conmebol em 1952, e não participou nem do Campeonato Sul-Americano de 1948 nem das 4 primeiras edições da Copa Libertadores, de 1960 a 1963. Como se integrou à Conmebol em 1952, ou seja, posteriormente a 1948, a Venezuela não teria podido enviar representante ao torneio de 1948 mesmo se ele tivesse sido organizado pela Conmebol.
  79. Não contou com representante na competição. Não há explicação conhecida sobre a ausência de um representante paraguaio na competição. Uma possível explicação é fato do país ter estado em Guerra Civil no ano de 1947, o que chegou a interromper a liga de futebol daquele ano, conforme afirmado no livro 80 Años de Fútbol en el Paraguay, de Miguel Ángel Bestard. Por outro lado, o jornal O Estado de S. Paulo de 16 de janeiro de 1948 afirma que o campeão paraguaio de 1947, o Olimpia, viajou para o Chile em janeiro de 1948, mas para disputar um quadrangular internacional amistoso, não para disputar o Campeonato Sul-Americano de Campeões.
  80. O México não é um país sul-americano e só passaria a participar das competições sul-americanas a partir do ano de 1998.
  81. Jornal do Brasil 14/03/1990 "Vasco quer repetir título de 1948"
  82. Livro 30 Años de Pasión y Fiesta, transcrito em Qué es la Libertadores?, no blog do argentino José Carluccio.
  83. Publicações da Conmebol sobre a história da Copa Libertadores
  84. O reconhecimento é confirmado também pela página referente ao Vasco da Gama nas páginas "Clube Clássico" no site da FIFA.
  85. Deve-se observar, contudo, que as páginas "Clube Clássico" do site da FIFA não representam necessariamente a posição oficial desta entidade. Segundo a própria FIFA: "A lista de clubes ou as opiniões expressadas nos artigos não representam necessariamente as opiniões da FIFA, a não ser que isto esteja expressamente especificado".
  86. Matérias "Vingança Fora dos Planos do Vasco" (30/10/1997), "Vasco enfrenta River Plate pela Supercopa" (24/09/1997), "Vasco homenageia os campeões de 1948 antes da estréia na Supercopa" (21/06/1997) e "Vasco estréia na Supercopa contra Peñarol e com festa" (20/06/1997), do Jornal O Globo
  87. Matéria do Jornal do Brasil de 21/06/1997 sobre a participação do Vasco da Gama na Supercopa, página 25
  88. Cópia do Informe à Imprensa da Conmebol de 29 de abril de 1996, no site Casaca!
  89. Cópia do Informe à Imprensa da Conmebol de 29/04/1996, autorizando a participação do Vasco da Gama na Supercopa de 1997.
  90. Blog do Juca Kfouri: "A Volta da Velha Rivalidade Sadia." (12/11/2007). Acesso: 14/03/2013.
  91. Blog do Juca Kfouri: "Os brasileiros em suas primeiras decisões da Libertadores" (23/06/2012).Acesso: 14/03/2013.
  92. Blog do Juca Kfouri: "Um Expresso, sem favor" (28/05/2010).Acesso: 14/03/2013.
  93. Revista Placar: Ranking (02/02/2011).Acesso: 14/03/2013.
  94. Blog do Mauro Beting: Vasco Concentrado (08/02/2012).Acesso: 14/03/2013.
  95. Ranking "The Best Club of South America, da RSSSF. Acesso: 14/03/2013.
  96. Ranking "South America's Club of the Century", do IFFHS. Acesso: 14/03/2013.
  97. Ranking Folha de S. Paulo. Ranking Nacional. Acesso: 14/03/2013.
  98. Ranking Folha de S. Paulo. Ranking Mundial. Acesso: 14/03/2013.
  99. Antigo Site da Conmebol (arquivo recuperado pelo Web archive), 08 de março de 2009.
  100. Notícia no Globo Esporte
  101. Notícia Lance!
  102. Notícia Lance
  103. Notícia Globo Esporte
  104. História da Copa Libertadores no site da Conmebol, versão em Espanhol.
  105. História da Copa Libertadores no site da Conmebol, versão em Português.
  106. História da Copa Libertadores no site da Conmebol, versão em Inglês.
  107. FIFA Club Classic: Vasco da Gama. Acesso em 25/02/2015
  108. FIFA Club Classic: Colo Colo. Acesso em 25/02/2015

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Cobertura do Jornal do Brasil á competição, em 1948.

  • Saudação do Palmeiras ao Vasco Campeão dos Campeões da América do Sul, página 9 [1] 19/03/1948
  • A Vitória do Vasco no Campeonato dos Campeões Sul-Americanos de Futebol, página 9 [2] 18/03/1948
  • O River Plate sagrou-se vice-campeão, página 9 [3] 20/03/1948
  • Segue hoje para o Chile a delegação do Vasco da Gama, página 9 [4] 07/02/1948
  • Em disputa o Torneio dos Campeões, página 9 [5] 05/03/1948
  • Comentários sobre Vasco da Gama X El Litoral, página 11 [6] 17/02/1948
  • Vasco jogará com o Municipal de Lima, página 10 [7] 25/02/1948
  • Magnífica vitória do campeão carioca sobre o campeão uruguaio, página 09 [8] 19/02/1948
  • Comentários sobre as vitórias do campeão carioca, página 09 [9] 27/02/1948
  • Recebido Condignamente o Campeão dos Campeões, página 9,[10] 17/03/1948
  • Agradecimento do CR Vasco da Gama à imprensa, página 10 [11] 25/03/1948
  • O CR Vasco da Gama, campeão carioca, venceu o El Litoral, campeão da Bolívia, página 09 [12] 16/02/1948
  • Os campeões cariocas enfrentarão os campeões uruguaios, página 09 [13] 18/02/1948
  • River Plate só quer jogar com o C.R. Vasco da Gama no Chile , página 10 [14] 09/01/1948
  • Amanhã a estréia do Vasco da Gama, página 09 [15] 13/02/1948
  • Brilhante Vitória do CR Vasco da Gama, página 09 [16] 26/02/1948