Campeonato Sul-Americano de Futebol de 1926

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade(desde maio de 2012). Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
X Campeonato Sul-Americano
Chile 1926
Dados
Participantes 5
Organização CONMEBOL
Anfitrião Chile
Período 12 de outubro – 3 de novembro
Gol(o)s 55
Partidas 10
Média 5,5 gol(o)s por partida
Campeão Flag of Uruguay.svg Uruguai (6º título)
Vice-campeão Flag of Argentina.svg Argentina
Melhor marcador ChileCHI David Arellano – 7 gols
Melhor ataque (fase inicial) Flag of Uruguay.svg Uruguai – 17 gols
Melhor defesa (fase inicial) Flag of Uruguay.svg Uruguai – 2 gols
Maior goleada
(diferença)
Argentina Flag of Argentina.svg 8 – 0 Flag of Paraguay.svg Paraguai
Estadio Sport de ÑuñoaSantiago
20 de outubro
◄◄ 1925 Soccerball.svg 1927 ►►

O Campeonato Sul-Americano de Futebol de 1926 foi a 10ª edição da competição entre seleções da América do Sul. Participaram da disputa cinco seleções: Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai. A sede da competição foi no Chile. As seleções jogaram entre si em turno único. A Seleção Uruguaia foi a campeã. Novamente o Brasil não participou.

Problemas na federação tiraram o Brasil da edição de 1926 da Copa América, que teve cinco participantes. A Copa América, que chegava em sua décima edição, foi premiada com muitos gols pelos cinco países participantes. Realizado na cidade de Santiago, o torneio teve 55 gols em apenas 10 jogos, com a fantástica média de 5,5 gols por partida.

Além das presenças de sempre de chilenos, argentinos, uruguaios e paraguaios, a Bolívia fez a estreia no torneio e talvez por causa dela, a média de gols por partida tenha sido tão alta. Isso porque sofreram 24 gols em quatro partidas e voltaram para casa com a pior campanha da história da Copa América.

Todos os jogos foram em Santiago, no antigo Estádio Campos de Sport de Ñuñoa, onde alguns anos depois foi construído o Estádio Nacional de Santiago. Este sulamericano foi disputado em turno único e marcou a primeira participação da Bolívia na competição.

Em 12 de outubro, a Bolívia estreava na competição e não tem lembranças boas até hoje. O Chile era até o momento a pior seleção de todas com seguidas derrotas e nenhuma apresentação convincente nas poucas vitórias. Mas goleou a Bolívia por 7–1 diante de 12.000 torcedores. Já no primeiro tempo marcara quatro vezes. O juiz foi Norberto Gallieri da Argentina. O chileno David Arellano marcou quatro vezes nessa partida. Além disso, foi nesse jogo que ocorreu o primeiro gol olímpico em torneios sulamericanos.

Em 16 de outubro, a Bolívia voltava a campo para tomar mais uma goleada. A Argentina não quis saber de aliviar os novatos do torneio e goleou por 5x0. Novamente levando 4 gols ainda no primeiro tempo, a Bolívia era goleada em Santiago. 8.000 pessoas assistiram a partida que teve Aníbal Tejada do Uruguai como árbitro.

O Chile que era o líder pela primeira vez na história do Campeonato Sulamericano, voltou a campo contra o Uruguai no dia seguinte. Em 17 de Outubro. A equipe celeste venceu por 3x1 e estava agora empatada em número de pontos com a Argentina e o próprio Chile. 13.000 Chilenos viram a sua seleção perder novamente. O juiz foi Pedro José Malbrán, do Chile. Mas ao contrário da competição realizada no Brasil anos antes, o compatriota não aproveitou para ajudar a seleção de seu país.

No dia 20 de Outubro a Argentina goleou o Paraguai por 8x0. Uma goleada que a colocou na frente da competição com 4 pontos ganhos. Apenas 3.000 pessoas prestigiaram o jogo que teve Francisco Jiménez do Chile como árbitro. Sosa, marcou 4 gols, assim como o chileno David Arellano fez na partida contra a Bolívia na estreia.

Mas o Paraguai foi à forra três dias depois. Em 23 de outubro, diante de apenas 2.000 pessoas, a Bolívia sai na frente mas o Paraguai vira o jogo para 6x1. E mais um jogo de artilheiros. J. Ramirez marca quatro vezes assim como Sosa da Argentina e Arellano do Chile.

No dia seguinte, o jogo mais difícil da competição. Uruguai e Argentina jogaram para mais de 15.000 espectadores no Estádio Campos de Sport de Ñuñoa. O Uruguai venceu por 2x0 e impediu que a jogo para a Argentina e 2 para o Chile, Uruguai e Paraguai, a Bolívia era a única que já não tinha chances.

Uruguai e Argentina estavam empatados com 4 pontos e Chile e Paraguai em terceiro com 2. Mas no dia 28 de outubro, o Uruguai passa a Argentina ao vencer a fraca Bolívia por 6x0. Apenas 8.000 estiveram presentes, mas puderam ver Scarone quebrar a barreira dos quatro gols por partida que estava sendo comum neste Sulamericano. Marcando aos 9, 12, 28 e 39 do primeiro tempo, marcou o quinto gol na partida aos 34 do segundo tempo ao fechar a goleada.

Para ser campeão, o Uruguai precisaria apenas de um empate no seu próximo jogo ou que Argentina e Chile empatassem quando jogassem ou que o Paraguai não vencesse seus dois jogos restantes.

Passada uma semana, no dia 31 de Outubro entram em campo Chile e Argentina para a partida que decidiria o futuro dos dois. Também com pouco público, 8.000 presentes, as duas seleções jogavam suas chances na competição. Quem vencesse ainda teria a possibilidade de lutar pelo título, principalmente a Argentina, que precisava vencer e torcer para o Uruguai perder a próxima.

Com o juiz paraguaio Miguel Barba, o jogo terminou empatado em 1x1. A Argentina chegava aos 5 pontos e dava adeus ao torneio. Quanto ao Chile, ainda tinha mais uma partida, mas também só poderia chegar aos 5 pontos.

O Uruguai que estava com 6, poderia ser alcançado apenas pelo Paraguai. As duas equipes se enfrentaram no dia primeiro de Novembro. O resultado foi 6–1 para a seleção uruguaia que fez 3–0 no primeiro tempo. Doze mil pessoas estiveram presentes para ver o Uruguai ser Camepão pela sexta vez e ainda puderam assistir Castro fazer mais quatro gols em um único jogo.

Com um ataque arrasador, que marcou dezessete gols em quatro jogos, os uruguaios venceram todas as quatro partidas.

Terminando o torneio apenas para cumprir a tabela, dia 3 de novembro jogaram Chile e Paraguai com Anibal Tejada do Uruguai como juiz. A equipe chilena teve outra goleada a seu favor, venceram os paraguaios por 5–1 com mais três gols de Arellano, que foi o artilheiro do Sulamericano com ete gols, sendo quatro na Bolívia, na vitória por 7–0.

O Chile abriu a competição e a encerrou. Goleou na estreia e no fechamento, com seis mil chilenos assistindo o que foi a melhor participação da equipe chilena.[1].

Tabela[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. (em portugues) Brasileiras http://outraselecao.blogspot.com/2009/04/copa-america-todas-as-edicoes.html=Seleção Brasileiras Verifique valor |url= (ajuda). Consultado em 14 de fevereiro de 2012  Em falta ou vazio |título= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]