Campo Redondo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para o bairro fluminense, veja Campo Redondo (São Pedro da Aldeia).
Disambig grey.svg Nota: Para não confundir com, veja Camporredondo (distrito).
Município de Campo Redondo
Bandeira de Campo Redondo
Brasão de Campo Redondo
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 26 de março de 1963
Fundação Francisco Pacheco de Lima
Gentílico camporedondense
Prefeito(a) Alessandru Emmanuel Pinheiro e Alves (PROS)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Campo Redondo
Localização de Campo Redondo no Rio Grande do Norte
Campo Redondo está localizado em: Brasil
Campo Redondo
Localização de Campo Redondo no Brasil
06° 14' 34" S 36° 10' 58" O06° 14' 34" S 36° 10' 58" O
Unidade federativa Rio Grande do Norte
Região intermediária

Natal IBGE/2017[1]

Região imediata

Santa Cruz IBGE/2017[1]

Municípios limítrofes São Tomé e Lajes Pintadas (norte), Currais Novos (oeste), Santa Cruz (leste) e Coronel Ezequiel (sul)
Distância até a capital 135 km
Características geográficas
Área 213,729 km² [2]
Distritos Malhada Vermelha
População 10 427 hab. (RN: 65º) –  IBGE/2012[3]
Densidade 48,79 hab./km²
Altitude 471 m
Clima O município possui um clima do tipo semiárido com precipitação pluviométrica anual média de 711,2mm, período chuvoso de mar ço a maio, temperatura média anual em torno de 25,6ºC e umidade relativa média anual de 73%. Quanto à forma ção vegetal, o município possui Caatinga Hipoxerófila – Projeto Cadastro de Fontes de Abastecimento por Água Subterrânea Diagnóstico do Município de Campo Redondo-RN.(Fonte: IDEMA – 1999).
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,626 médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 40 183,078 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 3 723,07 IBGE/2008[5]

Campo Redondo é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Norte. De acordo com o censo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no ano 2000, sua população é de 9.201 habitantes. Em 2005, o mesmo órgão estimou a população em 9.108 hab. Área territorial de 238 km².

Limita-se com os municípios de São Tomé e Lajes Pintadas (norte), Currais Novos (oeste), Santa Cruz (leste) e Coronel Ezequiel (sul). Limita-se ainda com a Paraíba (sudoeste).

A padroeira da cidade de Campo Redondo é Nossa Senhora de Lourdes. A festa acontece no mês de Fevereiro, onde temos vários eventos culturais e shows. Outro evento tradicional no município é a festa da Emancipação Política, que acontece no mês de março. Este ano contamos com uma extensa agenda cultural e social, como apresentação de alunos do município, funcionários da saúde que ministraram palestras sobre temas diversos, corrida de jegue, atletismo, campeonatos de vôlei, futsal, entre outros.

A renda da população se dá através da agricultura (milho, feijão, maracujá, coco, caju, melancia, jerimum entre outros). A criação de gado, de ovelhas, cavalos também é de grande importância para os mesmos. O comércio - que se realiza aos Sábados no centro da cidade - também movimenta trabalhadores de outras cidades como: Santa Cruz, Currais Novos, Lajes Pintada.

A maioria dos jovens se concentram na zona rural, porém a maioria da população urbana é idosa. A cidade possui alguns pontos turísticos, como o letreiro e a ponte que foi levada na enchente de 1981.São pontos turísticos que deveriam ser explorados pelos turistas, mas infelizmente é esquecido até mesmo pela população local.

História[editar | editar código-fonte]

No ano de 1894, tornou-se pública a existência de uma fazenda de gado por nome Campo Redondo, situada na serra do Doutor, na região do Trairi de propriedade de Francisco José Pacheco. A família Pachêco comprou propriedades aqui e começaram a construção das primeiras casas. A primeira casa foi construída por Joaquim Borges de Oliveira, onde atualmente funciona a Farmácia Tradição Amarante. Portanto, a família Pachêco são os legítimos fundadores de Campo Redondo.

Por decisão do proprietário foi construído na fazenda uma capela em homenagem a Nossa Senhora de Lourdes, em 1917, para levar até a povoação a presença religiosa e por gratidão do sucesso obtido na plantação do algodão e o êxito das lavouras. A primeira criança batizada que foi batizada na capela foi Francisco Pachêco Filho.

Cinco anos depois, em 1922, Campo Redondo já tinha feira e uma rua única com trinta casas, começando a ganhar evidências de um pequeno povoado.

Em 1922, Campo Redondo já tinha uma feira e uma rua com trinta casas o que lhe dava aparência de povoado. A capela foi substituída por uma igreja maior em 1935 e três anos depois Campo Redondo foi elevado à condição de vila, passando a se chamar, oficialmente, Serra do Doutor, no dia 30 de dezembro de 1943. Logo depois voltou ao seu nome original, Campo Redondo. Com o crescimento da população foi construído um cemitério, lá no alto na margem direita da estrada de acesso a cidade de Coronel Ezequiel, antigo Melão, local este onde se encontra o antigo prédio do Banco do Brasil, mansão de Valtércio Anominondas e FM Vales das Serras.

Em 26 de março de 1963, pela Lei nº 2.855, desmembrou-se de Santa Cruz e tornou-se município com o nome de Campo Redondo.[6]

Malhada Vermelha[editar | editar código-fonte]

A cidade de Campo Redondo mantém um distrito chamado Malhada Vermelha, que se encontra nos limites municipais de Campo Redondo (sede) e Lajes Pintadas; tendo como fundador Manoel Vasco Campelo, que ao perceber a existência de um barro vermelho em meio a uma clareira denominada naquela época por malhada denominou aquela região de Malhada Vermelha. Sua história tem importante marco temporal no ano de 1935, em virtude do confronto da Intentona Comunista, nas imediações do distrito, onde hoje se encontra um obelisco em memória aos combatentes envolvidos.

Naquele mesmo local, em 1956, ele erigiu a igreja católica, tendo por padroeiro São José, o qual foi escolhido por devoção do Sr. Manoel Vasco Campelo. Hoje em dia a festa de São José é realizada entre 10 a 19 de março, tendo no dia 19 a procissão tradicional da comunidade.

Na década de 80 foi construída a igreja Batista, sendo assim uma das primeiras comunidades rurais da época a ter outras doutrinas cristãs, hoje também contando com a presença da Assembleia de Deus.

Malhada Vermelha ainda mantém algumas tradições antigas da região Trairi e Seridó, tal como a queima de flores realizada no mês de maio, onde durante os 31 dias do mês se reza a novena em homenagem ao mês de Maria, e no final do mês se queima as flores e se coroa Nossa Senhora como rainha dos céus e da terra.

A economia do Distrito gira em torno da agricultura do milho, feijão, hortaliças e leguminosas.

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 29 de março de 2019 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  3. «ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO RESIDENTE NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS COM DATA DE REFERÊNCIA EM 1º DE JULHO DE 2012» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 30 de agosto de 2011. Consultado em 31 de agosto de 2012 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 04 de setembro de 2013  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
  6. http://www.camporedondo.rn.gov.br/index.php?pg=2
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio Grande do Norte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.