Campos Belos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para não confundir com, veja Campo Belo (desambiguação).
Município de Campos Belos
Bandeira de Campos Belos
Brasão de Campos Belos
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 1 de outubro
Fundação 1954 (64 anos)
Gentílico campo-belense
Prefeito(a) Carlos Eduardo Pereira Terra (Partido da República)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Campos Belos
Localização de Campos Belos em Goiás
Campos Belos está localizado em: Brasil
Campos Belos
Localização de Campos Belos no Brasil
13° 02' 13" S 46° 46' 19" O13° 02' 13" S 46° 46' 19" O
Unidade federativa Goiás
Mesorregião Norte Goiano IBGE/2008 [1]
Microrregião Chapada dos Veadeiros IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Ao Sul Monte Alegre de Goiás, Divinópolis de Goiás, São Domingos, ao norte o estado do Tocantins e a leste o estado da Bahia
Distância até a capital 630 km
Características geográficas
Área 724,060 km² [2]
População 19 786 hab. (GO: 57º) –  estimativa IBGE/2017[3]
Densidade 27,33 hab./km²
Altitude 700 m
Clima Tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,692 médio PNUD/2010 [4]
PIB R$ 236,111,000 mil IBGE/2014[5]
PIB per capita R$ 12,163 13 IBGE/2014[5]
Página oficial
Prefeitura http://camposbelos.go.gov.br/

Campos Belos é um município brasileiro localizado no interior do estado de Goiás, Região Centro-Oeste do país. É um pólo regional da área nordeste de Goiás, parte do Tocantins e até de uma porção rural do oeste da Bahia. Sua população, segundo estimativa do IBGE de 2017, era de 19 786 habitantes.[3]

Segundo o índice da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN), é o município mais desenvolvido do Nordeste Goiano, com uma pontuação de 0.6760, o que o coloca em 143º lugar no ranking estadual divulgado em 2015.[6]

O município fica 400 quilômetros distante de Brasília e 630 quilômetros de Goiânia, capital estadual.

História[editar | editar código-fonte]

Na segunda metade do século XIX, formou-se, na região de Arraias e Monte Alegre de Goiás, um pequeno povoado decorrente do garimpo de ouro e com o fim da exploração aurífera, anos depois, algumas famílias dedicaram-se a agricultura.[7]

Com o surgimento de fazendas, a principal era a "Fazenda Almas", de Ciriaco Antônio Cardoso e Guilhermino de Araújo Guimarães. Em 1883, Ciriaco e Guilhermino doaram uma gleba de terra para a formação de um patrimônio, além de construírem uma capela.[7]

Nesta época, as pessoas que habitavam a região eram basicamente as tradicionais famílias descendentes de portugueses e donas de grandes extensões de terra. Havia também uma minoria de goianos vindos do sul da província, que alimentados pela febre do ouro, viviam ali a decadência desse período e por fim, em número maior, famílias muito pobres que viviam o fim do ciclo do ouro. A região era deveras pobre e afastada dos grandes centros do país.

Ainda em 1883, a terra doada da "Fazenda Almas" foi elevada a condição de povoado “Campos Belos”, ligada ao município de Arraias e em 1891, elevado a distrito.[7]

Em 1906, o distrito passou a ser administrado pelo município de Chapéu (antiga denominação da cidade de Monte Alegre do Goiás), mas durante a primeira metade do século XX, o distrito foi anexado alternadamente entre Arraias e Monte Alegre do Goiás.

A partir de 1920, inúmeras famílias baianas se integraram à população local, adquiriram terras e trouxeram toda cultura do estado vizinho àqueles que já estavam no lugar. O maior bairro da cidade, a Vila Baiana, é uma referência a esses migrantes.

Em 13 de novembro de 1953, foi assinado a lei que elevou o distrito a categoria de município, sendo instalado oficialmente no dia 1° de janeiro de 1954.[7]

Como primeiro prefeito eleito Campos Belos teve Francisco Xavier, comerciante baiano e morador antigo do lugar. O primeiro líder municipal, Temístocles Rocha, foi nomeado até as eleições acontecerem. Outras personalidades que marcaram a formação da cidade foram Mariano Barbosa, professor, delegado; Agripino Almeida e sua esposa Licíria Almeida, primeira mulher a ocupar o cargo de vereadora, em 1963.

Campos Belos teve desde seu começo a presença de grupos religiosos distintos. O lugar surgiu em volta da capela católica, de Nossa Senhora da Conceição, mas na década de 1930 o povoado ganhou protestantes membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia, com a chegada de Agripino Almeida e sua família. Agripino e Liciria, mesmo sendo protestantes, ocuparam importantes cargos públicos, como delegado e vereadora, o que demonstra a aceitação dos camposbelenses por outros grupos religiosos desde o começo da cidade. Na final da década de 1940 o missionário norte-americano Blonnye Holmes Foreman nascido em Rose Bud, Arkansas, em 1899 e membro da Convenção Batista do Sul dos Estados Unidos a convite de Francisco Cardoso (Chiquinho Cardoso), construiu na cidade a Escola Batista, uma instituição de ensino privada. Conta a história que Foreman foi enterrado do lado de fora do cemitério, que na época situava-se onde hoje se localiza a Rua do Comércio, por não ser batizado na religião Católica, fato jamais comprovado. Hoje a importante rua B. H. Foreman abriga as sedes regionais das principais empresas prestadoras de serviços públicos, como as companhias de eletricidade, água e esgoto do estado (CELG e SANEAGO), e os correios.

Anos depois Campos Belos recebeu outro morador ilustre, Alain du Noday, ou, Alain Marie Hubert Antoine Jean Roland du Noday, nascido em Saint-Servant, França em 1899; bispo, soldado da 1º guerra-mundial, que se refugiu no interior do Brasil auxiliando os pobres. Pertencia à diocese de Porto Nacional, mas morou muitos anos na cidade, sendo responsável por construir a igreja Matriz. Graças à sua influência, a igreja foi construída com linhas arquitetônicas de origem alemã, não possuindo as típicas colunas das igrejas mais antigas. Universidade, colégios e estabelecimentos comerciais da cidade ainda homenageiam o religioso com o seu nome.

Com a construção de Brasília na década de 1950 e sua inauguração em 1960, toda a região desenvolveu-se. Na década de 1970, uma significativa leva de migrantes mineiros em busca de terras baratas, afloraram no região, contribuindo no crescimento da população e no desenvolvimento econômico. No fim desta década, a cidade passou a contar com agências bancárias e no início da década de 1980 foi integrada, pela Telebrasília, à telefonia nacional.

A Constituição brasileira de 1988 dividiu Goiás ao meio. Campos Belos passa então a ser município de fronteira interestadual; com isso seu comércio desenvolveu-se espantosamente na década de 1990 e 2000, já que a cidade passou a atender a população do novo estado que não possuía infraestrutura comercial própria. Com a construção de Palmas, a cidade passou a ser também roteiro alternativo de acesso ao norte do país.

Aspectos populacionais[editar | editar código-fonte]

A expectativa de vida em Campos Belos é de 78 anos e sua taxa de urbanização é de 87%.

O IDH médio é de 0,692[8]. O Índice de Desenvolvimento Humano do município mostra que a educação em Campos Belos tem a maior nota do Nordeste do estado, 0,616; enquanto a longevidade chega a 0,815 e a renda a 0,661.

De acordo com o Censo 2010, 72% dos camposbelenses são católicos e 22% protestantes e estes dividem-se em: 13% de missão (adventista, batista, presbiteriana) e 87% pentecostais. A taxa de analfabetismo em Campos Belos é de 13%[8]. Mais de 90% da cidade é servida por esgoto e água encanada.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Campos Belos localiza-se no nordeste de Goiás nas terras do Planalto Central brasileiro. A cidade está a 700 metros acima do nível do mar. O município pertence a microrregião da Chapada dos Veadeiros. O clima é tropical, apresentando uma estação seca e outra chuvosa. A temperatura média anual é de 20 °C. O frio acontece apenas em poucas noites de julho quando os termômetros marcam em torno de 10 °C, no resto do ano as máximas ficam próximas ou acima dos 35 °C. A vegetação típica é o Cerrado.

Na zona rural de Campos Belos funciona a Usina Hidrelétrica do Rio Mosquito. Com a descoberta de pinturas rupestres em grutas da região do Pouso Alto demonstra que a região já era povoada há alguns séculos.

Economia[editar | editar código-fonte]

Cercada de montanhas por todos os lados a cidade cresceu baseando-se na pecuária, porém, o comércio domina o cenário econômico. Atendendo o mercado consumidor em diversos ramos, esse setor alimenta o crescimento da cidade. Campos Belos é a segunda maior cidade da região nordeste do estado, e, apesar da população o município ostenta o posto de pólo econômico da região, atendendo vasta área do norte de Goiás e sul do Tocantins.[9]

O município é rico em urânio, descoberto em 1975 pela Nucleobras e fosfato, sendo o último explorado por um consórcio canadense-brasileiro através da MbAC Mineração.

Festas[editar | editar código-fonte]

As maiores festas populares são: o Carnaval; o Arraiábelo, realizado no Centro Olímpico, tido como a 3ª maior festa junina de Goiás; a Exposição Agropecuária, que acontece normalmente em julho; e a Festa de Nossa Senhora da Conceição.

Educação[editar | editar código-fonte]

Na educação, a cidade conta com campus da Universidade Estadual de Goiás e do Instituto Federal Goiano, além, de uma instituição privada, que oferece cursos de graduação à distância e presenciais.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. a b «Estimativa populacional 2017 IBGE». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 30 de agosto de 2017. Consultado em 21 de agosto de 2018 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 31 de julho de 2013 
  5. a b «PIB». IBGE. 2014. Consultado em 31 de julho de 2013 
  6. «IFDM | Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal: Resultado». www.firjan.com.br. Consultado em 8 de março de 2016 
  7. a b c d «Campos Belos - Goiás - GO - Histórico» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 21 de agosto de 2018 
  8. a b «I M B - Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos». www.seplan.go.gov.br. Consultado em 9 de março de 2016 
  9. «Municipio de Campos Belos Goiás». Consultado em 13 de janeiro de 2017 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Goiás é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.