Canal+ (Espanha)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou seção está a ser traduzido de «Canal+ (España)» na Wikipédia em castelhano. Ajude e colabore com a tradução.
Canal+
Tipo DVB-C e DVB-S
País Flag of Spain.svg Espanha
Fundação 8 de junho de 1990 (28 anos)
Extinção 1 de fevereiro de 2016 (2 anos)
Pertence a Sogecable/Prisa TV
(1990-2015)
Telefónica
(2015-2016)
Proprietário S.G.Canal+ S.A.
(1990-2005)
Canal Satélite
(1994-1997)
Canal Satélite Digital
(1997-2003)
Digital+/Canal+
(2003-11)/(2011-15)
Movistar+
(2015-2016)
Cidade de origem Tres Cantos (Madrid)
Formato de vídeo 576i (SDTV)
1080i (HDTV)
Canais irmãos
Nome(s) anterior(es) Canal+ 1
(2011-2015)

O Canal+ (pronunciado Canal Plus) foi um canal de televisão espanhol de pagamento, que emitiu de 1990 a 2016. O canal tomava o nome de seu homólogo francês Canal+, que conta com mais versões em outros países europeus.

O Canal+ começou suas emissões em 8 de junho de 1990 às 21:00 horas, através da licença analógica outorgada à Sogecable (atual Pressa TV). O 31 de janeiro de 1997, estreia-se a plataforma de pagamento Canal Satélite Digital, e o canal passa a estar disponível a sua vez na televisão por satélite. O 7 de novembro de 2005, cede seu sinal analógica ao canal generalista Cuatro, passando a estar disponível exclusivamente através da plataforma satélite Digital+. Em 2010 começou a estar disponível em outras plataformas de pagamento, até o lançamento o 8 de julho de 2015 de Movistar+, que o emitia em exclusiva. Finalmente o 1 de fevereiro de 2016, Canal+ foi substituído pelo novo canal generalista «#0».[1]

História[editar | editar código-fonte]

Início de emissões[editar | editar código-fonte]

Canal+ nasceu da mão de Sogecable (atual Pressa TV), ao obter esta uma das três licenças para televisão privada analógica de âmbito nacional sacadas a concurso pelo Governo em 1988. Tratou-se de uma concessão especial para as características do canal, que lhe obrigava a emitir seis horas em aberto ao dia, sendo o resto das emissões codificadas, exclusivas para abonados. Inicialmente, a quota era de 3.000 pesetas/mês, ainda que posteriormente foi aumentando até 4.000 pesetas/mês, aparte de 15.000 pesetas em conceito de fiança pelo descodificador.

O 8 de junho de 1990 Canal+ inicia suas emissões em provas, e o 14 de setembro do mesmo ano as regulares, oferecendo pela primeira vez televisão de pagamento em Espanha mediante um sistema decodificador do sinal, que se emite criptografada mediante o sistema Nagravisión.

A programação em aberto incluiu programas de alta popularidade como Las noticias del guiñol (caricaturas humorísticas de personagens conhecidas, desportistas e políticos); Primer plano (apresentado por Maribel Verdú e Fernando Guillén Cuervo); Magacine; Lo + Plus (magazine com entrevistas e espaços de humor) ou Del 40 al 1, versão televisiva da popular revisão à lista do Los 40 Principales.

Em codificado, cinema de estreia todas as noites (entre elas os filmes X a cada noite de sexta-feira) e as transmissões em exclusiva de futebol ao vivo se traduziram num importante número de abonados, entre os que há que destacar os estabelecimentos de hotelaria que ofereciam com isso a seus clientes a visualização dos partidos. Em 1995 a corrente atinge o milhão de abonados.

Início de emissões em digital[editar | editar código-fonte]

O 1 de setembro de 1997, produz-se uma renovação da imagem corporativa do canal, que não tinha tido modificações desde sua estreia em 1990. Com a estreia o 31 de janeiro de 1997 de Canal Satélite Digital, a plataforma digital de Pressa TV, passa a estar disponível a sua vez na televisão por satélite e criam-se duas versões do canal, «Canal+ Azul» e «Canal+ Rojo» (Canal+ Vermelho), para conformar o pacote premium do operador.[2]

O 21 de julho de 2003, lança-se Digital+, a plataforma resultante da fusão de Canal Satélite Digital e Via Digital. Esta nova plataforma ampla o pacote de canais de Canal+, com «Canal+ ...30» (com a mesma programação, mas meia hora depois), «Canal+ 2» (segunda corrente, com programas da primeira em diferentes horários), bem como «Canal+ 16:9», pioneiro na emissões panorámicas, até que seu formato foi implantando em substituição do regular 4:3, no final de 2009.

Fim do sinal analógica terrestre[editar | editar código-fonte]

Em 2005, Sogecable (Pressa) solicitou ao Ministério de Indústria a modificação das condições da concessão da Lei de Televisão Privada, para mediante a autorização de emissão em aberto 24 horas do sinal analógica, substituir Canal+ por um canal de nova criação.[3] A partir de 7 de novembro de 2005, Canal+ passou a emitir-se exclusivamente através da plataforma de pagamento Digital+, cedendo seu sinal analógica ao novo canal generalista Cuatro .[4]

Pioneiro em emissões de vários formatos[editar | editar código-fonte]

O 29 de janeiro de 2008, lança-se Canal+ HD, o primeiro canal em alta definição do país.[5] Este canal começou emitindo contidos em alta definição dos canais do grupo, para a partir de julho desse ano, passar a reemitir os conteúdos em alta definição do próprio sinal de Canal+. Quanto ao ratio de imagem, a partir de 6 de novembro de 2009, Canal+ emitiu em 16:9 permanentemente.[6] Por outra parte, o 18 de maio de 2010, lançou-se Canal+ 3D, sendo o primeiro canal espanhol em emitir neste formato e para cuja visualização era necessário o decodificador iPlus e um televisão 3D. A televisão estereoscópica não chegou a cuajar, cessando suas emissões 1 de agosto de 2015[7]

Efémero passo de Canal+ 2 pela TDT Premium[editar | editar código-fonte]

O 23 de agosto de 2010, seu segundo canal Canal+ 2, renomeado como «Canal+ Dos», iniciou suas emissões na TDT de Espanha.[8] Substituiu o sinal de 40 Latino, e tratava-se de um canal de pagamento da denominada «TDT Premium», com uma programação baseada em cinema, séries, documentárias e vários conteúdos de Canal+, excepto os desportivos.[9] O 19 de dezembro de 2011 cessaram suas emissões na televisão terrestre, devido a seu reduzido número de abonados.

Mudança de denominação[editar | editar código-fonte]

Com a mudança de nome da plataforma Digital+ a Canal+, realizado o 17 de outubro de 2011, os nomes dos canais principais foram modificados, pelo que Canal+ adquiriu o nome de Canal+ 1 e Canal+ Dos recuperou sua denominação original de Canal+ 2.[10]

Depois de compra-a da plataforma Canal+ por parte de Telefónica e o posterior lançamento de Movistar+, plataforma resultante da fusão com «Movistar TV», o 8 de julho de 2015 o canal voltou a denominar-se Canal+.

Fim de emissão[editar | editar código-fonte]

Em 1 de dezembro de 2015 a Movistar+ anunciou o cesse de transmissões de Canal+, para dar passo a um novo da mesma temática chamado #0.[11] O 1 de fevereiro de 2016 produziu-se o cesse de emissões do canal, depois da emissão do documentário Informe Robinson «Quando fomos campeões», dedicado ao triunfo mundialista da selecção espanhola na Copa do Mundo de África do Sul 2010, campeonato que Canal+ transmitiu para seus abonados em Espanha.[12]

Eventos desportivos[editar | editar código-fonte]

Futebol[editar | editar código-fonte]

Durante 25 anos consecutivos, retransmitiu em exclusiva o partido mais destacado da cada jornada de Primeira División (entre as temporadas 1990/91 e 2014/15), conhecido como «el partidazo del plus» (o jogaço do plus).[13] Com respeito à Segunda División, emitiu o melhor partido da jornada durante 20 anos (entre as temporadas 1995/96 e 2014/15), no horário do meio dia do domingo.[14] Emitiu ademais em várias temporadas, a melhor eliminatória por rodada da Copa do Rei.

Quanto a futebol internacional, durante os anos 1990 até mediados da década do 2000, contou com os direitos televisivos do campeonato italiano, inglês ou argentino. Além destes campeonatos nacionais, ostentó entre as temporadas 2003/04 e 2008/09, os direitos de pagamento para Espanha de une-a de Campeões.[15]

Basquete[editar | editar código-fonte]

Durante 20 anos consecutivos, retransmitiu em exclusiva os partidos mais destacados da NBA (desde a temporada 1995/96 à temporada 2014/15) e espaços relacionados como «NBA+» ou «Generación NBA».[16] Durante quatro temporadas, de 1999 a 2003, retransmitiu a sua vez a ACB.[17]

Canais de marca-a Canal+[editar | editar código-fonte]

Com a estreia o 31 de janeiro de 1997 de Canal Satélite Digital, a plataforma digital de Pressa TV, criam-se as duas primeiras versões do canal, «Canal+ Azul» e «Canal+ Vermelho», para conformar o pacote premium do operador.

O 21 de julho de 2003, lança-se Digital+, a plataforma resultante da fusão de Canal Satélite Digital e Via Digital. Esta nova plataforma ampla o pacote de canais de Canal+, com «Canal+ ...30» (com a mesma programação, mas meia hora depois), «Canal+ 2» (segunda corrente, com programas da primeira em diferentes horários) e seis canais temáticos (três canais de «Canal+ Cinema» e outros três de «Canal+ Deporte»), substituindo a «Canal+ Azul» e «Canal+ Vermelho», bem como «Canal+ 16:9», pioneiro na emissões panorámicas, até que seu formato foi implantando em substituição do regular 3:4, no final de 2009.

O 1 de fevereiro de 2007, produz-se uma reestruturação dos canais da marca plus, fundindo os canais do pacote de Canal+ Cine com Cinemanía («Canal+ Acción», «Canal+ Comedia» e «Canal+ DCine») e os de Canal+ Deporte, que passam a «Canal+ Deportes», «Canal+ Futbol» e «Canal+ Eventos».

O 29 de agosto de 2009, começaram as emissões de Canal+ Liga, destinado a emitir vários partidos da cada jornada (3 entre as temporadas 2009/10 a 2011/12 e 8 da 2012/13 à 2015/16) do Campeonato Nacional de Primera División, que até a temporada 2008/09 se emitiam na modalidade de pagamento por visão (PPV).[18] O 16 de agosto de 2012, nasce Canal+ Liga de Campeones, destinado a cobrir os partidos de une-a de Campeões entre as temporadas 2012/13 e 2014/15.[19]

Imagem corporativa[editar | editar código-fonte]

Desde que começaram suas emissões em 1990, Canal+ compartilhava a imagem corporativa com sua homóloga francesa; a qual era uma elipse de cores giratória com a palavra CANAL+ em letras negras com borda branca ou brancas em sua totalidade em cima da elipse, que estava inclinada sobre um eixo a 30º aproximadamente. A cortinilla de início de emissão era igual que a francesa do período 1984-1992, só mudando a sintonia, que foi composta por Manolo Sanlúcar.[20]

As cortinillas de início de espaço eram a elipse aparecendo sobre seu eixo com a palavra CANAL+ recheia com interferências, ao igual que na versão francesa. Até que em 1994 apareceram umas novas cortinillas nos que a elipse gira sem inclinar; voltando-se em alvo e negro quando aparecia o logo correspondente ao espaço a emitir, com uma contagem regressiva desde 5.

Em 1997, a elipse foi eliminada do logo e sua imagem corporativa baseou-se nuns quadrados de cores que mudavam de tamanho e cor. Esta tipografía manteve-se até 2005, quando passou a umas cortinas de transição. Mais tarde, sua imagem corporativa passou a basear-se em cubos 3D.

Em 24 de junho de 2014 todos os canais com a marca plus (Canal+ 1, Canal+ 2, Canal+ Series, Canal+ Deportes, etc.) renovaram seu estilo visual e sua identidade de marca. Esta mudança de imagem foi desenvolvido pela agência «Erretrés» e consiste fundamentalmente em mostrar as ideias de alguns dos utentes da plataforma em relação aos conteúdos destas correntes, lhes outorgando assim maior protagonismo.[21]

Logos[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

  • Canal+ (plataforma)
  • Canal Satélite
  • Pressa TV

Referências

  1. «El 1 de febrero llega el nuevo canal #0 a Movistar+». mundoplus.tv 
  2. «Las plataformas digitales en España (UCM)»  ucm.es
  3. «Sogecable pide al Gobierno que permita a Canal Plus emitir toda su programación en abierto»  elmundo.es
  4. «Nace Cuatro, la nueva televisión en abierto de la cadena Sogecable»  diariodeleon.es
  5. «Sogecable lanza Canal+ HD, la primera cadena nacional en alta definición»  mundoplus.tv
  6. «Canal+ en panorámico 16:9»  panoramaaudiovisual.com
  7. «Canal+ 3D, el 3D televisivo ya ha llegado a España»  vayatele.com 3 de marzo de 2010
  8. «Canal+ Dos llega a la TDT, a partir del 23 de agosto»  mundoplus.tv
  9. «Canal+ Dos empieza a emitir en TDT sustituyendo a 40 Latino»  mundoplus.tv
  10. «Digital + pasará a llamarse Canal+ a partir de octubre»  diariodenavarra.es
  11. «Movistar+ desvela el nombre de su nuevo canal generalista: #0». mundoplus.tv 
  12. «El 1 de febrero llega el nuevo canal #0 a Movistar+». mundoplus.tv 
  13. «Hace 25 años Canal+ cambió el fútbol»  as.com
  14. «Domingo 3 septiembre de 1995, primera retransmisión de Segunda»  plus.es
  15. «El fútbol en televisión se fragmenta todavía más»  elperiodico.com
  16. «¿Cómo seguíamos la NBA en los 80 y los 90?»  nbamaniacs.com
  17. «Contrato cuatrienal firmado en 1999 entre ACB y Canal+»  elpais.com
  18. «Nace Canal + Liga»  elpais.com
  19. «Canal+ Liga de Campeones finaliza sus emisiones»  mundoplus.tv
  20. «Biografía Manolo Sanlúcar»  eninternet
  21. «Canal+ renueva su identidad, su estilo visual y su tono de marca»  neeo, 27 de junio de 2014

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Estreio Canal+ (8 de junho de 1990) em YouTube
  • Sintonia Canal+ (1990-1997) em YouTube