Canal de Caracum

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Canal de Caracum (canto inferior direito) e o reservatório de Hanhowuz, 2014.

O Canal de Caracum[1] (Karakum ; Qaraqum, Kara Kum, Garagum; em russo: Каракумский канал, Karakumsky Kanal, Turkmen: Garagum kanaly, گَرَگوُم كَنَلیٛ, Гарагум каналы) no Turcomenistão é um dos maiores canais de irrigação e abastecimento de água do mundo. Iniciado em 1954, e concluído em 1988, é navegável em grande parte de seus 1.375 quilômetros de extensão e transporta 13 quilômetros cúbicos de água por ano do rio Amu Dária através do deserto de Karakum. O canal abriu enormes extensões de terra para a agricultura, especialmente para a monocultura do algodão, fortemente promovida pela União Soviética, e fornecendo a Asgabate uma importante fonte de água. O canal também é um dos principais fatores que levam ao desastre ambiental do Mar de Aral.

História[editar | editar código-fonte]

O atual canal de Caracum não foi a primeira grande tentativa de levar a água do Amu Dária ao deserto de Caracum. No início dos anos 1950, a construção começou no Canal Turcomeno Principal (em russo: Главный Туркменский канал), que teria início em um local muito mais ao norte (perto de Nucus), e correria para o sudoeste em direção a Krasnovodsk. O canal teria usado cerca de 25% da água do Amu Dária. As obras foram abandonadas após a morte de Josef Stalin, sendo preteridas pela atual rota do Canal de Caracum.[2] Reservatórios como o reservatório de Hanhowuz foram criados para ajudar a regulá-lo.

Referências

  1. Amadio, Ítalo (1968). Enciclopédia de curiosidades e conhecimentos gerais. São Paulo: Amadio. p. 165 
  2. Nikolaĭ Gavrilovich Kharin, "Vegetation Degradation in Central Asia Under the Impact of Human Activities". Pp. 56-58. Springer, 2002. ISBN 1-4020-0397-8. On Google Books