Cancioneiro da Ajuda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Miniatura do Cancioneiro de Ajuda

O Cancioneiro da Ajuda é uma coleção de poesias escritas em galego-português datada do final do século XIII, influenciadas pela lírica occitana.

Recebe o seu nome por se conservar na biblioteca do Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa. É um códice de pergaminho escrito por uma só pessoa em escrita gótica com miniaturas que ficou incompleto: aparecem os textos poéticos, mas não se terminaram as miniaturas nem se copiou a música — para a qual há um espaço reservado abaixo dos versos da primeira estrofe de cada cantiga. Trata-se duma coletánea que possui 310 composições poéticas, todas cantigas de amor.

As primeiras edições completas datam de 1824 e 1849, embora a edição clássica é a realizada por Carolina Michaëlis no ano 1904[1].

Dos três cancioneiros conservados até hoje, este, é o menos completo, porque apenas abrange composições anteriores à morte de Afonso X, excluindo, por exemplo a vasta produção de D. Dinis; e porque o seu colecionador exclui os gêneros mais vulgares, isto é, as cantigas de amigo e as de escarnio ou de maldizer. Mas tem a vantagem de seu manuscrito pertencer à época da maioria dos poetas colaboradores, e é um documento valioso pela grafia, pela decoração e pelas iluminaturas, que testemunham o carater cantado e instrumental, embora tenha sido deixados em branco os espaços destinados à notação musical, entre outros sinais de inacabamento.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Fontes[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. C. Pulsoni - M. Arbor Aldea, Il Cancioneiro da Ajuda prima di Carolina Michaëlis (1904), in “Critica del testo”, VII (2004), pp. 721-89 (http://www.insulaeuropea.eu/pulsoni/il_cancioneiro_da_ajuda_prima_di_michaelis.pdf)