Cancioneiro da Vaticana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Uma das páginas do Cancioneiro da Biblioteca Vaticana com as primeiras cantigas de D. Dinis.

O Cancioneiro da Biblioteca Vaticana é uma colectânea medieval de 1200 cantigas[1] trovadorescas (cantigas de amigo, de amor e de escárnio e mal-dizer) escritas em galaico-português .

Compilado em Itália no final do século XV ou começo do século XVI, encontra-se depositado na Biblioteca do Vaticano, donde deriva o nome por que é conhecido.

Este cancioneiro, como o Cancioneiro da Biblioteca Nacional em Portugal, foi compilado depois do século XIII e abarca um espaço de tempo bem maior. Compreende não apenas obras dos poetas de Afonso III de Portugal e anteriores, como ainda os contemporâneos de Dinis de Portugal e seus filhos.

Cancioneiro de Berkeley[editar | editar código-fonte]

O "Cancioneiro de Berkeley", anteriormente conhecido como Cancioneiro de um grande d'Hespanha é uma antiga cópia não integral (ou descriptus) feita por volta de 1600 do Cancioneiro da Vaticana que se encontra na atualidade na Bancroft Library em Berkeley (Califórnia)[2] . Foi estudado pela primeira vez em 1872 por Francisco Adolfo de Varnhagen na sua obra Cancioneirinho de Trovas Antigas[3] .

Referências

  1. Henrique Monteagudo et al. Tres poetas medievais da ría de Vigo. Ed. Galaxia. 1998, pág. 51
  2. Ferreira, Manuel Pedro. Cantus Coronatus D'El-Rei Dom Dinis: 7 Cantigas by King Dinis of Portugal (em Português). 1 ed. Cassel: Edition Reichenberger, 2005. p. 5. ISBN 3-937734-09-0
  3. Varnhagen, Francisco Adolfo de. Cancioneirinho de Trovas Antigas: Colligidas de um grande cancioneiro da Bibliotheca do Vaticano (em Português). 1 ed. Viena: Typographia I.E.R. do E .E. da Corte, 1872.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.