Candlemass

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Candlemass
Candlemass em concerto ao vivo em 2005
Informação geral
Origem Estocolmo, Estocolmo
País  Suécia
Gênero(s) Doom metal
Período em atividade 1984-1994, 1997-2002,
2004 – presente
Gravadora(s) Capitol, Metal Blade, Restless, Nuclear Blast
Integrantes Mats Levén
Leif Edling
Jan Lindh
Mats "Mappe" Björkman
Lars Johansson
Ex-integrantes Johan Längqvist
Matz Ekström
Thomas Vikström
Bjorn Flödkvist
Jejo Perkovic
Mats Ståhl
Carl Westholm
Michael Amott
Ian Haugland
Klas Bergwall
Mike Wead
Messiah Marcolin
Ulf Edelund
Patrik Instedt
Robert Lowe
Página oficial www.candlemass.se

Candlemass é uma banda sueca originária de Estocolmo, formada na década de 1980 pelo baixista e compositor Leif Edling, e é considerada uma das pioneiras no gênero doom metal. Após lançar cinco discos de estúdio e excursar extensivamente durante os anos 1980 e início dos 1990, o Candlemass separou-se em 1994, mas reuniu-se três anos depois. Após pararem de novo em 2002, retomaram as atividades em 2004 e continuaram a gravar e tocar desde então. O Candlemass também é a sétima banda mais bem sucedida da Suécia, tendo vendido até 2010 mais de 15 milhões de álbuns mundialmente.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Logotipo do Candlemass

Depois que Leif Edling dissolveu a banda Nemesis, ele começou sua própria banda com o nome de Candlemass (Candelabro). O primeiro álbum foi Epicus Doomicus Metallicus, produzido em 1986 e agora considerado a obra-prima no cenário do Doom metal. Os integrantes da banda na época de Epicus Doomicus Metallicus eram: Leif Edling (baixo), Matz Ekström (bateria), Mats Mappe Björkman (guitarra), Johann Längqvist (vocal) e Klas Bergwall (guitarra).

A produção seguinte foi Nightfall (1987), considerado por alguns como um dos melhores álbuns até hoje de Doom metal. A formação da banda agora tinha mudado: os novos membros eram Messiah Marcolin (vocal), Lars Johansson (guitarra) e Jan Lindh (bateria). Esta formação é considerada a mais importante e a mais bem sucedida da história da banda. Os dois álbuns seguintes foram Ancient Dreams (1988) e Tales of Creation (1989). Em 1990, um álbum ao vivo foi produzido. Logo após, uma disputa entre os integrantes do grupo resultou na decisão de Messiah Marcolin de deixar a banda.

Após a saída de Marcolin, Candlemass chamou o vocalista Thomas Vikström e gravou Chapter VI (1992). Candlemass então se desfez, em parte porque o álbum não conseguiu o sucesso esperado e em parte porque Leif Edling tinha formado um outro projeto com o nome de Abstrakt Algebra. Como o Abstrakt Algebra não deu certo, Leif recrutou novos integrantes para o Candlemass e gravou o álbum Dactylis Glomerata, que era uma combinação de canções para um novo CD do Abstakt Algebra e algum material novo. Alguns anos mais tarde inspirado no Black Sabbath - o álbum From the 13th Sun foi produzido.

Em 2002, os integrantes do clássico Candlemass decidiram voltar a se reunir. Eles fizeram apresentações ao vivo que foram elogiadas pelo público e produziram outro álbum ao vivo, chamado Doomed for Live - Reunion 2002. Outros álbuns produzidos com o retorno da banda foram versões remasterizadas de Epicus… e Nightfall, Ancient Dreams e Tales of Creation. Um DVD intitulado Documents of Doom também foi lançado. A banda estava trabalhando em um novo álbum, com algumas novas canções já gravadas e a procura de uma gravadora, quando mais uma vez divergências entre seus integrantes aconteceram, resultando novamente na dissolução do Candlemass. Enquanto isso, Leif Edling iniciou um novo projeto, Krux, com o antigo vocalista do Abstrakt Algebra, Mats Leven e mais dois integrantes do Entombed.

Em novembro de 2004, a banda anunciou que iria voltar pela segunda vez a se reunir. Eles haviam gravado um novo álbum com a clássica formação, chamado simplesmente Candlemass. Ele foi lançado em maio de 2005. Este CD esteve entre os vinte mais tocados de 2005. Eles receberam o Grammy sueco em 2005.

Messiah Marcolin e Leif Edling em show do Candlemass em 2005.

Em 2006 o grupo anunciou que um novo álbum está para ser produzido e que a gravação estaria pronta até o meio do ano, com a data de lançamento para 2007. Após muita incerteza quanto a participação de Messiah nesse novo projeto, foi anunciado em setembro de 2006 que ele não seria o vocalista deste novo álbum.

O Candlemass ouviu inúmeros vocalistas e, após alguns meses, entraram em contato com Robert Lowe do grupo Solitude Aeturnus, outro grupo de doom metal, que foi chamado para o posto. Eles já conheciam o trabalho de Robert e disseram que sempre gostaram da voz dele desde os primeiros álbuns em sua banda.[1][2]

O álbum intitulado King of the Grey Islands foi gravado entre 2006-2007 e lançado em junho de 2007. O álbum foi produzido pela própria banda e por Andy Sneap.[3]

Em 31 de março de 2007, o Candlemass celebrou um levemente atrasado aniversário de vinte anos. Para comemorar a celebração, o cantor original Johan Längqvist apareceu ao vivo com a banda pela primeira vez. O evento foi gravado e lançado posteriormente no DVD 20 Year Anniversary Party.

O quinteto trabalhou num décimo disco de estúdio em 2008. Foi inicialmente planejado para chamar-se Hammer of Doom, mas foi renomado como Death Magic Doom devido à coincidência com um festival alemão.[4] O álbum foi programado para ser lançado em março de 2009, mas foi prorrogado para 3 de abril de 2009.[5]

Em 2011 acabaram por fazer mais uma reunião com o vocalista Johan Längqvist em um show no Roadburn Festival onde tocaram na íntegra o primeiro disco, Epicus Doomicus Metallicus, que completava 25 anos naquela data.[6]

Em 2011 a banda anunciou que havia assinado contrato com a austríaca Napalm Records e iria lançar seu último álbum de estúdio. O disco intitulado Psalms for the Dead foi lançado em junho de 2012.[7][8][9] Apesar disso, o baixista Leif Edling afirmou que a banda não iria acabar e que apenas queriam parar de gravar antes de "ficarem muito velhos e começarem a fazer discos meia-boca."[10]

O vocalista Robert Lowe foi despedido "em virtude da qualidade das performances ao vivo".[11] Para seu lugar, foi chamado Mats Levén (Yngwie Malmsteen, Therion, At Vance, e outros), que já havia trabalhado com Edling nas bandas Abstrakt Algebra e Krux, e também o tecladista Per Wiberg (ex-Opeth, Spiritual Beggars) para apresentações ao vivo.[12]

Candlemass no Hard Rock Laager 2015.

Em janeiro de 2013, o Candlemass foi votado como a melhor banda sueca de hard rock/metal de todos os tempos pelos escritores da revista Sweden Rock Magazine, a maior revista de hard rock da Escandinávia, bem como a maior revista sueca de música em circulação. Eles aparecerão na lista das "100 maiores bandas suecas de hard rock/metal de todos os tempos" em uma edição especial, para celebrar a 100ª emissão da revista. Relativamente a isto, também foi revelado que o Candlemass, junto à banda de death metal Entombed (#2 na lista), iriam tocar conjuntamente em um concerto especial em Estocolmo organizado pela revista.[13][14] Em julho de 2014, o Candlemass foi atração principal no Väsby Rock Festival em sua cidade natal Upplands Väsby.

Contrariando sua declaração inicial de que Psalms for the Dead seria seu disco final, o baixista Leif Edling afirmou que está aberto para gravar novas músicas com o Candlemass novamente.[15]

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Linha do tempo[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Candlemass