Cao Kun

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cao Kun
Primeiro-ministro
Período 10 de Outubro de 1923 – 30 de Outubro de 1924
Primeiro-ministro Gao Lingwei
Sun Baoqi
Ku Wei-chün
Antecessor Li Yuanhong
Sucessor Duan Qirui
Dados pessoais
Nascimento 12 dezembro 1862(1862-12-12)
Morte 15 maio 1938(1938-05-15) (aged 75)
Partido Camarilha de Zhili
Serviço militar
Conflitos Golpe de Pequim
Guerra de Proteção Nacional
Guerra Zhili–Anhui
Primeira Guerra Zhili–Fengtian

Cao Kun (nome de cortesia: Zhongshan (仲珊)) (12 de dezembro de 1862 - 15 de maio de 1938) foi presidente da República da China e líder militar da Facção Zhili do Exército de Beiyang, também atuou como curador da Universidade Católica Fu Jen.

Juventude e ascensão à liderança[editar | editar código-fonte]

Cao nasceu em uma família pobre em Tianjin. Durante a Primeira Guerra Sino-Japonesa, em 1894, foi com o exército para combater em Choson. Depois que a guerra acabou, ele se juntou a Yuan Shikai para participar na formação do Novo Exército (conhecido como Exército de Beiyang). Admirado por Yuan, Cao conseguiu ascender muito rapidamente.

Foi feito general do Exército de Beiyang e liderou a Facção Zhili após a morte de Feng Guozhang.[1] Durante a eleição de 1918, lhe foi prometido a vice-presidência por Duan Qirui mas o gabinete permaneceu vago depois que a maioria da Assembleia Nacional retirou-se privando-a de um quorum. Ele se sentiu traído por Duan e derrotou-o em uma batalha em 1920.[1] Forçou a renúncia de Xu Shichang e Li Yuanhong e foi presidente da República da China (em Pequim) de 10 de outubro de 1923 a 2 de novembro de 1924.[1]

Cao tinha uma ligação familiar com o comandante militar chinês muçulmano Ma Fuxing, que residia em Xinjiang.

"Presidente do Suborno"[editar | editar código-fonte]

Cao Kun infamemente adquiriu o gabinete presidencial subornando abertamente membros da assembleia com 5.000 dólares de prata cada um.[1] Esse episódio trouxe descrédito ao [Governo de Beiyang]] e sua assembleia, que não dispunha de um quorum até mesmo para organizar eleições. Isso voltou todas as facções rivais contra ele e sua camarilha começou a sofrer com dissensões. As relações com o seu principal protégé, Wu Peifu, azedaram e houve rumores de uma separação iminente dentro da Facção Zhili mas eles permaneceram juntos para lutar contra a Facção Fengtian.

Um de seus primeiros atos como presidente foi promulgar a Constituição de 1923. Apressadamente elaborada pela assembleia cheia de culpa, foi considerada mais democrática e progressista ainda, mas como as cartas anteriores foi completamente ignorada.

Durante uma guerra contra Zhang Zuolin em outubro de 1924, Cao foi traído e preso por seu general Feng Yuxiang no Golpe de Pequim. Feng ocupou Pequim e forçou Cao a renunciar. Seu irmão, Cao Rui, cometeu suicídio enquanto sob prisão domiciliar. Ele seria libertado dois anos mais tarde, como um gesto de boa vontade de Feng para Wu Peifu.[1]

Cao morreu em sua casa em Tianjin em maio de 1938.

Referências

  1. a b c d e Cao Kun - Rulers.org
Cargos políticos
Precedido por:
Gao Lingwei
Presidente da República da China Sucedido por:
Huang Fu
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Cao Kun