Capitalism and Freedom

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Capitalism and Freedom (em português: Capitalismo e Liberdade) é um livro escrito pelo economista Milton Friedman, publicado originalmente em 1962[1] pela University of Chicago Press, onde discute questões da economia capitalista dentro da sociedade liberal. A obra vendeu cerca de 400.000 exemplares nos primeiros 18 anos de existência e mais de meio milhão desde 1962, além de ter sido traduzida para 18 idiomas. Friedman afirma que a liberdade econômica é uma prerrogativa para se obter a liberdade política. Milton Friedman se encaixa no termo liberal de acordo com as concepções dos iluministas franceses, diferentemente da concepção americana, que ele acredita ter sido corrompida desde a Grande Depressão. Muitos conservadores e libertários adotam alguns dos seus pontos de vista. Entre outros conceitos, Friedman defende o fim da obrigatoriedade de diplomas para médicos e a introdução de um sistema de educação escolar certificado pelo governo mas administrado pela iniciativa privada.

Contexto[editar | editar código-fonte]

Capitalismo e Liberdade foi publicado aproximadamente duas décadas depois do fim da Segunda Guerra Mundial, em um período onde a Grande Depressão ainda figurava na memória coletiva dos norte-americanos. Sob as administrações Kennedy e Eisenhower, o gasto federal do governo com defesa nacional, assistência social e infraestrutura cresceu em um ritmo rápido, apoiado tanto por Republicanos quanto por Democratas, e justificado pela maioria dos intelectuais que apoiavam políticas Keynesianas.

Reconhecimentos[editar | editar código-fonte]

Capitalismo e Liberdade integra a lista do Intercollegiate Studies Institute dos "50 melhores livros do século XX" e também figura na lista dos "100 Melhores livros de não-ficção do século XX", compilada pelo National Review.

Referências

  1. «A Tradição da Liberdade: Grandes Obras do Pensamento Liberal» (PDF). Consultado em 17 de julho de 2012. 
Ícone de esboço Este artigo sobre um livro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre economia é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.