Capitania de Porto Seguro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

A Capitania de Porto Seguro, na divisão administrativa do Brasil em capitanias hereditárias, feita por ordem do rei Dom João III, coube ao donatário Pero do Campo Tourinho.

A carta de candidatura de Pero do Campo foi assinada em 27 de Maio de 1534. A capitania era constituída por 50 léguas de costa entre o rio Mucuri e o rio Poxim. Eduardo Tourinho, autor baiano que, do donatário guarda o nome (um Pero de Campos Tourinho, neto do donatário, mais tarde deão da sé da Bahia), afirma que "na extensão de suas 50 léguas, estendia-se da margem sul do rio Grande, Jequitinhonha ou Belmonte, à margem norte do rio Doce." e "Começarão na parte onde se acabarão as 50 léguas de que tenho feito mercê a Jorge de Figueiredo Correia na dita costa do Brasil", dizia o Rei.

Tinha solo de ótima qualidade para o cultivo da cana-de-açúcar, muitos rios e muito pau-brasil. Eduardo Tourinho explica:

"nos limites com Ilhéus tinha muita ibirapitanga (pau-brasil), e no rio Caravelas muito nimbo [(zimbo)], aqueles búzios miudinhos que em Angola se transformavam em dinheiro e que daqui iam em barricas para o resgate de escravos."

Outro fator de colonização do litoral brasileiro foi a ação catequizadora das ordens religiosas. Os franciscanos foram os primeiros a estabelecer contacto com aquele trecho do litoral, já que na expedição de Pedro Álvares Cabral vinham oito religiosos daquela Ordem, chefiados pelo Pe. Frei Henrique de Coimbra, que seguiram para a Índia.

Por volta de 1516, chegavam a Porto Seguro dois missionários da Província de São Francisco de Portugal, que desenvolveram a catequese entre os Tupiniquins e a assistência religiosa aos colonos, soldados e degradados portugueses. Foram eles que construíram a primeira igreja no país, dedicada a São Francisco de Assis e localizada no Outeiro da Glória, na parte alta da cidade, hoje desaparecida.

De Porto Seguro partiram, ainda no século XVI, várias entradas de desbravamento do sertão, embora não tenham chegado a criar povoações. Dentre as mais notáveis destacam-se:

Em meados do século XVIII foram incorporadas à Coroa a Capitania de Ilhéus (1754), a de Porto Seguro (1761), a Capitania de Itaparica e a Capitania do Paraguaçu que, juntamente com a que pertenceu a Francisco Pereira Coutinho e fora incorporada em 1548, para criação da sede do Governo Geral, formaram a grande Capitania da Bahia, cujo território correspondia, praticamente, aos atuais Estados da Bahia e Sergipe.

Ver também

Ícone de esboço Este artigo sobre História do Brasil é um esboço relacionado ao Projeto História do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.