Capitu (minissérie)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Capitu
Informação geral
Formato Microssérie
Gênero Drama
Duração 30 minutos. (aproximadamente)
Criador(es) Luiz Fernando Carvalho
Baseado em Dom Casmurro de Machado de Assis
Desenvolvedor(es) Euclydes Marinho
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Luiz Fernando Carvalho
Editor(es) Helena Chaves
Carlos Eduardo Kerr
Márcio Hashimoto Soares
Cinematografia Adrian Teijido
Câmera Murilo Azevedo
Sebastião de Oliveira
Roteirista(s) Euclydes Marinho
Luiz Fernando Carvalho
Elenco Maria Fernanda Cândido
Michel Melamed
Eliane Giardini
Letícia Persiles
César Cardadeiro
Bellatrix Serra
Ver Mais
Tema de abertura Carlos Bêla [1]
Compositor da música tema Beirut
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Rede Globo
Formato de exibição 1080i (HDTV)
Transmissão original 9 de dezembro de 200813 de dezembro de 2008
N.º de episódios 5
Cronologia
Queridos Amigos
Maysa - Quando Fala o Coração

Capitu é uma minissérie brasileira produzida pela Rede Globo e exibida entre 9 e 13 de dezembro de 2008, em 5 capítulos[2]

Baseada no romance Dom Casmurro de Machado de Assis, foi escrita por Euclydes Marinho com a colaboração de Daniel Piza, Luis Alberto de Abreu e Edna Palatnik; tendo roteiro final e direção geral de Luiz Fernando Carvalho. [3][4]

A produção foi uma homenagem ao centenário de morte de Machado de Assis, autor do romance no qual a série se baseia, Dom Casmurro. Capitu é a segunda produção do Projeto Quadrante (a primeira foi A Pedra do Reino, realizado pelo mesmo diretor Luiz Fernando Carvalho), projeto que tenciona levar a literatura brasileira para a televisão.[5][6]

Contou com Maria Fernanda Cândido, Michel Melamed, César Cardadeiro e Letícia Persiles nos papéis principais.

Produção[editar | editar código-fonte]

Capitu marca o lançamento na TV dos atores Letícia Persiles e Michel Melamed, entre outros.[7][8][9]

A minissérie foi filmada nas ruínas do antigo Automóvel Clube, no Centro do Rio de Janeiro, e todo o universo cenográfico foi criado a partir de papéis de jornal e material reciclado.[10]

O processo de produção da série de TV foi documentado no livro Capitu (Editora Casa da Palavra/2008), dividido em duas partes. Durante dois meses os atores e a equipe técnica se reuniram semanalmente e assistiram palestras sobre a obra de Machado de Assis: Sergio Paulo Rouanet, Daniel Piza, Maria Rita Kehl, Luiz Alberto Pinheiro de Freitas, Carlos Byington, Edmilson Martins Rodrigues e Gustavo Bernardo. Os textos dessas palestras compõe a primeira parte do livro e ajudam o leitor a entender todas as nuances do romance de Machado de Assis. Na segunda parte, depois de uma introdução do diretor, as imagens da minissérie e o texto do próprio Machado formam quase que uma fotonovela e contam “visualmente” a famosa história de amor e ciúme de Bento e Capitu.[11][12]

No ano em que a minissérie foi exibida, foi lançado o livro Quem é Capitu? (Editora Nova Fronteira), uma coletânea de contos, crônicas e ensaios sobre a personagem Capitu, do livro Dom Casmurro, de Machado de Assis. Participam também nomes como Lya Luft, Fernanda Montenegro, Luis Fernando Veríssimo, Millôr Fernandes, Lygia Fagundes Telles e Silviano Santiago. No artigo Capitu c’est moi?, o diretor Luiz Fernando Carvalho discorre sobre sua visão acerca da obra machadiana e sobre o processo de criação da minissérie Capitu.[13]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Capitu se desenvolve a partir da promessa de Dona Glória (Eliane Giardini), mãe do protagonista Bentinho: depois de perder um filho, ela jura fazer do próximo herdeiro um padre; mas Bentinho tem uma enorme paixão pela sua vizinha e melhor amiga Capitu, mas por causa da ele tem que ir para o seminário. Mesmo a contragosto, Bentinho vai para um seminário, onde conhece Escobar que vira seu melhor amigo. Antes deixar o seminário José Dias ajuda a Bentinho ficar junto a sua amada. Quando deixam o seminário deixando de ser padre, vai estudar fora por alguns anos ele forma-se advogado e se casa com Capitu. Escobar torna-se comerciante e se casa com Sancha, amiga de infância de Capitu. O casal Escobar e Sancha geram uma filha, Capituzinha. Dois anos depois, para a alegria de Bento e Capitu, nasce Ezequiel. Os casais mantêm fortes laços de amizade. Num jantar na casa de Escobar, os quatro amigos planejam uma viagem para a Europa. Uma fatalidade tira a vida de Escobar, que morre afogado no dia seguinte. A morte do amigo aumenta ainda mais a culpa e os ciúmes de Bentinho, que acredita que Capitu o traiu com seu melhor amigo, duvida ser realmente o pai de Ezequiel, que tem muita semelhança com o amigo.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Maria Fernanda Cândido[14] Capitu (Capitolina Pádua)
Letícia Persiles Capitu (jovem)
Michel Melamed Bentinho (Bento de Albuquerque Santiago)
César Cardadeiro Bentinho (jovem)
Eliane Giardini Dona Glória
Pierre Baitelli Ezequiel de Sousa Escobar (1 episódio)
Rita Elmôr Prima Justina
Sandro Christopher Tio Cosme/Marcolini/Imperador
Charles Fricks Sr. Pádua
Bellatrix Serra Sancha Gurgel
Izabella Bicalho Dona Fortunata Pádua
Antônio Karnewale José Dias
Thelmo Fernandes Sr. Gurgel
Emílio Pitta Padre Cabral
Vitor Facchinetti Dandi do Cavalo-Alazão
Alan Scarpari Ezequiel Santiago
Jacy Marques Escrava
Gabriela Luiz Escrava
As crianças
Ator Personagem
Beatriz Souza Capitolina
Fabrício Reis Ezequiel Santiago (criança)
Participações especiais
Ator Personagem
Paulo José Vigário da Paróquia
Eduardo Pires Jovem Poeta
Alby Ramos Pai do Manduca

Recepção[editar | editar código-fonte]

"Luiz Fernando Carvalho, em seu mais recente trabalho na TV (Capitu), evitou a transposição e assumiu o que eu chamaria de "posição" diante do desafio de dar imagem, som, luz e processo narrativo a "Dom Casmurro", a mais famosa obra-prima da literatura nacional. Por acaso, sua carreira na televisão começou com um romance de Machado de Assis (Helena) e seguiu em ritmo ascendente com outros textos importantes da nossa produção literária: Lavoura Arcaica e A Pedra do Reino. No caso de Dom Casmurro, essa "posição", ao mesmo tempo em que traz o novo na abordagem de um grande clássico, traz o charme tecnicamente bem elaborado de um "mix" de várias artes autônomas, como a ópera, o teatro e o próprio romance"

—Carlos Heitor Cony, Folha de S.Paulo,[15] 22 de dezembro de 2008)

A minissérie recebeu o Grande Prêmio da Crítica da APCA (2009), foi escolhida Melhor Fotografia Prêmio ABC, ganhou o prêmio Creative Review na categoria Best in book e Design and Art Director. [16][15]

Na opinião do crítico Gustavo Bernardo, a minissérie merece "ser vista e revista vezes sem conta, no mínimo porque cada fragmento de cena é precioso de tão bonito".[17]

Segundo o diretor de teatro Gabriel Villela, Luiz Fernando Carvalho faz obra de arte na tela, convoca o brio do espectador para que ele não aceite nada mastigado, mas que mastigue com Casmurro.[18]

Para Randall Johnson, diretor do Centro de Estudos Latino-Americanos da UCLA, "Luiz Fernando Carvalho é hoje, sem dúvida, o diretor que tem o trabalho mais autoral de toda a produção de TV e cinema no Brasil".[19][20][21]

Ano Prêmio Categoria Indicado Resultado ref
2009 Prêmio ABC Melhor Fotografia Luiz Fernando Carvalho Venceu
Prêmio Creative Review Best in book e Design and Art Director Venceu
Prêmio Contigo! de Tv Melhor Atriz Infantil Beatriz Souza Indicado
Prêmio Qualidade Brasil Melhor Minissérie Euclydes Marinho Indicado
Melhor Ator de Minissérie Michel Melamed Indicado
Melhor Atriz de Minissérie Maria Fernanda Cândido Indicado
Melhor Ator Coadjuvante de Minissérie Sandro Christopher Indicado
Melhor Atriz Coadjuvante de Minissérie Eliane Giardini Indicado
Melhor Diretor de Minissérie Luiz Fernando Carvalho Indicado
2010 Troféu APCA Venceu
Festival Internacional de Publicidade de Cannes. Novas Mídias Venceu

Audiência[editar | editar código-fonte]

O primeiro capítulo teve média de 17 pontos.[22] A minissérie teve média de 15 pontos.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Carlos Bêla. «Abertura de Capitu». Vimeo. Consultado em 17 de abril de 2017 
  2. Sylvia Colombo (22 de novembro de 2008). «"Hoje é dia de Capitu. Do mesmo diretor de "Hoje é Dia de Maria", estréia dia 9 versão televisiva de "Dom Casmurro", de Machado de Assis"». Folha de S. Paulo. Consultado em 10 de maio de 2017 
  3. Carlos Helí de Almeida (5 de dezembro de 2008). «Luiz Fernando Carvalho: 'Não corro atrás de elogios'». JB. Consultado em 10 de maio de 2017 
  4. Nilson Xavier. «Capitu - Teledramaturgia». Teledramaturgia. Consultado em 11 de setembro de 2014 
  5. Beatriz Resende (16 de dezembro de 2008). «Capitu, Brecht, Bentinho e Janis Joplin». Estadão. Consultado em 10 de maio de 2017. Capitu, microssérie que terminou sábado, na Rede Globo, é, sem dúvida, mais do que um marco em termos de transposição de um clássico da literatura brasileira para outro suporte, é uma excelente ocasião para pensarmos nas possibilidades hoje disponíveis para divulgação da literatura e da cultura, em geral, e, em particular, para a generosidade que se impõe na partilha necessária do prazer que a genialidade de um autor como Machado de Assis pode proporcionar 
  6. Rodrigo Fonseca (7 de dezembro de 2008). «Obra-prima de Machado de Assis volta modernizada na microssérie 'Capitu'». OGlobo. Consultado em 10 de maio de 2017 
  7. Claudia Sarmento (6 de junho de 2008). «Letícia Persiles e Maria Fernanda Cândido dividem o papel de 'Capitu' em nova minissérie». OGlobo. Consultado em 10 de maio de 2017 
  8. Zean Bravo (3 de novembro de 2008). «Luiz Fernando Carvalho lança atores novatos na série 'Capitu', da Globo». OGlobo. Consultado em 10 de maio de 2017 
  9. Zean Bravo (22 de novembro de 2008). «Atores jovens são apostas do diretor Luiz Fernando Carvalho em 'Capitu'». OGlobo. Consultado em 10 de maio de 2017 
  10. Alline Dauroiz (1 de dezembro de 2008). «Ela quer seduzir jovens». Estadão. Consultado em 10 de maio de 2017 
  11. Renata Leite (3 de janeiro de 2009). «Depois de série de TV, personagem Capitu é tema de livro». JB. Consultado em 10 de maio de 2017 
  12. Carvalho, Luiz Fernando (2008). O processo de Capitu. [S.l.]: Leya Casa da Palavra. ISBN 857734102X 
  13. Carvalho, Luiz Fernando (2008). «Capitu c'est moi?». Livro - Quem é Capitu?. [S.l.]: Nova Fronteira. pp. 17–20. ISBN 9788520920831 
  14. Laura Mattos (10 de julho de 2008). «Maria Fernanda Cândido, premiada como Capitu no cinema, volta a ser a heroína de "olhos de ressaca" em série da Globo». FSP. Consultado em 10 de maio de 2017 
  15. a b Carlos Heitor Cony (22 de novembro de 2008). «"Capitu" é "mix" de artes bem elaborado. Nova minissérie da Globo exibe influências de Visconti e Bergman e mescla com eficiência ópera, teatro e cinema mudo"». FSP. Consultado em 10 de maio de 2017 
  16. Francisco Alves Leite (3 de dezembro de 2008). «Capitu é um luxo». IstoÉ. Consultado em 10 de maio de 2017. Luiz Fernando Carvalho imprime o seu estilo sofisticado à minissérie baseada no romance Dom Casmurro 
  17. Gustavo Bernardo (9 de dezembro de 2009). «A Capitu de Luiz Fernando Carvalho». O Globo. Consultado em 12 de abril de 2017 
  18. Gabriel Villela (8 de agosto de 2009). «"Capitu" traduz para TV modo de narrar de Machado de Assis». Folha de S. Paulo. Consultado em 12 de abril de 2017 
  19. Carter, Eli Lee (2014). Relendo Dom Casmurro - hibridismo estético em Capitu (Tese). Charlottesville: University of Virginia. Consultado em 18 de abril de 2017 
  20. Marília Martins (24 de maio de 2009). «Curso na Universidade da Califórnia debate obra de Luiz Fernando Carvalho». Revista da TV/OGlobo. Consultado em 17 de abril de 2017 
  21. Renato Felix (27 de agosto de 2009). «Entrevistas: Luiz Fernando Carvalho». Blog do Renato Felix. Consultado em 17 de abril de 2017. Trata-se um ensaio sobre a dúvida. Não absolvo Capitu e não a condeno 
  22. «Capitu estréia bem e lidera audiência». Estadão. 10 de dezembro de 2008. Consultado em 10 de junho de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]