Capricho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde junho de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2015). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Capricho
Capa Capricho.jpg
Capa da 1127ª edição da revista, com Lua Blanco e Arthur Aguiar na capa.
Frequência s/ periodicidade
Editora Editora Abril
Empresa Grupo Abril
Circulação nacional
Categoria cultural
País  Brasil
Idioma Português, English
Fundação 1952
Primeira edição 18/06/1952
Página oficial

Capricho é uma revista teen online da Editora Abril, com sede em São Paulo. [1] [2]

História[editar | editar código-fonte]

Lançada em 18 de junho de 1952 pelo fundador da Editora Abril, Victor Civita, foi a primeira revista feminina do Brasil e da empresa. Com circulação quinzenal, em formato pequeno, seu conteúdo inicial era as fotonovelas, na época chamada "Cinenovela". Além da cinenovela, a revista apresenta histórias de amor desenhadas em quadrinhos. Em novembro de 1952, numa decisão pessoal, Victor Civita aumentou o formato da revista, passando a editá-la mensalmente e a abordar outros tópicos como: moda, beleza, comportamento, contos e variedades.

Em 1956 a publicação rompeu a barreira dos 500.000 exemplares por edição, a maior tiragem de uma revista na América Latina, até então. Em agosto de 1970, a revista passou a ser impressa quinzenalmente, com a mesma linha editorial e em 1982 sofreu grande mudança editorial: mudou o formato, o logotipo e a periodicidade (voltando a ser mensal). As fotonovelas passam a circular como encarte e a revista passou a dar prioridade a moda, beleza e comportamento. Em 1985, a revista adotou o slogan "A Revista da Gatinha", e acrescenta um "MIAU" ao logotipo. Em 1989, passou por novas modificações, desde a parte gráfica até em seu público.

No final da década de 1990, iniciou operações de licenciamento, levando sua marca a bens de consumo, como fragrâncias, maquiagens, material escolar, mochilas, lingerie e roupas. Nos anos 2000, a publicação passou a utilizar a internet como uma nova plataforma de interação com seus leitores, utilizando as redes sociais à medida que foram surgindo: Facebook, Twitter, Instagram e YouTube, e em 2014, apos inúmeras alterações em sua periodicidade, a revista voltou a ser mensal.

Fim da versão impressa[editar | editar código-fonte]

Em 2 de junho de 2015 a editora retirou a revista de circulação, após profundas mudanças na empresa e desta maneira, a Capricho passou a existir somente em seu portal na internet, sem a versão impressa[3] .

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma revista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.