Capricho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Capricho (revista))
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde junho de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde janeiro de 2015).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Capricho (desambiguação).
Capricho
Sandy na capa da 846ª edição da revista em 2000, uma das mais contundentes da história da revista.
Editora Editora Abril
Empresa Grupo Abril
Circulação Nacional
Categoria cultural
País  Brasil
Idioma Português, English
Fundação 1952
Primeira edição 18 de junho de 1952 (65 anos)
Página oficial

Capricho é uma revista teen online da Editora Abril, com sede em São Paulo. [1][2]

História[editar | editar código-fonte]

Capa da 1127ª edição da revista, com Lua Blanco e Arthur Aguiar em 2012.

Lançada em 18 de junho de 1952 pelo fundador da Editora Abril, Victor Civita, foi a primeira revista feminina do Brasil e da empresa. Com circulação quinzenal, em formato pequeno, seu conteúdo inicial era as fotonovelas, na época chamada "Cinenovela". Além da cinenovela, a revista apresenta histórias de amor desenhadas em quadrinhos. Em novembro de 1952, numa decisão pessoal, Victor Civita aumentou o formato da revista, passando a editá-la mensalmente e a abordar outros tópicos como: moda, beleza, comportamento, contos e variedades.

Em 1956 a publicação rompeu a barreira dos 500.000 exemplares por edição, a maior tiragem de uma revista na América Latina, até então. Em agosto de 1970, a revista passou a ser impressa quinzenalmente, com a mesma linha editorial e em 1982 sofreu grande mudança editorial: mudou o formato, o logotipo e a periodicidade (voltando a ser mensal). As fotonovelas passam a circular como encarte e a revista passou a dar prioridade a moda, beleza e comportamento. Em 1985, a revista adotou o slogan "A Revista da Gatinha", e acrescenta um "MIAU" ao logotipo. Em 1989, passou por novas modificações, desde a parte gráfica até em seu público.

No final da década de 1990, iniciou operações de licenciamento, levando sua marca a bens de consumo, como fragrâncias, maquiagens, material escolar, mochilas, lingerie e roupas. Nos anos 2000, a publicação passou a utilizar a internet como uma nova plataforma de interação com seus leitores, utilizando as redes sociais à medida que foram surgindo: Facebook, Twitter, Instagram e YouTube, e em 2014, apos inúmeras alterações em sua periodicidade, a revista voltou a ser mensal.

Fim da versão impressa[editar | editar código-fonte]

Em 2 de junho de 2015 a editora retirou a revista de circulação, após profundas mudanças na empresa e desta maneira, a Capricho passou a existir somente em seu portal na internet, sem a versão impressa[3].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma revista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.