Carassius

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Carassius
CarassiusCarassius8.JPG
Carassius carassius
Classificação científica e
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Actinopterygii
Ordem: Cypriniformes
Família: Cyprinidae
Subfamília: Cyprininae
Gênero: Carassius
Nilsson, 1832
Espécie-tipo
Carassius carassius
Linnaeus, 1758

Carassius é um género de peixes teleósteos cipriniformes de água doce da família Cyprinidae que inclui 6 espécies,[1][2] entre as quais o comum peixinho-dourado. O género tem distribuição natural por todo o Paleártico, desde o sudoeste da Europa até às regiões árticas da Sibéria e às regiões temperadas e quentes do Leste Asiático.[3][4][5]

Descrição[editar | editar código-fonte]

Todos os membros deste género são peixes de água doce. A maioria das espécies são conhecidas pelo nome comum de carpas crucianas, embora este termo frequentemente se refira concretamente à espécie Carassius carassius. O membro mais conhecido do género é o peixinho-dourado (Carassius auratus), distribuídos originalmente no leste da Ásia mas introduzido actualmente em grande parte da Europa.

As espécies de Carassius não são filogeneticamente muito próximas das carpas típicas do género Cyprinus, antes pertencendo a uma linhagem mais basal da subfamília Cyprininae.[6] O género aparentemente tem origem mais a oeste do que agrupa as carpas do género Cyprinus.

O comprimento máximo descrito para este género é 65 cm,[7] com um corpo engrossado e um pedúnculo caudal curto e espesso. Algumas espécies apresentam brilhantes pigmentações vermelhas, alaranjadas ou de coloração creme prateada, razão pela qual são conhecidas pelo nome comum genérico de «peixes dourados».[8]

Todas as espécies são peixes bentopelágicos que habitam em lagos ricos em vegetação e rios de águas lentas, de climas entre temperados a tropicais.[5] Tendem a ser omnívoros, alimentando-se de plantas, detritos e pequenos invertebrados.[9] Toleram bem o frio, a poluição e os baixos níveis de oxigénio dissolvido na coluna de água, o que os torna ideais para a decoração de lagoas em parques humanizados.[10]

Uso em aquários[editar | editar código-fonte]

Algumas espécies são criadas em aquicultura para comercialização como peixes de aquário ou para tanques de jardim.[11][10] Podem viver por muito tempo mantidos em cativeiro, sendo o 25 anos o período mais longo registado.[12] Podem ser mantidos em grupos de quatro ou mais indivíduos com tamanho mínimo de aquário de 200 L.[13]

Espécies[editar | editar código-fonte]

O género Carassius inclui as seguintes espécies:[14][15][4]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. FishBase: Lista de espécies.
  2. a b Kottelat, M. (2017): Carassius praecipuus, a dwarf new species of goldfish from the Mekong drainage in central Laos (Teleostei: Cyprinidae). Revue Suisse de Zoologie, 124 (2): 323–329.
  3. Petru M. Bănărescu, Hans-Joachim Paepke: The Freshwater Fishes of Europe, Aula-Verlag, Wiebelsheim 2002, ISBN 3-89104-658-8. (Volume 5. Cyprinidae 2, Part III: Carassius to Cyprinus; Gastorosteidae) pp. 1–3.
  4. a b ITIS
  5. a b Nelson, J.S. (1994). Fishes of the world (em inglês) 3ª edición ed. Nova York: John Wiley & Sons, Inc. pp. 600 p 
  6. de Graaf, Martin; Megens, Hendrik-Jan; Samallo, Johannis & Sibbing, Ferdinand A. (2007): Evolutionary origin of Lake Tana's (Ethiopia) small Barbus species: indications of rapid ecological divergence and speciation. Anim. Biol. 57(1): 39-48. doi:10.1163/157075607780002069 (HTML abstract)
  7. Koli, L., (1990). «Suomen kalat. [Fishes of Finland]» Werner Söderström Osakeyhtiö. Helsinki. 355 pp. (em finlandês).
  8. Scott, W.B. y E.J. Crossman, (1973). «Freshwater fishes of Canada». Bull. Fish. Res. Board Can. 184:1-966.
  9. Dulmaa, A., (1999). «Fish and fisheries in Mongolia». p. 187-236. En T. Petr (ed.) Fish and fisheries at higher altitudes: Asia. FAO Fish. Tech. Pap. No. 385. FAO, Roma. 304 p.
  10. a b Vostradovsky, J., (1973). Freshwater fishes. The Hamlyn Publishing Group Limited, Londres. 252 p.
  11. Kottelat, M., A.J. Whitten, S.N. Kartikasari y S. Wirjoatmodjo, (1993). «Freshwater fishes of Western Indonesia and Sulawesi». Periplus Editions, Hong Kong. 221 p.
  12. Skelton, P.H., (1993). «A complete guide to the freshwater fishes of southern Africa». Southern Book Publishers. 388 p.
  13. Bundesministerium für Ernährung, Landwirtschaft und Forsten (BMELF), (1999). Gutachten über Mindestanforderungen an die Haltung von Zierfischen (Süßwasser). Bundesministerium für Ernährung, Landwirtschaft und Forsten (BMELF), Bonn, Alemania. 16 pp.
  14. Froese, Rainer, and Daniel Pauly, eds. (2016). Espécies de Carassius em FishBase. Versão de agosto de 2016.
  15. Predefinição:WoRMS species

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Carassius
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Carassius