Carbinoxamina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde Junho de 2012).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Carbinoxamina
Alerta sobre risco à saúde
Carbinoxamine.svg
Nome IUPAC 2-[(4-chlorophenyl)-pyridin-2-yl-methoxy]-N,N-
dimethyl-ethanamine
Identificadores
Número CAS 486-16-8,[1]
59811-38-0 (maleato de carbinoxamina) [2]
DrugBank APRD00765
ChemSpider 2466
Código ATC R06AA08
Propriedades
Fórmula química C16H19ClN2O
Massa molar 290.78 g mol-1
Ponto de fusão

< 25 °C[3]

Farmacologia
Via(s) de administração Oral [3]
Metabolismo Hepático
Meia-vida biológica 10 a 20 horas [3]
Excreção urina (metabólitos e fração não-transformada)
Compostos relacionados
Compostos relacionados Clorfeniramina (sem o grupo éter -O-)
Difenidramina (em vez do clorofenil e do piridinil, dois fenil)
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

A carbinoxamina é um fármaco utilizado pela medicina como antialérgico. Este fármaco é um bloqueador H1 da histamina indicado nos casos de tosse alérgica, sinusite alérgica, rinite alérgica, urticária, febre do feno, prurido, picadas, angioedema e dermatites e dermatoses alérgicas.[4][5]

Mecanismo de ação[editar | editar código-fonte]

Sua ação consiste em bloquear o receptor da histamina H1. Deste modo impede os efeitos desencadeados pela histamina. Também possui outros efeitos como sedação e anticolinérgico.

Posologia[editar | editar código-fonte]

  • Adultos e criança maiores de 12 anos: 4 a 8 mg a cada 6 ou 8 horas
  • Crianças: 2 mg a cada 6 ou 8 horas

Interações[editar | editar código-fonte]

O álcool e depressores do sistema nervoso central podem aumentar os efeitos da carbinoxamina.

Referências

  1. Chemical Book
  2. ChemIndustry
  3. a b c DrugBank
  4. P.R. Vade-mécum Abimip 2006/2007
  5. «Carbinoxamina - Dicionário Digital de Termos Médicos 2007». Consultado em 14 de fevereiro de 2009 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]