Cardarigan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cardarigan
Nacionalidade
Derafsh Kaviani.png
Império Sassânida
Ocupação General
Dracma de Hormisda IV (r. 579–590)
Fronteira romano-persa na Antiguidade Tardia

Cardarigan (em grego: Καρδαριγάν; transl.: Kardarigán) foi um general sassânida do final do século VI, ativo durante o reinado do Hormisda IV (r. 579–590), que lutou na guerra bizantino-sassânida de 572-591. Uma vez que ele é registrado como sendo velho o bastante para ter um sobrinho adulto em 586, é incerto se é o general de mesmo nome que lutou na guerra final no começo do século VII.[1] Seu nome é na verdade um título honorífico e significa "falcão negro".[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Cardarigan aparece pela primeira vez como comandante das forças persas no norte da Mesopotâmia no final de 582, onde opôs-se a invasão de Arzanena sob João Mistacão e derrotou-o na Batalha do rio Ninfeu. Na campanha de 583, liderou o cerco ao forte de Afumo, mas abandonou-o para ajudar a repelir um ataque bizantino no recém-construído forte de Acbas.[3][4] No outono de 584, enquanto preparava-se para uma incursão em solo bizantino, foi forçado a voltar para leste para combater uma invasão bizantina sob Filípico. Filípico retirou-se diante de Cardarigan, abandonando a campanha.[5] Em 585, enquanto Filípico adoeceu, Cardarigan partiu numa ofensiva, sitiando a base bizantina de Monocarto. O cerco falhou, e ele marchou para norte em direção a Martirópolis, a base de Filípico; após saquear um mosteiro próximo da cidade, contudo, retornou para território persa.[6][7]

No verão de 586, atacou o exército de Filípico em Solacão, comandando a divisão central do exército. A batalha terminou numa pesada derrota, e embora o próprio Cardarigan tenha escapado, os sobreviventes de seu exército sofreram enormemente por sua decisão de destruir os suprimentos de água do exército antes da batalha, numa tentativa de endurecer a determinação de seus homens.[8][9] No entanto, enquanto Filípico começou um ataque à fortaleza de Clomaro, Cardarigan conseguiu montar uma força improvisada, composta em sua maioria de camponeses. Ele então marchou para Clomaro e uniu seu exército com os defensores, forçando o general bizantino a levantar o cerco.[10] Nada mais se sabe sobre ele, até outro (ou possivelmente o mesmo) general com aquele nome aparecer cerca de 605.[6]

Referências

  1. Martindale 1992, p. 270-271.
  2. Haldon 2001, p. 53.
  3. Martindale 1992, p. 270.
  4. Greatrex 2002, p. 167.
  5. Greatrex 2002, p. 167-168.
  6. a b Martindale 1992, p. 271.
  7. Greatrex 2002, p. 168.
  8. Greatrex 2002, p. 168-169.
  9. Haldon 2001, p. 53; 56.
  10. Greatrex 2002, p. 169.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Greatrex, Geoffrey; Samuel N. C. Lieu (2002). The Roman Eastern Frontier and the Persian Wars (Part II, 363–630 AD). Londres: Routledge. ISBN 0-415-14687-9 
  • Haldon, John (2001). The Byzantine Wars: Battles and Campaigns of the Byzantine Era. Stroud, Gloucestershire: Tempus. ISBN 0-7524-1795-9 
  • Martindale, John R.; Jones, Arnold Hugh Martin; Morris, John (1992). The Prosopography of the Later Roman Empire - Volume III, AD 527–641. Cambridge e Nova Iorque: Cambridge University Press. ISBN 0-521-20160-8