Cardiomiopatia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Cardiomiopatia
Ventrículo esquerdo aberto em que se observa espessamento, dilatação e fibrose subendocardica, visível no progressivo branqueamento do interior do coração
Especialidade Cardiologia
Sintomas Falta de ar, fadiga, pernas inchadas[1]
Complicações Insuficiência cardíaca, arritmia cardíaca, parada cardíaca[1][2]
Tipos Cardiomiopatia hipertrófica, cardiomiopatia dilatada, cardiomiopatia restritiva, cardiomiopatia arritmogénica do ventrículo direito, Cardiomiopatia de Takotsubo[3]
Causas Desconhecidas, genéticas, álcool, metais pesados, amiloidose, stresse[3][4]
Tratamento Depende do tipo e dos sintomas[5]
Frequência 2,5 milhões com miocardite (2015)[6]
Mortes 354 000 com miocardite (2015)[7]
Classificação e recursos externos
CID-10 I42.9, I42, I51.5
CID-9 425.9, 425, 425.4
DiseasesDB 2137
MedlinePlus 001105
MeSH D009202, D009202
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 

Cardiomiopatias são um grupo de doenças que afetam o músculo cardíaco.[8] No início da doença, os sintomas podem ser poucos ou nenhuns.[1] Algumas pessoas podem apresentar falta de ar, fadiga ou pernas inchadas devido a insuficiência cardíaca.[1] Entre outros possíveis sintomas estão arritmias cardíacas e desmaios.[1] As pessoas com cardiomiopatias apresentam um risco acrescido de parada cardíaca.[2]

Entre os tipos de cardiomiopatias estão a cardiomiopatia hipertrófica, cardiomiopatia dilatada, cardiomiopatia restritiva, cardiomiopatia arritmogénica do ventrículo direito e cardiomiopatia de Takotsubo.[3] Na cardiomiopatia hipertrófica o músculo cardíaco aumenta de volume e torna-se mais espesso.[3] Na cardiomiopatia dilatada o ventrículo esquerdo aumenta de tamanho e perde força.[3] Na cardiomiopatia restritiva o ventrículo enrijece.[3]

Na maior parte dos casos desconhecem-se as causas.[4] A cardiomiopatia hipertrófica é geralmente hereditária, enquanto na cardiomiopatia dilatada apenas um terços dos casos são de origem hereditária.[4] A cardiomiopatia dilatada podem também ser o resultado do consumo de álcool, metais pesados, doença arterial coronária, consumo de cocaína e infeções virais.[4] A cardiomiopatia restritiva pode ser causada por amiloidose, hemocromatose e alguns tratamentos para o cancro.[4] A cardiomiopatia de Takotsubo é causada por strees emocional ou físico extremo.[3]

O tratamento depende do tipo de cardiomiopatia e da gravidade dos sintomas.[5] O tratamento geralmente consiste em modificações no estilo de vida, medicação ou cirurgia.[5] Em 2015, a cardiomiopatia e a miocardite afetavam 2,5 milhões de pessoas em todo o mundo.[6] A cardiomiopatia hipertrófica afeta cerca de 1 em 500 pessoas e a cardiomiopatia dilatada cerca de 1 em 2500.[3][9] Em 2015 foram responsáveis por 354 000 mortes, um aumento em relação às 294 000 em 1990.[7][10] A cardiomiopatia arritmogénica do ventrículo direito é mais comum entre pessoas mais jovens.[2]



Referências

  1. a b c d e «What Are the Signs and Symptoms of Cardiomyopathy?». NHLBI. 22 de junho de 2016. Consultado em 31 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 15 de setembro de 2016 
  2. a b c «Who Is at Risk for Cardiomyopathy?». NHLBI. 22 de junho de 2016. Consultado em 31 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 16 de agosto de 2016 
  3. a b c d e f g h «Types of Cardiomyopathy». NHLBI. 22 de junho de 2016. Consultado em 31 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 28 de julho de 2016 
  4. a b c d e «What Causes Cardiomyopathy?». NHLBI. 22 de junho de 2016. Consultado em 31 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 15 de setembro de 2016 
  5. a b c «How Is Cardiomyopathy Treated?». NHLBI. 22 de junho de 2016. Consultado em 31 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 15 de setembro de 2016 
  6. a b GBD 2015 Disease and Injury Incidence and Prevalence, Collaborators. (8 de outubro de 2016). «Global, regional, and national incidence, prevalence, and years lived with disability for 310 diseases and injuries, 1990-2015: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2015.». Lancet. 388 (10053): 1545–1602. PMC 5055577Acessível livremente. PMID 27733282. doi:10.1016/S0140-6736(16)31678-6 
  7. a b GBD 2015 Mortality and Causes of Death, Collaborators. (8 de outubro de 2016). «Global, regional, and national life expectancy, all-cause mortality, and cause-specific mortality for 249 causes of death, 1980-2015: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2015.». Lancet. 388 (10053): 1459–1544. PMC 5388903Acessível livremente. PMID 27733281. doi:10.1016/s0140-6736(16)31012-1 
  8. «What Is Sudden Cardiac Arrest?». NHLBI. 22 de junho de 2016. Consultado em 16 de agosto de 2016. Cópia arquivada em 28 de julho de 2016 
  9. Practical Cardiovascular Pathology. [S.l.]: Lippincott Williams & Wilkins. 2010. p. 148. ISBN 9781605478418. Cópia arquivada em 14 de setembro de 2016 
  10. GBD 2013 Mortality and Causes of Death, Collaborators (17 de dezembro de 2014). «Global, regional, and national age-sex specific all-cause and cause-specific mortality for 240 causes of death, 1990-2013: a systematic analysis for the Global Burden of Disease Study 2013». Lancet. 385 (9963): 117–71. PMC 4340604Acessível livremente. PMID 25530442. doi:10.1016/S0140-6736(14)61682-2 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]