Carl Barât

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Carl Barât
Informação geral
Nome completo Carlos Ashley Raphael Barât
Também conhecido(a) como Carl, Biggles, Blue Eyes, Pigman
Nascimento 06 de junho de 1978 (39 anos)
Local de nascimento Basingstoke
 Inglaterra
Origem  Reino Unido
Gênero(s) Indie rock, punk rock, rock de garagem
Ocupação(ões) Músico
Instrumento(s) Vocal, guitarra, violão, gaita e piano
Modelos de instrumentos Gibson Melody Maker

Gibson SG

Período em atividade 1997-presente
Afiliação(ões) The Libertines, Dirty Pretty Things, The Chavs, Client, Carl Barât & The Jackals.
Página oficial https://www.carlbaratandthejackals.com

Carlos Ashley Raphael Barât (Basingstoke, 6 de junho de 1978) é um músico, ator, compositor e escritor inglês. Ele é guitarrista e vocalista da banda The Libertines[1] (tendo como outros integrantes Pete Doherty, John Hassall e Gary Powell), que acabou em 2004 devido ao uso de drogas de Pete Doherty, mas retornou as atividades em 2015. Nesse meio tempo, Carl Barât e Gary Powell se juntaram e formaram uma outra banda, chamada Dirty Pretty Things que durou até final de 2008. Além de ter lançado seu primeiro álbum solo, autoentutilado Carl Barât (album)[2] em 2010, atualmente ele vem trabalhando (paralelo ao The Libertines) com a sua nova banda, Carl Barât and The Jackals.

Vida e carreira[editar | editar código-fonte]

Carl Barât nasceu em Basingstoke, Inglaterra em 6 de junho de 1978, e passou a maior parte de sua infância em Whitchurch, Hampshire. Em uma entrevista de dezembro de 2004 na Revista Blender, Barât mencionou ter etnia francesa, russa e polonesa.[2] Quando jovem, Barât dividiu seu tempo entre seus pais divorciados. Seu pai, um futuro artista, trabalhava em uma fábrica de armamento, e sua mãe, Chrissie, era parte de um grupo de moradia de contracultura e membro de grupos pacifistas como a Campanha do Desarmamento Nuclear. Barât passou parte de sua vida morando com sua mãe em um comunidade em Somerset. Ele tinha uma irmã, que atuava e cantava, Lucie Barât, que interpretava a serva de Helena no filme Troy (2004), e é a atual cantora do The Fay Wrays.

Pós-Libertines[editar | editar código-fonte]

Em 2005, Barât passou por uma cirurgia para remover um tumor atrás da orelha e passou várias semanas se recuperando da operação. O resultado da cirurgia e do tumor deixou o cantor parcialmente surdo.

Em 17 de abril de 2006, Barât disse sobre a dependência de drogas de Doherty, "é muito triste e eu gostaria que ele fosse resolver o problema. Que eu realmente gostaria de trabalhar com ele novamente algum dia. Eu não nego isso, mas eu não o vi realmente."[3]

Em 26 de Setembro de 2014, Carl lança um novo single chamado "Glory Days" pela "Cooking Vinyl Records" de Los Angeles. O álbum com o single será lançado em 2015 sob o nome de "Carl Barât & The Jackals" constando com diversas participações de outros músicos, como o percussionista dos Beastie Boys, Alfredo Ortiz.

Referências

  1. Wilde, Jon (07 de julho de 2008). «We need to talk about Pete: Carl Barat on the Tragedy of Doherty» (em inglês). Daily Mail. Consultado em 07 de agosto de 2013  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  2. Predefinição:Citar Carl Barât solo web
  3. The Sun: Something for the weekend. SFTW meets Carl Barat. Published 06-04-14]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Pete Doherty
Ícone de esboço Este artigo sobre guitarristas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.



O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Carl Barât