Karl Wernicke

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Carl Wernicke)
Ir para: navegação, pesquisa
Karl Wernicke
Conhecido(a) por identificada a Área de Wernicke
Nascimento 15 de maio de 1848
Tarnowitz, Alta Silésia, Prússia
Morte 15 de junho de 1905 (57 anos)
Gräfenroda, Império Alemão
Nacionalidade Alemanha Alemã
Alma mater Universidade de Wrocław
Instituições Universidade de Wrocław
Universidade de Halle-Wittenberg
Campo(s) Medicina

Carl ou Karl Wernicke (Tarnowitz, 15 de maio de 1848Gräfenroda, 15 de junho de 1905) foi um médico, anatomista, psiquiatra e neuropatologista alemão. É conhecido por sua pesquisa sobre os efeitos patológicos de específicas formas de encefalopatias e no estudo sobre as afasias, ambos os distúrbios são comumente associados ao sue nome e referidos como encefalopatia de Wenicke e afasia de Wernicke. Sua pesquisa, tal como a de Paul Broca, levou a grandes realizações na localização de funções cerebrais, em especial na fala.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Karl nasceu em Tarnowitz, uma cidade pequena na Alta Silésia, na Prússia[1], hoje a cidade de Tarnowskie Gory, na Polônia[2]. Depois de se formar em medicina pela Universidade de Wrocław, em 1870, ele trabalhou no Hospital Allerheiligen, em Breslávia, como assistente do professor de oftalmologia, Ostrid Foerster, por seis meses.

Após servir durante algum tempo como cirurgião do exército, ele retornou ao hospital e trabalhou no departamento de psiquiatria, com o professor Heinrich Neumann, que depois o enviou para Viena por seis meses para estudar neuropatologia com Theodor Meynert, que seria de grande influência em sua carreira[3].

Carreira[editar | editar código-fonte]

Karl serviu na Guerra Franco-Prussiana, em 1870, como cirurgião de campo. DE 1876 a 1878, ele trabalhou como primeiro assistente de Karl Westphal, na clínica de psiquiatria e doenças nervosas do hospital universitário Charité, em Berlim. Depois, abriu seu próprio consultório de neuropsiquiatria em Berlim e publicou diversos artigos[3]. Em 1885, sucedeu seu mentor, o professor Neumann, e trabalhou como professor associado em neurologia e psiquiatria em Breslávia, tornando-se chefe do departamento. Em 1890, obteve a cátedra da universidade, acumulando a mesma função na Universidade de Halle-Wittenberg, em 1904, chefiando o departamento de psiquiatria e neurologia clínica[2][3].

Estudos sobre a afasia[editar | editar código-fonte]

Área de Wernicke

Pouco tempo após Paul Broca ter publicado seus achados em déficits de linguagem causados por danos ao que hoje é conhecido como área de Broca no cérebro, Wernicke passou a pesquisar os efeitos do traumatismo craniano na linguagem[2]. Wernicke concluiu que nem todos os déficits de linguagem eram resultado de danos à área de Broca. Notou que lesões na região posterior esquerda do giro temporal superior resultavam em déficits na compreensão da linguagem[3]. Esta região é hoje chamada de área de Wernicke e a síndrome associada é denominada afasia de Wernicke[4].

Morte[editar | editar código-fonte]

Karl Wernicke morreu em 15 de junho de 1905, depois de se ferir gravemente em um acidente com uma bicicleta, em uma floresta da Turíngia[3].

Síndromes descritas por Wernick[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Graduate Institute of Linguistics (ed.). «Carl Wernicke: Biography». Graduate Institute of Linguistics. Consultado em 20 de novembro de 2017 
  2. a b c Psychology Encyclopedia (ed.). «Carl Wernicke». Psychology Encyclopedia. Consultado em 20 de novembro de 2017 
  3. a b c d e Keyser, Antoine (1994). Reader in the History of Aphasia: From Franz Gall to Norman Geschwind. Amsterdã: John Benjamins Publishing. p. 408. ISBN 978-9027218933 
  4. DNA Learning Center (ed.). «Superior Temporal Gyrus». DNA Learning Center. Consultado em 20 de novembro de 2017