Carlos Alberto Longo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Carlos Alberto Longo (São Paulo, 1941) é economista com doutorado em Economia pela Rice University, mestrado em Economia pela Universidade de São Paulo e bacharel em Economia pela Universidade Mackenzie. Exerceu as funções de administrador de fazendas, executivo financeiro, professor universitário e dirigente industrial.

Desde jovem acompanhou o pai, Jayme Watt Longo (1914-2008) e o avô, Geremia Lunardelli[1] (1886-1962), em atividades de abertura de fazendas, cultura de café e colonização de terras no norte do Estado do Paraná. De 1962 a 1967 administrou as propriedades agrícolas dos herdeiros da família Geremia Lunardelli (“rei do café”) no Paraguai.

Em 1968 retornou para São Paulo, ocasião em que se tornou um dos sócios fundadores, e diretor, da Distribuidora de Valores Titular, associada à Financeira Integral, ambas incorporadas mais tarde ao Banco Itamarati, em 1971. Nesta oportunidade deixou o mercado e dedicou-se ao estudo de economia a nível de pós-graduação primeiro em São Paulo, 1972-74 e depois em Houston, Texas,1974-78.

De volta ao país, ingressou na Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas- FIPE, onde se tornou pesquisador e professor (1978-92) e, mais adiante, integrou o quadro de professores do Departamento de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (1981 a 1995), quando deixou o magistério na função de Professor Titular. No ano acadêmico 1982-83 foi Pesquisador-Visitante da Harvard Law School, no International Tax Program.

Nesse período, publicou extensamente artigos acadêmicos em revistas especializadas. É autor, entre outros, dos livros Economia Brasileira: a transição inacabada 1985 a 1994, Atlas; Em Defesa de um Imposto de Renda Abrangente, FIPE/Pioneira; Ajustamentos de Impostos na Fronteira e a Alocação de Receitas Tributárias: o caso do ICM, IPE/USP. Recebeu em 1984 o prêmio Haralambos Simeonides, conferido pela Associação dos Centros de Pós-Graduação em Economia, com o artigo “Deficiência da Atual Tributação dos Rendimentos de Capital”, em Estudos Econômicos, IPE/USP.

Foi consultor do Banco Mundial em projetos na área de finanças públicas na Argentina e no México, em 1988. Durante a década de 80 e início dos anos 90 colaborou regularmente em jornais e revistas, fez palestras e participou de seminários, no Brasil e no exterior. Integrou as comissões do poder Executivo para reforma fiscal e tributária nos governos Sarney e Collor. Entre 1985 e 1992, foi editorialista e membro do Conselho Editorial do Jornal Folha de S.Paulo.

A partir dos anos 90 ingressou no setor sucroalcoleiro, tendo exercido sucessivamente a função de Vice-Presidente, de Presidente e de Presidente do Conselho da usina paranaense Vale do Ivaí até 2010, quando a empresa foi adquirida pela Shree Renuka Sugars. Foi também Vice-Presidente da Associação de Produtores de Açúcar e Álcool do Estado do Paraná, e recebeu em 2002 a medalha e o diploma do Mérito Industrial do Estado do Paraná, conferido pela Federação das Industrias do Estado do Paraná

É membro-fundador da Academia Internacional de Direito e Economia[2] (exerceu a presidência no bienio 1990-91) e do Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial.[3] E foi membro do Conselho de Economia, Sociologia e Política da Fecomercio SP (1987-2007).

É casado desde 1967 com Liliana Junqueira Longo, com quem tem duas filhas e quatro netas.

Referências