Carlos Alexandre (juiz)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Carlos Alexandre.
Carlos Alexandre
Magistrado-Juiz Central de Instrução
Mandato: em conjunto com Ivo Rosa[1]
Dados pessoais
Nascimento: 24 de março de 1961 (60 anos)
Mação, Mação, Portugal
Alma mater: Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa
Nacionalidade: Portuguesa

Carlos Manuel Lopes Alexandre (Mação, Mação, 24 de março de 1961)[2] é um juiz português.[3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Carlos Alexandre é Magistrado-Juiz Central de Instrução, responsável pelo Tribunal Central de Instrução Criminal no DCIAP em Lisboa.[4][5]

Filho de José Alexandre (um carteiro) e de sua mulher Narcisa Lopes (uma operária fabril, reformada da indústria de lanifícios), estudou na Telescola e nas férias chegou a ajudar o pai como carteiro e nas obras.[3] Completou a licenciatura na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, passou pela Polícia Judiciária Militar, ingressou na magistratura judicial e esteve em Sintra antes de chegar ao Tribunal Central de Instrução Criminal.[6]

O seu nome está associado a casos de grande impacto público, como o Caso Monte Branco, mas também Operação Furacão, Caso Portucale, Processo Face Oculta, Caso BPN, Processo Remédio Santo, Operação Labirinto, Caso Vistos Gold e Operação Marquês.[4]

Passou a infância na sua terra, foi bombeiro e é sportinguista assumido. É católico devoto que gosta de regressar às origens, participando sempre nas comemorações do Terço da Farinheira,[7] pelas ruas de Mação, na noite de Sexta-feira Santa, a localidade da Ribatejo (atualmente Médio Tejo), onde nasceu.[8]

Carlos Alexandre é casado e tem dois filhos.[6] Em 2015, segundo um estudo da TVI, foi considerado o 20.º homem com mais poder em Portugal.[9]

Em 7 de julho de 2020, o Delegado de Saúde de Lisboa recomendou isolamento profilático ao magistrado depois de ter estado em contacto com várias pessoas que estiveram envolvidas numa busca a uma agência bancária em Leiria e que terão contraído a COVID-19.[10]

Referências

  1. Conselho Superior da Magistratura. «Quadro de Juízes 2019-2020» (PDF) 
  2. «O juiz que gosta de interrogar». Consultado em 7 de julho de 2020 
  3. a b Bastos, Inês David (2 de agosto de 2014). «Carlos Alexandre: o juiz que enfrenta o sistema». Diário Económico. economico.sapo.pt. Consultado em 26 de novembro de 2014 
  4. a b «Depois dos Vistos Gold semana de Carlos Alexandre termina com detenção de Sócrates». www.jornaldenegocios.pt. 22 de novembro de 2014. Consultado em 7 de julho de 2020 
  5. «Juiz ganha guerra das escutas». www.cmjornal.pt. Consultado em 7 de julho de 2020 
  6. a b Calaveiras, Carlos (22 de novembro de 2014). «O juiz de todos os casos». Rádio Renascença. Consultado em 7 de julho de 2020 
  7. ««Não pertenço a nenhuma obdiência», diz juiz». TVI24. 8 de Abril de 2012. Consultado em 7 de julho de 2020 
  8. Infos no Blog animo, 25 de Novembro de 2014
  9. «Carlos Alexandre: O juiz que diz que "a verdade fala mais alto"». Notícias ao Minuto. 22 de novembro de 2014. Consultado em 7 de julho de 2020 
  10. Sousa, Jéssica (7 de julho de 2020). «Covid-19: Juiz Carlos Alexandre "forçado" a isolamento profilático». O Jornal Económico. Consultado em 7 de julho de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.