Carlos Argemiro Camargo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Carlos Argemiro Camargo
Nascimento 15 de abril de 1938
Ponta Grossa, Paraná
Morte 27 de março de 1965
Paraná
Nacionalidade Brasil Brasileiro
Ocupação militar
Prêmios
:Medalha do Pacificador
Medalha do Pacificador
Serviço militar
Patente 2º tenente

Carlos Argemiro Camargo (15 de abril de 1938, Ponta Grossa - 27 de março de 1965, Capitão Leônidas Marques), foi um sargento do Exército Brasileiro morto em um ataque de guerrilheiros comandados pelo ex-Coronel Jeferson de Alencar Osorio, comunista declarado, no extremo oeste do estado do Paraná.[1][2]

O militar era filho de Rômulo Camargo e Leondrina Rodrigues. Foi convocado pelo Exército Brasileiro em 1957, servindo na Arma da Infantaria, promovido a cabo no mesmo ano, e a 3º sargento em 1960. Foi promovido "post-mortem" a 2º tenente, recebendo a “Medalha do Pacificador”.[3][4]

Reconhecimentos[editar | editar código-fonte]

O militar é lembrado nos seguintes locais:

  • Rua Sargento Carlos Argemiro Camargo, Ponta Grossa, Paraná [5]
  • Colégio Estadual Carlos Argemiro Camargo, Capitão Leônidas Marques, Paraná [6]
  • Escola Sargento Camargo, Recife, Pernambuco [3]
  • Rua Carlos Argemiro Camargo, Vila Militar, Fortaleza, Ceará [7]
  • Rua Carlos Argemiro Camargo, Blumenau, Santa Catarina [8]
  • AV Carlos Argemiro Camargo,Sgt, 96, Anil, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro [9][10]
  • Rua Tenente Camergo, Francisco Beltrão, Paraná

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • USTRA, Carlos Alberto Brilhante, A verdade Sufocada - A história que a esquerda não quer que o Brasil conheça, Editora Ser, Brasília, 2006. [1] citações páginas 140, 147, 149 e 182
  • El caudillo Leonel Brizola, por Leite Filho, Neiva Moreira, Google livros [2] página 302

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre História do Brasil é um esboço relacionado ao Projeto História do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.