Carlos Eduardo Torres Gomes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Emblem-scales.svg
A neutralidade deste artigo ou se(c)ção foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde outubro de 2018). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Eduardo Gomes
Senador Eduardo Gomes.jpg
Eduardo Gomes
Secretário da Governadoria do Tocantins
Período 16 de julho de 2019
até atualidade
Governador Mauro Carlesse
Senador pelo Tocantins
Período 1º de fevereiro de 2019
até atualidade
[nota 1]
Deputado Federal pelo Tocantins
Período 1º de fevereiro de 2003
31 de janeiro de 2015
Vereador de Palmas
Período 1º de janeiro de 1997
até 31 de janeiro de 2003
Dados pessoais
Nascimento 28 de abril de 1966 (53 anos)
Estância
Partido MDB
Profissão Empresário

Carlos Eduardo Torres Gomes, (Estância, 28 de abril de 1966) é um empresário e político brasileiro. Foi deputado federal do estado do Tocantins e atualmente é senador pelo mesmo estado, sendo filiado ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Em 4 de outubro de 2013, assinou a ficha de filiação ao Solidariedade (SDD), assumindo em seguida a vice-presidência nacional do partido. Em 7 de outubro de 2018, foi eleito Senador pelo Tocantins tendo obtido 248.358 votos (19,48%) e sendo o mais votado desta eleição. O mandato de Eduardo Gomes no Senado Federal será cumprido entre 1 de fevereiro de 2019 a 31 de janeiro de 2027.

Carreira política[editar | editar código-fonte]

De vereador, chegou à Câmara dos Deputados, em Brasília, em 2002, com número expressivo de votos: 37.251. A primeira função de destaque do deputado tocantinense na Câmara foi de terceiro secretário da Mesa Diretora, em 2005, cargo ocupado pela primeira vez na história de um político do Estado.

Em 2006, foi reeleito. Em apenas dois mandatos (2003/2006 e 2007/2010), Eduardo Gomes se tornou um dos mais influentes parlamentares do Brasil. Com foco na defesa por projetos de interesse do povo tocantinense, foi presidente da Comissão de Ciência, Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados, função de relevância nacional pela primeira vez exercida por um parlamentar tocantinense.

No ano de 2007, Eduardo Gomes assumiu a liderança do PSDB dentro da Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional. Ele aceitou o convite do então presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE) para participar da coordenação política dos tucanos.

Em 2007 também foi membro da Comissão de Minas e Energia e já presidiu a Comissão Mista Especial de Mudanças Climáticas do Congresso Nacional, com importantes iniciativas e ações em defesa do meio ambiente.

O prestígio do parlamentar é comprovado pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), que colocou Eduardo Gomes seis vezes consecutivas com um dos cem mais influentes políticos do Congresso. Além da confiança dos tocantinenses, Eduardo Gomes prestígio entre os lideranças políticas nacionais, fato comprovado por sua reeleição como tesoureiro adjunto do PSDB em 2008. Ainda no âmbito partidário, assumiu em 2007 a liderança da sigla na Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional.

Ele assumiu a presidência da comissão em março de 2009. Em seu discurso de posse, garantiu encarar o desafio com "humildade" e "determinação". Cumpriu o objetivo de dar agilidade ao processo legislativo. O deputado também conseguiu priorizar e levar ao conhecimento público o debate sobre ciência e tecnologia especificamente em universidades federais e fundações. À frente da Comissão de Mudanças Climáticas, o então deputado federal Eduardo Gomes desenvolveu inúmeras atividades em todo o país envolvendo toda a comunidade, especialmente aqueles que já atuam na área ambiental.

Cumpriu mandato de Deputado Federal até janeiro de 2015.

Em 2018 disputou eleição para Senador, sendo eleito no dia 7 de outubro com 248.358 votos (19,48%), conforme informações do TRE-TO.

Licenciou-se do mandato de Senador para assumir a Secretaria da Governadoria do Tocantins, na gestão de Mauro Carlesse (DEM). Em seu lugar no Senado, assumiu o primeiro-suplente Siqueira Campos (DEM).

Eleição de 2006[editar | editar código-fonte]

Foi o quarto Deputado Federal mais votado no estado do Tocantins , tendo recebidos na última eleição 33.664 (Trinta e três mil e seiscentos e sessenta e quatro) votos.

Eleição de 2018[editar | editar código-fonte]

Foi o mais votado no Estado do Tocantins para o Senado, sendo eleito no dia 7 de outubro com 248.358 votos (19,48%), conforme informações do TRE-TO (www.tre-to.jus.br).

Notas

  1. Licenciado a partir de 15 de julho de 2019 para assumir a Secretária de Estado da Governadoria do Tocantins