Carlos Hevia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Carlos Hevia.jpg

Carlos Hevia y Reyes-Gavilan (Havana, 21 de março de 1900 - Flórida, 2 de abril de 1964) foi presidente de Cubapor apenas três dias. Na terceira semana de 1934, Hevia foi presidente das 17:00h na segunda-feira, 15 de janeiro, até às 01h20 na quinta-feira, 18 de janeiro.[1] O líder da junta cubana, Fulgencio Batista, havia obtido a renúncia do antecessor de Hevia, Ramón Grau. Entretanto, a escolha de Hevia foi impopular entre os militares, e na quarta, o novo presidente foi "convidado" a demitir-se. Ele foi substituído por Manuel Márquez Sterling.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. "Ramon Grau San Martin", Current Biography 1944 (H.W. Wilson Co., 1944), p. 254

Referências

  • Fulgencio Batista, From Revolutionary to Strongman (Rutgers University Press, 2006, ISBN 978-0-8135-3701-6)
  • Otero, Juan Joaquin (1954). Libro De Cuba, Una Enciclopedia Ilustrada Que Abarca Las Artes, Las Letras, Las Ciencias, La Economia, La Politica, La Historia, La Docencia, Y El Progreso General De La Nacion Cubana - Edicion Conmemorative del Cincuentenario de la Republica de Cuba, 1902–1952 (em espanhol). [S.l.: s.n.] 

Cargos políticos
Precedido por
Ramón Grau
Presidente de Cuba
15–18 de janeiro de 1934
Sucedido por
Manuel Márquez Sterling
Precedido por
Alberto Inocente Álvarez
Ministro das Relações Exteriores de Cuba
1948–1950
Sucedido por
Ernesto Dihigo y Lopez Trigo