Carlos Orsi Martinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde novembro de 2016) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Carlos Orsi
Nome completo Carlos Orsi Marinho
Nascimento 1971 (46 anos)
Nacionalidade Brasil Brasileiro
Ocupação Escritor
Principais trabalhos Pura picaretagem

Carlos Orsi Martinho conhecido por assinar como Carlos Orsi (1971),[1] é um escritor brasileiro de ficção científica e horror e jornalista especializado em divulgação da Ciência. Graduado pela ECA-USP[2], é uma figura ativa da atual geração de autores da ficção científica brasileira.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Sua estreia profissional como ficcionista se deu no número 24 da revista Isaac Asimov Magazine, título publicado no Brasil pela Editora Record entre 1990 e 1993, com a novela "Aprendizado". Foi sócio da Editora Ano-Luz, que publicou livros de ficção científica no Brasil entre 1997 e 2004, e é parte no núcleo original de autores do universo Intempol, criado por Octavio Aragão.

Seu trabalho como ficcionista, composto, majoritariamente, por contos e novelas, foi publicado em antologias coletivas da Ano-Luz e em praticamente todos os periódicos brasileiros que abriram espaço para o gênero fantástico de fanzines a revistas como Dragão Brasil, Quark, Sci-Fi News Contos, Pesquisa FAPESP, Pl4y e, mais recentemente, na revista Ficções, em uma edição especial sobre ficção científica brasileira, lançada em 2006.

É autor de três romances: Melissa, a Meretriz do Mal (disponível online), Guerra Justa (Draco, 2010), Nômade(Autores Associados, 2010) e As Dez Torres de Sangue (Draco, 2012).

No exterior, já colaborou com fanzines americanos de terror. Contos seus, bem como uma aventura para o RPG The Call of Cthulhu, podem ser encontrados na internet, em português e inglês. Boa parte dos escritos do início de sua carreira foi baseada nos Mitos de Cthulhu. Um trabalho inspirado na ditadura militar brasileira, "The Machine in Yellow", foi incluído na antologia Rehearsals for Oblivion, um tributo ao clássico do terror Robert W. Chambers. Um conto seu, "Não Mais", foi traduzido para o espanhol e disponibilizado online no website argentino Axxón.

Orsi é autor dos seguintes livros solo de contos: Medo, Mistério e Morte (Didática Paulista, 1996), O Mal de Um Homem (Ano-Luz, 2000) e Tempos de Fúria (Novo Século, 2005), além da novela de fantasia As Dez Torres de Sangue, lançada em edição limitada pelos fanzines Megalon e Hiperepaço. Sua ficção curta aparece em diversas antologias, ao lado de trabalhos de outros autores brasileiros e estrangeiros. As editoras que mais publicaram trabalhos de Orsi nesse formato foram Ano-Luz, Draco e Não Editora.

Como divulgador de ciência, iniciou sua carreira ainda nos anos 90, como autor da seção "Ciência e Consciência" do suplemento infantil "Jotinha", do Jornal de Jundiaí. Em 1997, iniciou uma série semanal de colunas de divulgação científica e de popularização da então ainda nascente internet comercial, publicadas no website da Agência Estado. A coluna foi transferida, em 2000, para o Portal Estadão, que consolidou os websites do Grupo Estado, e se viu extinta em 2010.

Influenciado por Philip José Farmer (falecido em 2009)[3], o autor chegou a publicar em 2002, no site oficial do autor, o artigo "From Russia with Madness" em parceira com Octavio Aragão[4], em 2004, a dupla entrevistam o autor para o portal Intempol[5][6], Em 2012, co-escrevem o conto "The Last of the Guaranys" publicado na antologia The Worlds of Philip José Farmer: Portraits of a Trickster da Meteor House, no ano seguinte o conto é republicado na antologia Tales of the Wold Newton Universe pela editora Titan Books[7], o conto coloca os personagens Ceci e Peri do livro O Guarani de José de Alencar ao Wold Newton universe de Farmer[5], que conecta personagens como Sherlock Holmes, Tarzan, entre outros.[8][9] Em Julho de 2014, seu conto Melhor servido frio foi traduzido para o inglês como Best Eaten Cold e publicado na tradicional revista americana Ellery Queen's Mystery Magazine.[10]

Atualmente, mantém um blog sobre ciência, cultura e atualidades no blogspot, Artigos e reportagens seus sobre Ciência foram publicados nas edições brasileiras das revistas "Discovery" e "Newton", na "Geek", em "Discutindo Língua Portuguesa", na revista online "DataGramaZero", em "O Estado de S. Paulo", "Carta na Escola", no Portal Estadão e no site da Galileu[11], também atua como editor assistente no Núcleo de jornalismo do Centro de Estudos Avançados da Unicamp.[12]


Em 2014, foi responsável por uma edição comentada de O Rei de Amarelo de Robert W. Chambers, publicada pela editora Intrínseca.[13]



Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Medo, Mistério e Morte (Didática Paulista, 1996)
  • Sob o Signo de Xoth (Outras Copas, Outros Mundos, Ano-Luz, 1998)
  • Phantastica Brasiliana, 500 Anos de Histórias Deste e Doutros Brasis (organizador, Anos-Luz 2000)
  • O Mal de Um Homem (contos, Ano-Luz, 2000)
  • A Mortífera Maldição da Múmia (antologia Intempol, Ano-Luz, 2000)
  • Melissa, a Meretriz do Mal (2003, e-book)
  • Engrenagem Vulgar (Como era gostosa a minha alienígena, Editora Ano-Luz, 2003)
  • Aniquilador - (Vinte Voltas ao Redor do Sol, CLFC, 2005)
  • Tempos de Fúria (Novo Século, 2005)
  • The Machine in Yellow (Rehearsals for Oblivion: Tales of the King in Yellow (Act I), Elder Signs Press, 2006)
  • Disse a Profetisa - (antologia “Por Universos Nunca Dantes Navegados”, Portugal, 2007)
  • Por toda a eternidade - (Imaginários – contos de fantasia, ficção científica e terror vol. 1, Draco, 2009)
  • Guerra Justa (Draco, 2010)
  • Nômade - Uma Aventura no Espaço (Ciranda de Letras, 2010)
  • A Extinção das Espécies (Vaporpunk, Draco, 2010)
  • O Livro dos Milagres (Vieira & Lenti, 2011)
  • As Muralhas Verdes, (Ficção de Polpa - Volume 4: Crime!, Não Editora, 2011)
  • Fúria do Escorpião Azul (Dieselpunk – Arquivos confidenciais de uma bela época, 2011
  • Questão de Sobrevivência (Assembleia Estelar, Devir, 2011)
  • A aventura do falso Dr. Watson (Sherlock Holmes – Aventuras secretas, Draco, 2011)
  • A Fábrica (Duplo Sobrenatural Devir 2011)
  • As Dez Torres de Sangue (Draco, 2012)
  • A Festa de Todos os Deuses – (Brinquedos Mortais, Draco,
  • Melhor servido frio' (Ficção de Polpa - Volume 5: Aventura!, Não Editora, 2012)
  • The Last of The Guaranys, em parceira com Octavio Aragão (The Worlds of Philip José Farmer: Portraits of a Trickster, Meteor House, 2012 e Tales of Wold Newton Universe, Titan Books, 2013)
  • Bad for Business (Needle a magazine of noir, 2012)
  • The Schroedinger Show (Draco 2013)
  • No vácuo você pode ouvir o espaço gritar (Space Opera, Draco, 2013)
  • Planeta dos mortos (Draco, 2013)
  • Antropomaquia - Fantasias Urbanas (Draco, 2013)
  • O Sinal da Forca (Crônicas de Espada e Magia, 2013, Arte & Letra)
  • Soylent Green is People! (Solarpunk – Histórias ecológicas e fantásticas em um mundo sustentável, Draco, 2013)
  • Campo total e outros contos de ficção científica (Draco, 2013)
  • Pura Picaretagem, (com Daniel Bezerra, Leya Brasil, 2013)
  • Best Eaten Cold (Ellery Queen's Mystery Magazine, Julho de 2014)
  • Tempos de Fúria - Contos de Ficção Científica (Draco, 2015)
  • The Argonaut (Swords v. Cthulhu, Stone Skin Press, 2016)
  • Mistérios do Mal – contos de horror, Draco, 2016

Premiações[editar | editar código-fonte]

Prêmio Argos em 2012 pelo conto "No vácuo você pode ouvir o espaço gritar".

Prêmio Argos em 2015 pelo conto "Clitoridectomia".[14]

Referências

  1. «Nômade - Uma Aventura no Espaço». Autores Associados 
  2. «Ex-alunos da Graduação». ECA-USP 
  3. Efe (26 de fevereiro de 2009). «Morre escritor americano Philip José Farmer aos 91 anos». Folha Online 
  4. Octavio Aragão eCarlos Martinho (27 de maio de 2002). «From Russia with Madness». PjFarmer.com/Internet Archive 
  5. a b Carey, Christopher Paul. «Tales of the Wold Newton Universe, Part 2 of 4». Black Gate (em inglês). Consultado em 30 de outubro de 2013 
  6. «Interviews with PJF». Philip José Farmer - International Bibliography 
  7. «Bibliography: The Last of the Guaranys». Internet Speculative Fiction Database 
  8. Mitografia sequencial: fabulação, pastiche e o universo de Wold Newton nos quadrinhos americanos das últimas cinco décadas
  9. André Forastieri (13 de abril de 2010). «Invente a sua saga» 
  10. «EQMM - Author and Story Index - 2014». Ellery Queen's Mystery Magazine. 2014 
  11. «Olhar Crítico por Carlos Orsi». Galileu 
  12. «Inovação Unicamp - Expediente». Inovação Unicamp 
  13. Carlos Orsi comenta O Rei de Amarelo
  14. Mike Glyer (29 de novembro de 2015). «Prêmio Argos de Literatura Fantástica 2015 Awarded». File 770. Consultado em 2 de dezembro de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]