Carlos Portinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Portinho
Foto oficial de Carlos Portinho como Senador
Senador pelo Rio de Janeiro
Período 3 de novembro de 2020
até a atualidade
Dados pessoais
Nascimento 2 de julho de 1973 (47 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Partido PSD (2011-2020)
PL (2020-presente)

Carlos Francisco Portinho, conhecido como Portinho (Rio de Janeiro, 2 de julho de 1973), é um político e advogado brasileiro filiado ao Partido Liberal (PL)[1]. Atualmente é senador pelo estado do Rio de Janeiro, assumindo o mandato em novembro de 2020 após a morte do titular Arolde de Oliveira.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em 1973 no Rio de Janeiro, foi atleta do Flamengo até os 14 anos e aos 17 começou a se dedicar à música. Advogado formado pela PUC-RJ, Portinho iniciou a carreira na advocacia no escritório TozziniFreire Advogados. Se especializou em direito esportivo, tributário e público e deu aulas em faculdades particulares. No setor público, exerceu o cargo de secretário municipal de Habitação durante a gestão de Eduardo Paes na prefeitura do Rio de Janeiro[3], secretário estadual de meio ambiente na gestão de Luiz Fernando Pezão e subsecretário municipal de habitação da gestão Marcelo Crivella[4]. Antes, foi assessor parlamentar de Indio da Costa na Câmara dos Deputados, colaborando na assessoria do relatório para a Lei da Ficha Limpa.

Carlos Portinho toma posse como Senador em Novembro de 2020, com a presença do governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, e do presidente do Senado, Davi Alcolumbre

No setor privado, como advogado especializado em direito desportivo, foi vice-presidente jurídico do Flamengo em 2002[5] e atuou na defesa de outros clubes como Palmeiras, Santos, Cruzeiro, Atlético-MG e São Paulo, além de atletas como Dodô e Jobson quando estes responderam a processos na esfera esportiva por dopping.[6]

Um dos organizadores do PSD no Rio de Janeiro, Portinho se candidatou a vereador pela capital em 2016, tendo obtido pouco mais de 7 mil votos e não sendo eleito. Já em 2018, foi eleito primeiro suplente de senador na chapa de Arolde de Oliveira. Com a morte de Arolde aos 83 anos em novembro de 2020, por complicações da COVID-19, Portinho tomou posse no Senado no dia 3 de novembro de 2020.[7][8] Nas eleições municipais de 2020, Portinho apoiou a chapa do candidato do PSL, Luiz Lima, no primeiro turno. Já no segundo turno, Carlos Portinho e seu partido apoiaram o candidato e ex-prefeito Eduardo Paes (DEM).[9]

Em dezembro de 2020, Portinho deixa o PSD e se filia ao PL.[10]

Referências

  1. Fern, Raphael; es (26 de dezembro de 2020). «Senador Carlos Portinho deixa o PSD e vai para o PL». Diário do Rio de Janeiro. Consultado em 9 de janeiro de 2021 
  2. «Flávio Bolsonaro e Arolde de Oliveira são eleitos pelo Rio de Janeiro». Senado Federal. Consultado em 30 de maio de 2020 
  3. «Exibir Conteúdo». www.rio.rj.gov.br. Consultado em 22 de outubro de 2020 
  4. Perillier, Marcelo (22 de outubro de 2020). «Carlos Portinho é o novo parlamentar do Rio no Senado». Correio da Manhã Brasil. Consultado em 22 de outubro de 2020 
  5. «Suplente de Arolde é ex-secretário do RJ e foi vice do Flamengo». Gazeta do Povo. Consultado em 22 de outubro de 2020 
  6. «Saiba quem é Carlos Portinho, o novo senador do Rio de Janeiro». Congresso em Foco. Consultado em 23 de novembro de 2020 
  7. «Ao vivo: Carlos Portinho (PSD-RJ) toma posse como Senador». Poder360. 3 de novembro de 2020. Consultado em 3 de novembro de 2020 
  8. «Senador Arolde de Oliveira morre no Rio, aos 83 anos». G1. Consultado em 22 de outubro de 2020 
  9. «Paes sela apoio de bolsonaristas enquanto comemora votos do PSOL». noticias.uol.com.br. Consultado em 24 de novembro de 2020 
  10. «Senador Carlos Portinho deixa o PSD e vai para o PL». BR Político. Consultado em 28 de dezembro de 2020 

[1]

Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço relacionado ao Projeto Biografias de Políticos. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome :0