Carlos Silveira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura o farmacêutico e professor português (1923 —), veja Carlos Fernando Costa da Silveira.
Carlos Silveira
Nome completo Carlos Alberto da Silveira Lopes
Nascimento 19 de agosto de 1945 (71 anos)
Ocupação dublador
actor
Atividade Ator(1967-presente)
Dublador(1989-presente)

Carlos Alberto da Silveira Lopes é um ator, dublador e diretor de dublagem brasileiro.[1]

Iniciou sua carreira de ator no teatro, em 1967, no espetáculo Marat-Sade, sob a direção de Ademar Guerra. Com direção de Flávio Rangel, esteve nos seguintes espetáculos: Abelardo e Heloísa, A morte do caixeiro viajante, Amadeus (no papel título), Esperando Godot (espetáculo em que aconteceu a morte de Cacilda Becker), e Hamlet, entre outros. Sob a direção de Iacov Hillel atuou em Leonor de Mendonça. Sob a direção de Antunes Filho atuou em A Cozinha.

Em televisão, em 1968, na TV Bandeirantes, atuou no Sítio do Pica-pau Amarelo. Na TV Record participou da telenovela Quero Viver.

Sua voz é muito parecida com a do ex-dublador carioca Isaac Schneider

Lista de dublagens[editar | editar código-fonte]

Direções de dublagem[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Jovem Pan (16 de agosto de 2010). «Carlos Silveira fala sobre seus diversos personagens». Consultado em 4 de agosto de 2013 
  2. Ayaka Kyoyama, Henshin (37 de julho de 2009). «Saga dos Elíseos: parte 4». Consultado em 4 de agosto de 2013  Verifique data em: |data= (ajuda)
  3. Movie Vício. «Cinco animações que a dublagem brasileira estragou». Consultado em 4 de agosto de 2013