Carlos Silveira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura o farmacêutico e professor português (1923 —), veja Carlos Fernando Costa da Silveira.
Carlos Silveira
Nome completo Carlos Silveira
Nascimento 19 de agosto de 1945 (71 anos)
Ocupação dublador
actor
Atividade Ator(1967-presente)
Dublador(1989-presente)

Carlos Silveira é um ator, dublador e diretor de dublagem brasileiro.[1]

Iniciou sua carreira de ator no teatro, em 1967, no espetáculo Marat-Sade, sob a direção de Ademar Guerra. Com direção de Flávio Rangel, esteve nos seguintes espetáculos: Abelardo e Heloísa, A morte do caixeiro viajante, Amadeus (no papel título), Esperando Godot (espetáculo em que aconteceu a morte de Cacilda Becker), e Hamlet, entre outros. Sob a direção de Iacov Hillel atuou em Leonor de Mendonça. Sob a direção de Antunes Filho atuou em A Cozinha.

Em televisão, em 1968, na TV Bandeirantes, atuou no Sítio do Pica-pau Amarelo. Na TV Record participou da telenovela Quero Viver.

Sua voz é muito parecida com a do ex-dublador carioca Isaac Schneider

Lista de dublagens[editar | editar código-fonte]

Direções de dublagem[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Jovem Pan (16 de agosto de 2010). «Carlos Silveira fala sobre seus diversos personagens». Consultado em 4 de agosto de 2013 
  2. Ayaka Kyoyama, Henshin (37 de julho de 2009). «Saga dos Elíseos: parte 4». Consultado em 4 de agosto de 2013  Verifique data em: |data= (ajuda)
  3. Movie Vício. «Cinco animações que a dublagem brasileira estragou». Consultado em 4 de agosto de 2013