Carlos II, Duque de Gueldres

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Carlos de Egmond)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde Novembro de 2008). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Carlos de Egmond
Duque de Gueldres
Gravura de Carlos de Egmond
Reinado 1492 - 1538
Consorte Elisabete de Brunswick
Antecessor(a) Filipe, o Belo
Sucessor(a) Guilherme, duque de Jülich-Cleves-Berg
Nascimento 9 de Novembro de 1467
  Grave
Morte 30 de Junho de 1538
  Arnhem
Enterro igreja de Santo Eusébio
Pai Adolfo de Egmond
Mãe Catarina de Bourbon

Carlos de Egmond (9 de Novembro de 146730 de Junho de 1538) foi duque de Gueldres de 1492 até sua morte. Era filho de Adolfo de Egmond e Catarina de Borbon. Teve papel importante durante a rebelião camponesa da Frísia e nas Guerras Guéldricas.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Carlos nasceu em Arnhem[1][2] ou Grave[2] e cresceu na corte de Carlos, o Temerário, duque da Borgonha, que havia comprado o título de duque de Gueldres de Adolf de Egmond em 1473. Ele participou de diversas batalhas contra os exércitos de Carlos VIII de França, até ser capturado na Batalha de Béthune, em 1487.

Em 1492, as cidades de Gueldres, que haviam se desencantado sob o comando do rei Maximiliano - que havia adquirido terras burgúndias para os Habsburgos por casamento - resgataram Carlos e o reconheceram como seu duque.

Carlos teve apoio do rei francês, porém, em 1505, Gueldres foi retomada pelo filho do rei Maximiliano, Filipe, o Belo. Carlos teve de acompanhar Filipe à Espanha para presenciar a coroação dele como rei de Castela, mas conseguiu escapar em Antuérpia. Pouco tempo depois, Filipe morreu na Espanha e, em Julho de 1513, Carlos obteve novamente controle sobre toda Gueldres.

Em 1519, Carlos casou-se com Elisabete de Brunswick. O casamento não produziu frutos. Carlos, no entanto, foi pai de muitos filhos ilegítimos.

Em seu conflito contra os Habsburgos, Carlos foi um importante aliado dos camponeses rebeldes da Frísia, tendo inicialmente apoiado financeiramente o líder rebelde Pier Gerlofs Donia e subornado o Conde de Nychlenborch, um vassalo da Borgonha encarregado de acabar com a rebelião. Quando a sorte deixou o lado dos rebeldes, Carlos cessou o seu apoio e trocou de lado, junto com comandante militar Maarten van Rossum.

No tratado de Gorinchem (1528), o imperador Carlos, filho de Filipe, o Belo, propôs reconhecer Carlos de Egmond como duque de Gueldres, contanto que herdasse o título caso o duque morresse sem herdeiro. O duque, que à época não tinha nenhum filho legítimo, adiou a assinatura do tratado. Outra batalha teve início, após a qual essa passagem foi removida do acordo. Em 1536 houve finalmente paz entre Guelders e Borgonha.

Carlos morreu em Arnhem e está enterrado na igreja de Santo Eusébio.

Família[editar | editar código-fonte]

Sua única irmã legítima, a gêmea Filipa, duquesa de Lorena (1467-1547), morreu durante o reino de seu grande-neto Carlos III.

Precedido por
Filipe, o Belo
Duque de Gueldres
14921538
Sucedido por
Guilherme, duque de Jülich-Cleves-Berg
  1. P. C. Molhuysen and P. J. Blok, ed. (1937). «Karel (van Egmond)». Nieuw Nederlandsch Biografisch Woordenboek (em Dutch). 10. pp. 441–447 
  2. a b A. J. van der Aa, K. J. R. van Harderwijk and G. D. J. Schotel, ed. (1862). «Karel, hertog van Gelre». Biographisch woordenboek der Nederlanden (em Dutch). J. J. van Brederode