Carris Metropolitana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Carris Metropolitana
Atividade Transporte rodoviário
Fundação 01 de abril de 2022 (8 meses)
Sede Lisboa, Portugal
Área(s) servida(s) Área Metropolitana de Lisboa[a]
Empresa-mãe TML - Transportes Metropolitanos de Lisboa
Antecessora(s)
Website oficial carrismetropolitana.pt
Disambig grey.svg Nota: Para a operadora municipal de Lisboa, veja Companhia Carris de Ferro de Lisboa. Para a operadora de Porto Alegre, Brasil, veja Companhia Carris Porto-Alegrense.

A Carris Metropolitana é o serviço único de transporte público rodoviário da Área Metropolitana de Lisboa, com exceção dos municípios de Lisboa, Cascais e Barreiro onde operam empresas municipais. Lançada a 1 de Abril de 2022,[2] as suas operações apenas se iniciaram oficialmente no dia 1 de junho de 2022 na Área 4, correspondente aos municípios de Alcochete, Moita, Montijo, Palmela e Setúbal, com data prevista de entrada em funcionamento nos restantes lotes a 1 de julho de 2022.[3]

Após vários problemas sentidos com o arranque do primeiro lote, a margem norte (Áreas 1 e 2) está adiada e só arrancará a 1 de janeiro de 2023. A Área 3 entrará em serviço no dia 1 de julho mas gradualmente.[4]

Com a Carris Metropolitana o serviço de transporte rodoviário na Área Metropolitana de Lisboa vai aumentar em cerca de 35%, algo possível graças a um investimento de cerca de 1,2 mil milhões de euros.[5]

Áreas[editar | editar código-fonte]

A Carris Metropolitana tem a sua zona de operação dividida em 4 áreas, nas quais se incluem os 15 municípios da Área Metropolitana de Lisboa que delegaram as suas competências de transporte público rodoviário à Transportes Metropolitanos de Lisboa:[6]

Área 1: Amadora, Oeiras, Sintra

Área 2: Mafra, Loures, Odivelas e Vila Franca de Xira

Área 3: Almada, Seixal e Sesimbra

Área 4: Alcochete, Moita, Montijo, Palmela e Setúbal

Funcionamento[editar | editar código-fonte]

A operação de cada uma das áreas da Carris Metropolitana encontra-se concessionada a operadores privados distintos:

Área 1: Viação Alvorada (resultado da fusão da Scotturb e da Vimeca / Lisboa Transportes)

Área 2: Rodoviária de Lisboa

Área 3: Transportes Sul do Tejo

Área 4: Alsa Todi

A operação da Carris Metropolitana também abrange as ligações aos municípios que decidiram não delegar as suas competências de transporte público rodoviário à Transportes Metropolitanos de Lisboa, como é o caso de Lisboa, Cascais e Barreiro. Como tal, na Área 1 também se encontram incluídas as ligações para Cascais e Lisboa, na Área 2 as ligações para Lisboa e na Área 3 e Área 4 as ligações para o Barreiro e Lisboa. Em Lisboa, Cascais e Barreiro continuam a operar as empresas municipais de transporte público rodoviário, Carris, MobiCascais e Transportes Coletivos do Barreiro, respetivamente.[6]

Serviço[editar | editar código-fonte]

A frota da Carris Metropolitana será composta por 1600 veículos de vários tamanhos, mais de mil dos quais terão uma idade inferior a um ano e 237 dos quais são recentemente adquiridos. Os veículos estão equipados com pontos de acesso Wi-Fi gratuitos assim como pontos de carregamentos por USB. A nível das paragens, a rede será constituída por cerca de 12 mil paragens, na sua maioria correspondentes às paragens dos anteriores operadores, as quais estão equipadas com 370 painéis informativos[7][8]

Área 1[editar | editar código-fonte]

A frota alocada à Área 1 será constituída por mais de 460 autocarros de 9 modelos distintos, 410 dos quais novos. Existirão 4000 paragens, as quais estarão equipadas com 110 painéis informativos, o maior número de painéis informativos de todas as áreas. Nesta área os autocarros estarão a circular entre as 4h30 e a 1h59.[9]

Área 2[editar | editar código-fonte]

A frota alocada à Área 2 será constituída por mais de 520 autocarros, o maior número de autocarros de todas as áreas, de 16 modelos distintos, 460 dos quais novos. Existirão igualmente 4000 paragens, as quais estarão equipadas com 90 painéis informativos. Nesta área os autocarros estarão a circular entre as 4h00 e a 1h59.[9]

Área 3[editar | editar código-fonte]

A frota alocada à Área 3 será constituída por mais de 330 autocarros de 11 modelos distintos, 290 dos quais novos. Existirão 2000 paragens, as quais estarão equipadas com 50 painéis informativos. Nesta área os autocarros estarão a circular sem interrupção.[9]

Área 4[editar | editar código-fonte]

A frota alocada à Área 4 será constituída por mais de 230 autocarros de 6 modelos distintos, todos eles novos. Existirão 2000 paragens, as quais estarão equipadas com 63 painéis informativos. Nesta área os autocarros estarão a circular entre as 4h30 e a 1h59.[9]

Linhas[editar | editar código-fonte]

A divisão da Área Metropolitana de Lisboa em áreas de operação também implicou a alteração da numeração das linhas. As novas linhas estão agora divididas por 4 designações base: Próxima, Longa, Rápida e Inter-regional. Existem ainda mais 2 designações que identificam linhas com um propósito específico: Mar e Turística.[10]

  • Linha Próxima: linhas locais
  • Linha Longa: linhas com percursos alargados
  • Linha Rápida: linhas com utilizam maioritariamente autoestradas
  • Linha Inter-regional: linhas que circulam para fora da Área Metropolitana de Lisboa
  • Linha Mar: linhas que fazem ligação a zonas balneares
  • Linha Turística: linhas com foco turístico

A nova numeração, agora com 4 dígitos, segue as seguintes regras:[11]

  • O primeiro algarismo representa a Área respetiva, de 1 a 4
  • O segundo algarismo representa o trajeto da linha:
    • 0 a 4: linhas que circulam apenas dentro de um único município
    • 5: linhas que circulam entre municípios da mesma Área
    • 6: linhas que circulam para fora da Área, assim como para o Barreiro e Cascais
    • 7 e 8: linhas que circulam para Lisboa
    • 9: linhas que circulam para fora da Área Metropolitana de Lisboa
  • O terceiro e quarto algarismos representam o número da linha, de 1 a 99

Área 1[editar | editar código-fonte]

As linhas da Área 1 utilizam a numeração 1XXX e farão as ligações dentro de cada município, entre os 3 municípios da área, aos municípios da Área 2 e a Cascais e Lisboa. Serão um total de 133 linhas, 35 das quais novas.[5]

Oeiras: COMBUS incluído na Carris Metropolitana.

  • 10XX: linhas que circulam apenas no município da Amadora
  • 11XX: linhas que circulam apenas no município de Oeiras
  • 12XX: linhas que circulam apenas no município de Sintra
  • 15XX: linhas que circulam entre os municípios da Área 1
  • 16XX: linhas que circulam para Cascais e para a Área 2
  • 17XX: linhas que circulam para Lisboa

Área 2[editar | editar código-fonte]

As linhas da Área 2 utilizam a numeração 2XXX e farão as ligações dentro de cada município, entre os 4 municípios da área, aos municípios da Área 1 e a Lisboa. Serão um total de 218 linhas, 31 das quais novas.[5]

  • 20XX: linhas que circulam apenas no município de Loures
  • 21XX: linhas que circulam apenas no município de Mafra
  • 22XX: linhas que circulam apenas no município de Odivelas
  • 23XX: linhas que circulam apenas no município de Vila Franca de Xira
  • 25XX: linhas que circulam entre os municípios da Área 2
  • 26XX: linhas que circulam para a Área 1
  • 27XX: linhas que circulam para Lisboa
  • 28XX: linhas que circulam para Lisboa
  • 29XX: linhas que circulam para fora da Área Metropolitana de Lisboa

Área 3[editar | editar código-fonte]

As linhas da Área 3 utilizam a numeração 3XXX e farão as ligações dentro de cada município, entre os 3 municípios da área, aos municípios da Área 4 e ao Barreiro e Lisboa. Serão um total de 116 linhas, 43 das quais novas.[5]

Almada e Seixal: Flexibus e SulFertagus incluídos na Carris Metropolitana.

  • 30XX: linhas que circulam apenas no município de Almada
  • 31XX: linhas que circulam apenas no município de Seixal
  • 32XX: linhas que circulam apenas no município de Sesimbra
  • 35XX: linhas que circulam entre os municípios da Área 3
  • 36XX: linhas que circulam para o Barreiro e para a Área 4
  • 37XX: linhas que circulam para Lisboa

Área 4[editar | editar código-fonte]

As linhas da Área 4 utilizam a numeração 4XXX e farão as ligações dentro de cada município, entre os 5 municípios da área, aos municípios da Área 3 e ao Barreiro e Lisboa. Serão um total de 111 linhas, 21 das quais novas.[5]

  • 40XX: linhas que circulam apenas no município de Alcochete
  • 41XX: linhas que circulam apenas no município da Moita
  • 42XX: linhas que circulam apenas no município do Montijo
  • 43XX: linhas que circulam apenas no município de Palmela
  • 44XX: linhas que circulam apenas no município de Setúbal
  • 45XX: linhas que circulam entre os municípios da Área 4
  • 46XX: linhas que circulam para o Barreiro e para a Área 3
  • 47XX: linhas que circulam para Lisboa
  • 49XX: linhas que circulam para fora da Área Metropolitana de Lisboa

Tarifário[editar | editar código-fonte]

A Carris Metropolitana vai simplificar o tarifário aplicado aos transportes rodoviários da Área Metropolitana de Lisboa utilizando apenas 4 tarifas distintas, ao invés das cerca de 900 anteriormente em vigor.[5] As tarifas passam assim a estar relacionadas com o tipo de linha a utilizar:[1]

tipo de linha tarifa áreas de
abrangência
viagens ocasionais viagens frequentes
pré-pago[a] a bordo municipal[b] metropolitano[b]
Próxima Tarifa 1 1, 2, 3 e 4 0,85 € 1,25 € 30 €/mês 40 €/mês
Longa Tarifa 2 1, 2, 3 e 4 1,55 € 2,60 €
Rápida Tarifa 3 1, 2, 3 e 4 3,10 € 4,50 €
Inter-regional Tarifa 4 2 e 4 - 2,60 €[c][d] 30 €/mês + 20 € 40 €/mês + 20 €
  1. O cartão Navegante Ocasional tem um custo de aquisição de 0,50 €
  2. a b Continuam a existir os descontos Navegante +65, Família, 12 anos, 4-18, sub23 e Social+
  3. Área 2: acréscimo de 0,50 € em viagens para fora da Área Metropolitana de Lisboa
  4. Área 4: acréscimo de 1,00 € em viagens para fora da Área Metropolitana de Lisboa

Atendimento ao cliente[editar | editar código-fonte]

O atendimento ao cliente de assuntos relacionados com a Carris Metropolitana irá passar pela utilização dos Espaços Navegante, para além da possibilidade de contacto telefónico e por email, complementados com os Pontos Navegante.

Espaços Navegante[editar | editar código-fonte]

Nos Espaços Navegante é possível a apresentação de reclamações ou sugestões, pedir informação sobre o serviço da Carris Metropolitana, adquirir e carregar títulos de transporte assim como os respetivos cartões, trocar ou devolver os passes e bilhetes, resolver falhas que os cartões possam apresentar durante a sua utilização, recuperar ou anular cartões, atualizar os dados que constam do cartão, pedir informações sobre objetos que tenham sido perdidos ou entregar objetos achados. Na fase inicial da Carris Metropolitana vão existir 26 destes espaços espalhados por 15 municípios da Área Metropolitana de Lisboa:[1][12][13][14]

  • Alcochete: Rua Ruy Sousa Vinagre, Loja 3
  • Almada: Terminal Fluvial de Cacilhas (Largo Alfredo Dinis) e Rua Ercília Costa, nº6
  • Amadora: 2
  • Loures: 3
  • Mafra: 1
  • Moita: Praça da República, nº24
  • Montijo: Praça Gomes Freire de Andrade, Loja 18
  • Odivelas: 2
  • Oeiras: 2
  • Palmela: Estação Rodoviária da Avenida 25 de Abril
  • Seixal: Avenida 25 de Abril, nº9A R/C e Rua Joaquim Valentim Correia, nº7
  • Sesimbra: Terminal Rodoviário de Sesimbra (Avenida da Liberdade, nº49A)
  • Setúbal: Interface de Transportes de Setúbal (Praça do Brasil) e Vila Nogueira de Azeitão, Rua de Lisboa, nº281
  • Sintra: 3
  • Vila Franca de Xira: 2

Pontos Navegante[editar | editar código-fonte]

Nos Pontos Navegante é possível a aquisição de novos cartões no momento assim como o carregamento de títulos de transporte. Existem 18 destes pontos, 1 por cada município da Área Metropolitana de Lisboa:[15]

  • Alcochete: Biblioteca Municipal (Rua Professor Leite da Cunha)
  • Almada: Estação Ferroviária do Pragal e Terminal Fluvial de Cacilhas (Largo Alfredo Dinis)
  • Amadora: Edifício dos Paços do Concelho (Avenida do Movimento das Forças Armadas, n.º 1)
  • Barreiro: Mercado Municipal 1º de Maio (R.ua Eça de Queiroz)
  • Cascais: Loja de Cidadão (Rua Manuel Joaquim de Avelar, n.º 118)
  • Lisboa: Câmara Municipal de Lisboa - Edifício Central do Campo Grande (Campo Grande, n.º 25)
  • Loures: LoureShopping (Avenida das Descobertas, nº90)
  • Mafra: Loja de Cidadão ( Avenida 25 de Abril, nº5)
  • Moita: Balcão do Munícipe da Baixa da Banheira (Rua Jaime Cortesão, n.º 33)
  • Montijo: Mercado Municipal (Praça Gomes Freire de Andrade, n.º 29)
  • Odivelas: Centro Comercial Strada (Casal do Troca, Estrada da Paiã)
  • Oeiras: Centro Comercial Oeiras Parque (Avenida António Bernardo Cabral de Macedo)
  • Palmela: Mercado Municipal de Pinhal Novo (Praça da Independência)
  • Seixal: Loja do Munícipe no RioSul Shopping (Avenida Libertadores de Timor Loro Sae)
  • Sesimbra: Balcão único de serviços no Edifício da Presidência (Rua da República, n.º 3)
  • Setúbal: Centro Comercial Alegro Setúbal (Avenida Antero de Quental, n.º 2)
  • Sintra: Junta de Freguesia de Rio de Mouro (Rua de Oscar Monteiro Torres, n.º 19, R/C A)
  • Vila Franca de Xira: Biblioteca Municipal de Alverca do Ribatejo (Rua Brigadeiro Fernando Alberto de Oliveira, Centro Comercial Parque, Piso 1)

Expressões e designações[editar | editar código-fonte]

Com a uniformização do transporte rodoviário na maioria da Área Metropolitana de Lisboa, veio também a necessidade de uniformizar os termos relacionados com a operação da Carris Metropolitana:[16]

  • Linha: serviço que faz a ligação entre dois locais, com uma origem e um destino. Substitui o termo carreira
  • Autocarro: veículo que efetuam o serviço de transporte. Substitui o termo camionete
  • Paragem: local pré-determinado onde é feito o embarque e desembarque dos passageiros. Substitui o termo estação
  • Abrigo: estrutura que proporciona mais conforto para o passageiro enquanto espera pelo autocarro. Não se encontra presente em todas as paragens. Substitui o termo cobertura
  • Postalete: tubo metálico com uma ou mais placas identificadoras das linhas que efetuam serviço nas paragens (bandeira). No caso de paragens com abrigo apenas existe a placa identificadora. Substitui o termo poste
  • Percurso: deslocação geográfica dos autocarros entre a sua origem e o destino. Substitui o termo itinerário
  • Área: cada uma das 4 zonas geográficas da Área Metropolitana de Lisboa que agregam vários municípios, cada uma delas explorada por um operador distinto sob a marca Carris Metropolitana. Substitui o termo lote
  • Passageiro: indivíduo que utiliza os autocarros da Carris Metropolitana. Substitui os termos utente e utilizador

Ambiente[editar | editar código-fonte]

Parte do investimento na Carris Metropolitana tem uma componente ambiental, nomeadamente com a aquisição de veículos mais modernos e assim menos poluentes. A idade média dos veículos irá passar dos 15 anos para menos de um ano, sendo também incluída uma quota obrigatória de veículos elétricos ou a gás natural. Numa fase inicial, parte das frotas dos anteriores operadores foi renovada de forma a aproximá-la o mais possível dos veículos mais modernos.[17]

Referências

  1. a b c «carris metropolitana - Mobilidade Coletiva». www.carrismetropolitana.pt. Consultado em 4 de junho de 2022 
  2. «Carris Metropolitana é lançada amanhã em cerimónia apadrinhada por António Costa». O Setubalense. 31 de março de 2022. Consultado em 27 de junho de 2022 
  3. DN/Lusa (31 de maio de 2022). «Nova Carris da Área Metropolitana de Lisboa começa a operar na quarta-feira em cinco concelhos da Margem Sul». www.dn.pt. Consultado em 4 de junho de 2022. Cópia arquivada em 4 de junho de 2022 
  4. «Carris Metropolitana só chega a Lisboa e outros oito concelhos em janeiro de 2023». ECO. 22 de junho de 2022. Consultado em 22 de junho de 2022 
  5. a b c d e f Cabrita-Mendes, André (1 de abril de 2022). «Carris Metropolitana: acabam 902 tipos de bilhetes de autocarro na grande Lisboa para passar a haver apenas três». O Jornal Económico. Consultado em 4 de junho de 2022. Cópia arquivada em 4 de junho de 2022 
  6. a b ECO (1 de abril de 2022). «Carris Metropolitana apresentada hoje entra em funcionamento em 1 de junho». ECO. Consultado em 4 de junho de 2022. Cópia arquivada em 4 de junho de 2022 
  7. Ferro, Carlos (31 de maio de 2022). «Carris Metropolitana. Arranca o teste para nova mudança nos transportes». www.dn.pt. Consultado em 4 de junho de 2022. Cópia arquivada em 4 de junho de 2022 
  8. Casimiro, João Tereso (1 de junho de 2022). «Começam esta quarta-feira a circular 1.400 novos autocarros da Carris Metropolitana». O Jornal Económico. Consultado em 4 de junho de 2022 
  9. a b c d André, Mário Rui (4 de abril de 2022). «Carris Metropolitana: tudo o que já sabemos sobre a revolução nos autocarros da região de Lisboa». Lisboa Para Pessoas. Consultado em 4 de junho de 2022 
  10. Porto, Rita (30 de maio de 2022). «Carris Metropolitana. Autocarros com novos números, novas linhas e novos preços: o que muda a partir de 1 de junho?». Observador. Consultado em 4 de junho de 2022. Cópia arquivada em 4 de junho de 2022 
  11. Lopes, Alexandre (11 de maio de 2022). «Carris Metropolitana. Já se pode conhecer as novas linhas». echoboomer. Consultado em 4 de junho de 2022. Cópia arquivada em 4 de junho de 2022 
  12. Lameiras, Humberto (30 de maio de 2022). «Primeiros espaços e pontos Navegante Carris Metropolitana já abriram». O Setubalense. Consultado em 4 de junho de 2022. Cópia arquivada em 4 de junho de 2022 
  13. «Carris Metropolitana avança em Almada Seixal e Sesimbra». www.sesimbra.pt. Consultado em 26 de junho de 2022 
  14. «Transportes Sul do Tejo | Notícias | Notícias». www.tsuldotejo.pt. Consultado em 30 de junho de 2022 
  15. «Pontos navegante® disponíveis por município». navegante. Consultado em 26 de junho de 2022 
  16. André, Mário Rui (24 de maio de 2022). «Carris Metropolitana quer que deixemos de usar a palavra "camionete"». Lisboa Para Pessoas. Consultado em 26 de junho de 2022 
  17. Lusa, Agência. «Carris Metropolitana nas ruas em julho de 2022 após luz verde do Tribunal de Contas». Observador. Consultado em 4 de junho de 2022. Cópia arquivada em 4 de junho de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre Carris Metropolitana:
Commons Categoria no Commons
Wikidata Base de dados no Wikidata