Carvalho-dourado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaCarvalho-dourado
Foto de um carvalho-dourado

Foto de um carvalho-dourado
Classificação científica
Reino: Plantae
Clado: angiospérmicas
Clado: eudicotiledóneas
Clado: rosídeas
Ordem: Fagales
Família: Fagaceae
Género: Quercus
Espécie: Q. alnifolia
Nome binomial
Quercus alnifolia
Poech

O carvalho-dourado (Quercus alnifolia Poech, λατζιά (dialeto greco-cipriota)) é uma espécie de carvalho de folha perene do Chipre. Seu nome comum faz referência à cor dourada da parte inferior de suas folhas. Quercus alnifolia pertence à flora endêmica da ilha e sua distribuição é limitada ao complexo geológico vulcânico das Montanhas Troodos. Em fevereiro de 2006, o Parlamento do Chipre elegeu o carvalho-dourado como árvore nacional do país.[1]

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

Quercus alnifolia pertence à seção Cerris, como grande parte das espécies de carvalhos mediterrâneos de folha perene. Hibridizações ocasionais com o carrasco (Quercus coccifera ssp. calliprinos) também foram descritas.[2]

Descrição Morfológica[editar | editar código-fonte]

O carvalho-dourado é um arbusto bastante ramificado de uma pequena árvore, com altura de até 10 metros. Em função de sua baixa estatura (em relação a outros carvalhos), ele é às vezes citado como o carvalho anão.[3]

Suas folhas são simples, de forma obovada à sub-orbicular com 1,5-6(-10) cm de comprimento e 1-5 (-8) cm de largura, glabras e de cor verde escuro brilhante na parte superior e de um dourado denso ou marrom tomentoso na parte inferior, com margem cerrada e nervatura saliente. Os pecíolos são fortes, com 6-10 (-12) mm de comprimento, e aveludados. As flores são unissexuadas; flores masculinas amarelo-esverdeadas, formando grupos espalhados ou pêndulos na ponta dos galhos; flores femininas axilares, solitárias ou em grupos de 2-3. Frutos são abovados ou subcilíndricos, normalmente cônicos em direção à base com 2-2,5 cm de comprimento e 0,8-1,2 cm de largura, e endocarpo amadeirado e cúpula com escamas fortemente recurvadas.[4]

O Jardim Botânico da Universidade de Lisboa tem um exemplar desta espécie, que produz sementes.

Distribuição e habitat[editar | editar código-fonte]

Sua distribuição é restrita às Montanhas Troodos, onde cresce em substrato vulcânico a uma altitude de 400 a 1800m.[5] Ocupa habitats secos em associação com o Pinus brutia ou formas densas de maquis em habitas mésicos, caracterizados por solos florestais profundos.[6]

Importância ecológica e status de conservação[editar | editar código-fonte]

O carvalho-dourado oferece estabilização do solo contra erosão devido sua capacidade de colonizar ladeiras pedregosas e rochosas. Em sua área de distribuição, Quercus alnifolia é a mais importante espécie de folha larga formando florestas, enquanto a maior parte das florestas do Chipre são cobertas por coníferas (Pinus brutia). Presença maciça de Quercus alnifolia em habitats mésicos modificam consideravelmente as condições de umidade do local e a forma do solos das florestas com humus tipo "mull", favorecendo a existência de espécies herbáceas esciófilas.

O carvalho-dourado é protegido pela lei florestal do Chipre, enquanto o habitat tipo "Scrub (vegetação arbustiva aberta) e baixa vegetação florestal Quercus alnifolia (9310)" é um habitat prioritário da Europa (directiva 92/43/EEC).[7] Grandes áreas florestais destas espécies foram sugeridas para serem incluídas na Natura 2000 rede ecológica da União Européia.

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Leonidou, Leo (Friday, February 3, 2006). «A flower for Cyprus». Cyprus Mail. Consultado em 30 de dezembro de 2007  Verifique data em: |data= (ajuda)
  2. Neophytou, Ch.; Palli G., Aravanopoulos F.A. (2007). «Morphological differentiation and hybridization between Quercus alnifolia Poech and Quercus coccifera L. (Fagaceae) in Cyprus» (PDF). Silvae Genetica. 56 (6): 271-277. Consultado em 1 de março de 2008 
  3. Ashmore, Wendy; Arthur Bernard Knapp (1999). Archaeologies of Landscape: Contemporary Perspectives. [S.l.]: Blackwell. 237 páginas. ISBN 0631211063 
  4. Meikle, R.D. (1985). Flora of Cyprus. London: Bentham Moxon Trust. pp. 1481–1482. ISBN ISBN 0-950487-63-5 Verifique |isbn= (ajuda) 
  5. Merlo, Maurizio (2005). Valuing Mediterranean Forests: Towards Total Economic Value. [S.l.]: CABI Publishing. 217 páginas. ISBN 0851994806 
  6. Barbéro, M.; Quézel P. (1979). «Contribution à l' étude des groupements forestiers de Chypre». Documents phytosociologiques (IV): 9-34 
  7. «Council Directive 92/43/EEC of 21 May 1992 on the conservation of natural habitats and of wild fauna and flora». EUR-Lex. European Union law. 22 de julho de 1992. Consultado em 1 de janeiro de 2008  |nome1= sem |sobrenome1= em Authors list (ajuda)