Casa-Museu Frederico de Freitas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Casa-Museu Frederico de Freitas
Tipo Casa-museu, museu de artes decorativas
Inauguração 29 de junho de 1988
Geografia
País Portugal
Cidade Funchal (Madeira)
Localidade São Pedro
Coordenadas 32° 39' 00.6" N 16° 54' 45.3" O

A Casa-Museu Frederico de Freitas situa-se na cidade do Funchal, na Região Autónoma da Madeira, em Portugal. A casa-museu reúne a coleção de arte de Frederico de Freitas (1894-1978), advogado e notário originário da Madeira que viveu naquela casa por várias décadas e legou o seu espólio à Região Autónoma da Madeira.[1][2][3][4][5]

A casa-museu (edifício avermelhado à direita)

História[editar | editar código-fonte]

O atual edifício tem origem na residência dos Condes da Calçada e seus antepassados (sendo assim conhecido por Casa da Calçada), desde finais do século XVII. A moradia seria profundamente remodelada no século XIX. Por volta de 1941, a casa foi arrendada por Frederico de Freitas, advogado e notário da terra, que aí residiu por quase quarenta anos, até à sua morte, em 1978. Freitas era grande colecionador de artes decorativas e legou à Região Autónoma da Madeira o seu espólio, constituído por mobiliário, escultura, pintura, cerâmica, gravura, cristais e objetos em estanho.

O edifício foi posteriormente adquirido pelo Governo Regional e adaptado à função de museu, para isso tendo sido reabilitado faseadamente, de modo a conservar o ambiente original das coleções. O museu foi inaugurado em 29 de junho de 1988.[6] Em 1999, a exposição permanente do museu atingiu a sua envergadura atual, ao ser concluída a Casa dos Azulejos, construída de propósito para albergar a coleção de azulejaria.

Acervo[editar | editar código-fonte]

Interior do museu
Interior do museu

O acervo do museu é composto por coleções de escultura, pintura, gravura, mobiliário, cerâmica, cristais e objetos de estanho, com peças datadas de entre os séculos XVII e XX. Tratando-se de peças de arte decorativa, a sua disposição no edifício reflete o ambiente doméstico vivido pelo colecionador.

O mobiliário, nacional e estrangeiro, data dos séculos XVII ao XIX. Na escultura e pintura, domina a temática religiosa e as peças são predominantemente europeias. A coleção de canecas e afins, do século XVIII ao presente, provém de diversas origens. Nas gravuras, destacam-se as relativas à Madeira, dos séculos XVIII e XIX. Na Casa dos Azulejos, há-os de origem oriental, islâmica, medieval, majólica, holandesa e portuguesa. O núcleo português de azulejaria inclui um importante conjunto de padrões seiscentistas e representa a produção nacional até à atualidade.

Referências

  1. «Casa-Museu Frederico de Freitas». Direção-Geral do Património Cultural. Consultado em 11 de julho de 2018 
  2. «Casa-Museu Frederico de Freitas». Madeira Cultura - Direção Regional da Cultura. Consultado em 11 de julho de 2018 
  3. «Casa Museu Frederico de Freitas». Site oficial do Turismo da Madeira. Consultado em 11 de julho de 2018 
  4. «Casa Museu Frederico de Freitas». Madeira Web. Consultado em 11 de julho de 2018 
  5. «Casa Museu Frederico de Freitas». Acontece Madeira. Consultado em 11 de julho de 2018 
  6. «Já lá vão 30 anos ...». Casa Museu Frederico de Freitas. 29 de junho de 2018. Consultado em 11 de julho de 2018 [fonte confiável?]