Casa do Alcaide-Mor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Casa do Alcaide-Mor ou
Antiga Casa da Câmara (Estremoz)
Vista da fachada da Casa do Alcaide-Mor
Construção século XV
Promotor / construtor D. Sancho de Noronha
Aberto ao público Não (só exterior)
Estilos arquitetónicos Mudéjar, Renascimento, Manuelino e Neoclássico.
Estado de conservação Bom no exterior, ruína no interior
Património Nacional
Classificação Logotipo Anta Vilarinho PT.png Monumento Nacional
(Decreto n.º 9 842, DG n.º 137)
Ano 20-06-1924
DGPC 70538
SIPA 70538
Geografia
País Portugal
Localidade Santa Maria
Coordenadas 38° 50' 32" N 7° 35' 35" O
Casa do Alcaide-Mor ou Antiga Casa da Câmara (Estremoz) está localizado em: Portugal Continental
Casa do Alcaide-Mor ou
Antiga Casa da Câmara (Estremoz)
Geolocalização no mapa: Portugal Continental

A Casa do Alcaide-Mor, ou Antiga Casa da Câmara situa-se na freguesia de Santa Maria, no Concelho de Estremoz, Distrito de Évora, Portugal.[1]

Edifício classificado como Monumento Nacional,[2] pelo IGESPAR, em ruínas, apenas restava a fachada principal, que foi demolida em 2021.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Por diversos motivos, D. Afonso V e a sua corte passam longos períodos em Estremoz, obrigando o alcaide-mor e a sua família a abandonar o paço, tendo D. Sancho de Noronha mandado construir este edifício, em 1450.[1]

O edifício foi abandonado nos anos 30 do século XX e chegou aos dias de hoje reduzido à fachada principal.

Em 2018 a Câmara de Estremoz procede à venda do imóvel dado este se encontrar abandonado e não possuir verbas para a sua recuperação, pelo valor de 180 mil euros à Sociedade Agrícola Monte das Barrocas, com sede em Estremoz, para criação de uma unidade hoteleira.[3]

Os novos proprietários apresentaram um projeto de reabilitação para o quarteirão inteiro onde se inclui o edifício com vista a ficar reconvertido num hotel de charme, num projeto com assinatura de Siza Vieira, designado "Casa do Alcaide-Mor Suites and Villas".[4]

O que restava do edifício foi derrubada em Abril de 2021, sendo que a fachada será reconfigurada com os elementos que a constituíam.[5]

Características[editar | editar código-fonte]

É uma casa de dois pisos, com portal de estilo manuelino, em mármore, tendo ao lado uma janela do século XVIII. No piso superior encontra-se uma janela dupla decorada com elementos botânicos, e à sua esquerda uma varanda do século XVIII.[2]

O interior da casa encontra-se em ruínas, não restando qualquer cobertura ou estrutura.[6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

Referências bibliográficas[editar | editar código-fonte]

  • CRESPO, Marques, Estremoz e o seu Termo Regional, Estremoz, s/d
  • ESPANCA, Túlio, Inventário Artístico de Portugal-Distrito de Évora, Lisboa, 1975
  • DIAS, Pedro, A Arquitectura Manuelina, Porto, 1988.