Casa do Regente Feijó

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Camera-photo.svg
Ajude a melhorar este artigo sobre Arquitetura ilustrando-o com uma imagem. Consulte Política de imagens e Como usar imagens.
Casa do Regente Feijó ou Casa do Sítio do Capão
Data da construção 1698
Estilo arquitetônico Casa Bandeirista
Cidade São Paulo, SP
Tombamento 1987
Órgão CONDEPHAAT

A Casa do Regente Feijó ou Casa do Sítio do Capão, entre os distritos da Água Rasa e Vila Formosa, em São Paulo, construída em taipa de pilão é uma das casas bandeiristas remanescentes na cidade. Foi tombada pelo CONDEPHAAT e CONPRESP.

O primeiro registro da casa data de 1698, no entanto o imóvel, que possuiu cerca de 10 diferentes proprietários, tem seu nome associado ao Regente Feijó, que a habitou durante 14 anos, a partir de 1827.[1]

A planta da casa bandeirista foi alterada algumas vezes, sendo a primeira no decorrer do século XIX, quando lhe foi acrescida mais um andar, transformando-a em um sobrado tipo chalé. Nesta reforma o alpendre frontal foi fechado.

O sítio foi vendido em 1911 à Associação Feminina Beneficente e Instrutiva - Lar Anália Franco. A partir de então passou a funcionar como uma instituição dedicada aos menores abandonados. Anália Franco, para tanto, reformou as edificações existentes, executando diversas intervenções na casa e nos anexos, com acréscimos em alvenaria de tijolos e não mais no sistema de taipa original.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Prefeitura SP Casa do Regente Feijó, remanescente da arquitetura bandeirista.
  • Estadão.com Crescimento do Anália Franco esconde casa do Regente Feijó.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre patrimônio histórico no Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.