Casa rural de Milreu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde agosto de 2015)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde abril de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde agosto de 2015).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Milreu-Gutshaus.JPG

Edifício de planta retangular e técnica construtiva mista de alvenaria de pedra e taipa, resultante de um lento processo evolutivo e de alterações efetuadas em diferentes épocas. A possibilidade da observação da sobreposição de estruturas construtivas torna especialmente compreensível o lento processo de transformação dos edifícios.

Pré-existência[editar | editar código-fonte]

Séculos II a IV d.C.[editar | editar código-fonte]

Estruturas arquitetónicas da villa romana inicial, sendo visíveis parte de um lagar de vinho, com tanques e prensa de uva, e um conjunto de salas em abside, com pavimento suspenso, em mosaico.

Ocupação da casa rural[editar | editar código-fonte]

Séculos XV a XIX[editar | editar código-fonte]

Aproveitamento parcial das estruturas romanas para as fundações da casa. Desconhecendo-se a configuração do imóvel nos séculos XV a XVII, pode observar-se na fachada poente em vão de porta de cantaria chanfrada, sugerindo uma datação quinhentista.

São observáveis também dois níveis de pavimento distintos, correspondendo a, pelo menos, duas fazes de utilização. Na fase mais antiga, o piso dos compartimentos existentes, encontrava-se mais baixo cerca de 70 cm.

Provavelmente, já no século XIX o edifício adquire a sua configuração atual, com telhado de três águas, beirado com cornija, molduras em cantaria na fachada nascente e quatro cantos de vigia cilíndricos encimados por cones e também nesta época o nível do pavimento de tijoleira terá adquirido a atual cota.[1]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]