Casamento de Carlos III e Camilla do Reino Unido

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Casamento de
Carlos, Príncipe de Gales e Camilla Parker Bowles
The Prince of Wales and the Duchess of Cornwall 2019.jpg
O então Príncipe de Gales e a Duquesa da Cornualha na Clarence House, em 2019.
Outros nomes Proclamation of Accession
Participantes Carlos, Príncipe de Gales
Camilla Parker Bowles
Família real britânica
Localização Capela de São Jorge, Windsor,  Inglaterra
Data 9 de abril de 2005
Posterior Casamento de Guilherme de Gales e Catherine Middleton
(2011)

O Casamento de Carlos, Príncipe de Gales e Camila Parker Bowles ocorreu em uma cerimônia civil em na sede da prefeitura de Windsor em 9 de abril de 2005. A cerimônia, realizada na presença das respectivas famílias dos noivos, foi seguida por um Serviço de Oração e Dedicação da Igreja da Inglaterra na histórica Capela de São Jorge no Castelo de Windsor. Os pais do noivo, a Rainha Isabel II e o Príncipe Filipe, Duque de Edimburgo não estiveram presentes na cerimônia de casamento civil, mas compareceram ao serviço religioso e, posteriormente, realizaram uma recepção para o casal no Castelo de Windsor.[1][2]

O casamento formalizou a relação entre Carlos e Camila Parker Bowles, que assumiu o título nobiliárquico de Duquesa da Cornualha. Os procedimentos do Serviço de Oração e Dedicação foram cobertos pela BBC, emissora pública britânica. Figuras notáveis presentes incluíam figuras políticas, religiosas e membros da realeza estrangeira além de várias celebridades. O casamento foi descrito pela imprensa como "um conto de fadas para adultos".[2][3][4][5][6]

Noivado e preparativos[editar | editar código-fonte]

Em 10 de fevereiro de 2005, foi anunciado que Carlos, Príncipe de Gales e Camila Parker Bowles se casariam em 8 de abril no Castelo de Windsor, com um serviço civil seguido de cerimônia religiosa.[7] O Conselho Privado do Reino Unido reuniu-se em 2 de março para efetivar o consentimento real da Rainha ao casamento, em conformidade com as disposições do Ato de Matrimônio Real de 1772.[8][9] O Governo de Sua Majestade, em seguida, reafirmou que o casamento não seria morganático.[10] Após o anúncio do noivado, o casal foi parabenizado por Isabel II e o Duque de Edimburgo.[9][11][12] O Arcebispo da Cantuária Rowan Williams emitiu uma declaração que dizia: "Esses arranjos têm meu forte apoio e são consistentes com as diretrizes da Igreja da Inglaterra sobre o novo casamento que o Príncipe de Gales aceita plenamente como anglicano comprometido e como futuro Governador Supremo da Igreja da Inglaterra".[9][13]

O anel de noivado de Camilla foi uma herança da Casa de Windsor que pertenceu à Isabel Bowes-Lyon, avó materna do noivo. A joia possui uma configuração de platina de 1920 e é composta por um diamante central de corte quadrado ladeado por seis baguetes de diamante.[14]

Cerimônia civil[editar | editar código-fonte]

Presumivelmente, uma cerimônia civil foi escolhida para evitar possíveis controvérsias causadas por se tratar do casamento de um futuro Governador Supremo da Igreja da Inglaterra com uma pessoa anteriormente divorciada.[7] Camilla Parker Bowles havia se divorciado de seu primeiro marido, Andrew Parker Bowles, em 1995. Desde 2002, o casamento de uma pessoa divorciada cujo antigo cônjuge ainda esteja vivo têm sido aceito na Igreja da Inglaterra sob critério do membro do clero que conduz a cerimônia.[15]

Quando Ana, Princesa Real casou-se com Timothy Laurence depois de divorciar-se de Mark Phillips, ela o fez na Igreja da Escócia.[16] O novo casamento de divorciados não é controverso na Igreja da Escócia, que não vê o casamento como um sacramento, e o Soberano não tem nenhum papel constitucional no governo da Igreja.[16] O Príncipe de Gales e sua noiva não escolheram esse curso de ação.

Questionamentos sobre um casamento civil real[editar | editar código-fonte]

Carlos é o primeiro membro da família real britânica a se casar em uma cerimônia civil na Inglaterra. Stephen Cretney, membro do All Souls College de Oxford, questionou se Carlos e Camilla poderiam se casar em uma cerimônia civil já que a família real foi especificamente excluída da lei que instituiu os casamentos civis na Inglaterra em 1836. Em 14 de fevereiro, o programa televisivo Panorama da BBC descobriu documentos de pareceres oficiais de pesquisa legislativa datados de 1956 e 1964 que afirmavam que não era lícito que membros da família real se casassem em uma cerimônia civil na Inglaterra e no País de Gales, embora fosse permitido na Escócia. As declarações desses documentos foram rejeitadas em uma declaração publicada pela Clarence House sob conselho de quatro especialistas legais não identificados. O parecer considerou que o Ato de Matrimônios de 1836 havia sido revogado pelo Ato de Matrimônios de 1949. Charlie Falconer, então Secretário de Estado para Assuntos Constitucionais, fez a seguinte declaração

"O governo está convencido de que é lícito ao Príncipe de Gales e à Sra. Parker-Bowles, como qualquer outra pessoa, casar-se por uma cerimônia civil de acordo com a Parte III do Ato de Matrimônios de 1949. Os casamentos civis foram introduzidos na Inglaterra, pelo Ato de 1836. A Seção 45 dizia que 'a Lei [...] não se estenderá ao casamento de qualquer membro da Família Real'. Mas, as disposições sobre o casamento civil no Ato de 1836 foram revogadas pelo Ato de Matrimônios de 1949. Todas as partes restantes do Ato de 1836, incluindo a Seção 45, foram revogadas pelo Ato de Serviço de Registro de 1953. Nenhuma parte do Ato de 1836 permanece, portanto, no estatuto [...] Estamos cientes de que opiniões diferentes foram adotadas no passado; mas consideramos que fomos excessivamente cautelosos e temos certeza de que a interpretação que estabeleci nesta declaração está correta. Também observamos que a Lei dos Direitos Humanos desde 2000 exige que a legislação seja interpretada sempre que possível de forma compatível com o direito de casar (Artigo 12) e com o direito de desfrutar desse direito sem discriminação (Artigo 14). Isso, em nossa opinião, coloca o significado moderno da Lei de 1949 fora de dúvida."

Local e data[editar | editar código-fonte]

Em 17 de fevereiro, a Clarence House anunciou a mudança do local do casamento do Castelo de Windsor para a sede da prefeitura de Windsor, edifício público nos limites da residência real.[17] Essa substituição surgiu quando se descobriu que os requisitos legais para licenciar uma residência real para casamentos civis exigiriam a mesma permissão a outros potenciais casais por pelo menos três anos seguintes. Em 22 de fevereiro, o Palácio de Buckingham anunciou que Isabel II não compareceria à cerimônia de casamento e somente ao ato religioso e realizaria uma recepção ao casal posteriormente.[18] Segundo o Palácio de Buckingham, o casal optou por manter a ocasião discreta.[18] Em 4 de abril, foi anunciado que o casamento seria adiado para 9 de abril, para que o Príncipe de Gales pudesse comparecer ao Funeral do Papa João Paulo II como representante de Isabel II.[19] O adiamento também permitiu que alguns dos dignitários convidados para o funeral assistissem ao casamento. Conforme a tradição, o Príncipe de Gales passou a noite longe de sua noiva e com seus filhos em Highgrove House, sua casa de campo em Gloucestershire, enquanto Camila permaneceu na Clarence House.[20]

Casamento e Serviço de Oração e Dedicação[editar | editar código-fonte]

O casamento ocorreu na sede da prefeitura de Windsor às 12h30 no horário local de Londres em um sábado, 9 de abril de 2005. Multidões se reuniram nas ruas desde o amanhecer antes do culto para prestigiarem o casal. A cerimônia contou com a presença de membros seniores da família real britânica, além da Rainha e do Duque de Edimburgo.[21]

Após o casamento, as testemunhas do casal foram o príncipe Guilherme de Gales e Tom Parker Bowles, filhos mais velhos do noivo e da noiva, respectivamente.[22] Mantendo a tradição, as alianças do casal foram feitas de ouro galês de 22 quilates, uma tradição que começou em 1923 com o casamento dos avós maternos do noivo.[23]

O casamento civil foi seguido por uma bênção televisionada, oficialmente denominada Serviço de Oração e Dedicação tanto pelo escritório do Príncipe de Gales quanto pela imprensa mundial, à tarde na Capela de São Jorge no Castelo de Windsor, contando com a presença de 800 convidados e todos os membros seniores da família real, incluindo a Rainha e do Duque de Edimburgo, e liderado pelo Arcebispo da Cantuária, Rowan Williams.[24] Durante a cerimônia religiosa, Carlos e Camila uniram-se à congregação para ler “o mais forte ato penitencial do Livro de Oração Comum de 1662”, amplamente citado em reportagens da imprensa sobre o casamento, embora tais confissões sejam padrão em casamentos anglicanos para qualquer casal, o Daily Mirror imprimiu a manchete "pecamos" sobre uma foto do casal usando chifres de diabo:[25]

Reconhecemos e lamentamos nossos múltiplos pecados e maldades, que nós, de tempos em tempos, cometemos gravemente por pensamentos, palavras e ações, contra Tua Divina Majestade, provocando com justiça Tua ira e indignação contra nós.

As preparações para o casamento e serviço foram fortemente apoiados pelo Arcebispo da Cantuária como “consistentes com as diretrizes da Igreja da Inglaterra sobre o novo casamento”.[9]

Para o casamento, a Duquesa da Cornualha usou um vestido e caso de cor creme com um chapéu de abas largas de cor creme. Para o Serviço de Oração e Dedicação posterior, ela usou um casaco bordado até o chão azul claro e dourado sobre um vestido combinando e um dramático spray de penas douradas no cabelo.[21] Ambos os conjuntos foram de Antonia Robinson e Anna Valentine, designers de Londres que trabalharam sob o nome de Robinson Valentine, agora chamado apenas de Anna Valentine; ambos os chapéus foram feitos pelo chapeleiro irlandês Philip Treacy.[26] O buquê de flores da duquesa continha narcisos, jasmim, lírio do vale, lírios cor-de-rosa e creme, camélias, hortênsias e rosas provenientes dos jardins da Highgrove House, residência rural de Carlos.[27] O noivo e todos os membros masculinos da família real usavam ternos matinais. O bolo de casamento foi feito pela Sra. Blunden, proprietária da confeitaria “Sophisticake” em Woodhall Spa, Lincolnshire.[28] Em abril de 2005, um hoteleiro pagou £215 em um leilão na Internet por uma fatia do bolo.[29]

Após o serviço religioso, o casal saudou o grande público que havia se reunido do lado de fora da capela. As comemorações seguiram para os Apartamentos de Estado do Castelo de Windsor, onde a Rainha ofereceu uma recepção para vários convidados. O casal, mais tarde, seguiu para a Escócia para sua lua de mel.[21]

Interesse público e comercial[editar | editar código-fonte]

Os fabricantes de cerâmica e outros itens comemorativos enfrentaram uma corrida tardia para alterar as datas de seus produtos depois que o adiamento da data do casamento se tornou conhecido.[30][31] No entanto, as vendas dos produtos com a data incorreta dispararam quando as pessoas começaram a considerar que eles se tornariam itens de colecionador no futuro.[31] No dia do casamento, o parque temático Alton Towers mudou o nome de sua montanha-russa de “Rita: Rainha da Velocidade” para “Camila: Rainha da Velocidade”, com comerciais de televisão e placas ao redor do parque sendo atualizados para refletir essa mudança.[32]

A BBC ganhou os direitos de transmissão do evento, onde houve uma cobertura ao vivo do Serviço de Oração e Dedicação na Capela de São Jorge.[33] Na BBC One, Huw Edwards e Sophie Raworth apresentaram a cobertura ao vivo do evento, e as consultoras de moda Trinny Woodall e Susannah Constantine contribuíram como comentaristas.[34] A BBC teve cerca de trinta câmeras no evento e compartilhou imagens com emissoras de todo o mundo. A BBC News 24 também teve cobertura durante o dia com Jane Hill e Simon McCoy reportando ao vivo diretamente de Windsor.

Muitos autodenominados fãs de Diana, Princesa de Gales, se opuseram ao casamento de Carlos e Camilla Parker-Bowles, com alguns referindo-se ao evento como “Quinta-feira Negra” e escrevendo para jornais nacionais para expressar sua desaprovação.[35]

Convidados do casamento[editar | editar código-fonte]

De acordo com uma lista divulgada pelo Príncipe de Gales:[36]

Família do Príncipe de Gales[editar | editar código-fonte]

Família de Camila Parker Bowles[editar | editar código-fonte]

  • Major Bruce Shand, pai da noiva.
    • Os filhos de Camila Parker Bowles e seus parceiros:
    • Annabel Elliot e Simon Elliot, irmã e cunhado da noiva.
      • Ben Elliot, sobrinho da noiva.
      • Alice Irwin e Luke Irwin, sobrinha da noiva e seu marido.
      • Katie Elliot, sobrinha da noiva.
    • Mark Shand, irmão da noiva.

Convidados do Serviço de Oração e Dedicação[editar | editar código-fonte]

De acordo com uma lista divulgada pelo Príncipe de Gales:[24]

Membros da Família Real Britânica[editar | editar código-fonte]

Governadores Gerais[editar | editar código-fonte]

Realeza estrangeira[editar | editar código-fonte]

Membros de famílias reais reinantes[editar | editar código-fonte]

Membros de famílias reais depostas[editar | editar código-fonte]

Políticos britânicos[editar | editar código-fonte]

Representantes religiosos[editar | editar código-fonte]

  • Rowan Williams, Arcebispo da Cantuária e a Sra. Williams.
  • George Carey, Lord Carey de Clifton e Lady Carey de Clifton.
  • David Conner, Reitor de Windsor a Sra. Conner.
  • Cônego Doutor Hueston Finlay e a Sra. Finlay.
  • Cônego Laurence Gunner e a Sra. Gunner.
  • Cônego John Ovenden e a Sra. Ovenden.
  • Reverendo Cônego John White.

Outros convidados notáveis[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «2005: Prince Charles marries Camilla». BBC News. 9 de abril de 2005 
  2. a b «Folha de S.Paulo - Reino Unido: Após 30 anos, Charles e Camilla se casam - 10/04/2005». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 16 de dezembro de 2022 
  3. «A Fairy Tale for Grown-Ups» [Um Conto de Fadas para Adultos] (em inglês). The New York Times. 6 de março de 2005 
  4. «Charles and Camilla's Once Upon a Time» [O Era Uma Vez de Carlos e Camila] (em inglês). The Washington Post. 11 de fevereiro de 2005 
  5. «Charles and Camilla's happily-ever-after finally arrives» [O felizes para sempre de Carlos e Camila finalmente chegou] (em inglês). USA Today. 8 de abril de 2005 
  6. «Prince Charles and Camilla get married» [O Príncipe Carlos e Camila se casam] (em inglês). CNN]. 9 de abril de 2005 
  7. a b «CARLOS E CAMILLA VÃO FINALMENTE CASAR MAS ELA NUNCA SERÁ RAINHA DE INGLATERRA». PÚBLICO. Consultado em 16 de dezembro de 2022 
  8. «Royal Marriage» [Casamento Real]. Câmara dos Comuns, Parlamento Britânico (em inglês). 17 de março de 2005 
  9. a b c d «Charles e Camilla tiveram que convencer Igreja, rainha e opositores». BBC Brasil. 10 de fevereiro de 2005 
  10. «Camilla Parker-Bowles pode virar rainha, e Charles é criticado». BBC Brasil. 22 de março de 2005. McKinlay perguntou durante a audiência se o casamento de Charles e Camilla Parker-Bowles seria “morganático” [...] Leslie respondeu que não era o caso. 
  11. Lyall, Sarah (11 de fevereiro de 2005). «With Queen's blessing, Charles will wed» [Com a benção da Rainha, Charles vai casar] (em inglês). The New York Times 
  12. «Good wishes - and a note of warning» [Bons votos - e uma nota de advertência] (em inglês). CNN. 10 de fevereiro de 2005 
  13. «Statement from the Archbishop of Canterbury on the forthcoming marriage of HRH Prince of Wales» [Declaração do Arcebispo da Cantuária sobre o próximo casamento de SAR o Príncipe de Gales] (em inglês). 10 de fevereiro de 2005 
  14. «Prince Charles and Camilla Parker Bowles, Marriage Profile» [Príncipe Charles e Camilla Parker Bowles, Perfil do Casamento] (em inglês). About.com. 2005. The ring is a platinum, classic design band with a square-cut central diamond and three diamond baguettes on either side. 
  15. «Synod approves church remarriage for divorcees» [Sínodo aprova novo casamento na igreja para divorciados]. The Guardian (em inglês). Depois de mais de 20 anos de debate, a Igreja da Inglaterra finalmente deu sua bênção ao novo casamento de pessoas divorciadas na igreja ontem. 
  16. a b «Britain's Princess Anne Remarries : Wedding: Scottish ceremony brings a tiny bit of joy to a year that saw more than one royal marriage fail.» [A princesa Ana da Grã-Bretanha se casa novamente: Casamento: A cerimônia escocesa traz um pouco de alegria para um ano que viu mais de um casamento real fracassar.] (em inglês). 13 de dezembro de 1992. [...] ao contrário da Igreja da Inglaterra - a Igreja da Escócia permite casamentos de pessoas divorciadas cujos cônjuges ainda estão vivos. 
  17. «Charles and Camilla forced to wed in local register office» [Carlos e Camila forçados a se casar no cartório local]. The Guardian (em inglês). 18 de fevereiro de 2005. O príncipe Carlos e sua futura noiva podem um dia reinar sobre o país, mas ontem à noite Clarence House admitiu que eles teriam que se curvar às exigências da Lei de Casamento de 1994 - e talvez ao desejo de privacidade da Rainha - e se casar em um cartório local, e não no Castelo de Windsor. 
  18. a b «Queen decides to stay away from Charles and Camilla's register office wedding» [Rainha decide ficar longe do casamento de Carlos e Camila no cartório] (em inglês). 23 de fevereiro de 2005. [...] a rainha anunciou que não comparecerá à cerimônia de casamento civil, embora compareça à bênção religiosa após a cerimônia civil. [...] Em um comunicado, o Palácio de Buckingham disse: "A rainha não comparecerá à cerimônia civil porque está ciente de que o príncipe e a senhora Parker Bowles queriam manter a ocasião discreta. 
  19. «Rainha da Inglaterra diz que funeral do Papa é mais importante que casamento do filho». Imirante. 4 de abril de 2005 
  20. «Prince Charles and Camilla marry» [Príncipe Charles e Camilla casam]. Taipei Times (em inglês). 10 de abril de 2005. Mantendo a tradição, Parker Bowles passou a noite de sexta-feira em Clarence House, a residência londrina do príncipe de Gales, enquanto o príncipe Charles passou a noite em sua mansão de campo em Gloucestershire, com seus filhos William e Harry. 
  21. a b c «Folha de S.Paulo - Reino Unido: Após 30 anos, Charles e Camilla se casam - 10/04/2005». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 16 de dezembro de 2022 
  22. «Honeymoon begins for Charles and Camilla» [A lua de mel começa para Charles e Camilla]. CBC (em inglês). 10 de abril de 2005. O príncipe William, filho mais velho de Charles, e Tom Parker Bowles, filho de Camilla, atuaram como testemunhas na cerimônia de casamento. 
  23. «Charles and Camilla wed» [Charles e Camilla se casam] (em inglês). 9 de abril de 2005. [...] incluindo o anel da noiva, que é feito de ouro galês. 
  24. a b «THE WEDDING OF HIS ROYAL HIGHNESS THE PRINCE OF WALES & MRS CAMILLA PARKER BOWLES» (PDF). The Prince of Wales 
  25. «Big Day For Charles And Camilla» [Grande dia para Charles e Camilla]. CBS (em inglês). 9 de abril de 2005. [...] onde foram convidados a se juntar ao casal na confissão de "vários pecados e maldades", nas palavras do Livro de Oração Comum. Não há referência a adultério ou outro delito específico, e tais confissões são padrão nas bênçãos de casamento anglicanas. No entanto, a imprensa sensacionalista entrou em frenesi, com o Daily Mirror imprimindo a manchete "Pecamos" sobre uma foto do casal usando chifres do diabo. 
  26. «Same day, different wedding» (em inglês). 9 de abril de 2005. Consultado em 16 de dezembro de 2022 
  27. «Everyone was smiling, even her ex». www.umsl.edu. Consultado em 16 de dezembro de 2022 
  28. «Is this the royal wedding cake maker?». www.telegraph.co.uk. Consultado em 16 de dezembro de 2022 
  29. «Royal wedding cake sold on web» (em inglês). 26 de abril de 2005. Consultado em 16 de dezembro de 2022 
  30. «Casamento de Charles e Camilla tem poucos souvenirs à venda». BBC Brasil. 25 de março de 2005 
  31. a b «Wedding switch makes mugs out of souvenir firms». The Guardian (em inglês). 5 de abril de 2005 
  32. «CAMILLA QUEEN OF SPEED» [CAMILLA RAINHA DA VELOCIDADE]. Alton Towers Almanac (em inglês). 9 de abril de 2005. Por apenas um dia, Rita renovou sua marca, para celebrar o casamento do príncipe Charles com Camilla Parker-Bowles. Os trens do passeio e a placa de entrada foram alterados nesse golpe de marketing, e um anúncio especial de TV também foi feito para ser veiculado no dia. "Camilla pode não ser a rainha da Inglaterra ainda, então pensamos que ela gostaria de substituir Rita e ser a 'Rainha da Velocidade', apenas no dia do casamento!", disse um porta-voz do parque. 
  33. «Royal wedding will be televised» [O casamento real vai ser televisionado]. The Guardian (em inglês). 18 de março de 2005 
  34. «Fashionistas praise Camilla style» [Fashionistas elogiam o estilo de Camilla]. BBC News (em inglês). 10 de abril de 2005 
  35. «Meet the Diana Circle: the band of fans trying to stop the royal wedding» [Conheça o Círculo de Diana: o bando de fãs tentando impedir o casamento real]. The Guardian (em inglês). 7 de março de 2005 
  36. «Guest List for Prince Charles' Wedding». Chicago Tribune. 8 de abril de 2005 [ligação inativa]