Casimiro de Brito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Casimiro de Brito
Nome completo Casimiro Cavaco Correia de Brito
Nascimento 14 de janeiro de 1938 (79 anos)
Loulé, Portugal
Nacionalidade português
Ocupação Poeta, ensaísta e ficcionista
Prémios Prémio P.E.N. Clube Português de Poesia (1998)
Magnum opus Ode & ceia: poesia 1955-198
Página oficial
http://casimirodebrito.no.sapo.pt/portugues/

Casimiro Cavaco Correia de Brito ComIH (Loulé, 14 de janeiro de 1938) é um poeta, ensaísta e ficcionista português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Casimiro de Brito nasceu em 14 de janeiro de 1938 em Loulé, distrito de Faro.

Viveu a sua infância na região algarvia, completando o Curso Geral do Comércio, na Escola Industrial e Comercial de Faro.

Em 1956 criou no jornal A Voz de Loulé uma página literária designada Prisma de Cristal, que se publicou até 1959, num total de 26 números. Nela colaboraram, entre outros, Ramos Rosa, Gastão Cruz e Maria Rosa Colaço. De 1958 a 1964 dirigiu, em Faro, a colecção de poesia A Palavra na qual publicaram, entre outros, Fiama Hasse Pais Brandão, Luiza Neto Jorge e Candeias Nunes. Depois de uma passagem por Londres, em 1958, fundou e dirigiu com António Ramos Rosa os Cadernos do Meio-Dia (1958-60), onde se revelaram os poetas do movimento literário Poesia 61.

Emigrado na Alemanha em finais dos anos 1960, estabeleceu-se em Lisboa em 1971, desempenhando funções no sector bancário.

Poeta, romancista e ensaísta, tem cerca de 56 livros publicados, traduzidos em 26 idiomas.

Foi vice-presidente da Associação Portuguesa de Escritores, Presidente do P.E.N. Clube Português e é actualmente[quando?] Presidente da respectiva Assembleia Geral. Dedica-se hoje exclusivamente à escrita e continua a desenvolver uma intensa actividade como divulgador da poesia nacional e internacional. Foi nomeado consultor para a Europa da World Haiku Association, sediada em Tóquio. É responsável pela colaboração portuguesa na revista internacional Serta, e editor-in-chief da Antologia de Literatura Mundial Diversity do P.E.N. Club Internacional.

Entre outros, Casimiro de Brito recebeu o Grande Prémio de Poesia Associação Portuguesa de Escritores pelo livro Labyrinthus (1981), o Prémio Versília, de Viareggio, para a "Melhor Obra Completa Estrangeira", pela obra Ode & Ceia (1985), o Prémio de Poesia do P.E.N. Clube, pelo livro Opus Affettuoso seguido de Última Núpcia (1997), o Prémio Internacional de Poesia Léopold Senghor (2002), o Prémio de Poesia Aleramo-Luzi, para o Melhor Livro de Poesia Estrangeiro, com o Livro das Quedas (2004), e ainda o Prémio de melhor poeta do Festival Internacional "Poeteka" (anel de platina), na Albânia (2008).

Casimiro de Brito foi ainda nomeado embaixador mundial da Paz (ONG, Zurique) e, em 2008, foi agraciado pelo Presidente da República Portuguesa com a Comenda[1] da Ordem do Infante D. Henrique.

O seu último livro editado foi 69 Poemas de Amor (2008)[qual?] e tem em via de publicação Amar a Vida Inteira (terceiro volume do Livro das Quedas – poesia) e o primeiro volume do romance Livro do Desejo.

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Casimiro de Brito

Bibliografia selecionada[editar | editar código-fonte]

Poesia[editar | editar código-fonte]

  • Poemas da Solidão Imperfeita (1958)
  • Sete Poemas Rebeldes e Carta a Pablo Picasso (1958)
  • Telegramas (1959)
  • Canto Adolescente (1961)
  • Poemas Orientais (1963)
  • Jardins de Guerra (1966)
  • Vietname - Em Nome da Liberdade (1967)
  • Mesa do Amor (1970)
  • Negação da Morte (1974)
  • Caderno Sagitário (1974)
  • Corpo Sitiado (1976)
  • Labyrinthus (1981)
  • Ode & Ceia - Poesia 1955-1984 (1985)
  • Subitamente o Silêncio (1991)
  • Intensidades (1995)
  • Opus Affettuoso seguido de Última Núpcia (1997)
  • À Sombra de Bashô (2001)
  • Animal Volátil - em colaboração com Rosa Alice Branco (2002)
  • Antologia Pessoal - com ensaio de Annabela Rita (2003)
  • Livro dos Haiku, uma Antologia (2003)
  • Livro das Quedas (2005)
  • A Boca na Fonte (2012)
  • Eros Mínimo (2015)

O poema Na Via do Mestre foi recentemente traduzido e comentado por Manuele Masini. Casimiro de Brito, Sulla Via del Maestro, Pisa: ETS e alleoPoesia, 2010.

Ficção[editar | editar código-fonte]

  • Um Certo País ao Sul - contos (1975)
  • Imitação do Prazer - romance (1977 e 1991)
  • Nós, Outros - romance em colaboração com Teresa Salema (1979 e 1980)
  • Pátria Sensível - romance (1983)
  • Contos da Morte Eufórica (1984, versão revista e aumentada de Um Certo País ao Sul)

Ensaio[editar | editar código-fonte]

  • Prática da Escrita em Tempos de Revolução (1977)
  • Vagabundagem na poesia de António Ramos Rosa (2001)

Aforismos[editar | editar código-fonte]

  • Onde se acumula o Pó? (1987)
  • Arte da Respiração (1988)
  • Da Frágil Sabedoria (2001)

Diário[editar | editar código-fonte]

  • Na Barca do Coração, Diário do Ano 2000 (2001).

Referências

  1. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Casimiro de Brito". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 2 de junho de 2016 
  • Gonçalves, Ilena Luís Candeias (2006). Escritores Portugueses do Algarve. Lisboa: Edições Colibri. OCLC 155154977 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]