Castelo de Ferrières

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Castelo de Ferrières
Château de Ferrières
Estilo dominante Neorenascentista
Arquiteto Joseph Paxton
Início da construção 1855
Fim da construção 1859
Proprietário inicial James Mayer de Rothschild
Proprietário atual Universidade de Paris
Geografia
País França
Cidade Ferrières-en-Brie, Sena e Marne

O Castelo de Ferrières (Château de Ferrières em francês) localiza-se na cidade de Ferrières-en-Brie, no departamento de Sena e Marne, na França.

Considerado o mais importante castelo francês do século XIX, dista cerca de vinte e seis quilômetros a Leste de Paris.

História[editar | editar código-fonte]

Foi construído entre 1855 e 1859 pelo barão James de Rothschild. O domínio dos Rothschild sobre a propriedade foi passando pela linha masculina da família de acordo com as leis da primogenitura.

O castelo foi projetado pelo arquitecto Britânico Joseph Paxton, que se inspirou no desenho de Mentmore Towers, em Buckinghamshire, Inglaterra, edifício que Paxton construiu para o primo do barão James, o barão Mayer Amschel de Rothschild. Ao contemplar Mentmore, o barão James teria convocado Paxton e ordenado "Construa-me um Mentmore, mas duas vezes maior".[1]

O barão James adquiriu uma vasta colecção de obras de arte e estátuas que adornavam várias salas do castelo. Muitas das esculturas eram de Alexandre Falguière e do italiano oitocentista, Antonio Corradini. Os filhos do barão adquiriram mais tarde trabalhos de René de Saint-Marceaux.

Durante a Guerra franco-prussiana (1870-1871), a propriedade foi ocupada pelos alemães, tendo sido palco das negociações entre Otto von Bismarck, Chanceler da Confederação da Alemanha do Norte, e o Ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Jules Favre.

Os alemães voltaram ao castelo durante a ocupação da França na Segunda Guerra Mundial. Desta vez, saquearam as suas importantes colecções de arte. Ao final do conflito, o castelo permaneceu desocupado até 1959, quando Guy de Rothschild e a sua nova esposa, a baronesa Marie-Hélène de Zuylen van Nyeve resolveram renová-lo. Os seus esforços fizeram com que o castelo se tornasse, uma vez mais, num local de encontro entre a nobreza europeia e as estrelas dos filmes de Hollywood, em grandes serões.

Em 1975, Guy de Rothschild e a sua esposa doaram o castelo à reitoria da Universidade de Paris, e actualmente está aberto ao público para visitas guiadas e eventos especiais.

Características[editar | editar código-fonte]

O castelo, em estilo Renascença italiana, possui torres quadradas em cada vértice. Um terraço formal conduz a um parque ajardinado e 1,25 km² de jardins que são parte de uma floresta circundante de 30 km². A escultura das colunas interiores e das cariátides ficou a cargo de Charles Cordier e as pinturas decorativas foram supervisionadas por Eugène Lami. O admirável hall central tem 120 pés (37 m) de comprimento e 60 pés (18 m) de altura, sendo o seu tecto uma clarabóia envidraçada. A extensa biblioteca inclui mais de 8.000 volumes. Em complemento aos apartamentos privados dos Rothschild, o Château de Ferrières foi construído com oito suites para hóspedes.

O Castelo de Ferrières no cinema[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. COWLES, Virginia. The Rothschilds, a Family of Fortune.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]