Castelo de Saint-Leu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Aspecto do Castelo de Saint-Leu cerca de 1807.

O Château de Saint-Leu foi um palácio da França situado na comuna de Saint-Leu-la-Forêt, departamento do Val-d'Oise, na região da Île-de-France. Este edifício foi construído no final do século XVII para Lorieul de la Noue, Secretário do Rei, tendo sido demolido em 1837.

História[editar | editar código-fonte]

Antes da Revolução Francesa, a aldeia de Saint-Leu-la-Forêt contava com dois châteaux: o château de cima, demolido e reconstruído em meados do século XVII, e o château de baixo, construído em 1693 por Lorieul de la Noue, Secretário do Rei.

O château de baixo foi adquirido, em 1774, ao presidente Droin pelo financeiro Jean-Joseph de Laborde, o qual desejava dispôr de uma residência menos distante de Paris que o seu Château de La Ferté-Vidame. Laborde mandou transformar o palácio e arranjar um parque à inglesa, percorrido por um riacho saíndo de um grande rochedo. Um pequeno templo rectangular e uma ponte de madeira atravessando a ribeira, sobre a qual se podia circular de barco, embelezavam esse jardim.

Em 1777, Laborde cedeu o domínio ao financeiro Nicolas Beaujon. Este revendeu-o, em 1780, ao Duque de Chartres, futuro Philippe Égalité, a quem a Condessa de Genlis, "governanta" da educação dos seus filhos, havia convencido a adquirir um domínio próximo de Paris onde ela podesse passar temporadas com os jovens príncipes, durante o período estival, para se ocupar da sua formação.

Em 1804, Louis Bonaparte e a sua esposa, Hortense de Beauharnais, adquiriram o château de cima e o château de baixo. Fizeram demolir o primeiro e reuniram os dois domínios, formando um parque com cerca de 80 hectares. O parque foi, então, reorganizado por Louis-Martin Berthault, que trabalhava igualmente no Château de Malmaison. A parte superior foi embelezada com construções (um vale suiço com cabanas, a ponte do diabo sobre um caminho encaixado, um monumento egípcio) enquanto que na parte inferior foram criados três tanques. Este jardim é conhecido por gravuras como a de Constant Bourgeois.

Depois da separação do seu marido (que tomou o título de "Conde de Saint-Leu"), em 1810, a rainha Hortense conservou o Château de Saint-Leu, onde deu festas brilhantes. Em 1814, Luís XVIII fê-la Duquesa de Saint-Leu mas, em 1815, acusada de colaborar na preparação do regresso de Napoleão I, tomou o caminho do exílio, sendo obrigada a abandonar Saint-Leu.

Em 1816, o domínio foi adquirido por Luís VI Henrique de Bourbon-Condé, Duque de Bourbon, Príncipe de Condé em 1818, o qual desejava dispôr de uma residência no limite da floresta de Montmorency, a qual lhe pertencia. Instalou-se, então, no palácio com a sua amante, a intriguista Baronesa de Feuchères.

Em 1830, o príncipe foi encontrado dependurado na tranca da janela do seu quarto, no primeiro andar do palácio. Apesar de a sua amante, a quem ele deixou uma fortuna importante, ter sido suspeita de assassinato, ela não foi perseguida, uma vez que a justiça não conseguiu provar que a morte do príncipe não se devera a causas naturais.

Herdeira do palácio, a Baronesa de Feuchères, sujeita à hostilidade local depois deste acontecimento retumbante, não tardou a revender a propriedade. No entanto, a manutenção do domínio mostrou-se muito dispendiosa, pelo que o palácio foi demolido em 1837 e o parque foi loteado.

Em Junho de 1844, um monumento comemorativo foi elevado à memória do Príncipe de Condé. A cruz que o encabeça, é suposto indicar a direcção precisa onde se encontrava a tranca onde foi encontrado dependuradou. Este monumento ainda existe. Do parque do palácio, por vingança, não restam mais que fracos vestígios.

Referências[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Belleville, Adolphe de, Les Secrets de Saint-Leu. Notice curieuse sur ce château et ses propriétaires, Aiglantine de Vendôme, la reine Hortense, etc. Suivie d'une biographie complète sur la baronne de Feuchères, et de détails sur la mort du duc de Bourbon, Paris, Dentu, 1831.
  • Caignard, Henri, Saint-Leu-la-Forêt, Val-d'Oise : Jean de Nivelle, Joseph Fouché, Philippe Égalité, le prince de Condé, Louis Bonaparte, la reine Hortense, Roudil, 1970.
  • Défossez, Marie-Paule, Saint-Leu-la-Forêt, Saint-Leu-la-Forêt, Valhermeil, 1997.
  • Maillard, André, Saint-Leu-la-Forêt à travers les siècles : histoire des châteaux, des seigneurs, des princes, de la reine Hortense, duchesse de Saint-Leu, et du village depuis les origines jusqu'à nos jours, Jouve, 1936.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]