Catarina Paladini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


José Antonio Frozza Paladini (São Miguel do Oeste, 1 de dezembro de 1982), mais conhecido como Catarina Paladini, é um político brasileiro, filiado ao Partido Socialista Brasileiro, deputado estadual no Rio Grande do Sul.

Catarina nasceu em São Miguel do Oeste (SC), porém reside desde os 11 anos de idade em Pelotas, onde começou sua militância política a partir de movimentos sociais. Graduado em Direito pela Universidade Católica de Pelotas (UCPel), Catarina participou do movimento estudantil, coordenou o Projeto Cidadão - que chegou a atender 390 crianças no bairro Fragata - e atuou na direção da Associação de moradores da Guabiroba, além de participar do projeto "Amigo da Escola", nos colégios Lima e Silva e Sylvia Mello.

Na política, em 2004, foi a grande surpresa da eleição, garantindo a primeira suplência aos 22 anos, com 2.543 votos. Em 2008, concorrendo pelo Partido Comunista do Brasil (PcdoB), foi o segundo candidato a vereador mais votado de Pelotas, com 6.722 votos, mas não se elegeu em decorrência de sua legenda. Na eleição seguinte, no entanto, alcançou a marca de 32.035 votos, sendo mais de 28 mil em Pelotas, elegendo-se assim deputado estadual pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB).

Como parlamentar, Catarina propôs onze projetos de lei e uma emenda constitucional, tornando-se um dos deputados mais atuantes da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. Foi o responsável pela criação da Frente Parlamentar em Defesa de Políticas Públicas para a Juventude e de uma comissão especial para acompanhar os rumos da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS), além de organizar dezessete audiências públicas sobre diversos temas em todo o estado.

Em 2014, ao buscar a reeleição para a Assembleia Legislativa gaúcha, obteve 18033 votos, e acabou perdendo a cadeira de deputado estadual.

Foi Secretário de Estado do Trabalho e Desenvolvimento Social de junho de 2016 até dezembro do mesmo ano quando assumiu a titularidade da cadeira de Deputado Estadual deixada pelo prefeito eleito de Cachoeirinha, Miki Breier[1][2].


Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. Osório, Cassiane (2 de junho de 2016). «Catarina Paladini assumirá a Secretaria do Trabalho e do Desenvolvimento Social». Portal do Estado do Rio Grande do Sul. Consultado em 11 de janeiro de 2017 
  2. «Secretário Catarina Paladini assume vaga na Assembleia Legislativa». Portal do Estado do Rio Grande do Sul. 30 de dezembro de 2016. Consultado em 11 de janeiro de 2017