Catedral Basílica de Nossa Senhora Aparecida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Catedral Basílica Nacional de Nossa Senhora da Conceição Aparecida
Vista da Basílica
Estilo dominante Neorromânico
Arquiteto Benedito Calixto Neto
Início da construção 10 de setembro de 1946[1]
Religião Católica
Diocese Arquidiocese de Aparecida
Ano de consagração 4 de julho de 1980 (37 anos)
Arcebispo Orlando Brandes
Padre João Batista de Almeida, C.Ss.R
Website www.a12.com/santuario-nacional
Geografia
País  Brasil
Cidade Aparecida
Endereço Avenida Dr. Júlio Prestes, s/n - Ponte Alta
Coordenadas 22° 51' 02.13" S 45° 14' 01.81" O

A Catedral Basílica de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, também conhecida como Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, é um templo religioso católico localizado no município brasileiro de Aparecida, no interior do estado de São Paulo. É o maior templo católico do Brasil e o segundo maior do mundo, menor apenas que a Basílica de São Pedro, no Vaticano.[2][3] Também é o maior espaço religioso do país, com mais de 143 mil m² de área construída ao longo de todo o Santuário. [4]

A estrutura foi solenemente sagrada em 4 de julho de 1980, pelo Papa João Paulo II,[5] quando ele visitou o Brasil pela primeira vez. Em 1984, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) elevou a nova basílica a Santuário Nacional. Localiza-se no centro da cidade, tendo como acesso a "Passarela da Fé", que liga a basílica atual com a antiga, ambas visitadas pelos romeiros.[3] Já recebeu a visita de três papas: João Paulo II, Bento XVI e Francisco.

Em novembro de 2016, por decreto do Papa Francisco, a basílica foi elevada à dignidade de igreja-catedral da Arquidiocese de Aparecida, título transferido da igreja de Santo Antônio, em Guaratinguetá.[6] O santuário é visitado anualmente por aproximadamente 12 milhões de romeiros de todas as partes do Brasil.[7]

História[editar | editar código-fonte]

Projeto[editar | editar código-fonte]

Fachada da Basílica velha.

A Basílica Nova é a terceira igreja que foi construída para abrigar a imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida. A primeira foi iniciada em 1741 e inaugurada a 26 de julho de 1745; a segunda foi iniciada em 1844 e inaugurada em 24 de junho de 1888.[5] O Santuário Nacional de Nossa Senhora é dirigido e administrado pelos Missionários Redentoristas da Congregação do Santíssimo Redentor, desde 1894.[5]

Em meados da década de 1940, os missionários da Congregação do Santíssimo Redentor, conhecidos por redentoristas, perceberam a necessidade de se erigir um novo templo para devoção do povo para com Nossa Senhora da Conceição Aparecida: era preciso um espaço mais amplo, que comportasse mais pessoas. Dessa necessidade, surgiu a ideia de se construir não uma qualquer igreja maior, mas uma basílica.

Benedito Calixto Neto foi o arquiteto contratado para a elaboração do projeto, que foi pedido em forma de cruz grega.[5] Em 1945, o então cardeal de São Paulo, Dom Carlos Carmelo de Vasconcelos Motta levou ao Vaticano o projeto da, então, futura basílica, que foi julgado como brilhante pela comissão examinadora.

Obras, arquitetura e geometria[editar | editar código-fonte]

Fachada Norte da Basílica
Torre da Basílica
Altar principal.
Interior da Basílica

Também conhecida por "Basílica Nova", está construída sobre o Morro das Pitas, teve sua terraplanagem iniciada em 1952 e terminada em 1954. Começou a ser construída em 11 de novembro de 1955,[5] pela Nave Norte, e seguiu para a construção da Torre Brasília que teve sua estrutura metálica doada pelo então presidente, Juscelino Kubitschek.

Terminada a torre, as obras seguiram para a cúpula central, depois, já em meados de 1972, para a Capela das Velas e para a Nave Sul, passando depois para as Naves Oeste e Leste, e as alas intermediárias, finalmente. A torre da Benedito Calixto de Jesus Neto.[5]

Há uma passarela, denominada "Passarela da Fé", que faz ligação entre a igreja velha e a basílica ao qual possui 392 m de extensão, onde há fiéis que esse trecho percorrem de joelhos.[3]

Honrarias[editar | editar código-fonte]

Rosa de Ouro[editar | editar código-fonte]

A Basílica de Aparecida, por três vezes, recebeu a Rosa de Ouro, uma das mais antigas e nobres condecorações papais.[carece de fontes?]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

O Santuário Nacional possui uma ampla e completa rede de infraestrutura para receber tantas pessoas no decorrer dos dias e festas.

Achados e perdidos[editar | editar código-fonte]

Os objetos perdidos são encaminhados para a Secretaria Pastoral ou para a Central de Informações, onde poderão ser retiradas com prévia consulta. Quanto às pessoas que se perdem de seus acompanhantes ou grupos, existe o Ponto de Encontro, que dispõe de funcionários treinados e de um sistema de som. Entretanto, o Santuário orienta as pessoas no sentido de se organizarem a nível de família ou romaria e adotarem o Ponto de Encontro como referência comum; orienta também no sentido de visitas com crianças e idosos: identificá-los com um cartão contendo telefone de contato e informações que possam ser relevantes.[8]

Acessibilidade[editar | editar código-fonte]

O Santuário Nacional dispõe de rampas de acesso ao templo e ao subsolo, elevadores para a visita do Mirante da Torre Brasília, pisos e rampas emborrachados e antiderrapantes, 58 vagas de estacionamento para idosos e pessoas com deficiência, os banheiros possuem entrada independente para acompanhantes de pessoas com deficiência, 45 cadeiras especiais, corrimões em duas alturas.[9]

Ambulatório médico[editar | editar código-fonte]

Ao lado leste da Basílica, próximo à Passarela, existe um ambulatório para assistência de emergência ou de urgência, é um serviço gratuito e conta com médicos, enfermeiras e atendentes.[10]

Centro de apoio ao Romeiro[editar | editar código-fonte]

Popularmente conhecido como Shoppinho, foi planejado para proporcionar comodidade, lazer e acolhimento. Possui uma grande praça de alimentação com vários tipos de restaurantes, 380 lojas em 36.000 , quiosques, fraldário, caixas bancários, bebedouros, aquário, ponto de encontro e parque de diversões.[11]

Estacionamento[editar | editar código-fonte]

O Santuário possui um pátio de estacionamento com capacidade para 2000 ônibus e 3000 automóveis particulares, e dispõe de socorro mecânico e seguro contra furto ou roubo de veículos, mas não se responsabiliza por pertences deixados no veículo.[12]

Fraldário[editar | editar código-fonte]

Para favorecer as mães com crianças pequenas, a Basílica oferece dois fraldários. Um deles se encontra no subsolo e contém 10 berços e 16 trocadores e atende cerca de 300 crianças por dia. O outro está localizado no Centro de Apoio, na asa sul, e possui micro-ondas, duchas higiênicas, trocadores, aquecedores de mamadeiras entre outros serviços gratuitos.[13]

Segurança patrimonial[editar | editar código-fonte]

A fim de proporcionar uma visita tranquila e segura, o Santuário conta com cerca de 200 agentes de segurança. 400 policiais militares, em média, reforçam em épocas especiais. Com um moderno sistema de câmeras, 48 equipamentos fixos e oito móveis, com monitoramento 24 horas/dia, interno e externo, observam a Basílica. Também viaturas e motocicletas que fazem rondas diuturnas, dentro dos muros do Santuário Nacional, colaboram com a vigilância.[14]

Utilidades[editar | editar código-fonte]

No subsolo da Basílica, encontra-se a Sala das Promessas, o fraldário, banheiros, água potável, Capela dos Batizados, Salão dos Romeiros (espaço para refeições) e marcação de missas. Na Torre Brasília, o mirante (100m de altura), o Museu Nossa Senhora Aparecida e a central de informações. No Centro de Apoio, o ponto de encontro e central de informações. No setor externo, a Sala de Imprensa, a sala dos motoristas, a segurança patrimonial e o ambulatório.[15]

Visão panorâmica do exterior da basílica de Nossa Senhora Aparecida

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Apostolado dos Sagrados Corações. «Basílica Nova». Consultado em 5 de novembro de 2015 
  2. G1 (12 de outubro de 2015). «Católicos celebram Dia da Padroeira na Basílica em Aparecida, SP». Consultado em 5 de novembro de 2015 
  3. a b c Terra (12 de outubro de 2007). «Basílica de Aparecida aguarda 160 mil pessoas». Consultado em 24 de fevereiro de 2013. Cópia arquivada em 23 de fevereiro de 2012 
  4. «Santuário em números». www.a12.com. Consultado em 14 de outubro de 2017 
  5. a b c d e f «Revista Turismo - BASÍLICA NACIONAL DE APARECIDA DO NORTE - SP». Revista Turismo. Consultado em 24 de fevereiro de 2013. Cópia arquivada em 21 de novembro de 2008 
  6. «Papa concede ao Santuário Nacional título de Igreja-Catedral». Portal A12. 10 de novembro de 2016. Consultado em 11 de novembro de 2016 
  7. Valeparaibano. «A Padroeira». Consultado em 2 de abril de 2010 
  8. A12. «Santuário Nacional - Achados e Perdidos». Consultado em 23 de janeiro de 2014 
  9. A12. «Santuário Nacional - Acolhimento». Consultado em 23 de janeiro de 2014 
  10. A12. «Santuário Nacional - Ambulatório médico». Consultado em 23 de janeiro de 2014 
  11. A12. «Santuário Nacional - Centro de Apoio ao Romeiro». Consultado em 23 de janeiro de 2014 
  12. A12. «Santuário Nacional - Estacionamento». Consultado em 23 de janeiro de 2014 
  13. A12. «Santuário Nacional - Fraldário». Consultado em 23 de janeiro de 2014 
  14. A12. «Santuário Nacional - Segurança». Consultado em 23 de janeiro de 2014 
  15. A12. «Santuário Nacional - Utilidades». Consultado em 23 de janeiro de 2014 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Catedral Basílica de Nossa Senhora Aparecida