Catedral Velha de Plasencia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Catedral Velha de Plasencia
Claustro
Estilo dominante Românico/Gótico
Arquiteto Juan Francés
Diego Díaz[1]
Início da construção fim do século XII ou início do século XIII[1]
Fim da construção século XIV
Religião Católica
Diocese Plasencia
Geografia
País Flag of Spain.svg Espanha
Região Estremadura
Local Plasencia
Coordenadas 40° 1' 40" N 6° 5' 28" O
Disambig grey.svg Nota: Para a catedral mais recente, veja Catedral Nova de Plasencia.

A Catedral Velha de Plasencia ou de Igreja de Santa Maria, é um templo católico românico/gótico na cidade de Plasencia, província de Cáceres, comunidade autónoma da Estremadura. Atualmente (2010) alberga o Museu Catedralício.[2]

A sua construção foi iniciada no fim do século XII ou início do século XIII e só terminaria no século XIV. É de estilo de transição entre o românico e o gótico, com alguns aspetos de carácter oriental (bizantino). Foi obra, entre outros, dos mestres Juan Francés e Diego Díaz.

No final do século XV, a construção de uma nova catedral, de muito maiores dimensões, implicou a demolição do cruzeiro e de parte da cabeceira.

O pórtico principal é de estilo românico, com as clássicas arquivoltas, sobre as quais existe um grupo escultórico talhado em pedra representando a Anunciação de Nossa Senhora. Um motivo decorativo dominante no pórtico, que se encontra também noutros pórticos placentinos, são pontas de diamante nas arestas das jambas.[1]

No interior tem três naves e quatro tramos com abóbadas em cruzaria, obra de Gil de Císlar. Na nave central venera-se um pequeno retábulo da Virgen Niña (Virgem Menina). As naves laterais são dedicadas à Virgen de los Dolores (Nossa Senhora das Dores) e a Cristo Crucificado.[1]

No claustro retangular é patente a transição do Românico para o Gótico, com arcos pontiagudos e abóbadas em cruzaria, mas com colunas e capitéis de clara tradição românica. O claustro alberga uma imagem gótica de Santa Maria, a Branca, do século XII e une a catedral velha à catedral nova.[1]

O claustro dá acesso à antiga sala capitular, atualmente convertida na capela de São Paulo tem uma torre gallonada[a] (Torre del Melón) tem uma cúpula octogonal é de estilo bizantino, que no exterior forma uma pirâmide coberta de escamas, semelhante à estrutura da Torre do Galo da Catedral Velha de Salamanca, à Catedral de Zamora e à Colegiata de Toro.[3]

Fachada.

O Museu Catedralício tem uma coleção de pinturas e esculturas de artista espanhois e flamengos, como Luis de Morales ou Gerard David, ornamentos religiosos e objetos de culto dos séculos XV a XVII.

Notas[editar | editar código-fonte]

[a] ^ Não foi encontrada tradução para gallonada. À letra significa que tem gallones, que por sua vez podem ser "segmentos côncavos de algumas abóbadas, rematados em redondo pela sua extremidade mais larga".[4]

Bibliografía[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e «Catedral Vieja de Plasencia. Catedral de Santa María». Catedrales de España (em espanhol). Arteguias de la Garma. Novembro de 2007. Consultado em 24 de janeiro de 2010. Cópia arquivada em 24 de janeiro de 2010 
  2. Texto inicialmente baseado na tradução do artigo «Catedral Vieja de Plasencia» na Wikipédia em castelhano (acessado nesta versão).
  3. «Catedráles de Plasencia». www.ruralgest.net (em espanhol). Turismo Rural en Extremadura. Consultado em 24 de janeiro de 2010 
  4. «Diccionario de la lengua española - Vigésima segunda edición». gallonada, gallón, crestería (em espanhol). Real Academia Espanhola. Consultado em 24 de janeiro de 2010 

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Catedral Velha de Plasencia