Catedral da Santíssima Trindade (Porto Alegre)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura por outras catedrais de mesmo nome, veja Catedral de Santíssima Trindade.
Catedral da Santíssima Trindade.

A Catedral da Santíssima Trindade, originalmente chamada de Egreja da Trindade ou Capella da Trindade, localizada à rua dos Andradas nº 880, é um templo da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil na cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul.

Em 5 de julho de 1900 foi assinada a escritura de compra do terreno. Em 25 de outubro, às 14h, foi lançada a pedra fundamental, com a presença de autoridades civis, religiosas e militares, incluindo o Intendente José Montaury e integrantes do Conselho Municipal e do corpo consular de Porto Alegre, bem como de membros da comunidade.

O projeto teve autoria de John Meen, sendo engenheiro A. Ahrons e contrutor Francisco Tomatis, e foi realizado entre 1900 e 1903. O desenho inicial incluía uma torre na fachada, que não veio a ser levada a cabo por falta de recursos. Entretanto o aspecto atual do prédio não revela desarmonia, tendo sido encontrada uma solução bastante satisfatória para o problema de adaptação do projeto. A consagração do templo se deu em 10 de maio de 1903.

Em 31 de dezembro de 1949 a capela foi elevada à categoria de Catedral, sendo desde então a sede da Diocese Meridional da Igreja Anglicana no Brasil. Em 1957 foi feita uma reforma no piso do templo, sendo substituído o de madeira por ladrilhos. Em data não registrada foi trocada a cobertura de telhas de barro por outras metálicas. O sistema de iluminação atual foi instalado na década de 1970 e os lustres são obra de Jaury Lopes dos Reis, cada um com 7 velas a recordar os Sete Dons do Espírito Santo.

Nave central e capela-mor.

Este templo foi o primeiro erguido pelos Anglicanos no sul do Brasil, e sua dedicação à Santíssima Trindade comemora o dia em que foi realizado, pelos Reverendos Morris e Kinsolving, o primeiro serviço Anglicano em Porto Alegre, em 1 de junho de 1890, dia da Santíssima Trindade no calendário Cristão.

Seguindo uma linha neogótica simplificada, a fachada, erguida sobre um pequeno embasamento de pedras rústicas, tem um pórtico com uma grande porta em arco de ogiva com frontispício sem adornos outros além de dois pequenos pináculos laterais com espinhas e um óculo quadrifólio ao centro, e uma cruz metálica no vértice superior. O pórtico se junta ao corpo da igreja, que imita o desenho do pórtico em escala maior, com três grandes janelas em arco decoradas com vitrais e acrescido de duas naves laterais também com pináculos semelhantes nas extremidades.

No interior a nave central é elevada, com decoração discreta, bancadas para a congregação, um coro sobre a entrada construído em 1945, um clerestório com janelas em ogiva agrupadas de três em três, sendo que as centrais são maiores, todas oclusas com vitrais de belo desenho, confeccionados pela Casa Genta e doados pela comunidade a partir da década de 1930. As naves laterais abrem para a central através de arcos também em ogiva, de pilares lisos.

Clerestório na nave central.

Destacam-se ainda um elegante vigamento aparente, com grandes arcos de madeira e metal sustentando o forro em duas águas, e o retábulo incluso no revestimento de lambris da capela-mor, um raro conjunto de talha em madeira em estilo gótico inglês, datando da década de 1920, tendo sido o primeiro elemento tombado pelo Patrimônio Histórico do Município, separadamente do restante da igreja. Em 1981 todo o conjunto da Catedral foi igualmente tombado.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Catedral da Santíssima Trindade. Folheto descritivo editado pela Diocese. Sem local, sem data. Gentilmente cedido para consulta pelo Revmº Sam Dessórdi Leite.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]