Cattleya pumila

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Como ler uma infocaixa de taxonomiaCattleya pumila
Hadrolaelia pumila Imperatriz.JPG
Classificação científica
Superdomínio: Biota
Reino: Plantae
Sub-reino: Viridiplantae
Infrarreino: Streptophyta
Superdivisão: Embryophyta
Divisão: Tracheophyta
Subdivisão: Euphyllophyta
Ordem: Asparagales
Família: Orchidaceae
Subfamília: Epidendroideae
Tribo: Epidendreae
Género: Cattleya
Espécie: Cattleya pumila

Cattleya pumila é uma espécie de planta do gênero Cattleya e da família Orchidaceae. [1] Pertence a Cattleya série Hadrolaelia. Esta espécie ocorre sempre em ambientes montanos nos estados do Espírito Santo e Minas Gerais (MG). No ES está em floresta pluvial, enquanto em MG está sempre associada a matas de galeria em ambientes de campo rupestres, no Quadrilátero Ferrifero, Serra do Cipó, Planalto de Diamantina e também na Serra da Canastra. A época de floração principal é de fevereiro a abril. [1]

Taxonomia[editar | editar código-fonte]

A espécie foi descrita em 1838 por William Jackson Hooker. [2] Os seguintes sinônimos já foram catalogados: [1]

  • Cattleya pinellii Lindl.
  • Cattleya pumila major Lem.
  • Cattleya spectabilis Paxton
  • Hadrolaelia spectabilis (Paxton) F.Barros & J.A.N.Bat.
  • Laelia pumila mirabilis E.Morren
  • Laelia spectabilis (Paxton) Withner
  • Bletia pumila (Hook.) Rchb.f.
  • Hadrolaelia pumila (Hook.) Chiron & V.P.Castro
  • Laelia pumila (Hook.) Rchb.f.
  • Sophronitis pumila (Hook.) Van den Berg & M.W.Chase

Forma de vida[editar | editar código-fonte]

É uma espécie epífita e herbácea. [1]

Descrição[editar | editar código-fonte]

Diferencia-se de C. praestans pelas flores geralmente com segmentos estreitos, e mais claros, e o labelo com lobos laterais mais curtos. [1]

Caule[1]
planta rizomatosa
número de entrenó do rizoma 1
Folha[1]
número 1
forma elíptico lanceolada/elíptico oblonga
Inflorescência[1]
inflorescência em pseudobulbo diferenciado sem folha não
bráctea espataceo ausente
número de flor 1/2/3
Flor[1]
cor das pétalas e sépalas lilás
forma do labelo trilobado
cor do lobo mediano do labelo rosa escuro/com o centro branco/com a extremidade mais clara
cor dos lobo lateral do labelo lilás/com a parte terminal mais escura

Conservação[editar | editar código-fonte]

A espécie faz parte da Lista Vermelha das espécies ameaçadas do estado do Espírito Santo, no sudeste do Brasil. A lista foi publicada em 13 de junho de 2005 por intermédio do decreto estadual nº 1.499-R. [3]

Distribuição[editar | editar código-fonte]

A espécie é encontrada nos estados brasileiros de Espírito Santo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.[1] A espécie é encontrada nos domínios fitogeográficos de Cerrado e Mata Atlântica, em regiões com vegetação de campos rupestres, floresta ombrófila pluvial e vegetação sobre afloramentos rochosos.[1]

Notas[editar | editar código-fonte]

Contém texto em CC-BY-SA 4.0 de van den Berg, C. Cattleya in Flora e Funga do Brasil. [1]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l «Cattleya pumila Hook.». floradobrasil2020.jbrj.gov.br. Consultado em 18 de abril de 2022 
  2. «Cattleya pumila». www.gbif.org (em inglês). Consultado em 18 de abril de 2022 
  3. «IEMA - Espécies Ameaçadas». iema.es.gov.br. Consultado em 12 de abril de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre plantas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.